A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Deus nos amou primeiro 1 João 4:7-21 ED - Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara Iberê Arco e Flexa – 28/01/2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Deus nos amou primeiro 1 João 4:7-21 ED - Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara Iberê Arco e Flexa – 28/01/2007."— Transcrição da apresentação:

1 1 Deus nos amou primeiro 1 João 4:7-21 ED - Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara Iberê Arco e Flexa – 28/01/2007

2 2 1 Jo Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 8 Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. 9 Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. 10 Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.

3 3 11 Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. 12 Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. 13 Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. 14 E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. 1 Jo

4 4 15 Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. 16 E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele. 17 Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. 18 No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. 1 Jo

5 5 19 Nós amamos porque ele nos amou primeiro. 20 Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 21 Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão. 1 Jo

6 6 Subdivisões do texto para nosso estudo O amor de Deus por seu povo –1 Jo Deus em nós, e nós Nele –1 Jo O perfeito amor do cristão para com Deus –1 Jo

7 7 O amor de Deus por seu povo

8 8 O Espírito da verdade se reconhece pela doutrina correta: Quem confessa que Jesus é o Cristo vindo em carne está falando pelo Espírito de Deus. Deus é amor (1 Jo.4.8). Doutrina correta e amor verdadeiro são testes do verdadeiro cristianismo.

9 9 7 Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Deus é o autor e a fonte do amor. O amor que temos e exercemos procede de Deus. –Dt 30.6 O Senhor, teu Deus, circuncidará o teu coração e o coração de tua descendência, para amares o Senhor, teu Deus, de todo o coração e de toda a tua alma, para que vivas. –Gl Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, –2 Tm 1.7 Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.

10 10 A capacidade de amar identifica o verdadeiro cristão e indica o verdadeiro conhecimento de Deus. –O cristão pratica a justiça 1 Jo 2.29 Se sabeis que ele é justo, reconhecei também que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele. –O cristão não pratica o pecado 1 Jo 3.9 Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. 7 Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.

11 11 8 Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. Deus é amor Esta é uma das manifestações da essência de Deus, presente tanto no NT quanto no VT. –Êx 34.6 E, passando o Senhor por diante dele (Moisés), clamou: Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; –Sl 86.5 Pois tu, Senhor, és bom e compassivo; abundante em benignidade para com todos os que te invocam. Mesmo que alguém professe crer em Deus, a falta de amor revela o seu verdadeiro estado espiritual.

12 12 O que Deus é em sua essência (NT) Deus é Espírito –Jo 4.24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. Deus é luz –1 Jo 1.5 Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma. Deus é amor 1 Jo 4.8 Deus é fogo consumidor –Hb 12.28,29 Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor.

13 13 9 Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. O amor de Deus Pai por seu Filho unigênito é a fonte do amor que une a congregação dos crentes como uma família. Ao dar- nos o Filho, o Pai nos fez conhecer o amor perfeito e a vida eterna que o Pai e o Filho sempre tiveram. A encarnação do Filho é a manifestação de Deus sobre a vida eterna, com o fim de tirar os nossos pecados e destruir as obras de Satanás. A vida eterna está em Cristo e somente mediante a união com Ele é que pecadores podem viver eternamente.

14 14 Essa foi a missão do Filho de Deus: que pecadores indignos e destinados à morte eterna pudessem viver aqui e eternamente por meio dele. Ef Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, 2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; 3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. 4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, 5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos, 6 e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;

15 15 10 Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Ele nos amou primeiro, gratuitamente, sem que nada tivéssemos merecido. A grandeza do amor de Deus consiste exatamente nisso: Ele nos amou livremente sem que não merecêssemos mais do que a morte e punição eternas. –Jo Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.

16 16 O sacrifício de Cristo na cruz permitiu a reconciliação dos pecadores (que O aceitam plenamente, com toda a sua força e todo o seu entendimento, como seu Salvador pessoal) com Deus! –Rm Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. 9Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. 10Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; 10 Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.

17 17 11 Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Motivados pela grandeza do amor de Deus, os cristãos devem exercer o amor fraternal uns para com os outros. –Ef 5.1,2 1 Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; 2 e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave.

18 18 12 Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. Ninguém pode ver a face de Deus e viver –Êx Respondeu-lhe (o Senhor): Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o nome do Senhor; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer. 20 E acrescentou: Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá. A presença do amor entre os crentes é a evidência de que Deus está entre nós. Essa é a forma pela qual Deus determinou habitar entre nós.

19 19 Deus se mostra presente quando, por seu Espírito, Ele transforma nosso coração de tal forma que amamos uns aos outros (João Calvino).

20 20 Deus em nós, e nós Nele

21 21 13 Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. Todo crente verdadeiro recebe de Deus o Espírito Santo por ocasião de sua regeneração e conversão a Cristo. O conhecimento de Sua presença em nós vem de duas formas: –1. O testemunho interno do Espírito Santo ao nosso espírito; –2. Por meio das operações do Espírito Santo em nós.

22 22 1) O testemunho do Espírito ao nosso espírito: –Rm 8.16 O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. –2 Co 1.21,22 21Mas aquele que nos confirma convosco em Cristo e nos ungiu é Deus, 22 que também nos selou e nos deu o penhor do Espírito em nosso coração. –Ef 1.13 em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa;

23 23 2) Por meio das operações do Espírito Santo em nós. O conhecimento da verdade –1 Co Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. 11Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. 12Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. 13Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. 14Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

24 24 2) Por meio das operações do Espírito Santo em nós. O poder para mortificarmos nossa natureza pecaminosa –Rm 8.13,14 13Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis. 14Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Os frutos do Espírito –Gl Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. 24E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.

