A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

JESUS E O ESTÍMULO AO ESTUDO : REVENDO ALGUMAS PARÁBOLAS SOB A ÓTICA DO SABER.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "JESUS E O ESTÍMULO AO ESTUDO : REVENDO ALGUMAS PARÁBOLAS SOB A ÓTICA DO SABER."— Transcrição da apresentação:

1 JESUS E O ESTÍMULO AO ESTUDO : REVENDO ALGUMAS PARÁBOLAS SOB A ÓTICA DO SABER

2 JESUS E O USO DAS PARÁBOLAS Do gr. PARABOLÉ > por do lado de, implicando comparação Narrativa curta que encerra nos símbolos sentidos éticos e morais.

3 FUNÇÃO PEDAGÓGICA DA PARÁBOLA Desperta a curiosidade Parte da realidade do ouvinte o que facilita sua aprendizagem Ilustra o conteúdo que se quer transmitir De fácil fixação na memória Conserva o conteúdo numa espécie de unidade Reclama a busca da explicação, estimulando a atitude reflexiva do ouvinte Instiga à ação (Ex. Parábola do Bom Samaritano) Desperta a curiosidade Parte da realidade do ouvinte o que facilita sua aprendizagem Ilustra o conteúdo que se quer transmitir De fácil fixação na memória Conserva o conteúdo numa espécie de unidade Reclama a busca da explicação, estimulando a atitude reflexiva do ouvinte Instiga à ação (Ex. Parábola do Bom Samaritano)

4 VALOR PEDAGÓGICO DA PARÁBOLA Intemporal Transcultural Subversiva Provocativa Tem ressonância Intemporal Transcultural Subversiva Provocativa Tem ressonância

5 POR QUE JESUS USOU A PARÁBOLA? Era um uso comum aos próprios rabinos e profetas Era recurso pedagógico que atingia doutos e simples, ricos e pobres A parábola, sendo uma unidade narrativa, preservava o conteúdo Como recurso ilustrativo e simbólico, a parábola garantia uma aprendizagem ao nível das possibilidades cognitivas e espirituais dos diferentes públicos Era um uso comum aos próprios rabinos e profetas Era recurso pedagógico que atingia doutos e simples, ricos e pobres A parábola, sendo uma unidade narrativa, preservava o conteúdo Como recurso ilustrativo e simbólico, a parábola garantia uma aprendizagem ao nível das possibilidades cognitivas e espirituais dos diferentes públicos

6 ALGUMAS CURIOSIDADES... No uso das parábolas Jesus parte de usos e costumes sociais, assuntos domésticos e familiares, vida rural, dentre outros elementos, para falar geralmente de noções éticas e da VIDA ESPIRITUAL (destacando a necessária preparação nossa para conhecê-la e vivê-la). Maior número de parábolas está em LUCAS, seguido de MATEUS e MARCOS. Há uma curiosa concentração de 07/08 parábolas, no capítulo XIII de MATEUS. No uso das parábolas Jesus parte de usos e costumes sociais, assuntos domésticos e familiares, vida rural, dentre outros elementos, para falar geralmente de noções éticas e da VIDA ESPIRITUAL (destacando a necessária preparação nossa para conhecê-la e vivê-la). Maior número de parábolas está em LUCAS, seguido de MATEUS e MARCOS. Há uma curiosa concentração de 07/08 parábolas, no capítulo XIII de MATEUS.

7 PARÁBOLA DO SEMEADOR Um semeador saiu a semear. E semeando, parte das sementes caiu ao longo do caminho; os pássaros vieram e a comeram. Outra parte caiu em solo pedregoso, onde não havia muita terra e nasceu logo, porque a terra era pouco profunda. Logo, porém, que o sol nasceu, queimou-se, por falta de raízes. Outras sementes caíram entre os espinhos; os espinhos cresceram e as sufocaram. Outras, enfim, caíram em boa terra; deram frutos a cem por um, sessenta por um e trinta por um.

