A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

D esenhos de P esquisa Churchill, (1999) ObjetivoDesenho Obter informações contextuais, esclarecer problemas e hipóteses e estabelecer prioridades. Descrever.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "D esenhos de P esquisa Churchill, (1999) ObjetivoDesenho Obter informações contextuais, esclarecer problemas e hipóteses e estabelecer prioridades. Descrever."— Transcrição da apresentação:

1

2 D esenhos de P esquisa Churchill, (1999) ObjetivoDesenho Obter informações contextuais, esclarecer problemas e hipóteses e estabelecer prioridades. Descrever e mensurar um fenômeno em num determinado período. Determinar causalidade para fazer declarações se-então. ExploratóriaDescritivaCausal

3 25/1/2014 Tipos de Pesquisa ExploratóriaDescritivaCausal Análise dos dados QualitativoQuantitativo Métodos de Pesquisa Análise Documental/ Dados Estudo de Caso QuestionárioEntrevistaObservação Grupos de foco Diretivas Não diretivas Grupos de foco Diretivas Não diretivas Análise de conteúdo Participante Direta Simulada Análise de conteúdo Participante Direta Simulada Pesquisa Entrevista Observação Análise Doc. Entrevista Observação Análise Doc. Análise Estatística

4 25/1/2014 Métodos de Pesquisa Organizacional

5 25/1/2014 Planejamento da Pesquisa Ê Preparação da Pesquisa – Decisão quanto à realização da pesquisa; – Especificação de objetivos: toda pesquisa dever ter um objetivo determinado para saber o que se vai procurar e o que se pretende alcançar. o objetivo torna explícito o problema, aumentando os conhecimento sobre determinado assunto; os objetivos podem definir a natureza do trabalho, o tipo de problema a ser selecionado, o material a coletar; Respondem às perguntas: Por que? Para que? Para quem?

6 25/1/2014 Planejamento da Pesquisa (continuação) Ë Fases da Pesquisa + Escolha do Tema: 3 selecionar um assunto de acordo com as inclinações, as possibilidades, as aptidões e as tendências de quem se propõe a elaborar um trabalho científico; 3encontrar um objeto que mereça ser investigado cientificamente e tenha condições de ser formulado e delimitado em função da pesquisa. 3 Responde a pergunta: O que será explorado? +Levantamento de Dados: 3 Fontes Primárias; 3Fontes secundárias; 3 Antes de se iniciar qualquer pesquisa de campo, o primeiro passo é a análise minuciosa de todas as fontes documentais, que sirvam de suporte à investigação projetada.

7 25/1/2014 Formulação do Problema Problema é uma dificuldade teórica ou prática, no conhecimento de alguma coisa de real importância, para a qual se deve encontrar uma solução; Definir um problema significa especificá-lo em detalhes precisos e exatos. Na formulação de um problema deve haver clareza, concisão e objetividade; O problema, antes de ser considerado apropriado, deve ser analisado sob os seguintes aspectos: – Viabilidade; – Relevância; – Novidade; – Exeqüilibidade; –Oportunidade. Responde às perguntas: O quê? Como?

8 25/1/2014 Planejamento da Pesquisa Definição dos Termos; Construção de Hipóteses: – Hipótese é uma proposição que se faz na tentativa de verificar a validade de resposta existente para um problema. É uma suposição que antecede a constatação dos fatos e tem como característica uma formulação provisória; deve ser testada para determinar sua validade; – A função da hipótese, na pesquisa científica, é propor explicações para certos fatos e ao mesmo tempo orientar a busca de outras informações; Indicações de Variáveis: – Ao se colocar o problema e as hipóteses, deve ser feita também a indicação das variáveis dependentes e independentes. Elas devem ser definidas com clareza e objetividade e de forma operacional.

