A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GRUPO DE MUTUA AJUDA. Dependentes: Dependentes: Narcóticos Anônimos (NA) Narcóticos Anônimos (NA) Alcoólicos Anônimos (AA) Alcoólicos Anônimos (AA) Jovens.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GRUPO DE MUTUA AJUDA. Dependentes: Dependentes: Narcóticos Anônimos (NA) Narcóticos Anônimos (NA) Alcoólicos Anônimos (AA) Alcoólicos Anônimos (AA) Jovens."— Transcrição da apresentação:

1 GRUPO DE MUTUA AJUDA

2 Dependentes: Dependentes: Narcóticos Anônimos (NA) Narcóticos Anônimos (NA) Alcoólicos Anônimos (AA) Alcoólicos Anônimos (AA) Jovens - Amor Exigente (AE) Jovens - Amor Exigente (AE) Outros OutrosFinalidade: Prestar ajuda a dependentes do álcool, das drogas e de outros veículos

3 GRUPO DE MUTUA AJUDA Familiares e Amigos Familiares e Amigos Naranon Naranon Al-anon Al-anon Amor Exigente Amor Exigente Joganon Joganon Outros Outros Finalidade : Prestar ajuda a familiares e amigos de dependentes do álcool, das drogas e de outros veículos.

4 GRUPO DE MUTUA AJUDA Outros Coda Coda Mada Mada Jogadores Anônimos (JA) Jogadores Anônimos (JA) Introvertidos Anônimos Introvertidos Anônimos Etc Etc

5 GRUPO DE MUTUA AJUDA Ferramentas: Oração da Serenidade Oração da Serenidade 12 passos (anônimos) 12 passos (anônimos) 12 princípios (AE) 12 princípios (AE) 12 tradições (anônimos) 12 tradições (anônimos) 12 princípios éticos (AE) 12 princípios éticos (AE) 12 conceitos (anônimos) 12 conceitos (anônimos) Lemas Lemas Temas Temas Literatura Literatura

6 Oração da Serenidade Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras.

7 12 passos (anônimos) 1. Admitimos que éramos impotentes perante o adicto e que tínhamos perdido o controle de nossas vidas. 2. Viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmos poderia nos devolver a sanidade. 3. Tomamos a decisão de entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, como nós O concebíamos. 4. Fizemos um minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos. 5. Admitimos para Deus, para nós mesmos e para um outro ser humano, a natureza exata de nossos defeitos. 6. Ficamos inteiramente prontos para que Deus removesse todos esses defeitos de caráter. 7. Humildemente, pedimos a Ele para remover nossas imperfeições. 8. Fizemos uma relação de todas as pessoas que tínhamos prejudicado e nos dispusemos a fazer reparações a todas elas. 9. Fizemos reparações diretas a essas pessoas, sempre que possível, exceto quando fazê-lo viesse prejudicá-las ou a outras pessoas. 10. Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos errados, nós o admitíamos prontamente. 11. Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, como nós O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós e a força para realizar essa vontade. 12. Tendo tido um despertar espiritual, por meio destes Passos, procuramos levar esta mensagem a outras pessoas e praticar estes princípios em todas as nossas atividades.

8 12 princípios (AE) 1º Os problemas da família têm raízes na estruturação atual da sociedade. 2º Pais também são gente. 3º Os recursos são limitados. 4º Pais e filhos não são iguais. 5º A culpa torna as pessoas indefesas e sem ação. 6º O comportamento dos filhos afeta os pais; o comportamento dos pais afeta o filho. 7º Tomar atitude precipita crise. 8º Da crise bem administrada, surge a possibilidade de mudança positiva. 9º Na comunidade as famílias precisam dar e receber apoio. 10º A essência da família repousa na cooperação, não só na convivência. 11º A exigência na disciplina tem o objetivo de ordenar, organizar nossa vida e a de nossa família. 12º O Amor com respeito, sem egoísmo, sem comodismo deve ser também um amor que eduque, orienta, educa e exige.

