A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS – BIOMAS Diversidade e semelhanças da paisagem natural: elementos definidores A primeira dificuldade quando se pretende dividir.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS – BIOMAS Diversidade e semelhanças da paisagem natural: elementos definidores A primeira dificuldade quando se pretende dividir."— Transcrição da apresentação:

1 DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS – BIOMAS Diversidade e semelhanças da paisagem natural: elementos definidores A primeira dificuldade quando se pretende dividir um território em paisagens naturais é que os limites dos seus elementos em geral não coincidem. Domínio: conjunto natural em que há interação entre os elementos e um deles – relevo,clima ou vegetação – é determinante. Domínios Morfoclimáticos ou Biomas (morfo =forma (relevo); climático=clima) Ou paisagem natural - importância dessas variáveis na formação de cada conjunto. Podemos entender domínio morfoclimático como um conjunto espacial de certa ordem de grandeza territorial, de centenas de milhares a milhões de Km2 de área, onde existam semelhanças de formas de relevo, tipos de solos, formações vegetais e condições climático-hidrológicas (ABSABER: 1975).

2 DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL CONTI e FURLAN (1995) 1- AS TERRAS BAIXAS FLORESTADAS DA AMAZÔNIA A Amazônia representa a maior extensão de florestas tropicais-úmidas contínuas do mundo e já se tornou centro de atenção dos ambientalistas desde o século passado. A Amazônia é uma grande bacia hidrográfica que se estende da cordilheira andina e avança por todo o norte do Brasil e se constitui num mosaico de formações vegetais. Ela se formou a 420 milhões de anos, na era paleozóica. O clima da Amazônia é quente e as temperaturas são regulares durante o dia e o ano todo. Não há variação climáticas por altitude(exceção à região andina). As precipitações são levadas favorecendo a pujança da vegetação amazônica. Área zonal ao longo do Equador, ampliando do lado ocidental; - Área de mais de 2 milhões de Km2. Drenagem: traço que caracteriza esse domínio - rio em variedade de águas perenes, com rios negros, brancos e de águas cristalinas; - complexa rede de canais, lagos e lagunas que drenam dos Andes, das Guianas e do Brasil Central Formas de relevo: - tabuleiros - morros baixos em formas de meia laranja (mamelonares) nas áreas onde afloram os terraços cristalinos; - terraços com cascalhos e formação de laterita.

3 Compreende as planícies inundavéis da Amazônia, que divide-se: a) TERRA FIRME - ocupam as terras mais altas, em 90% do total da bacia amazônica, as árvores são altas (60-65m), carregadas de cipós, compactas, perinifólias e higrófilas. - nas copas formam um dossel que retém 95% dos raios de sol, - exemplos: castanha-do-pará, cedro, palmeiras, acapu, etc; - no meio da floresta aparecem campos e a caatingaamazônica, próximos a Boa Vista, e no Amapá as campinaranas (gramíneas) b) VÁRZEAS: - cobrem 55 mil Km2, sobre terrenos periodicamente alagados, sendo a composição da vegetação de acordo com a duração do período; - são árvores de grande porte, como a seringueira, entre outras; - várias plantas são utilizadas para produzir a borracha c) MATA DE IGAPÓ: - de solos alagados, terrenos baixos próximos aos rios; - os solos e a água dos igapós são ácidos; - sua vegetação permanece verde, árvores de até 20m de altura; - as mais típicas: taxi, o arapati e a mamorana - sobre as águas aparecem flutuando as folhas da vitória-régia, que pode atingir até 40 m de diâmetro; -quando secam dão origem as praias arenosas.

