A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ASPECTOS SOCIAIS DO USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ASPECTOS SOCIAIS DO USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS"— Transcrição da apresentação:

1 ASPECTOS SOCIAIS DO USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS

2 CONCEITO: “ A idéia de complicação social implica no fracasso de cumprir adequadamente um papel social esperado”. (1)

3 ALGUMAS COMPLICAÇÕES:
Família Problema no Trabalho Dificuldades Financeiras Dirigir alcoolizado Conflitos com a lei Vitimização Impacto sobre Educação e Capacitação Profissional Problemas com Habitação

4 FAMÍLIA: Problemas de relacionamento com os pais, cônjuge, filhos, entre outros; Agressões verbais e físicas; Descumprimento das responsabilidades; Perda do papel dentro do núcleo familiar;

5 PROBLEMAS NO TRABALHO:
Absenteísmo (Faltas); Afastamentos e licenças médicas; Situações de risco pessoal e coletivo; Acidentes de Trabalho; Ineficiência no desempenho de suas tarefas; Comportamento inadequado; Dificuldade em equacionar e elaborar um julgamento;

6 DIFICULDADES FINANCEIRAS:
Perda do equilíbrio financeiro, por usar o dinheiro para manter o consumo de substâncias psicoativas, lembrando que alguns pacientes podem apresentar outros transtornos relacionados a compulsão, como os transtornos alimentares e os relacionados ao impulso, como os jogos. Recorrer a empréstimos; Ter os bens hipotecados, penhorados; Aluguéis não pagos; Prestações atrasadas; Perda do emprego;

7 DIRIGIR ALCOOLIZADO: Provoca acidentes, muitas vezes fatais;
Quando não fatais com impacto na vida social do próprio indivíduo e dos outros envolvidos, ocasionando seqüelas irreversíveis e incapacidade para o trabalho; Perda da carteira de habilitação.

8 VITIMIZAÇÃO: Probabilidade de ser vítima de crimes como por exemplo:
Agredidos (as) verbalmente ou fisicamente; Estuprados (as) ; Documentos e pertences roubados; Ter os seus direitos de cidadão (ã) violados; Preconceito;

9 CONFLITOS COM A LEI: A prática de pequenos delitos como:
Andar em transporte público sem pagar; Deixar de pagar as refeições; Urinar e/ou evacuar em locais públicos; Mendigar.

10 CONFLITOS COM A LEI: A seqüência de recidivas e a prática de delitos mais graves como: Roubar carros; Sair arrombando casas; Passar cheques sem fundo; Agressões; Deixar de pagar Pensão Alimentícia; Prisões e Detenções Provisórias; Perda da Guarda dos Filhos.

11 IMPACTO SOBRE A EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL:
Prejuízo no desempenho escolar e/ou profissionalizante como: Faltas, reprovações, abandono e a não conclusão de um curso

12 PROBLEMAS HABITACIONAIS:
Os problemas habitacionais são desencadeados por alguns aspectos já mencionados, que tomam as seguintes proporções: Falta de pagamento da prestação, aluguel ou impostos; Falta de manutenção das instalações;

13 PROBLEMAS HABITACIONAIS:
Ocupação de imóveis em áreas de risco (invadidos ou cedidos); Sem moradia fixa (em situação de rua e/ou em equipamentos sociais “albergues”).

14 CENSO DA POPULAÇÃO DE RUA NA CAPITAL:
No censo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em outubro de 2003, a população de rua na capital de São Paulo era constituída por pessoas 80,3% eram do sexo masculino. crescimento de 19,3% da população de rua, em relação ao censo realizado em 2000, onde esta população perfazia um total de pessoas.

