A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Valorização da Diversidade

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Valorização da Diversidade"— Transcrição da apresentação:

1 Valorização da Diversidade
II Congresso Internacional AVAPE de Reabilitação e Inclusão – Diversidade, Responsabilidade e Sustentabilidade São Paulo

2 Federação Brasileira de Bancos
Fundada em Entidade civil sem fins lucrativos 115 associados de um total de 159 bancos 98% dos Ativos e 95% do Patrimônio Líquido Conselho de Administração - 19 presidentes Diretoria Executiva - 15 membros 24 Comissões Técnicas Atuação nacional Federação Brasileira de Bancos Nós usamos aqui uma referência mercadológica para evidenciarmos como o comportamento das empresas em relação ao seu marketing vem mudando periodicamente. A grande máxima de marketing, até o final dos anos 50 era “tenha o produto certo, porque tudo vendia, independente de qualquer coisa. As pessoas tinham necessidade de tudo e tudo que era fabricado era, vendido”. A competição foi aumentando, e nas décadas de 60 e 70, o cliente já começava a aparecer, e as estratégias de marketing colocavam, não deixe de considerar o cliente no seu processo de fabricação. Na década de 80, com uma competição muito mais acirrada, a estratégia de marketing enfatizava é preciso ouvir o cliente. E nessa década começaram a surgir os vários institutos de pesquisa que temos hoje. Foi nessa década, no Itaú, em 1987 que surgiu o Disque Itaú, tímido, acanhado. Mas já era uma preocupação do banco em ouvir o cliente. Mas era preciso mais do que simplesmente ouvir o cliente. Era estar focado nele, atender as suas expectativas. E tenho certeza que vocês ouviram muito a expressão “Foco no Cliente”. E agora o que já se coloca é que integre o cliente à estrutura da sua empresa. Ele tem que ser o centro de todas as decisões. E já está surgindo até os “Conselhos de Clientes” em algumas empresas. Que são pessoas clientes que acompanhavam a vida da organização e tomam decisões que são submetidas ao staff da organização.

3 Visão Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico e social do país Missão Representar os seus associados, objetivando a melhoria contínua da eficiência do sistema financeiro e das suas relações com a sociedade, contribuindo assim para o desenvolvimento econômico e social do país

4 Fontes: Febraban e Bacen
134 mil pontos de atendimento ao público Presença municípios 103 milhões de contas correntes 27 milhões de clientes com acesso à Internet 75 milhões de contas de poupança 79 milhões de cartões de crédito Mais de 513 mil colaboradores 37 bilhões de transações bancárias 3 bilhões em transações de utilidade pública Setor Bancário 2006 Nós usamos aqui uma referência mercadológica para evidenciarmos como o comportamento das empresas em relação ao seu marketing vem mudando periodicamente. A grande máxima de marketing, até o final dos anos 50 era “tenha o produto certo, porque tudo vendia, independente de qualquer coisa. As pessoas tinham necessidade de tudo e tudo que era fabricado era, vendido”. A competição foi aumentando, e nas décadas de 60 e 70, o cliente já começava a aparecer, e as estratégias de marketing colocavam, não deixe de considerar o cliente no seu processo de fabricação. Na década de 80, com uma competição muito mais acirrada, a estratégia de marketing enfatizava é preciso ouvir o cliente. E nessa década começaram a surgir os vários institutos de pesquisa que temos hoje. Foi nessa década, no Itaú, em 1987 que surgiu o Disque Itaú, tímido, acanhado. Mas já era uma preocupação do banco em ouvir o cliente. Mas era preciso mais do que simplesmente ouvir o cliente. Era estar focado nele, atender as suas expectativas. E tenho certeza que vocês ouviram muito a expressão “Foco no Cliente”. E agora o que já se coloca é que integre o cliente à estrutura da sua empresa. Ele tem que ser o centro de todas as decisões. E já está surgindo até os “Conselhos de Clientes” em algumas empresas. Que são pessoas clientes que acompanhavam a vida da organização e tomam decisões que são submetidas ao staff da organização. Fontes: Febraban e Bacen

5 Mudança da sociedade Cobrança por Responsabilidade Social
Questionamento da “Lei de Gerson” Aquecimento global e esgotamento de recursos Valorização de empresas com práticas de sustentabilidade

6 Relatório social Febraban – 1993
Atuação do setor 52 % dos bancos mantém programas de valorização de grupos em situação de vulnerabilidade 40% adotam políticas ou programas de qualificação para grupos vulneráveis 76% possuem códigos explícitos referentes à não discriminação na contratação e promoção de pessoas Relatório social Febraban – 1993

7 Atuação do setor 80% dos bancos exigem nos seus contratos firmados com terceiros a não contratação de mão de obra infantil 48% do quadro são mulheres e 15% são negros 68 % mantém programas para a contratação de pessoas com deficiência Febraban constituiu, em Março de 2006, comissão específica para conduzir os assuntos de Diversidade

8 Iniciativas Pessoas com deficiência
Acessibilidade nos pontos de atendimento Mercado de trabalho bancário

9 Pontos de atendimento Impacto Direto
agências e postos bancários Rampas, banheiros adaptados, estacionamento, piso podo-tátil, sinalização, balcões de atendimento, máquinas de auto-atendimento, Libras.

