A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Gestão do Conhecimento: Conceitos, Práticas e Perspectivas Paulo Alberto Bastos Junior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Gestão do Conhecimento: Conceitos, Práticas e Perspectivas Paulo Alberto Bastos Junior."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Gestão do Conhecimento: Conceitos, Práticas e Perspectivas Paulo Alberto Bastos Junior

2 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS OBJETIVOS n Conceituar Gestão do Conhecimento como um modelo de gestão empresarial n Apresentar as principais práticas deste modelo de gestão n Discutir possibilidades de aplicação do modelo no contexto educacional FONTE DA ABORDAGEM NÚCLEO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL DA PUCPR

3 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Questões Importantes Desde quando o ser humano faz uso de conhecimento para viver e produzir ? Desde sempre ! Conhecimento é algo importante para a vida humana ? Certamente SIM !!!

4 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Questões Importantes Então porque só agora, no final do século XX, começamos a falar de Gestão do Conhecimento como algo estratégico para a produção que é realizada pelo ser humano ? A Produção de informação Nunca se produziu tanta informação e conhecimento, em tão curto espaço do tempo

5 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS A Produção de informação Produzimos mais dados e informações do que somos capazes de sintetizar Um dos maiores problemas que enfrentamos, hoje, não é a falta, mas o excesso de informações disponíveis

6 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Alguns fatores Importantes... As Inovações O espaço de tempo decorrido entre duas inovações consecutivas, geradas em um mesmo setor da produção, é cada vez menor.

7 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS O Advento da Globalização eliminação das fronteiraseliminação das fronteiras eliminação das barreiras comerciais eliminação das barreiras comerciais aumento da concorrência aumento da concorrência maior competitividade maior competitividade mais inovação em menos tempo mais inovação em menos tempo n Microsoft > a destruição do conhecimento

8 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS A Descoberta da Microinformática A Descoberta da Microinformática > Massificação do uso do computador > Descentralização do tratamento e uso dos dados e informações, nas empresas e a Internet... –acesso global à informação – fácil acesso às informações informais – democratização do acesso à informação – trabalho virtual x empresa virtual – espionagem eletrônica – comércio eletrônico

9 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS A Sociedade do Conhecimento A Desmaterialização da Economia A Desmaterialização da Economia – empresas virtuais – ativos intangíveis – capital intelectual – produtos mais complexos n mais conhecimento multidisciplinar agregado – desmaterialização das empresas n maior participação dos ativos intangíveis

10 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS A Sociedade do Conhecimento Inversão no valor dos insumos da produção capital capital energia energia matéria-prima matéria-prima conhecimento conhecimento

11 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Conclusões 1 Informação é o insumo mais impor- tante da produção humana na medida em que, cada vez mais, é o conheci- mento que diferencia estratégica- mente uma pessoa ou uma organização no mercado.

12 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Conclusões 2 Se hoje o conhecimento é o insumo estratégico da produção, então é pre- ciso tratá-lo com métodos, metodo- logias e ferramentais adequados – processar dados – tratar informações – gerenciar conhecimentos

13 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Conclusões 3 Gestão do Conhecimento é o processo sistemático de identificação, criação, renovação e aplicação dos conheci- mentos que são estratégicos na vida de uma organização. É a administra- ção dos ativos de conhecimento desta organização.

14 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Conclusões 4 Fazer Gestão do Conhecimento é: saber quais conhecimentos são estratégicossaber quais conhecimentos são estratégicos planejamento estratégico planejamento estratégico saber identificar as fontes de informaçõessaber identificar as fontes de informações saber administrar dados e informaçõessaber administrar dados e informações tecnologia da informação tecnologia da informação técnicas e ferramentas de análise da informação técnicas e ferramentas de análise da informação

