A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO Antiga ETFESAntiga ETFES 97 anos97 anos Por que?Por que?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO Antiga ETFESAntiga ETFES 97 anos97 anos Por que?Por que?"— Transcrição da apresentação:

1 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO Antiga ETFESAntiga ETFES 97 anos97 anos Por que?Por que?

2 EMJAT/PROEJA Ensino Médio para Jovens e Adultos Trabalhadores/Programa de Integração da Educação Profissional Técnica de Nível Médio ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos

3 Equipe Equipe de Coordenação:Equipe de Coordenação: Maria de Fátima F. P. Medina, Maria de Fátima F. P. Medina, Maria José de Resende Ferreira Maria José de Resende Ferreira Maria das Graças Cavalcanti Maria das Graças Cavalcanti Pedagoga: Izamara Gomes dos SantosPedagoga: Izamara Gomes dos Santos ProfessoresProfessores AlunosAlunos

4 Primeiros passos... (2001) Experiência iniciada de forma voluntária por um grupo de professores, com o objetivo de...Experiência iniciada de forma voluntária por um grupo de professores, com o objetivo de... Formar cidadãos conscientes do seu papel social, capazes de promover melhorias nas próprias vidas e de contribuírem para o crescimento da sociedade em que vivem. Conclusão do Ensino Médio e o ingresso opcional em um curso técnico do CEFET-ES, mediante seleção interna.

5 Configuração do curso Entrada por meio de processo seletivoEntrada por meio de processo seletivo Idade mínima de 21 anosIdade mínima de 21 anos Uma turma de 24 alunos/semestreUma turma de 24 alunos/semestre Estrutura de 3 módulosEstrutura de 3 módulos Metodologia de ProjetosMetodologia de Projetos Avaliação Processual e cotidianaAvaliação Processual e cotidiana

6 A segunda fase... (2003) Duração de 2 (dois) anos, divididos em 4 (quatro) módulos semestrais; Duração de 2 (dois) anos, divididos em 4 (quatro) módulos semestrais; Idade mínima de 18 anos; Idade mínima de 18 anos; Turmas oferecidas nos turnos vespertino e noturno; Turmas oferecidas nos turnos vespertino e noturno; Garantia de certificado de Ensino Médio, ao concludente; Garantia de certificado de Ensino Médio, ao concludente; Opcionalmente articulado à educação profissional técnica de nível médio, com ingresso subseqüente. Opcionalmente articulado à educação profissional técnica de nível médio, com ingresso subseqüente.

7 Fase Atual Adequa ç ão aos decretos 5.154/04 e 5.478/05; Adequa ç ão aos decretos 5.154/04 e 5.478/05; Turmas de 35 alunos em duas modalidades: Turmas de 35 alunos em duas modalidades: forma ç ão inicial - 2 e meio h forma ç ão inicial - 2 e meio h habilita ç ão t é cnica - 4 anos h habilita ç ão t é cnica - 4 anos h Integra ç ão de conte ú dos que dão fundamenta ç ão cient í fica para embasamento dos conhecimentos instrumentais das qualifica ç ões e/ou habilita ç ões profissionais; Integra ç ão de conte ú dos que dão fundamenta ç ão cient í fica para embasamento dos conhecimentos instrumentais das qualifica ç ões e/ou habilita ç ões profissionais;

8 Matriz Curricular (4 módulos iniciais)

9 Proposta Pedagógica

10 Pedagogia de ProjetosPedagogia de Projetos Eixo gerador - a concepção de Ser Humano InseridoEixo gerador - a concepção de Ser Humano Inserido Cada projeto, um contexto específico.Cada projeto, um contexto específico.

11 Educar é uma ato amoroso (Paulo Freire) Sensibilização Acolhimento Afeto

12 Princípios Norteadores 1.Considerar as especificidades e subjetividades do aluno 2. Di á logo - Debates – Reflexões 3.Integra ç ão e contextualiza ç ão de conhecimentos (Planejamento – processo – avalia ç ão) 4.Pesquisa – a ç ão – produ ç ão – pensamento complexo 5.Ênfase nas habilidades cognitivas, sócio-afetivas, culturais e valores 6.Autonomia de aprendizagem 7.Emancipação

13 Princípios Considerar as especificidades, subjetividades saberes do alunoConsiderar as especificidades, subjetividades saberes do aluno

14 Princípios Norteadores Di á logo Di á logo Debates – Reflexões Debates – Reflexões

15 Bases cient í ficas para compreensão dos fenômenos Bases cient í ficas para compreensão dos fenômenos Contextualiza ç ão e integra ç ão de saberes Contextualiza ç ão e integra ç ão de saberes (Planejamento – processo – avalia ç ão) (Planejamento – processo – avalia ç ão) Currículo Fragmentado

16 Modelo de competências pressupõe: Modelo de competências pressupõe: Ênfase nas habilidades cognitivas, sócio-afetivas, culturais e valores. Ênfase nas habilidades cognitivas, sócio-afetivas, culturais e valores. Profissionai s não sabem escrever...

