A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PLANEJAMENTO, LANÇAMENTO E CURA DA CONCRETAGEM MAIO DE 2013 CONSTRUÇÃO CIVIL I.

Cópias: 1
PROCEDIMENTOS PARA CONCRETAGEM Listagem de Eventos Conjunto de atividades e medidas a serem verificadas para construção de uma estrutura de concreto armado,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PLANEJAMENTO, LANÇAMENTO E CURA DA CONCRETAGEM MAIO DE 2013 CONSTRUÇÃO CIVIL I."— Transcrição da apresentação:

1 PLANEJAMENTO, LANÇAMENTO E CURA DA CONCRETAGEM MAIO DE 2013 CONSTRUÇÃO CIVIL I

2 PROCEDIMENTOS PARA CONCRETAGEM Listagem de Eventos Conjunto de atividades e medidas a serem verificadas para construção de uma estrutura de concreto armado, visando a qualidade da edificação a ser produzida.

3 ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS Compatibilidade dos projetos Avaliações iniciais Formas e Escoramento Armaduras Tubulações e Passagens Planejamento da Concretagem Equipes e Logística Procedimentos Pós-Concretagem Desforma

4 COMPATIBILIDADE DOS PROJETOS Os projetos foram compatibilizados? Arquitetura Cálculo Estrutural Instalações de Água e Esgoto Instalações Elétricas Instalações de Telefonia Instalações de Combate à Incêndio Antena Coletiva e TV a Cabo Proteção contra Descargas Atmosféricas Sistema de Alarme e Circuito Interno de TV Ar Condicionado Elevadores / Transporte Vertical Ventilação Forçada Especiais (Sinalização, Instalações Hospitalares, etc.) Estudo de Impacto Ambiental

5 Habilidade de influenciar o custo do empreendimento de construção

6 Os responsáveis pela obra têm pleno conhecimento das concepções dos projetos e suas interfaces? As passagens de dutos através de elementos estruturais foram avaliadas pelo projetista? A passagem de algum duto implicará no aumento de espessura de paredes? As dimensões mínimas de espaços, exigidas pela Prefeitura e/ou Corpo de Bombeiros, serão mantidas?

7 AVALIAÇÕES INICIAIS 1.Fornecimento de Concreto Convencional Dosagem racional Padiolas e dosadores Usinado Experiência da concreteira Cálculo do volume a ser aplicado Especificações do concreto a ser fornecido (resistência, consistência, dimensão do agregado, aditivos, etc.)

8 Tipos de Cimento Portland Evolução da resistência, com o tempo, de concretos com 335 kg de cimento por m 3 preparados com cimentos de diversos tipos

9 Evolução da resistência, com o tempo, de concretos com relação água/cimento 0,49 preparados com diversos tipos de cimento 2.4

10 Aditivos para Concreto São substâncias de ação química, física ou físico-química que adicionadas ao concreto, modificam certas características do produto, tais como: trabalhabilidade endurecimento qualidade durabilidade Os aditivos não têm influência sobre o volume do concreto.

11 Tipos de Aditivos Destinados a reduzir o consumo de água no concreto, possibilitando o aumento da resistência e maior trabalhabilidade (facilita a compactação). Ex.: Cemix e Plastment BV 40 Tipo P(redução mínima de 6% na água) Tipo SP(redução mínima de 12% na água) 1. Plastificantes e Superplastificantes Destinados a incorporar pequenas bolhas de ar no concreto, reduzindo a superfície específica dos materiais constituintes (ar é aumentado de 3% para 6%). Aumenta a plasticidade e durabilidade. Usado principalmente em concreto massa. Ex.: Silka Era e Cemix A Tipo IAR 2. Incorporadores de Ar

12 Tipos de Aditivos Destinados a retardar o tempo de início e fim de pega, proporcionando melhor qualidade e desenvolvimento mais rápido da resistência. Tem características dos aditivos plastificantes. Ex.: Retard e Plastiment VZ Tipo R 3. Retardadores Destinados a diminuir os tempos deinício e fim de pega do concreto proporcionando a aceleração da resistência inicial. Ex.: Vedacit e Silka 3 Tipo A 4. Aceleradores

13 Tipos de Aditivos Destinados a otimizar as qualidades do concreto através do uso de sílica ultra fina em suspensão. Ex.: Sikacrete 950 Tipo FL 5. Base de Sílica Ativa Tipo PA, PR, SPA e SPR 6. Aditivos Compostos