9 12 tradições (anônimos) Nosso bem-estar comum deveria vir em primeiro lugar; o progresso pessoal do maior número de membros depende da unidade Para nosso propósito de grupo há somente uma autoridade um Deus amoroso que pode Se manifestar em nossa consciência de grupo. Nossos líderes são apenas servidores de confiança; eles não governam Os parentes de adictos quando se reúnem para prestar ajuda uns aos outros, podem chamar- se de Grupo Familiar, desde que, como grupo, não tenham nenhuma outra afiliação. O único requisito para ser membro é que exista um problema de dependência química num parente ou amigo Cada grupo deveria ser autônomo, exceto em assuntos que afetem um outro grupo, como um todo Cada Grupo Familiar tem apenas um propósito: prestar ajuda a familiares de adictos. Fazemos isso, praticando os 12 Passos de, encorajando e compreendendo nossos parentes adictos, bem como acolhendo e proporcionando alívio a familiares de adictos Nossos Grupos Familiares nunca deveriam endossar, financiar ou emprestar nosso nome a qualquer empreendimento de fora, para que problemas de dinheiro, propriedade e prestígio não nos desviem de nosso objetivo espiritual primordial. Embora sendo uma entidade separada, deveríamos sempre colaborar com Narcóticos Anônimos Cada grupo deveria ser totalmente auto-suficiente, recusando contribuições de fora O trabalho do Décimo Segundo Passo deveria sempre permanecer não profissional, mas nossos centros de serviço podem contratar funcionários especializados Nossos grupos, como tais, nunca deveriam ser organizados, mas podem criar juntas de serviço ou comitês diretamente responsáveis por aqueles a quem prestam serviço Os Grupos Familiares não opinam sobre questões de fora, portanto nosso nome jamais deveria ser envolvido em controvérsia pública Nossa política de relações públicas se baseia na atração, não na promoção; precisamos manter sempre o anonimato pessoal, a nível de imprensa, rádio, TV e filmes. Precisamos proteger, com o máximo cuidado, o anonimato de todos os membros de NA O anonimato é a base espiritual de todas as nossas Tradições, lembrando-nos sempre de colocar os princípios acima das personalidades.

10 12 princípios éticos (AE) 1º Respeitar a dignidade da pessoa. 2º Manter sigilo em relação a depoimentos e identidade dos participantes do seu grupo. O sigilo somente poderá ser quebrado com autorização expressa do interessado ou quando houver risco para si próprio ou para terceiros. 3º Ser fiel, honesto e verdadeiro na vivência e transmissão da proposta do Amor-Exigente. 4º Respeitar e cumprir o Estatuto e Regimento Interno da FEBRAE. 5º Transmitir os princípios do AE observando as possibilidades de cada integrante. 6º Relacionar-se fraternalmente e com respeito com os membros coordenadores e participantes dos grupos de AE. 7º Agir com respeito e fraternidade no relacionamento com entidades afins. 8º Manter o caráter de grupo leigo e voluntário. 9º Notificar a FEBRAE sobre eventuais pronunciamentos incompatíveis com a proposta do AE. 10º Promover a espiritualidade nos grupos de AE, respeitando a crença de cada um. 11º Não utilizar grupos de AE para obter vantagens pessoais de qualquer natureza. 12º Evitar divergências e disputas de poder entre as lideranças dos grupos de AE.