10 78,7%

11 São Paulo Estimado para :

12 Faixa etária de 20 a 34 anos - Escolaridade mínima de 8 anos
A oferta é insuficiente Faixa etária de 20 a 34 anos - Escolaridade mínima de 8 anos 228 M pessoas para 518 M vagas

13 Quadro dos Bancos 27% tem curso médio completo
19% cursando a universidade 52% tem superior completo ou pós Maiores bancos Jun 04 : 0,54% Jun 07 : 2,10 % (estimado)

14

15 Resultados A inclusão das pessoas com deficiência é tema recente
A inclusão é um processo bi-direcional que deve ser estimulado As relações com a sociedade tornaram-se mais saudáveis e caminham na direção correta : o processo será longo A imposição legal desempenhou papel indutor Soluções = tecnologia + arquitetura + atitude + comprometimento Comprometimento solidário da sociedade e dos poderes públicos

16

17 Desafios Gerenciar expectativas É um processo e não um programa
É multifacetado com potencial de instabilidade Envolve relações humanas possibilitando situações delicadas e imprevistas Expõe conteúdos subjetivos e conflitivos Políticas de promoção da igualdade interferem na cultura das organizações Estudos mostram que é necessário uma média de 3 a 5 anos para que sejam registrados resultados consistentes

18 Pessoas com deficiência
Ampliando o escopo Etnia Nacionalidade Gênero Religião Pessoas com deficiência Estilo Orientação sexual Atitude Idade Cultura A diversidade é uma riqueza brasileira

19 Objetivos O setor tem apenas 2% da força de trabalho
Promover a equidade e igualdade de oportunidades Definir planos de ação dotados de razoabilidade Ter a co-responsabilidade nas soluções com os atores ligados ao tema Obter maior diversidade humana no mercado de trabalho bancário Gerar metodologia e ações que sensibilizem os demais setores da sociedade O setor tem apenas 2% da força de trabalho de empresas privadas - mercado formal

20 Principais atividades
Promover o levantamento das melhores práticas Identificar “cases” incipientes e orientar mecanismos de valorização Identificar elementos que possam obstaculizar a cultura da diversidade Mobilizar lideranças bancárias Realizar campanha de comunicação Realizar mapa da diversidade Monitorar e avaliar resultados com participação dos atores externos Interagir e considerar a contribuição dos atores externos

21 Requisitos Contar com consultorias externas com credibilidade
Garantir isenção, equilíbrio e legitimidade em todo o projeto Divulgar e expandir as melhores práticas do setor Priorizar ações efetivas junto aos bancos Procurar convergência dos conceitos junto aos atores externos

22 Contribuições das comissões técnicas da Febraban
03 Grandes fóruns Contraf/CUT : Comissão bipartite de igualdade de oportunidades OIT - Ipea - Contraf/CUT - IBGE - MPT : GT apoio técnico Comissão de Direitos Humanos Camara dos Deputados Contribuições das comissões técnicas da Febraban

23 Ações Debate Discussão com atores externos e internos Diagnósticos
Censo dos funcionários, levantamento de  “cases” e das práticas em RH e áreas de comunicação. Processos de formação e sensibilização Workshops com dimensão conceitual e de monitoria Comunicação Lançamento do Projeto Campanha junto aos funcionários

24 Censo Questionário via internet – Base de dados Febraban
Objetivos Identificar, comparar e analisar o perfil dos funcionários dos bancos, considerando dados como cor, raça, gênero, idade e cargo Apoiar planos de ação diferenciados por banco e por área geográfica Estabelecer paralelos com outros setores/segmentos da sociedade Questionário via internet – Base de dados Febraban Respostas não dissertativas

25 Práticas de RH Objetivos
Identificar processos que possam favorecer ou dificultar a diversidade Recrutamento / Seleção / Treinamento Promoção / Acompanhamento Transferência /Demissão Clima organizacional

26 Coleta dos cases Programa “Executivo Junior” para negros
Objetivos Detalhar as melhores práticas em andamento Avaliar e estabelecer metodologia Divulgar para multiplicar a ação dos bancos Possibilitar a disseminação para outros setores da sociedade Programa “Executivo Junior” para negros “Mentoring” para mulheres e negros Menores aprendizes com deficiência

27 22 bancos - 78 participantes
Workshops Objetivos Informar e engajar os profissionais na implementação do programa Auxiliar na reflexão sobre desigualdade e diversidade no cotidiano Auxiliar na auto-percepção Construir conjuntamente propostas de implementação Formar multiplicadores 22 bancos participantes

28 Criar cultura através do compartilhamento
Conteúdo workshops Diversidade, sustentabilidade, oportunidades e ameaças Experiências bem sucedidas no tratamento da diversidade Ideário sobre raça, etnia, cor, idade, gênero, pessoa com deficiência, orientação sexual As dimensões legais - raça, orientação sexual, deficiência Subjetividade, preconceito e resistências Criar cultura através do compartilhamento