17 Os conteúdos específicos das disciplinas são demandados a partir dos projetos, porém...Os conteúdos específicos das disciplinas são demandados a partir dos projetos, porém... A sua construção decorre dos métodos de ensino e de aprendizagemA sua construção decorre dos métodos de ensino e de aprendizagem *Preservam-se conteúdos específicos mínimos, designados a cada disciplina. Metodologias inovadoras

18 Autonomia de aprendizagem Autonomia de aprendizagem Emancipação Emancipação Forma ç ão integral do sujeito. Forma ç ão integral do sujeito. Reflexões Críticas

19 Processo de Avaliação ProcessualProcessual Observação do desempenho e progresso do alunoObservação do desempenho e progresso do aluno Instrumentos: provas individuais e compartilhadas, de trabalhos e projetos individuais e em equipe;Instrumentos: provas individuais e compartilhadas, de trabalhos e projetos individuais e em equipe; Auto-avaliação (do próprio aluno);Auto-avaliação (do próprio aluno); Apresentação final do projeto (coletiva);Apresentação final do projeto (coletiva); Conselho de Classe (coletiva);Conselho de Classe (coletiva); O registro final é semestral, expresso em notas.O registro final é semestral, expresso em notas.

20 Aprovação O aluno poderá ficar retido em, no máximo, dois componentes curriculares, mais que isso repetirá o módulo.O aluno poderá ficar retido em, no máximo, dois componentes curriculares, mais que isso repetirá o módulo. Os componentes curriculares nos quais o aluno foi retido poderão ser oferecidos em turno oposto ao freqüentado pelo mesmo, ou criado um novo horário inter-turnos.Os componentes curriculares nos quais o aluno foi retido poderão ser oferecidos em turno oposto ao freqüentado pelo mesmo, ou criado um novo horário inter-turnos.

21 Corpo Docente Adesão voluntáriaAdesão voluntária Efetivos e ContratadosEfetivos e Contratados Efetivos: mestres, doutor, doutorando e especialistas Efetivos: mestres, doutor, doutorando e especialistas Contratados: Especialistas e mestrandos Contratados: Especialistas e mestrandos Atuam em diferentes coordenadoriasAtuam em diferentes coordenadorias Reuniões semanais para planejamento, integração curricular e estudos (Formação Continuada), orientadas pelo Núcleo de Gestão Pedagógica e Coordenação do Curso.Reuniões semanais para planejamento, integração curricular e estudos (Formação Continuada), orientadas pelo Núcleo de Gestão Pedagógica e Coordenação do Curso.

22 Avaliação Geral PONTOS POSITIVOS Inclusão social emancipatória;Inclusão social emancipatória; Cidadãos conscientes;Cidadãos conscientes; Melhoria nas condições de vida;Melhoria nas condições de vida; Escolarização;Escolarização; Qualificação profissional;Qualificação profissional; Projetos: Formação humana e científica, habilidades de gestão e empreendedorismo.Projetos: Formação humana e científica, habilidades de gestão e empreendedorismo.

23 Avaliação Geral PONTOS CRÍTICOS Estrutura organizacional sistêmica dificulta a operacionalização; Faltam investimentos para o desenvolvimento do Projeto; Descomprometimento (em parte) do corpo docente e técnico; Alta rotatividade dos profissionais; Deficiência na formação continuada dos sujeitos envolvidos; Problemas de envolvimento dos gestores da instituição; Dificuldade de integrar áreas geral e técnica; Preconceito e discriminação pela comunidade escolar.

24 Avaliação de Egressos Por meio de depoimentos de alunos matriculados em diferentes Cursos Técnicos Por ocasião do Projeto Boas Vindas

25 Aprender é uma aventura criadora, algo, por isso mesmo, muito mais rico do que meramente repetir a lição dada. Aprender para nós é construir, reconstruir, constatar para mudar, o que não se faz sem abertura ao risco e à aventura do espírito. Désirée Gonçalves Raggi – 027 – /


Carregar ppt "CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO Antiga ETFESAntiga ETFES 97 anos97 anos Por que?Por que?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google