4 2 - AS FLORESTAS COSTEIRAS (MATA ATLÂNTICA) Esse domínio corresponde ao Domínio dos mares de morrosflorestados de Aziz AbSaber (1975). Características: - predomínio de rochas magmáticas e matamórficas derivadas do granito, como o gnaisse, que sofrem a atuação do clima tropical (quente e bastante úmido), tomando formas de morros arredondados que se assemelham a meias-laranjas. - onde houve o derrame de lavas basálticas, tem-se solo de terra roxa; Essas florestas ocorriam ao longo das costas brasileiras acompanhando as montanhas desde o Nordeste (RN) até o RS, adentrando pelo interior da Bahia, MG e SP. A devastação das matas pela ocupação humana, deixou restringida sua área à região das serras do Mar e da Mantiqueira, no SE do Brasil. De cerca de 1,1 milhão de km2; hoje não chega a 5% desse total. Foram substituídas pela cana-de-açucar no NE, e café no Sul. Também pela urbanização e industrialização, que exigiram a extração de madeiras de extensas áreas. Hoje a floresta sede lugar ao turismo predatório, principalmente nas planícies litorâneas, onde além das matas de baixadas também vêm sendo destruídas as restingas e os manguezais (ecossistemas associados à Mata Atlântica).

5 Características da Mata Atlântica: -ventos carregados de umidade são barrados na zona orográfica costeira, favorecendo as precipitações, sendo na região sudeste onde ocorre a maior pluviosidade do Brasil; -apesar da devastação, possui a maior biodiversidade por hectare entre as florestas tropicais, pois a distribuição azonal e em altitudes variáveis favorece a diversificação das espécies; - grande quantidade de matéria orgânica que se decompõe sobre o solo, fertilizando a vegetação.Ex: canelas, jequitibás, cedros, ipês, etc.

6 3 - AS DEPRESSÕES INTERPLANÁLTICAS E SEMI-ÁRIDAS DO NORDESTE ( Caatinga, Agreste e Campos Secos) São matas secas, abertas, deciduais, que se desenvolvem em clima cuja estação de chuvas é bem marcada e o volume atual está abaixo de 700mm. Mas a falta de água não é constante em toda a região. As caatingas são um mosaico de vegetações, formando uma diagonal que separa a floresta tropical da Amazônia a noroeste e a Mata Atlântica a leste. A baixa pluviosidade, está associada aos fortes ventos alísios, que não trazem umidade para a região, influenciando na forte evaporação. A Caatinga A vegetação da Caatinga é uma mata seca adaptada ao clima seco. São plantas xeromórficas, possuem tecidos para reter a água. Possui várias espécies e se dá sobre solos férteis (litossolos). Podemos distinguir a caatinga de mata seca e de campos: Exemplos: juazeiro, palmeira, angico, etc

7 O Agreste : O Agreste transita para matas pluviais costeiras de elevações nos sopés dos morros. De matas poucos densas, o Agreste possui árvores e folhas grandes, que ocorrem sobre solos pedregosos e arenosos, com pouco desenvolvimento de húmus. São bosques com árvores tortuosas que não formam dossel. O Agreste também perde a folhagem durante a seca Vegetação de Campos Secos das Chapadas As chapadas se estendem por grandes áreas da região das Caatingas. São planaltos de grandes extensões de campos xeromórficos, predominando os arbustos e as herbáceas. As gramíneas recobrem o solo pedregoso. As cactáceas estão presentes e a região em que elas predominam é o Sertão do Seridó.

8 4 - CHAPADÕES COBERTOS POR CERRADOS E PENETRADOS POR FLORESTAS DE GALERIA Formas de relevo: - ocupam terrenos planos ou levemente convexizados do Brasil Central, com algumas ocorências isoladas na Amazônia, em São Paulo e Minas Gerais. -a drenagem influencia muito na topografia, onde os rios são ladeados pela mata de galeria. Características do Cerrado: - os arbóreos são árvores tortuosas e espaçadas, com troncos de cortiça espessa e folhagem coriácea e pilosa. - apesar do aspecto xeromórfico, no cerrado não há escassez de água durante o ano; - os cerrados brasileiros, em relação as savanas africanas são úmidos apesar da sazonalidade da umidade. - as estações chuvosas e secas são bem marcadas, e as precipitações anuais estão acima de 1 000mm; - as espécies são adaptadas para retirar água no subsolo, com raízes que atingem mais de 15 metros; - Os solos dos cerrados são, naturalmente, pobres em nutrientes, devido a sua origem associada a depósitos sedimentares antigos, que vêm sofrendo pedogênese há milhares de anos. Os cerrados do Brasil ocorrem em solos fracos em nutrientes e com altas concentrações de alumínio, tóxico para as espécies agrícolas.