9 25/1/2014 Planejamento da Pesquisa Delimitação da Pesquisa: – ao assunto: selecionando um tópico, a fim de impedir que se torne ou muito extenso ou muito complexo; – à extensão: porque nem sempre se pode abranger todo o âmbito onde o fato se encontra; –a uma série de fatores: meios humanos, econômicos e de exigüidade de prazo, que podem restringir o seu campo de ação. Amostragem; Seleção de métodos e técnicas; Testes de instrumentos e procedimentos (pré-testes)

10 25/1/2014 Planejamento da Pesquisa ÌExecução da Pesquisa – Coleta dos Dados: etapa da pesquisa em que se inicia a aplicação dos instrumentos elaborados e das técnicas selecionadas, a fim de se efetuar a coleta dos dados previstos. – Elaboração dos Dados: Seleção; Codificação; Tabulação; – Análise e Interpretação dos dados: representa a aplicação lógica dedutiva e indutiva do processo de investigação. Análise (ou explicação): é a tentativa de evidenciar as relações existentes entre o fenômeno estudados e outros fatores. É realizada em três níveis: interpretação, explicação e especificação.

11 25/1/2014 ESTRUTURA DE UM PROJETO DE DISSERTAÇÃO/TRABALHO FINAL DE PÓS- GRADUAÇÃO F Introdução; F Justificativa; F Problemática; F Determinação dos objetivos (principal e secundários); F Estrutura do Trabalho; F Fundamentação Teórica F Tipos e Métodos de Pesquisa; F População e Amostra; F Coleta de dados (pré-teste); F Definição de Termos e Variáveis; F Formulários para coleta de dados; F Análise de dados (tabulação); F Limitações do Trabalho. Tópico I Tópico II Tópico III

12 25/1/2014

13 Conceitos Estudos exploratórios são investigações de pesquisa empírica que têm como finalidade a formulação de um problema ou questões, desenvolvendo hipóteses ou aumentando a familiaridade de um investigador com um fenômeno ou ambiente para uma pesquisa futura mais precisa. A pesquisa exploratória visa prover o pesquisador de um maior conhecimento sobre o tema ou problema de pesquisa em perspectiva. Por isso, é apropriada para os primeiros estágios de investigação quando a familiaridade, o conhecimento e a compreensão do fenômeno por parte do pesquisador são, geralmente, insuficientes ou inexistentes.

14 25/1/2014 Quando usar a Pesquisa Exploratória? familiarizar e elevar o conhecimento e a compreensão de um problema de pesquisa; auxiliar a desenvolver a formulação mais precisa do problema; acumular a priori informações disponíveis relacionadas a um problema de pesquisa conclusiva; ajudar no desenvolvimento ou criação de hipóteses explicativas de fatos a serem verificados numa pesquisa causal;

15 25/1/2014 Quando usar a Pesquisa Exploratória? ajudar no desenvolvimento ou criação de questões de pesquisa relevantes para o objetivo pretendido; auxiliar na determinação de variáveis relevantes a serem consideradas num problema de pesquisa; clarificar conceitos; verificar se pesquisas semelhantes já foram realizadas, quais os métodos utilizados e quais os resultados obtidos; estabelecer prioridades para futuras pesquisas.

16 25/1/2014 Exemplo ilustrativo Fato verificado: as vendas do produto A estão caindo. Possíveis explicações: –preço elevado; –força de vendas fraca (número, motivação, treinamento) –propaganda fraca (insuficiente, ineficaz, meios de comunicação inadequados); –promoção de vendas (ausente, fraca, inadequada); –ausência do produto nos pontos de venda; –problemas com o produto (produto em si, marca, embalagem, assistência técnica).

17 25/1/2014 SUBTIPOS DE ESTUDOS EXPLORATÓRIOS (Sampieri e Tripodi) Estudo Exploratório-Descritivo Combinados Estudo Usando Procedimentos Específicos para Coleta de Dados Estudos de Manipulação Experimental

18 25/1/2014 Estudo Exploratório-Descritivo Combinados Estudos descritivos buscam identificar as propriedades importantes do objeto de análise. Visa dar um panorama mais preciso do fenômeno sem fazer correlações. Ex. dados do censo Empregam tanto descrições qualitativas como quantitativas Procuram descrever completamente um fenômeno