15 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Conclusões e saber gerenciar conhecimentos !!! promover a capacitação permanentepromover a capacitação permanente trabalhar em equipes multidisciplinarestrabalhar em equipes multidisciplinares promover a sinergia organizacional necessáriapromover a sinergia organizacional necessária estruturar a base de conhecimentos da empresaestruturar a base de conhecimentos da empresa monitorar sistematicamente a produção de conhecimentos estratégicos para a organização e a utilização dos mesmos pelos concorrentes atuais e potenciaismonitorar sistematicamente a produção de conhecimentos estratégicos para a organização e a utilização dos mesmos pelos concorrentes atuais e potenciais

16 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Conhecimento Conhecimento é a crença verdadeira justificada Platão

17 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS As Práticas da Gestão do Conhecimento (GCO) Aprendizagem OrganizacionalAprendizagem Organizacional Educação Corporativa (Gestão de Competências)Educação Corporativa (Gestão de Competências) Gestão do Capital IntelectualGestão do Capital Intelectual Inteligência EmpresarialInteligência Empresarial Tecnologia da Informação (T.I.) - suporte às práticas da GCOTecnologia da Informação (T.I.) - suporte às práticas da GCO

18 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Projetos em GCO Projetos de Universidades CorporativasProjetos de Universidades Corporativas Programas de Aprendizagem OrganizacionalProgramas de Aprendizagem Organizacional Sistemas de Inteligência EmpresarialSistemas de Inteligência Empresarial Critérios de Excelência em Gestão do ConhecimentoCritérios de Excelência em Gestão do Conhecimento Desenvolvimento de Bases de ConhecimentoDesenvolvimento de Bases de Conhecimento Mapeamento de Competências EssenciaisMapeamento de Competências Essenciais Mensuração do Capital IntelectualMensuração do Capital Intelectual Valoração dos produtos e serviços com base nos ativos de conhecimento da organizaçãoValoração dos produtos e serviços com base nos ativos de conhecimento da organização

19 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Principais Barreiras A Cultura OrganizacionalA Cultura Organizacional A natureza do Ativo Conhecimento (intangível)A natureza do Ativo Conhecimento (intangível) A dificuldade em mensurar o valor do conhecimentoA dificuldade em mensurar o valor do conhecimento A necessidade de compartilhamento (sinergia)A necessidade de compartilhamento (sinergia) O mercado do conhecimentoO mercado do conhecimento A transferência do conhecimentoA transferência do conhecimento Critérios diferenciados de reconhecimentoCritérios diferenciados de reconhecimento A velocidade das mudançasA velocidade das mudanças

20 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

21 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS...A lição sabemos de cor, só nos resta aprender... ( Beto Guedes - compositor)

22 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL É o processo pelo qual uma organização exercita a sua competência e inteligência coletiva para responder ao seu ambiente interno e externo É o processo contínuo de detectar e corrigir erros. Erro é qualquer tipo de conhecimento ou saber que iniba o aprendizado. Portanto, é o processo heurístico de tentativa, erro e contínua correção de rumo. Fonte: Argyris, C. Enfrentando defesas empresariais. RJ, Campus, 1992.

23 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL É o processo pelo qual uma organização exercita a sua competência e inteligência coletiva para responder ao seu ambiente interno e externo É o processo contínuo de detectar e corrigir erros. Erro é qualquer tipo de conhecimento ou saber que iniba o aprendizado. Portanto, é o processo heurístico de tentativa, erro e contínua correção de rumo. Fonte: Argyris, C. Enfrentando defesas empresariais. RJ, Campus, 1992.

24 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS 1 A organização aprende com a experiência e não repete os erros 2 Quando alguém sai da organização, seu conhecimento permanece 3 Quando conclui uma tarefa, uma equipe dissemina e documenta o que aprendeu 4 O conhecimento gerado em todas as áreas da empresa é investigado, legitimado e disponibilizado para toda a organização através de bancos de dados, treinamento e outros eventos de aprendizagem 5 A organização reconhece e recompensa o valor do conhecimento criado e compartilhado por pessoas e equipes 6 A organização avalia sistematicamente suas necessidades futuras de conhecimento e desenvolve planos para atendê-las 7 A organização facilita a experimentação como um modo de aprender 8 A organização aprimora suas capacidades de gerar, adquirir e aplicar o conhecimento aprendendo com os processos de aprendizado de outras organizações Teste da organização que aprende ( Era do conhecimento? ) QuestãoFrequente Às vezes RaroNuncaPontosSempre Total de Pontos Fonte: HSM Management (jul-agosto 1998)

