A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) Amaro Luiz de Oliveira Gomes (IASB) Ricardo Lopes Cardoso (FGV) 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) Amaro Luiz de Oliveira Gomes (IASB) Ricardo Lopes Cardoso (FGV) 1."— Transcrição da apresentação:

1 Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) Amaro Luiz de Oliveira Gomes (IASB) Ricardo Lopes Cardoso (FGV) 1

2 Agenda Por que adotar o IFRS? IFRS x PMEs x DCs Um resumo da NBC T 1000 Debate Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes2

3 3 3 Por que adotar IFRSs? Situação atual… Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes

4 4 IFRSs x PMEs x DCs Qualidade Relevante Confiável Transparência IFRSs, PMEs e Desenvolvimento Econômico... Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes

5 5 IFRSs, PMEs e Desenvolvimento Econômico 1.PMEs são cruciais para desenvolvimento econômico 2.IFRS para PMEs resulta em: 1.Informação de melhor qualidade 2.Desenvolvida considerando características e limitações das PMEs 3.Estruturada para uso de provedores de capital e credores 4.Uso em diversos países e reduz custo de capital 3.Provedores de capital (credito e capitalização): reduz custo de avaliação e prêmio de risco 4.Contadores: parceiros dos gestores, com possibilidade única de aprimoramento da profissão Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes

6 Um resumo da NBC T 1000 Características quali., conceitos e mensuração (2) Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) NBC T 1000: outros aspectos importantes Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes6

7 Características qualitativas, conceitos e mensuração (2) Compreensibilidade Relevância Confiabilidade Comparabilidade Tempestividade Materialidade Equilíbrio entre benefício & custo Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes7 -representação fiel -essência sobre a forma -livre de erro material -livre de viés (neutra/prudente) -integridade

8 Características qualitativas, conceitos e mensuração (2) Ativo -recurso controlado pela entidade -decorrente de evento passado -entrada esperada de benefícios econômicos Passivo -obrigação atual -decorrente de evento passado -saída esperada de benefícios econômicos Patrimônio Líquido = ativos menos passivos Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes8

9 Características qualitativas, conceitos e mensuração (2) Receitas -aprimoramentos/aumentos em ativos e diminuições em passivos -que resultam em aumentos de patrimônio líquido -diferentes de aportes de proprietários Despesas -reduções/saídas de ativos e aumento de passivos -que resultam em diminuições de patrimônio líquido -diferentes de distribuições aos proprietários Resultado = receitas menos despesas Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes9

10 Características qualitativas, conceitos e mensuração (2) Regime de competência – reconhece elementos (ie, ativos, passivos, patrimônio líquido, receitas ou despesas) quando satisfazem as definições e critérios de reconhecimento desses itens Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes10

11 Características qualitativas, conceitos e mensuração (2) 11 Ativos Intangível Financeiro Propr. p/ Investimento Imobilizado Estoque Etc. Benefício Definido Imposto Diferido Custo Modelo custo-depreciação- perda irrecup. (C-D-P) Modelo C-A-P Custo Zero Menor entre C ou PV-CPC&V, alguns MVJ Custo MVJ ou C-D-P (direcionado por circunstância) Preço transacionado Custo, custo amortizado ou valor justo Alíquota de tributação & sem desconto Alíquota de tributação & sem desconto VJ ativos do plano menos CUP da obrigação do plano (ou simplificado) Vários VJ ativos do plano menos CUP da obrigação do plano (ou simplificado) CUP = crédito unitário projetado Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes

12 Características qualitativas, conceitos e mensuração (2) 12 Passivos Financeiro ProvisõesContingente Arrenda- mentos Benefício Definido Imposto Diferido Zero Vários VJ ~ regras AO ~ zero Melhor est. para liquidar na data da DC Preço transacionado C.Am.; MVJ & outros Alíquota de tributação & sem desconto Alíquota de tributação & sem desconto CUP da obrigação de plano (ou simplificado) menos VJ ativos de plano CUP da obrigação de plano (ou simplificado) menos VJ ativos de plano AF ~ VJ ou se menor VPMPA AO ~ regras (zero) Melhor est. para liquidar na data da DC Etc. Vários CUP = crédito unitário projetado Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes

