A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL."— Transcrição da apresentação:

1 PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Uberlândia

2 Bases Normativas Lei 9.394/96, artigos 62 e 63  Determinam os loci da formação dos professores da Educação Básica: Universidades e ISES. Resolução CNE/CP 1, 18/02/2002  Institui as diretrizes para formação de professores Resolução CNE/CP 2, 19/02/2002  Institui duração e carga horária

3 Principais Alterações  Projetos pedagógicos dos cursos de licenciatura devem estar articulados a uma proposta institucional de formação de professores.  Extinção do esquema  Licenciaturas → cursos com identidade própria “A licenciatura ganhou, como determina a nova legislação, terminalidade e integralidade própria em relação ao bacharelado.... Isso exige a definição de currículos próprios da licenciatura que não se confundem com o bacharelado ou com a antiga formação de professores que ficou caracterizada como esquema 3+1”. Parecer 09/2001:

4 Principais Alterações  Prática como componente curricular, desenvolvida ao longo do curso Nas licenciaturas, o tempo destinado às dimensões pedagógicas não será inferior à quinta parte da carga horária total. Art. 11 A prática não poderá ficar reduzida a um espaço isolado, desarticulada do restante do curso e deverá estar presente desde o início do curso e permear toda a formação do professor. Art. 12 A coordenação da dimensão prática transcenderá o estágio e terá como finalidade promover a articulação das diferentes práticas, numa perspectiva interdisciplinar. Art. 13 Resolução 1/2002

5 Principais Alterações  Estágio como componente curricular  Ampliação da formação cultural  Carga Horária mínima: horas 400 h de prática como componente curricular, vivenciadas ao longo do curso 400 h de estágio curricular supervisionado, a partir da 2ª metade do curso 1800 h para os conteúdos curriculares de natureza científico-cultural 200h para outras formas de atividades acadêmico-científico-culturais  Duração mínima dos cursos de licenciatura: 3 anos Resolução 2/2002

6 O Projeto Institucional da UFU  Atende exigências expressas nas Diretrizes Curriculares Nacionais  Acompanha as orientações expressas na Resolução 02/2004 do CONGRAD  Expressa a autonomia pedagógica da instituição  É aberta às especificidades dos cursos de licenciaturas  É o resultado de ampla discussão coletiva

7 Princípios orientadores dos currículos Contextualização expressa na apresentação crítica de conteúdos.  Interação permanente com a sociedade, com o mundo do trabalho e com as demandas sociais.  Universidade como lócus de elaboração e disputa de visões de mundo, organização da cultura e dos meios para sua difusão  Opção por um modelo de sociedade includente  Formação de cidadania  Formação humanística, crítica e ética Articula o currículo ao mundo social, à realidade e contextualiza a ação educativa

8 Princípios orientadores dos currículos Indissociabilidade ensino-pesquisa extensão.  Universidade como espaço intelectual e espaço político.  Atitude investigativa → ensino com pesquisa.  Compreensão da relevância social e política do processo de produção e difusão do conhecimento → ensino com extensão Universidade como local do ensino, da pesquisa e da extensão

9 Princípios orientadores dos currículos Interdisciplinaridade  Superação da fragmentação do conhecimento  Promotora de flexibilidade aos currículos  Forma de abordagem do conhecimento, compreendido em sua articulação com as diferentes áreas do saber  Estabelecimento de relações solidárias e cooperativas no processo de formação do estudante Articulação de conteúdos

10 Princípios orientadores dos currículos Flexibilidade  Articulado ao princípio da contextualização do ensino e da formação cidadã.  Desenvolvimento da autonomia intelectual  Superação da idéia de pré-requisitos  Supõe mudanças nas práticas de ensinar, de aprender e de pesquisar Potencializa as dimensões pessoais, sociais e profissionais do processo de formação e imprime dinamicidade aos currículos

11 Princípios orientadores dos currículos Rigor teórico  Sólida formação teórica  Atualização constante do conhecimento Essencial na formação de atitudes científicas diante do conhecimento e do pensamento crítico

12 Princípios orientadores dos currículos da UFU Ética como orientadora das ações educativas  Valor que orienta as ações educativas  Respeito à pluralidade de pensamento  Compromisso com as finalidades e objetivos da instituição  Compromisso com a formação profissional  Respeito à propriedade intelectual Reside no âmbito das práticas educativas

13 Princípios orientadores dos currículos Avaliação como forma de re-significação constante do trabalho pedagógico.  Componente do trabalho educativo, do processo de formação  Concepção de conhecimento como provisório e lacunar  Orientadora do processo de ensino e do aprendizado dos estudantes Coloca o ensino a serviço da autonomia intelectual, da criatividade e da criticidade.