14 Produtos Auxiliares da Cura Devem ser pulverizados sobre o concreto, após o lançamento, com a finalidade de obturar e proteger a superfície evitando a perda de água por evaporação. Devem ser aplicados quando o concreto está sujeito à insolação e/ou ventos fortes. E.: Curing e Antisol Produtos Expansores Destinados a eliminar a segregação do concreto e compensar a retração de hidratação do cimento, obtendo uma perfeita colmatagem. E.: Intraplast e Expansor

15 *Aço Aço pronto Corte e dobra na obra Protensão *Dispositivos de Proteção e Segurança no Trabalho Facilidade de acesso ao local de lançamento Guarda-corpo nos bordos da forma Proteções contra respingos e salva-vidas Equipamentos de proteção individual Treinamento da equipe AVALIAÇÕES INICIAIS

16 *Influência Externa no Endurecimento do Concreto Vibrações do trânsito, bate estaca, etc. *Dispositivos de Lançamento Autobomba com lança Bombas estacionárias Esteira Grua com caçamba Guincho de torre Guincho de coluna Convencional AVALIAÇÕES INICIAIS

17 *Dispositivos de apoio Betoneira (tipo e capacidade) Transporte dentro da obra (carrinhos de mão, gericas, dumper, esteiras, guinchos, guindaste, caçamba, etc.) Ferramentas (enxadas, pás, desempenadeiras, guias de concretagem, etc.) *Equipamentos para Adensamento do Concreto Vibradores imersão ou de forma (escolha do operador, prática: sentir a reação do concreto) Mangotes (diâmetros) AVALIAÇÕES INICIAIS

18 Variação da resistência à compressão com a relação água / cimento e a energia de adensamento

19 FORMAS E ESCORAMENTOS *Dimensões do projeto *Capacidade de suporte da forma Peso próprio Peso da massa de concreto a ser aplicado Impactos da concretagem *Nivelamento das formas *Prumo das peças da forma Prumo externo Caixa de elevadores

20 *Rigidez da forma Contraventamentos das vigas e pilares *Marcação dos painéis e peças da forma *Furos para passagem de dutos *Superfície de apoio do escoramento *Estanqueidade *Limpeza e aplicação de desmoldantes *Facilidades para o decimbramento FORMAS E ESCORAMENTOS

21 ARMADURAS *Certificado de qualidade do aço *Barras e fios Bitolas Quantidade e dimensões Posição Espaçamentos entre barras Esperas para a próxima concretagem *Fixação / Firmeza Deslocamento da armadura

22 *Cobrimentos da armadura Pastilhas e espaçadores *Transpasses e emendas *Limpeza do aço Oxidação, gordura, desmoldante, etc. *Memória visual ARMADURAS

23 TUBULAÇÕES E PASSAGENS *Dutos dos projetos elétrico/telefônico, etc. Eletrodutos de alta pressão Posicionamento das caixas e dutos Fixação e rigidez Estrangulamento de eletrodutos *Passagens das redes de água, esgoto, incêndio, etc. Shafts Posicionamento (ralos, caixas sinfonadas, etc.) Isolamento dos tubos galvanizados (cimento x galvanização)

24 PLANEJAMENTO DA CONCRETAGEM *Programação da aplicação Horário de início, intervalos e fim (o concreto não pode ser aplicado após o início da pega) *Comunicação entre equipes Concreteira x Obra Sistema de sinalização Comunicação com central de concreto

25 *Caminhamento da concretagem na forma Local de início, trajeto e fim Pontos de descarga do concreto (lançamento mais próximo da posição final) (evitar acúmulo de concreto) Pontos de interrupções (descontinuidade) (juntas de concretagem, encontro de pilares, etc.) Lançar em camadas horizontais (partir das extremidades para o centro da forma) (camadas de 15 a 30 cm) (lançar nova camada antes do início da pega da anterior) Evitar a segregação e acúmulo dágua na superfície PLANEJAMENTO DA CONCRETAGEM

26 *Lançamento de alturas elevadas Funil, tubo tremonha (tromba), canaleta e janela *Procedimento relativo à forma Umedecimento antes do lançamento Fixação de peças auxiliares no concreto *Eventual interrupção no lançamento Retomar após 72 horas se superior a 3 horas A vibração prejudica o concreto em endurecimneto *Controle Tecnológico do Concreto Laboratório Idôneo Planejamento para retirada dos corpos de prova PLANEJAMENTO DA CONCRETAGEM