29 Comunicação Objetivos Informar / Sensibilizar / Engajar Mensagens
diversidade como riqueza nacional diversidade como fator de competitividade é compromisso e valor institucional é sustentabilidade amplia a cidadania

30

31 Ciclo Virtuoso... Colaboradores e Clientes + Satisfeitos
Maior diversidade Melhor entendimento das necessidade dos colaboradores e dos clientes Melhores produtos, serviços e atendimento Nós usamos aqui uma referência mercadológica para evidenciarmos como o comportamento das empresas em relação ao seu marketing vem mudando periodicamente. A grande máxima de marketing, até o final dos anos 50 era “tenha o produto certo, porque tudo vendia, independente de qualquer coisa. As pessoas tinham necessidade de tudo e tudo que era fabricado era, vendido”. A competição foi aumentando, e nas décadas de 60 e 70, o cliente já começava a aparecer, e as estratégias de marketing colocavam, não deixe de considerar o cliente no seu processo de fabricação. Na década de 80, com uma competição muito mais acirrada, a estratégia de marketing enfatizava é preciso ouvir o cliente. E nessa década começaram a surgir os vários institutos de pesquisa que temos hoje. Foi nessa década, no Itaú, em 1987 que surgiu o Disque Itaú, tímido, acanhado. Mas já era uma preocupação do banco em ouvir o cliente. Mas era preciso mais do que simplesmente ouvir o cliente. Era estar focado nele, atender as suas expectativas. E tenho certeza que vocês ouviram muito a expressão “Foco no Cliente”. E agora o que já se coloca é que integre o cliente à estrutura da sua empresa. Ele tem que ser o centro de todas as decisões. E já está surgindo até os “Conselhos de Clientes” em algumas empresas. Que são pessoas clientes que acompanhavam a vida da organização e tomam decisões que são submetidas ao staff da organização. Colaboradores e Clientes + Satisfeitos Bancos melhores Sociedade + justa

32 Nós usamos aqui uma referência mercadológica para evidenciarmos como o comportamento das empresas em relação ao seu marketing vem mudando periodicamente. A grande máxima de marketing, até o final dos anos 50 era “tenha o produto certo, porque tudo vendia, independente de qualquer coisa. As pessoas tinham necessidade de tudo e tudo que era fabricado era, vendido”. A competição foi aumentando, e nas décadas de 60 e 70, o cliente já começava a aparecer, e as estratégias de marketing colocavam, não deixe de considerar o cliente no seu processo de fabricação. Na década de 80, com uma competição muito mais acirrada, a estratégia de marketing enfatizava é preciso ouvir o cliente. E nessa década começaram a surgir os vários institutos de pesquisa que temos hoje. Foi nessa década, no Itaú, em 1987 que surgiu o Disque Itaú, tímido, acanhado. Mas já era uma preocupação do banco em ouvir o cliente. Mas era preciso mais do que simplesmente ouvir o cliente. Era estar focado nele, atender as suas expectativas. E tenho certeza que vocês ouviram muito a expressão “Foco no Cliente”. E agora o que já se coloca é que integre o cliente à estrutura da sua empresa. Ele tem que ser o centro de todas as decisões. E já está surgindo até os “Conselhos de Clientes” em algumas empresas. Que são pessoas clientes que acompanhavam a vida da organização e tomam decisões que são submetidas ao staff da organização.

33 Obrigado ! Nós usamos aqui uma referência mercadológica para evidenciarmos como o comportamento das empresas em relação ao seu marketing vem mudando periodicamente. A grande máxima de marketing, até o final dos anos 50 era “tenha o produto certo, porque tudo vendia, independente de qualquer coisa. As pessoas tinham necessidade de tudo e tudo que era fabricado era, vendido”. A competição foi aumentando, e nas décadas de 60 e 70, o cliente já começava a aparecer, e as estratégias de marketing colocavam, não deixe de considerar o cliente no seu processo de fabricação. Na década de 80, com uma competição muito mais acirrada, a estratégia de marketing enfatizava é preciso ouvir o cliente. E nessa década começaram a surgir os vários institutos de pesquisa que temos hoje. Foi nessa década, no Itaú, em 1987 que surgiu o Disque Itaú, tímido, acanhado. Mas já era uma preocupação do banco em ouvir o cliente. Mas era preciso mais do que simplesmente ouvir o cliente. Era estar focado nele, atender as suas expectativas. E tenho certeza que vocês ouviram muito a expressão “Foco no Cliente”. E agora o que já se coloca é que integre o cliente à estrutura da sua empresa. Ele tem que ser o centro de todas as decisões. E já está surgindo até os “Conselhos de Clientes” em algumas empresas. Que são pessoas clientes que acompanhavam a vida da organização e tomam decisões que são submetidas ao staff da organização.


Carregar ppt "Valorização da Diversidade"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google