14 Princípios para cursos de licenciatura Articulação teoria-prática pedagógica  Articulação entre conteúdos específicos e pedagógicos  Valorização da teoria e da prática pedagógica  Realça aquilo que se constituirá nas ferramentas para a intervenção pedagógica Eixo fundamental do processo de formação de professores

15 Princípios para cursos de licenciatura Articulação entre formação inicial e continuada Construção contínua e permanente do processo de formação Articulação entre bacharelado e Licenciatura Formação do professor pesquisador Articulação entre universidade e escola básica Co-responsabilidade na formação do profissional professor

16 Objetivos para a formação de professores Propiciar:  A compreensão da cidadania como participação social e política  O questionamento da realidade educacional  A proposição de formas de enfrentamento dos problemas

17 ESTRUTURA CURRICULAR Núcleo de Formação Específica Núcleo de Formação Pedagógica Núcleo de Formação Acadêmico- Científico-Cultural

18 NÚCLEO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA Constituído de conhecimentos da área específica de cada curso e de conhecimentos ligados à iniciação científica básica da área. Voltado para o domínio teórico e prático dos conteúdos. Os componentes curriculares desse Núcleo podem estar articulados aos componentes curriculares do Núcleo de Formação Pedagógica.

19 NÚCLEO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Constituído de conhecimentos teóricos e práticos da área de educação e de ensino. Perpassa todo o curso, desde o primeiro período/ano. Constitui 1/5 da CH total do curso + Estágio Supervisionado. Componentes curriculares desse núcleo:  Disciplinas de Formação Pedagógica  Projeto Integrado de Prática Educativa - PIPE  Estágio Supervisionado

20 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Didática > ou = 60 horas Política e Gestão da Educação > ou = 60 horas Psicologia da Educação > ou = 60 horas Metodologia(s) de Ensino > ou = 60 horas outra(s) disciplina(s) de natureza pedagógica > ou = 60h

21 PIPE Projeto Integrado de Prática Educativa Projeto que articula a formação específica e a formação pedagógica. Elaborado, desenvolvido e avaliado pelos professores envolvidos, sob a coordenação do colegiado. Iniciado no primeiro período/ano do curso. Finalizado no Seminário de Prática Educativa.

22 SEMINÁRIO DE PRÁTICA EDUCATIVA Desenvolvido a partir da segunda metade do curso. Poderá articular-se ao Estágio Supervisionado

23 ESTÁGIO SUPERVISIONADO Iniciado a partir da segunda metade do curso Carga Horária mínima de 400 horas

24 NÚCLEO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Disciplinas Pedagógicas PIPE Estágio Supervisionado Carga Horária: 980 horas

25 NÚCLEO DA FORMAÇÃO ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAL Atividades Complementares Trabalho de Conclusão de Curso Carga Horária: 200 horas

26 ESTRUTURA CURRICULAR PADRÃO Núcleo de Formação Específica = horas Núcleo de Formação Pedagógica = 980 horas Núcleo da F. Acad-Cient-Cultural = 200 horas Total = horas

27 Duração dos cursos 4 horas/dia 5 dias por semana  4 x 5 = 20 h 15 semanas por semestre  20 x 15 = 300 h 9 semestres para o curso  300 x 9 = h = 100 h 200 h de Atividades Complementares desenvolvidas fora dos horários de aulas.

28 Estrutura Curricular Cursos de Licenciatura da UFU Determinação legal Resolução CNE/CP 1/2002 (art 11) Determinação legal Resolução CNE/CP 2/ H Núcleo de Formação Pedagógica 400 H Estágio Supervisionado 400 H Estágio Supervisionado 160 H Projetos Integrados de Prática Educativa – PIPEs 560 H Dimensão Pedagógica (1/5 da carga horária total do curso) 400 H Prática ao longo do curso 240 H Disciplinas pedagógicas de articulação T- P 180 H Disciplinas pedagógicas teóricas H Conteúdos de natureza científico- cultural H Núcleo de Formação Específica H Disciplinas de Conteúdo Específico 200 H Núcleo de Formação Acadêmmico- científico-cultural 200 H Atividades Complementares 200 H Outras Formas de atividades científico-culturais H Carga horária mínima total H Carga horária mínima total H Carga horária mínima total


Carregar ppt "PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO PROJETO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO DO PROFISSIONAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google