25 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS AS CINCO DISCIPLINAS DA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL Fonte: Peter Senge. A Quinta Disciplina - SP, Best Seller, VISÃO COMPARTILHADA Objetivo comum; aspiração grupal; sonho coletivo; a razão de ser da organização MAESTRIA/ DOMINIO PESSOAL Aspirações e sonhos pessoais potencializando a capacidade criativa de cada indivíduo APRENDIZAGEM COLETIVA Grupal; potencialização da inteligência coletiva; ajuda mútua e evolução em conjunto MODELOS MENTAIS Profundidade e verdade nos diálogos e no relacionamento entre pessoas LIDERANÇA INTEGRATIVA/ RACIOCINIO SISTÊMICO Forma sistêmica de pensar / competência coletiva em lidar com complexidade

26 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS DOMÍNIO PESSOAL (Princípios orientadores do modelo de uma Organização de Aprendizagem) As pessoas se consideram capazes de gerar, continuamente, novas formas de obter resultados de aprendizagem, para si, para sua equipe e para a organização Participação por escolha própria: sentido de compromisso autogerido, dos empregados, para compartilharem, livremente, informações e conhecimento Espírito de aprendiz, caracterizado pelo buscar e não pelo já conheço e já sei. O contrário de deter o conhecimento As pessoas desenvolvem uma reflexão pessoal a respeito dos seus propósitos e aspirações criando uma visão do seu próprio futuro

27 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS MODELOS MENTAIS (Principios orientadores do modelo de uma Organização de Aprendizagem) n Estimula pontos de vista diferentes e traz à luz vários modelos mentais n Facilita a experimentação como modo de aprender e aceita o erro como parte natural da aprendizagem n Não permite que hierarquia ou políticas rígidas obstruam o trabalho de uma equipe eficaz n Transforma a crença consumista de que o conhecimento é um bem material adquirido e deve se guardado e protegido ( como um objeto qualquer ) n A história do Rei Nu; A Parábola da Caverna (Platão)

28 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS VISÃO COMPARTILHADA n A busca do aprendizado está conectado à visão e às estratégias da organização (visões sustentáveis) n As pessoas estão interessadas em compartilhar conhecimento quando movidas por uma visão comum n Objetivo comum é a resposta à pergunta: O que queremos criar?, proporcionando o foco e a energia para o aprendizado organizacional n A disciplina de se criar um objetivo comum: - estímulo ao objetivo pessoal - de objetivos pessoais a objetivos comuns - atitudes possíveis em relação a um objetivo (vide quadro a seguir) (vide quadro a seguir)

29 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS APRENDIZADO EM EQUIPE n Em propósitos que tem valor, objetivos cooperativos, tarefas interdependentes e resultados concretos n Refere-se ao Diálogo (do grego dia~logos = fluxo de significados) n É o processo de alinhamento e desenvolvimento da capacidade de um grupo criar os resultados que seus membros desejam n Equipes de auto-desenvolvimento; comunidades de prática; equipes naturais; times de melhoria contínua,...

30 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS PENSAMENTO SISTÊMICO n Pensamento voltado para o todo: nenhuma ação é empreendida sem se considerar seu impacto em outras áreas da organização e da sociedade n Todos os empregados têm igual importância para a sobrevivência e o crescimento da organização n Fronteiras permeáveis: facilidade para a interação de pessoas e sistemas n Inter-relações entre os componentes e soluções de problemas através de uma visão sistêmica caracterizada pela relação causa-efeito

31 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS EDUCAÇÃO CORPORATIVA

32 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS COMPETÊNCIAS ORGANIZACIONAIS n CONJUNTO DE CONHECIMENTOS, HABILIDADES, TECNOLOGIAS E COMPORTAMENTOS QUE UMA EMPRESA POSSUI E CONSEGUE MANIFESTAR DE FORMA INTEGRADA NA SUA ATUAÇÃO, IMPACTANDO A SUA PERFORMANCE E CONTRIBUINDO PARA OS RESULTADOS