15 CENSO DA POPULAÇÃO DE RUA NA CAPITAL:
80,3% eram do sexo masculino. A característica da população de rua ser predominantemente masculina, ocorre também em outras cidades como: Tóquio, Los Angeles, Nova York, Paris e Londres. (3)

16

17 VIVER NA RUA EM GRANDES CENTROS URBANOS:
Nos Estados Unidos o Skid Row é um termo que define “Cair na Sarjeta”. É um estilo de vida que pode parecer caótico e desorganizado, mas possui uma organização social e uma subcultura própria Esta área urbana é constituída de pensões, hotéis baratos, bancos de sangue, abrigos de missionários, albergues e grupos de alcoolistas.

18 VIVER NA RUA EM GRANDES CENTROS URBANOS:
Cair na rua é a expressão usada por essa população para simbolizar a ruptura que a leva às ruas e que a torna invisível, aos olhos de quem transita pelos grandes centros urbanos é uma das formas de sobrevivência de pessoas que perderam o trabalho nas últimas décadas, mas também a capacidade de desenvolver estratégias em situação de exclusão social.

19 VIVER NA RUA EM GRANDES CENTROS URBANOS:
A condição de morador de rua expõe o indivíduo ao enfrentamento de carências de toda ordem, além de exigir que o mesmo tempo ele se adapte e outras referências de vida social bastante distintas daquelas anteriormente vividas (Vieira et al., 1994)

20 ESTÁGIOS DE ADAPTAÇÃO AOS ESPAÇOS DAS RUAS:
O movimento de adaptação aos espaços das ruas ocorrem em três momentos distintos: Ficar na rua; Estar na rua; Ser da rua.

21 ESTÁGIOS DE ADAPTAÇÃO AOS ESPAÇOS DA RUA:
Ficar na Rua: Usar alguns equipamentos como albergues, pensões e alojamentos e ainda preservar uma rede de apoio.

22 ESTÁGIOS DE ADAPTAÇÃO AOS ESPAÇOS DA RUA:
Estar na Rua: É quando a relação com espaço das ruas se transforma em um processo de progressiva identificação com outros indivíduos a qual as rotinas são semelhantes permitindo assim uma outra rede de relações, que aos poucos substituirá as antigas redes sociais.

23 ESTÁGIOS DE ADAPTAÇÃO AOS ESPAÇOS DA RUA:
Ser da Rua: A desvinculação gradativa das redes sociais de suporte e adesão aos códigos das ruas permite uma articulação do cotidiano em torno desta nova realidade. O espaço das ruas se constitui como espaço de moradia e trabalho.

24 ALGUNS ESPAÇOS UTILIZADOS POR ESTA POPULAÇÃO:
Albergues; Casas de Convivência; Centros de Serviços; Bocas de Rango; Refeitórios Comunitários; Centro de Convivência e Cooperativa; Instituições Religiosas; Centros de Assistência Social –CRAS; Moradias Provisórias.

25 OFERTA DOS SERVIÇOS: Total de vagas para atender a população adulta.(12) Divididas entre os 26 albergues, 9 abrigos especiais, 7 núcleos de serviços/convivência e 11 moradias provisórias; (13) A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), abrirá novas vagas, para atender a população adulta na Operação Frentes Frias ou Baixas Temperaturas que este ano será no período de 15/06 a 30/09/2006. (14)

26 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
1- Edwards.G, Marshall E.J., Cook .O tratamento do Alcoolismo, página 69 a 77.Porto Alegre, Artmed. 2-Interface : Comunicação, Saúde, Educação Vida na Rua e Cooperativismo: Transitando pela Produção de Valores.Ghirardi, Maria isabel GarcezLopes, Samira Rodrigues, Barros, Denise Dias, Galvani, Débora. 3-Schor, Silvia Maria. Artigo: Os Moradores de Rua na Cidade de São Paul.Informações Fipe, dezembro de 2003. 4- htt://portal.prefeitura.sp.gov.br/noticias/sec/assist-social, 25/05/2006 ,

27 OBRIGADO!!! Débora Vieira de Almeida (As. Social)
Wanda Bianchi Martinez


Carregar ppt "ASPECTOS SOCIAIS DO USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google