A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Visão Geral da Administração Financeira Natureza e conteúdo da gerência financeira. Liquidez versus rentabilidade A empresa e seu ambiente Administração.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Visão Geral da Administração Financeira Natureza e conteúdo da gerência financeira. Liquidez versus rentabilidade A empresa e seu ambiente Administração."— Transcrição da apresentação:

1 1 Visão Geral da Administração Financeira Natureza e conteúdo da gerência financeira. Liquidez versus rentabilidade A empresa e seu ambiente Administração Financeira I ADM 2006

2 2 O que são Finanças ? No nível macro, as finanças são o campo de estudo de instituições financeiras e mercados financeiros e como funcionam dentro do sistema financeiro. No nível micro, as finanças são o estudo do planejamento financeiro, da gestão de ativos e da captação de fundos por empresas e instituições financeiras.

3 3 Capital de giro Capital de giro Decisões de investimento Decisões de financiamento Nível macro

4 4 Administração Financeira A administração financeira se preocupa com as tarefas do administrador financeiro de uma entidade. O administrador financeiro gere ativamente a área financeira de qualquer tipo de organização, seja ela pública ou privada, grande ou pequena, com ou sem fins lucrativos.

5 5 Classificação das entidades ENTIDADES Sem fins lucrativos Comfins Lucrativos SOCIAIS, REGLIGIOSAS, ASSOCIATIVAS, ONGS, ETC POLÍTICO- ADMINISTRATIVAS ESTATAIS SETOR PRIVADO Financeiro Produtivo Financeiro Produtivo

6 6 Entidades públicas e de interesse público: Entidades sem fins lucrativos, político administrativas, categorizadas pelo código civil como entidades de direito público interno Pessoas de direito público interno (ART 40 Código Civil): I- a União; II - os Estados, o Distrito Federal; III - os Municípios; IV - as autarquias; V - as demais entidades de caráter público criadas por lei. Pessoas de direito privado (ART 44 Código Civil): I- as associações; II - as sociedades; III - as fundações. IV - as organizações religiosas; V - os partidos políticos.

7 7 Sociedades Sociedades: Sociedade Simples (atv. econ. não organizada): Figura do não empresário Equivale ao autônomo (1 pessoa só) Registrada em cartório Sociedade Empresária: Figura do empresário Registrada na Junta Comercial

8 8 Empresário Empresário: a) Exerce atividade econômica e, por isso, destinada à criação de riqueza, pela produção de bens ou de serviços ou pela circulação de bens ou serviços produzidos; b) A atividade é organizada, por meio da coordenação dos fatores da produção – trabalho, natureza e capital – em medida e proporções variáveis, conforme a natureza e objeto da empresa; c) O exercício é praticado de modo habitual e sistemático, ou seja, profissionalmente, o que implica dizer em nome próprio e com ânimo de lucro.

9 9 Autônomo (ou não empresário) Autônomo (ou não empresário): Não se considera empresário: aquele que exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, mesmo se contar com auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.

10 10 Sociedade Sociedade: Não é autônomo nem empresário (já que estes atuam individualmente), mas sim uma autêntica sociedade, quando mais de uma pessoa, com os mesmos propósitos e objetivos econômicos, se reúne para a realização de negócios em conjunto e a partilham os resultados entre si.

11 11 Sociedade Simples Sociedade Simples: É a reunião de duas ou mais pessoas (caso atue individualmente será considerada autônoma), que reciprocamente se obrigam a contribuir com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha, entre si, dos resultados, não tendo por objeto o exercício de atividade própria de empresário.

12 12 Espécies de Sociedade: 1. Sociedade em nome coletivo; 2. Sociedade em comandita simples; 3. Sociedade em comandita por ações; 4. Sociedade anônima; 5. Sociedade limitada. A Sociedade Simples possui regras próprias que a regulamenta, entretanto, o novo Código Civil prevê que ela poderá optar por um dos tipos acima mencionados, com exceção da sociedade anônima e sociedade em comandita por ações que serão sempre sociedade empresária.

13 13 Sociedade empresária: Não possui regras próprias, devendo, necessariamente, adotar uma das espécies mencionadas.

14 14 Sociedade em nome coletivo: Exclusiva de pessoas físicas. Possibilidade de limite de responsabilidade de cada sócio. O uso da firma pode ser limitado a quem detiver o poder para tal. Responsabilidade além do capital, ou seja, ilimitada.

15 15 Sociedade em comandita simples: Sócios comanditados: Pessoa Física com responsabilidade ilimitada. Sócios comanditários: obrigados pelo valor da sua quota. Não pode praticar ato de gestão, nem ter o nome na firma social. No restante, aplicam-se as regras da sociedade em nome coletivo.