33 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS CONCEITO DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA n É UM PROCESSO DE CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS, FORNECEDORES, CLIENTES E POTENCIAIS INVESTIDORES VISANDO ATINGIR OS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DA ORGANIZAÇÃO n O ALINHAMENTO DA ESTRATÉGIA A FORMAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, POR MEIO DA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL É FUNDAMENTAL AO NEGÓCIO

34 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS CARACTERÍSTICAS DA EDUCAÇÃO CORPORATIVA PROCESSO CONTÍNUO n APLICAÇÃO AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS OBTIDOS n APRENDER A APRENDER n MELHORES PRÁTICAS COMPARTILHADAS

35 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS INOVAÇÃO NAS FORMAS DE APRENDIZAGEM n VÍDEO CONFERÊNCIA n ESTUDOS DE CASOS n DINÂMICAS DE GRUPO n DEBATES E CONFERÊNCIAS n EXPERIÊNCIAS DE CAMPO n VISITAS n BANCOS DE CONHECIMENTO n ENSINO À DISTÂNCIA n APRENDIZAGEM VIA WEB n MULTIMÍDIA

36 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL

37 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS AS DIMENSÕES DA FÍSICA: DA SOCIEDADE INDUSTRIAL À SOCIEDADE DO CONHECIMENTO TEMPO ESPAÇO MASSA HORIZONTE TEMPORAL (Previsões e cenários) DIMENSÃO SOCIEDADE SOCIEDADE DO FÍSICA INDUSTRIAL CONHECIMENTO TANGIBILIDADE (produtos basedos em custos tangíveis) DISTÂNCIA (transporte físico) VELOCIDADE (instantaneidade, flexibilidade) CONECTIVIDADE (encolhimento do espaço, virtualidade) INTANGIBILIDADE (inovação, marcas, confiança e relacionamentos)

38 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS. A soma de tudo que as pessoas de uma empresa sabem, e que lhe dá uma vantagem competitiva no mercado (Stewart 1991). Conhecimento que pode ser convertido em valor (Edvinsson & Sullivan 1996). Material intelectual que foi formalizado, capturado e alavancado para produzir um ativo de maior valor (Klein & Prusak 1994) Capital Intelectual - Conceitos

39 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Capital Humano: Competências pessoais dos funcionários Capital do Cliente (ou de relacionamento) Estrutura externa de relacionamento com os clientes ( inclusive a marca) e fornecedores/parceiros Capital Organizacional ou estrutural: Estrutura interna da organização, incluindo tecnologias de gestão, sistemas e processos organizacionais Componentes do Capital Intelectual (Ativos Intangíveis)

40 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS VALORAÇÃO DO CAPITAL HUMANO ( GESTÃO DE COMPETÊNCIAS ) Entender a Organização como um conjunto de competências institucionais (da empresa) e individuais (de cada colaborador). Competências Institucionais: sobre processos; técnicas; fluxos da organização; produtos e serviços; e sociais. Competências Individuais: um saber agir responsável e reconhecido, que implica mobilizar, integrar, transferir conhecimentos, recursos e habilidades, que agreguem valor econômico à organização e valor social ao indivíduo.

41 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS VALORAÇÃO DO CAPITAL ESTRUTURAL. Alguns ativos podem ser reproduzidos, divididos, patenteados, avaliados e até vendidos. É o capital estrutural codificado ou explícito, como tecnologias, dados, invenções, publicações e processos.. Já outros ativos não são codificados, como a estratégia, cultura, sistemas e procedimentos organizacionais, que geralmente são muito mais extensos e valiosos. Qual é o papel da gestão do Capital Estrutural? Uso criativo e rápida distribuição do conhecimento Aumento do conhecimento coletivo e difusão Expansão e maior produtividade do capital humano Manutenção dos principais ativos inclusive o CH.