25 25 14 E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. O testemunho dos apóstolos, que viram o Senhor encarnado, é que Ele veio para salvar o mundo. Salvar o mundo significa que Ele salva pessoas deste mundo, mas não todos. Quem são os salvos? –João para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.16Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

26 26 15 Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. É somente pela ação de Deus que o pecador pode reconhecer e confessar a Cristo como Salvador. A consciência de nossa permanência em Deus, e de Deus em nós, decorre de nossa pública profissão de fé em Jesus. Mas, profissão de fé VERDADEIRA, que implica em entrega e obediência –Heb Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade, 8embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu 9e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem,

27 27 16 E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele. É somente pelo Espírito que se pode conhecer e crer no amor de Deus! –1 Co mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. 10Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. 11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. 12Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. 13Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.

28 28 Estaremos certos da nossa salvação se percebermos em nós a presença do Espírito, os resultados da obra salvadora do Filho e o amor do Pai, expresso por meio do amor aos irmãos.

29 29 O perfeito amor do cristão para com Deus

30 30 17 Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. O amor do cristão a Deus é aperfeiçoado por uma relação de mútua permanência, que implica em fé e obras que provêm do Espírito –Tg 2.17,18 17 Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta. 18 Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé.

31 31 17 Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. O dia mais crítico da humanidade será o Dia do Juízo, em que Deus haverá de julgar com rigor os pecadores impenitentes. –Mt Se alguém não vos receber, nem ouvir as vossas palavras, ao sairdes daquela casa ou daquela cidade, sacudi o pó dos vossos pés. 15Em verdade vos digo que menos rigor haverá para Sodoma e Gomorra, no Dia do Juízo, do que para aquela cidade. –Mt E, contudo, vos digo: no Dia do Juízo, haverá menos rigor para Tiro e Sidom do que para vós outras. 23Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje. 24Digo-vos, porém, que menos rigor haverá, no Dia do Juízo, para com a terra de Sodoma do que para contigo.

32 32 Nosso relacionamento com Deus Incerteza Confiança Porque nos vemos escorregando de volta para atos pecaminosos. Porque nos sentimos atraídos pelo pecado e em oposição a nossos irmãos. Porque nossos corações são sensíveis e nos sentimos amados. Então... Examine o seu coração e sinta se há o desejo de ser obediente! Então... Examine as ações e veja a obediência e o amor praticado. Então... Escolhemos ser obedientes e praticar o amor! Essa é uma evidência de que O conhecemos.

33 33 A coragem e a confiança dos verdadeiros crentes virá da certeza da absolvição perante o tremendo juiz, a qual resulta da fé em Jesus e da comunhão mútua com Deus, que se aperfeiçoa, é experimentada e mantida aqui no dia-a-dia desta vida presente.

34 34 17 Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. Ele é, é uma referência a Jesus. Da mesma forma como Jesus é amado pelo Pai, nós que em Cristo somos também filhos de Deus, vivemos neste mundo e por toda a eternidade abrigados e protegidos por esse amor. –Heb 4.16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

35 35 18 No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. O Dia do Juízo nos faz ter medo de Deus. O remédio para o medo de Deus é o amor a Ele. O amor perfeito a Deus expulsa o medo de nossos corações pois nos leva a uma perfeita conformação ao ser e à vontade soberana de Deus. –Rm Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. 16O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. 17Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados.

36 36 18 No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Quem vive atormentado diante da perspectiva de ser julgado e condenado por Deus demonstra com essa emoção que não ama perfeitamente a Deus. O amor perfeito a Deus, nesta vida, é um ideal que se não pode ser plenamente alcançado, deve ser buscado honestamente, com toda a nossa força e o nosso entendimento.

37 37 19 Nós amamos porque ele nos amou primeiro. A causa de nosso amor a Deus não se encontra em nós mesmos, mas encontra-se no próprio Deus, que primeiro nos estendeu seu eterno amor. –João Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. 17Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros.

38 38 A excelência do amor A fonte do amorO efeito do amor Deus personifica o seu amor Nós refletimos o amor de Deus no mundo Deus nos amouNós amamos a Deus; o medo é lançado para fora; guardamos os seus mandamentos Deus deu seu filho por nós Nós damos o nosso amor pelos outros Cristo deu sua vida por nós Nós damos as nossas vidas pelos outros

39 39 20 Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Mentirosa é toda confissão ou declaração falsa com relação à vida moral e com relação à doutrina. –1 Jo 1.6 Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. –1 Jo Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. 5Aquele, entretanto, que guarda a sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. –1 Jo Aquele que crê no Filho de Deus tem, em si, o testemunho. Aquele que não dá crédito a Deus o faz mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus dá acerca do seu Filho. 11E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. 12Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.

40 40 21 Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão. O amor a Deus e o amor aos irmãos em Cristo estão ligados por um mandamento divino. Quem tem um amor, tem o outro!


Carregar ppt "1 Deus nos amou primeiro 1 João 4:7-21 ED - Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara Iberê Arco e Flexa – 28/01/2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google