16 16 Sociedade limitada: Cada sócio é responsável pelo valor da sua quota. Não pode praticar ato de gestão, nem ter o nome na firma social. A administração não está automaticamente associada à propriedade. Deve constar no contrato social ou ata A administração por não sócios depende de aprovação unânime, registrada em livro de atas da empresa. O capital é dividido em quotas. O documento principal é o contrato social.

17 17 Sociedade Anônima Sociedade Anônima: Subscrição do capital, por, pelo menos, duas pessoas. Realização, de, no mínimo, 10% do valor subscrito, em dinheiro. Pode ter seu capital aberto ou fechado ao público. O capital é dividido em ações. Documento principal é o estatuto.

18 18 Sociedade Anônima Sociedade Anônima: Sociedade anônima: –De capital aberto: Os valores mobiliários são colocados em negociação na bolsa de valores Número ilimitado de sócios –De capital fechado: Os valores mobiliários não são negociados em bolsa. Como conseqüência possui um número limitado de sócios.

19 19 Sociedade Anônima Sociedade Anônima: Ata e convocação: publicados Demonstrações financeiras: publicadas Órgãos: Assembleia Geral Ordinária (A.G.O.): anualmente, nos 4 primeiros meses após o encerramento do exercício social. Conselho de Administração Diretoria Conselho Fiscal

20 20

21 21 A Função Financeira: O porte e a relevância da função de administração financeira dependem do tamanho da empresa. Nas pequenas empresas, a função financeira geralmente é desempenhada pelo departamento de contabilidade. À medida que a empresa cresce, a função financeira se transforma em um departamento separado, diretamente ligado ao presidente da empresa, com a supervisão do diretor financeiro.

22 22 Relação com a Teoria Econômica: O campo das finanças está intimamente relacionado ao da economia. Muitas vezes, as finanças são chamadas de economia financeira. Os administradores financeiros precisam compreender o arcabouço econômico dentro do qual atuam para poderem reagir às mudanças de condições ou se anteciparem a elas.

23 23 Relação com a Teoria Econômica: O princípio econômico fundamental usado pelos administradores financeiros é a análise marginal, segundo a qual uma decisão financeira deve ser tomada apenas quando os benefícios adicionais superam os custos adicionais.

24 24 Relação com a Contabilidade: As atividades financeiras (tesoureiro) e contábeis (controller) estão intimamente relacionadas e com freqüência se sobrepõem. Em empresas de pequeno porte, o controller comumente ocupa a função financeira.

25 25 Relação com a Contabilidade: Uma diferença importante em termos de perspectiva e ênfase entre finanças e contabilidade é que os contadores geralmente usam o regime de competência, ao passo que as finanças se concentram em fluxos de caixa. A importância dessa diferença pode ser ilustrada com o exemplo a seguir.

26 26 Relação com a Contabilidade: Estas foram as atividades da Nassau Corporation no ano passado Compare as diferenças, em termos de desempenho, entre o regime de competência e o fluxo de caixa: Vendas $ (um iate vendido, 100% a receber) Custos$ (pagos integralmente aos fornecedores)

27 27 Relação com a Contabilidade: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO COMPETÊNCIA CAIXA Vendas $ $ 0 Menos: custos (80.000) (80.000) Lucro (prejuízo) líquido$ $(80.000)

28 28 Relação com a Contabilidade: Finanças e contabilidade também diferem no que diz respeito à tomada de decisões. Enquanto a contabilidade se preocupa basicamente com a coleta e a apresentação de dados financeiros, o administrador financeiro se interessa principalmente pela análise e interpretação dessas informações para fins de tomada de decisões. O administrador financeiro usa esses dados como ferramenta básica de tomada de decisões com relação a aspectos financeiros da empresa.

29 29 Atividades básicas do administrador financeiro:

30 30 Objetivo da empresa: Maximização do Lucro ? Não! Maximização da Riqueza do Acionista ? –A maximização da riqueza do acionista leva adequadamente em conta os fluxos de caixa, a distribuição dos fluxos no tempo e seu risco, o que pode ser ilustrado por meio da seguinte equação de avaliação:

31 31 Objetivo da empresa: Preço da ação = Dividendos futuros Retorno exigido Nível e distribuição de fluxos de caixa no tempo Risco de fluxos de caixa

32 32 Objetivo da empresa:

33 33 Objetivo da empresa: O valor contábil da riqueza do acionista que é o patrimônio líquido geralmente difere da avaliação calculada em cima de preço e retorno. Quando isso ocorre numa decisão investimento pode ocorrer ágio ou deságio.


Carregar ppt "1 Visão Geral da Administração Financeira Natureza e conteúdo da gerência financeira. Liquidez versus rentabilidade A empresa e seu ambiente Administração."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google