42 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Medidas do Capital Humano: Parâmetros Gerais Inovação Participação de novos produtos, Número de novos produtos e/ou patentes, Rentabilidade dos novos produtos Atitudes dos funcionários Correlação entre motivação e desempenho empresarial, Interação entre capital humano e capital do cliente Experiência e renovação Tempo de profissão, nível de escolaridade, titulação, tempo e custos de treinamento, rotatividade, vínculos com clientes Capacitação e Eficiência Valor agregado por profissional, habilidades mais valorizadas pelos clientes e funcionários, crescimento e resultados Estabilidade Média etária, tempo de serviço, remuneração, rotatividade

43 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Medidas do Capital Estrutural: Parâmetros Gerais Estoques de conhecimento Aspectos técnicos: segredos comerciais, desempenho das patentes, fórmulas, P&D, produtos em desenvolvimento Atuação no mercado Aspectos mercadológicos: direitos autorais, nome e logotipo da empresa, garantias, divulgação Inteligência empresarial: concorrentes, novas tecnologias, ambiente (padrões, governo, organizações de comércio) Infra-estrutura Bens de capital e instrumentos de apoio ao capital estrutural, capacidade e desempenho de sistemas de TI Eficiência da organização Rapidez dos processos dentro da organização; Rotatividade do capital/estoques; Avaliação da administração

44 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Medidas do Capital do Cliente: Parâmetros Gerais Conhecimento do Cliente Perfil dos clientes; Duração do relacionamento, lealdade; Participação do cliente no design, produção, distribuição; qualidade dos canais de comunicação Satisfação do Cliente Lealdade (índice de retenção); Volume de negócios (fatia da carteira); Recomendações Relacionamento Investimentos em alianças; Integração de cadeias de valor / sistemas de e-commerce; parcerias bem sucedidas Estabilidade / mudanças Proporção de grandes clientes; Histórico do relacionamento; Repetição de pedidos; Mudanças esperadas na base de clientes e expectativas futuras

45 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL

46 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Monitoramento sistemático do ambiente externo da organização, que visa captar, analisar, agregar valor às INFORMAÇÕES com finalidades estratégicas. Conceito:

47 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS n Toda ação exige informações para poder ser realizada. n "A informação crítica é aquela que é necessária para a realização das ações constituintes dos fatores críticos de sucesso". (Jakobiak, 1988) INFORMAÇÃO CRÍTICA:

48 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS QUALIDADE DA INFORMAÇÃO QUALIDADE DA AÇÃO RESULTANTE

49 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS MONITORAMENTO MONITORAMENTO sistemático do ambiente externo da organização, que visa captar, analisar, agregar valor às informações com finalidades estratégicas. Social Social Político Político Econômico Econômico Tecnológico Tecnológico Científico Científico Mercadológico Mercadológico Regulatório Regulatório Outros Outros Tendências gerais nos ambientes:

50 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Apoiar, otimizar e sistematizar o processo de tomada de decisão (solução de problemas, formulação de políticas) nas organizações, promovendo a geração de vantagens competitivas Finalidade:

51 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS n Antecipar os movimentos competitivos da concorrência n Aprender sobre novas tecnologias, produtos e processos n Antever mudanças políticas, legislativas e regulatórias n Identificar as novas oportunidades de negócio a partir dos pontos fortes e fracos da concorrência n Captar sinais provenientes da sociedade que permitam adequado posicionamento estratégico n Permitir melhor avaliação das possibilidades de aquisições, fusões e alianças estratégicas n Etc. OBJETIVOS:

52 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Quando são colocadas todas as informações em um único sistema, responsável pelo seu metabolismo, as mesmas são transformadas em inteligência, detectando possibilidades de inovação, ameaças ou oportunidades

53 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Do mesmo modo que o metal enferruja com a ociosidade e a água parada perde sua pureza, assim a inércia esgota o vigor da mente. Leonardo Da Vinci

54 GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Paulo Alberto Bastos Junior Contatos:


Carregar ppt "GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONCEITOS, PRÁTICAS E PERSPECTIVAS Gestão do Conhecimento: Conceitos, Práticas e Perspectivas Paulo Alberto Bastos Junior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google