8 PARÁBOLA DO SEMEADOR TIPOS DE SOLOS BEIRA DO CAMINHO CHEIO DE PEDRAS BEIRA DO CAMINHO CHEIO DE PEDRAS EXPLICAÇÕES DE JESUS Terreno batido, duro, com dificuldade de assimilar a semente > mentes áridas, distraídas, superficiais As pedras simbolizam dificuldades para a germinação da semente > mesmo com alguma terra, não há profundidade. Há exaltação mas também desânimo Terreno batido, duro, com dificuldade de assimilar a semente > mentes áridas, distraídas, superficiais As pedras simbolizam dificuldades para a germinação da semente > mesmo com alguma terra, não há profundidade. Há exaltação mas também desânimo

9 PARÁBOLA DO SEMEADOR TIPOS DE SOLOS SOLO DE ESPINHEIROS SOLO FÉRTIL SOLO DE ESPINHEIROS SOLO FÉRTIL EXPLICAÇÕES DE JESUS Terreno com alguma terra mas as sementes são sufocadas pelas coisas do mundo > mentes preocupadas com seus interesses pessoais Solo onde a germinação ocorre, produzindo frutos > mentes receptivas à mensagem e à vivência da palavra Terreno com alguma terra mas as sementes são sufocadas pelas coisas do mundo > mentes preocupadas com seus interesses pessoais Solo onde a germinação ocorre, produzindo frutos > mentes receptivas à mensagem e à vivência da palavra

10 PARÁBOLA DO JOIO E DO TRIGO O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo; mas, dormindo os servos, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. E os servos do pai de família, indo ter com ele lhe disseram :

11 -Senhor, não semeaste tu no teu campo boa semente? Por que, então, tem joio? -Um inimigo é quem fez isso. -Queres, pois, que vamos arrancá-lo? - Não, para que, ao colher o joio,não arranqueis também o trigo com ele. Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: colhei primeiro o joio e atai-o em molhos para o queimar; mas o trigo, ajuntai-o no meu celeiro. -Senhor, não semeaste tu no teu campo boa semente? Por que, então, tem joio? -Um inimigo é quem fez isso. -Queres, pois, que vamos arrancá-lo? - Não, para que, ao colher o joio,não arranqueis também o trigo com ele. Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: colhei primeiro o joio e atai-o em molhos para o queimar; mas o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.

12 PARÁBOLA DO GRÃO DE MOSTARDA O reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo. É esta a menor de todas as sementes, mas quando cresce, torna-se um arbusto, maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos.

13 PARÁBOLA DO FERMENTO O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e pôs em 03 medidas de farinha, até que tudo tivesse fermentado.

14 PARÁBOLA DO TESOURO O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo; um homem o acha e torna a esconder e, na sua alegria, vai, vende tudo o que possui e compra aquele campo.

15 PARÁBOLA DA PÉROLA O reino dos céus é semelhante a um negociante que anda em busca de pérolas finas. Ao achar uma pérola de grande valor, vai, vende o que possui e a compra.

16 PARÁBOLA DA REDE O reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, que apanha toda a qualidade de peixes. E estando cheia a puxam para a praia; e, assentando-se, apanham para os cestos os bons os ruins, porém, lançam fora.

17 UMA POSSÍVEL INTERPRETAÇÃO Idéias são semeadas nos vários solos Idéias certas e errôneas são semeadas Boas ou más, certas ou erradas, as idéias têm poder de germinação Idéias são instrumentos de mudanças Idéias = sementes Solos = diferentes condições de entendimento O trigo é a idéia certa O joio é a idéia errônea Grão de mostarda = semeamos e deixamos crescer as idéias em nosso solo Fermento e o poder de levedar a massa inteira

18 Temos nos solos de nosso ser o desejo do Bem, da Verdade e do Belo Há uma necessidade de progresso intrínseca ao ser espiritual Sejamos seletivos nas idéias, sentimentos e valores no solo íntimo Tesouro = a lei divina que se inscreve na consciência Pérola = conquistas do ser após as lutas em busca de seu destino : a felicidade, fruto do progresso intelectual e moral que alcançamos pelo nosso próprio esforço Redes e peixes selecionados = cuidado, seleção, crítica, escolha

19 EXEMPLOS


Carregar ppt "JESUS E O ESTÍMULO AO ESTUDO : REVENDO ALGUMAS PARÁBOLAS SOB A ÓTICA DO SABER."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google