9 5 - PLANALTOS DE ARAUCÁRIA E MATA SUBTROPICAL Compreendem as terras altas dos planaltos e serras do sul do Brasil, nos Estados do RJ, RS, SC, PR e SP, dos remanescentes de floresta de coníferas do Brasil: as florestas de Araucárias. Coincide com o setor do Planalto Meridional brasileiro. São planaltos de altitudes médias entre 800 e 1 300m, revestidos por bosques de Araucárias de diferentes densidades e dimensões, incluindo mosaicos de pradarias mistas; As matas de Araucárias ocorrem em transição com as matas subtropicais nas regiões mais baixas do relevo. Características da floresta: - As florestas de Araucárias ocorrem em solos férteis, sob climas de temperaturas moderadas a baixas no inverno (17 e 19ºC), dependendo d atuação das massas de ar polares, pode haver geadas e queda de neve no inverno. Mas são matas de climas úmidos, a precipitação sempre está acima de 1400mm anuais; - O limite inferior do bosque está a m de altitude, no sul do País, na serra da Mantiqueira acima de 1 200m.

10 6- REGIÃO GAÚCHA DE COXILHAS E PRADARIAS MISTAS O Brasil possui várias extensões de campos que se diferem pelo tipo de solo, clima e relevo. No entanto a maior extensão ocorre no Rio grande do Sul. Ocupam a porção sudoeste do Rio Grande do Sul, são os campos naturais de gramíneas do interior e formações herbáceas, com extensos banhados ao redor de lagos e lagunas na região costeira. O domínio morfoclimático das pradarias mistas abrange terrenos sedimentares de diferentes idades, terrenos basálticos e pequenos setores de metamórficas inseridas no Escudo Uruguaio- Sul-riograndense (Serras de Sudeste) O relevo caracteriza-se por apresentar formas tubulares, levemente onduladas, em forma de colinas denominadas de coxilhas. O clima predominante é o subtropical, com chuvas bem distribuídas durante o ano todo, assemelhando-se aos Planaltos. A vegetação são de campos, onde dominam as herbáceas.É a continuação dos campos que ocorrem na Argentina e no Uruguai. Também conhecida como Campanha Gaúcha ou Pampa Gaúcho. A rede de drenagem é pequena e de modo geral é meândrica pela pouca declividade. Os rios pertencem a bacia do rio Uruguai. Os solos são pouco férteis, que para o cultivo exige adubação. Aparecem em determinados trecho paisagens típicas de regiões desérticas, intensificadas pelas atividades agropecuárias e as ventos frios constantes. Predominam as atividades criatórias de gado e nas grandes propriedades - as estâncias.Atualmente é uma área muito devastada, aparecendo alguns bosques nas nascentes dos rios.

11 7- PANTANAL MATOGROSSENSE No Brasil, correspondem às planícies sedimentares inundáveis da depressão da bacia hidrográfica do rio Paraguai. São terrenos muito baixos que se estendem pelo Chaco paraguaio e se prolongam pelas planícies pampianas da América do Sul. A depressão do Pantanal formou-se, provavelmente, após a separação da antiga Gonwana e o soerguimento dos Andes, dando origem a bacia do rio Paraguai. Os pantanais ocorrem em clima tropical com temperatura elevadas e estação seca prolongada (mais quente novembro - dezembro) Florestas, cerrados, campinas higrófilas ocorrem em mosaicos habitados pela mais rica avifauna do planeta. É o paraíso faunístico da América do Sul.


Carregar ppt "DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS – BIOMAS Diversidade e semelhanças da paisagem natural: elementos definidores A primeira dificuldade quando se pretende dividir."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google