19 25/1/2014 Estudo Exploratório-Descritivo Combinados (2) Exemplo: Estudo sobre solidariedade e delinqüência nas ruas. Busca da explicação da dinâmica interna das quadrilhas. Método: observação de 60 membros de um grupo durante 2 anos Observações: a solidariedade era menor quando o grupo parecia estar desorganizado e aumentava na proporção em que aumentava a organização Hipótese: Em bandos de rua, a deterioração da solidariedade de grupo é seguida de um aumento das atividades de grupo e de um renascimento da solidariedade

20 25/1/2014 Estudos Usando Procedimentos Específicos para Coleta de Dados Tentam resumir dados qualitativos através de abstrações na forma de categorias, a fim de considerar possíveis relações da pesquisa; Usam instrumentos específicos para extrair generalizações: análise de conteúdo; Tem o propósito de produzir categorias conceituais que possam ser operacionalizadas para pesquisas subseqüentes.

21 25/1/2014 Estudos Usando Procedimentos Específicos para Coleta de Dados(2) Exemplo: Alguns conceitos sobre a intervenção terapêutica com crianças super-agressivas Problema: o tratamento produzia mudança de comportamento; entretanto não havia nenhum sistema de conceito útil para uso posterior por outros clínicos Método: Técnica de Incidente Crítico; método utilizado para deduzir generalizações através de acontecimentos específicos –Entrevista com os pesquisadores para identificar os incidentes críticos = 240 incidentes com 130 entrevistas com 24 membros Classificação: 4 categorias: ex. promover crescimento do ego. 31 princípios: ex. o terapeuta acolhe e encoraja relacionamento positivo e afetuoso

22 25/1/2014 Estudos de Manipulação Experimental Manipulam uma variável independente a fim de localizar variáveis dependentes que estejam potencialmente associadas à variável independente Apenas uma unidade de comportamento é estudada Exemplo: Tratamento intensivo de comportamento psicótico pela satisfação de estímulos e reforço de comida. Problema: paciente de 47 anos que roubava alimentos, empilhava toalhas em seu quarto e usava uma quantidade excessiva de roupas

23 25/1/2014 Estudos de Manipulação Experimental (2) Método: controle de variáveis relevantes –Retirada de alimentos toda vez que roubava –Saciedade de estímulos: dar à paciente um exagerado número de toalhas Resultado: diminuição do comportamento indesejável da paciente sem resultar em outros desajustes

24 25/1/2014 MÉTODOS DA PESQUISA EXPLORATÓRIA Levantamentos em fontes secundárias; Levantamentos de experiências; Observação; Estudos de casos selecionados.

25 25/1/2014 Dados Primários e Dados Secundários Dados primários: são gerados pelo pesquisador para a finalidade específica de solucionar o problema em pauta Dados secundários são dados que já foram coletados e que possuem objetivos diferentes do problema em pauta

26 25/1/2014 USO DOS DADOS SECUNDÁRIOS Fornece informações auxiliares para resolver o problema a ser investigado; Fonte de novas idéias que podem ser exploradas na pesquisa primária; Pré-requisito para a coleta dos dados primários. Auxilia a definir o problema e a identificar variáveis-chaves; Ajuda a definir a população a selecionar a amostra.; Pode servir de referência para uma comparação/veracidade dos dados primários.

27 25/1/2014 Classificação dos Dados Secundários Dados Secundários Internos: Levantamentos documentais Vendas por linha de produto Vendas por loja Despesas financeiras Índice de satisfação... Externos: Levantamento bibliográfico Material publicado: Guias, anuários, dados estatísticos, censo, Ex. Fipe, IBGE, FGV Banco de dados computadorizados:cdrom, internet... Assinatura: Painéis de compra diária, levantamentos, acnielsen.com

28 25/1/2014 Levantamento de Experiências Obter e sintetizar todas as experiências relevantes sobre o tema e, desta forma, tornar o pesquisador cada vez mais consciente da problemática em estudo.