13 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) São preparadas em uma base que seja apropriada a fornecer informações úteis a uma ampla gama de usuários (ex. investidores e credores) que não estão em uma posição para solicitar relatórios adaptados para atender suas necessidades particulares. Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes13

14 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Informações comparativas Continuidade Conformidade Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes14 Nota 2 Base de preparação e políticas contábeis Estas demonstrações contábeis foram preparadas de acordo com a Norma Internacional de Relatórios Financeiros (IFRS ® ) para Empresas Pequenas e de Médio Porte (SMEs) emitida pelo International Accounting Standards Board (IASB), traduzida pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e endossada pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC) mediante as Resoluções 1.255/09 e 1.085/10 (NBC T 1000).

15 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Conjunto completo – Demonstração de posição financeira (Seção 4) – Demonstração do Resultado do Período e Demonstração do Resultado Abrangente (Seção 5) – Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido ou Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (Seção 6) – Demonstração dos Fluxos de Caixa (Seção 7) – Notas Explicativas (Seção 8) Apresentação de cada uma com a mesma proeminência Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes15

16 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Demonstração do Resultado do Período e Demonstração do Resultado Abrangente (Seção 5) Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes16 DRE Receitas (-) Despesas (=) Resultado do Período DRA (=) Resultado do Período (+ / -) Outros resultados abrangentes (=) Resultado Abrangente Total Outros Resultados Abrangentes ???? Alguns ganhos e perdas de variação cambial Algumas alterações no valor justo de hedging Alguns ganhos e perdas atuariais Resultado Abrangente Total ???? PL final – PL inicial = PL PL = LL + ORA + aportes - dividendos PL = RAT + aportes - dividendos

17 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido ou Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (Seção 6) Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes17 DMPL Capital SocRes LucrosTotal PL Saldos iniciais$$$ Aum. C.S. Lucro Período$ Distr. Divid.($) Saldos finais$$$ DRE Receitas (-) Despesas (=) Resultado do Período DLPA Receitas (-) Despesas (=) Resultado do Período (+) Saldo inicial de Lucros Acumulados (-) Dividendos declarados (+/-) Retificação de erro (+/-) Mudança de política contábil (=) Saldo final de Lucros Acumulados

18 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Demonstração dos Fluxos de Caixa (7) Equivalentes de caixa são aplicações financeiras de curto prazo, de alta liquidez, mantidos para atender compromissos de curto prazo e não para investimentos ou outros propósitos Equivalentes de caixa incluem – investimentos com vencimento de curto prazo (eg 3 meses, ou menos, da data de aquisição) – saldos bancários a descoberto apenas se forem exigíveis contra apresentação formam uma parte integral da administração do caixa Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes18

19 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Demonstração dos Fluxos de Caixa (7) Atividade Operacional – Método direto – Método indireto Atividade de Investimento Atividade de Financiamento Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes19 Transações não-caixa não são apresentadas arrendamento financeiro (reconhecimento inicial) emissão ações próprias para aquisição de negócios conversão de dívida em PL

20 Demonstrações contábeis de uso geral (3-8) Notas Explicativas (8) Divulgar base de preparação (isto é, IFRS para PMEs) Resumo de políticas contábeis significantes Informação sobre julgamentos Informação sobre fontes chave de estimativa de incertezas Informação de suporte para itens em DCs Outras divulgações Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes20

21 NBC T 1000: Outros aspectos importantes... Receita (23): Quando e por quanto reconhecer? Contas a receber de clientes (11): Como mensurar? Estoques (13 e 27): Como apurar o custo na indústria? E o CMV? Imobilizado (17 e 27): Como determinar a depreciação? Além de depreciar, devo reconhecer alguma perda ou ganho adicional? Patrimônio Líquido (22): Como mensurar o capital social integralizado? Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) - Amaro Gomes & Ricardo Lopes21

22 Obrigado pela participação !!! Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) Amaro Luiz de Oliveira Gomes (IASB) Ricardo Lopes Cardoso (FGV) 22


Carregar ppt "Seminário IFRS para PMEs (NBC T 1000) Amaro Luiz de Oliveira Gomes (IASB) Ricardo Lopes Cardoso (FGV) 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google