27 EQUIPES E LOGÍSTICA *Dimensionamento das equipes Acompanhamento da performance das formas Adensamento do concreto (escolha do operador – prática em sentir a reação do concreto) Espalhamento do concreto Acabamento do concreto Lançamento (concreteira) Controle tecnológico *Vibradores e mangotes reserva

28 *Instalações Elétricas Pontos de energia (127V / 220V) Previsão para iluminação *Pontos de água Umedecimento das formas e procedimento de cura *Acessos à obra Situação do sistema viário Estacionamento da bomba e caminhões betoneira Proteção de pedestres *Apoio à concreteira Argamassa lubrificante Utilização do concreto residual (sobra e tubulação) PLANEJAMENTO DA CONCRETAGEM

29 Eliminar o contrapiso possibilitando a fixação direta do revestimento no piso concretado ou proceder o acabamento do piso já durante a concretagem. Nivelamento e acabamento de lajes de concreto Lajes nível zero Lajes Zero O nome é originado em razão do processo executivo. É fixado uma referência que chamamos cota zero. A partir deste ponto, através de um nível laser, é procedido o controle do nível durante o lançamento e acabamento do concreto. Objetivo

30 Elimina as réguas mestras utilizadas nas concretagens tradicionais Elimina a mão de obra para concretagem e regularização Elimina as réguas de regularização Aspecto de limpeza e acabamento Elimina a confecção do contrapiso Ocorrências de Erros Erro do nível laser (5 mm para cada 100 m) Falha humana durante a execução Deformações após a retirada da estrutura Vantagens do Processo

31 Utilização de concreto bombeado ou com consistência de 8 cm Poluição sonora dos equipamentos Mão-de-obra com qualificação Serviço de terceiros – custo? Aspectos a Ponderar Bambolês Nível de laser Rodo alisador Régua de corte Equipamentos Utilizados Química (plículo c/produto) Convencional Cura

32 Lajes e pisos aparentes Garagens Galpões Tipos de acabamento Receber revestimentos tais como: Granitos e mármores Cerâmicas Grama sintética Receber revestimentos tais como: Carpetes Pisos vinílicos Porcelanato Tábua corrida Camurçado médio Camurçado fino Polido

33 Custos substituídos pelo processo Mestras de madeira para laje – m 2 ItemConsumo/m 2 Custo unitárioCusto/m 2 Madeira0,65 mR$ 0,79R$ 0,46 Carpinteiro0,125 hR$ 4,50R$ 0,56 Ajudante0,25 hR$ 3,38R$ 0,85 TotalR$ 1,95 Lançamento do concreto – m 3 ItemConsumo/m 2 Custo unitárioCusto/m 2 Pedreiro0,24 hR$ 4,50R$ 1,08 Ajudante0,72 hR$ 3,38R$ 2,43 TotalR$ 3,51 Regularização da laje – m 2 ItemConsumo/m 2 Custo unitárioCusto/m 2 Argamassa0,04 m 3 R$ 90,00R$ 3,60 Pedreiro0,50 hR$ 4,50R$ 2,25 Ajudante1,00 hR$ 3,38R$ 3,38 TotalR$ 9,23 TOTAL GERALR$ 14,69

34 PROCEDIMENTOS PÓS-CONCRETAGEM *Proteção da superfície concretada *Proteção contra movimentação das formas *Procedimentos para cura do concreto *Encaminhamento dos corpos de prova Acesso aos resultados dos ensaios (3, 7, 28 dias) *Atividades para equipe permanente da obra

35 Se representarmos graficamente a variação de resistência do concreto em função do tempo, com a cura sendo feita em condições normais de temperatura ambiente, vamos obter curvas como:

36 DESFORMA *Treinamento da equipe *Idade do concreto para desforma *Plano de desforma progressiva Consulta ao projetista estrutural Balanços Atirantamento em estrutura a ser construída *Localização das peças de re-escoramento *Conserto de falhas de concretagem

37 NÃO ESQUECER DA VISITA TÉCNICA NESTE SÁBADO!! OBRA DA TCI ENDEREÇO NO QUADRO


Carregar ppt "PLANEJAMENTO, LANÇAMENTO E CURA DA CONCRETAGEM MAIO DE 2013 CONSTRUÇÃO CIVIL I."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google