29 25/1/2014 Processos de pesquisa qualitativa Direto Grupos de Foco Entrevistas em Profundidade Técnicas de Associação Técnicas de Complemento Técnicas de Construção Técnicas Expressivas Técnicas Projetivas Indireto Fonte: Malhotra, Naresh. Pesquisa de Marketing

30 25/1/2014 Direto Grupo de Foco: entrevista realizada, de maneira não estruturada e natural, por um moderador treinado, junto a um pequeno grupo de respondentes; Entrevistas em Profundidade: entrevista não estruturada, direta, pessoal, em que um único respondente é testado por um entrevistador altamente treinado, para descobrir motivações, crenças, atitudes e sensações.

31 25/1/2014 Indireto: Técnicas Projetivas: forma não estruturada e indireta de questionário que incentiva os entrevistados a projetarem suas motivações, crenças, atitudes ou sensações subjacentes sobre os problemas em estudo; éassociação: apresenta-se ao entrevistado um estímulo e se pede que ele responda com a primeira coisa que lhe vem à mente; écomplemento: o entrevistado deve completar uma situação de estímulo incompleto; éexpressiva : apresenta-se ao entrevistado um situação verbal ou visual, pedindo-lhe que relate as sensações e atitudes de outras pessoas em relação à simulação; éconstrução : o entrevistado deve construir uma resposta em forma de uma história, um diálogo ou uma descrição.

32 P esquisa D escritiva C onceito ò Os estudos descritivos buscam especificar as propriedades importantes de pessoas, grupos, comunidades ou qualquer outro fenômeno que seja submetido à análise (Dankhe apud Sampieri et. al., 1991). ò Medem ou avaliam diversos aspectos, dimensões ou componentes do fenômeno ou fenômenos investigados. Em um estudo descritivo, seleciona-se uma série de questões e mede-se cada uma delas independentemente, para assim, descrever o que se investiga (Sampieri et. al., 1991).

33 P esquisa D escritiva O bjetivos ò Descrever as características de determinado grupo; ò Estimar a proporção de pessoas em uma determinada população específica que se comporta de determinada forma; ò Fazer predições específicas.

34 Quem? O que? Onde? Quando? Como? P esquisa D escritiva Q uestões

35 25/1/2014 Correlação Um dos grandes propósitos em pesquisas nas Ciências Sociais é verificar se duas ou mais variáveis se apresentam associadas. Dizemos que duas variáveis estão associadas, se o conhecimento de uma altera a probabilidade de resultado da outra. Barbetta (1998) Survey Correlacional

36 25/1/2014 Aplicação da Estatística –Medir a força e sentido da associação (coeficientes são calculados para indicar o grau de associação) –Testar Hipóteses (hipóteses podem ser testadas por técnicas estatísticas denominadas de testes de significância) –Estimar Parâmetros (encontram-se parâmetros que compõem uma equação) Barbetta (1998) Survey Correlacional

37 25/1/2014 PESQUISA EXPERIMENTAL

38 25/1/2014 EXPERIMENTO Definição Geral Definição Geral Tomar uma ação para depois observar conseqüências. Experimento Particular Experimento Particular Um estudo de investigação em que que se manipulam deliberadamente uma ou mais variáveis independentes (supostas causas) para analisar as conseqüências dessa manipulação sobre uma ou mais variáveis dependentes (supostos efeitos), dentro de uma situação de controle para o pesquisador.

39 25/1/2014 VARIÁVEL Pode ser definida como um nome ou um símbolo ao qual se atribui valores. (Kerlinger, 1979 : 25) CAUSA (variável independente) X EFEITO (variável dependente) Y

40 25/1/2014 Delineamento de pesquisa é um plano e a estrutura da investigação, concebidos de forma a obtermos respostas para as perguntas da pesquisa. (Kerlinger, 1979:94 ) DELINEAMENTO DO EXPERIMENTO

41 25/1/2014 PROBLEMA IDENTIFICADO PRÉ-TESTEPRÉ-TESTE SOLUÇÃO PROPOSTA RESULTADO ESPERADO AMBIENTE DE TRABALHO INTERVENÇÃOINTERVENÇÃOPÓS-TESTEPÓS-TESTE Plano Experimental da Pesquisa


Carregar ppt "D esenhos de P esquisa Churchill, (1999) ObjetivoDesenho Obter informações contextuais, esclarecer problemas e hipóteses e estabelecer prioridades. Descrever."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google