11 Lemas ( anônimos) Pense Pense Até que ponto isso é importante Até que ponto isso é importante Escute e aprenda Escute e aprenda Primeiro as primeiras coisas Primeiro as primeiras coisas Só por hoje Só por hoje Viva e deixe viver Viva e deixe viver Outros Outros

12 O que se pratica nas reuniões de grupos Reconhecer e partilhar sentimentos com autenticidade Reconhecer e partilhar sentimentos com autenticidade Descobrir necessidades de mudanças pessoais, familiares, etc. Descobrir necessidades de mudanças pessoais, familiares, etc. Avaliar o plano de ação antes de tomar atitude na prática Avaliar o plano de ação antes de tomar atitude na prática Desenvolver o auto conhecimento e a auto confiança Desenvolver o auto conhecimento e a auto confiança Alcançar e preservar a sobriedade Alcançar e preservar a sobriedade

13 Processo Mudança de comportamento Mudança de comportamento Tomadas de atitudes Tomadas de atitudes Mudança do meio Mudança do meio

14 Um grupo de mutua ajuda é maduro quando: Permite ampla liberdade de expressão de pontos de vista e os respeita Permite ampla liberdade de expressão de pontos de vista e os respeita Permite que cada um tenha seu próprio comportamento pela espontaneidade Permite que cada um tenha seu próprio comportamento pela espontaneidade Mostra alto grau de comunicabilidade levando todos a participar Mostra alto grau de comunicabilidade levando todos a participar Enfrenta a realidade e trabalha com fatos, separando o subjetivismo Enfrenta a realidade e trabalha com fatos, separando o subjetivismo Evita situações que destruam a unidade do grupo (três inimigos mortais: fofoca, poder e religião) Evita situações que destruam a unidade do grupo (três inimigos mortais: fofoca, poder e religião)

15 Demonstrativo dos Grupos no Brasil Alcoólicos Anônimos Alcoólicos Anônimos Al-anon 900 Al-anon 900 Narcóticos Anônimos 820 Narcóticos Anônimos 820 Naranon 260 Naranon 260 Amor Exigente 500 Amor Exigente 500 Grupo de Jovens (AE) 130 Grupo de Jovens (AE) 130

16

17 Quando você vê gansos voando em Formação V, pode ficar curioso sobre as razões quais eles escolhem voar dessa forma. Formação V, pode ficar curioso sobre as razões pelas quais eles escolhem voar dessa forma. A seguir, algumas descobertas feitas pelos pesquisadores

18 1. FATO - À medida que cada ave bate as asas, ela cria uma sustentação para a ave seguinte. Voando em Formação V, o grupo inteiro consegue voar pelo menos 71% a mais do que cada ave voando isoladamente. VERDADE – Pessoas que compartilham um objetivo comum com senso de equipe, alcançam-no mais depressa e facilmente, porque elas se apóiam na confiança umas nas outras.

19 2. FATO – Sempre que um ganso sai fora da formação, sente, de repente a resistência do ar e a dificuldade de voar só. Rapidamente ele retorna a formação, para tirar vantagem do poder de sustentação da ave imediatamente à sua frente. VERDADE – Existe uma maior força, poder e segurança no grupo, quando rumando na mesma direção e compartilhando um mesmo objetivo.

20 3.FATO – Quando o ganso líder se cansa, ele reveza, indo para a traseira do V, enquanto outro qualquer assume a ponta. VERDADE – É vantajoso o revezamento de coordenadores de grupo quando se necessita fazer um trabalho árduo.

21 4. FATO - Os gansos de trás grasnam para encorajar os da frente a manterem o ritmo e a velocidade. VERDADE – Todos necessitam ser reforçados com o apoio ativo e encorajamento constante.

22 5. FATO - Quando um ganso adoece ou se fere e deixa o grupo, dois outros gansos saem da formação e seguem para ajudá-lo e protegê-lo. Eles o acompanham até a solução do problema e então reiniciam a jornada só a três, juntando- se a outra formação até encontrarem o seu grupo original. VERDADE – Precisamos ser solidários nas dificuldades de cada um, estendendo a nossa ajuda para alem do momento e do local da reunião do grupo de mutua ajuda.

23


Carregar ppt "GRUPO DE MUTUA AJUDA. Dependentes: Dependentes: Narcóticos Anônimos (NA) Narcóticos Anônimos (NA) Alcoólicos Anônimos (AA) Alcoólicos Anônimos (AA) Jovens."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google