A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programa de Pós-Graduação em Física Mestrado/Doutorado Instituto Tecnológico de Aeronáutica 33011010 Coordenador:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programa de Pós-Graduação em Física Mestrado/Doutorado Instituto Tecnológico de Aeronáutica 33011010 Coordenador:"— Transcrição da apresentação:

1 Programa de Pós-Graduação em Física Mestrado/Doutorado Instituto Tecnológico de Aeronáutica Coordenador: Tobias Frederico Informações referentes aos anos de 2007/2008/2009 Astronomia e Física

2 1.1 Áreas de concentração: Física Atômica e Molecular (Coordenador: Arnaldo Dal Pino Jr. Física de Plasmas (Coordenadora: Marisa Roberto Física Nuclear (Coordenador/Curso: Tobias Frederico Física Atômica e Molecular: Linhas de pesquisa Gases ionizados Diagnósticos elétricos e espectroscopia (de emissão, absorção e laser). Simulação de espectros ro-vibracionais com inteligência artificial. Simulação de plasmas frios. Projetos -Descargas e pós-descargas em nitrogênio -Estudo da decomposição dos compósitos orgânicos voláteis por plasmas não-térmicos gerados por descargas elétricas pulsadas -Fotodetetores a Poços Quânticos Propriedades de Sistemas Poliatômicos Estrutura eletrônica de moléculas e geometria de aglomerados moleculares. Espalhamento por elétrons, pósitrons e positrônio. Propriedades de moléculas diatômicas e triatômicas. Condensação atômica. Projetos -Aplicação de Técnicas de Inteligência Artificial em Física Atômica e molecular -Aplicação de métodos da dinâmica química variacional no estudo de reações -Condensados atômicos, fênomenos de poucos átomos e interação com léptons -Estudo teórico da espectroscopia, da ligação química e da conformação molecular PROPOSTA DO PROGRAMA

3 Física da matéria condensada Estudo de ligas Semicondutoras, spintronica e optoeletronica e sensores. Projetos -Estudo Teórico de Ligas Semicondutoras com aplicações em Spintronica e Optoeletrônica -Sensores de Infravermelho Baseados em Semicondutores da Família III-V Utilizando Transições Intrabanda (Nanoestruturados) e Interbanda. Lasers Desenvolvimento de lasers de vapor de cobre e lasers de corante. Separação isotópica via lasers. Produção de componentes de precisão para o desenvolvimento de lasers. Projetos -Espalhamento Raman em Fibras Ópticas -Lasers e Aplicações -Processo Atômico de Separação Isotópica via Lasers Ensino de Física Este projeto visa o desenvolvimento de material didático (teórico, audiovisual, simulações,objetos de aprendizagem,ambiente de ensino a distância, entre outros) utilizando recursos de informática com aplicação no ensino de Física básica no ITA. Projetos -Reestruturação do Ensino de Física no Curso de Engenharia do ITA Docentes(10): Arnaldo dal Pino Jr., Jayr Amorim(PQ-1D),Lara Kuhl Teles(PQ-2), Francisco Bolivar Correto Machado (PQ-2), Orlando Roberto Neto(PQ-2), Nicolau Andre Silveira Rodrigues (DT-2), Rudimar Riva (DT-2), José Silvério Edmundo Germano, Gustavo Soares Vieira, Marcelo Geraldo Destro (DT-2) Pós-Doutores: 1 Discentes (31/12/2009): 9D, 10M Grupos de Pesquisa do CNPq: Sim

4 Física de Plasmas: Linhas de pesquisa Física de Plasmas Frios e Quentes Simulação numérica, caos e fenômenos não-lineares. Descargas elétricas CC, RF e microondas. Simulação de ambiente de reentrada de veículos espaciais. Projetos -Estudos de jatos de plasmas frios e feixes de partículas. --Simulação numérica em plasmas Tecnologia de Plasmas frios Filmes finos, processos de corrosão e deposição. Limpeza e ativação a plasma.Instrumentação. Etapas de micro fabricação para sensores e dispositivos de microeletrônica. Compósitos e polimeros. Projetos -Desenvolvimento de gerador de Ozônio de Alto Desempenho -Desenvolvimento de tecnologia para tratamento de resíduos via plasma, com produção de gás de síntese -Implantação Iônica por Imersão em Plasma -Processamento de materiais para aplicações em micro sistemas usando tecnologia de plasmas -Síntese e caracterização de materiais carbonosos avançados -Tratamento e caracterização de materiais a plasmas frio Docentes(8): Homero Santiago Maciel (PQ-1A), Choyu Otani (DT-1D), Marisa Roberto, Gilberto Petraconi(DT-2), Marcos Massi (PQ-2), Érico Luiz Rempel (PQ-2), Mirabel Cerqueira Rezende (PQ-1B), Gilmar Patrocinio Thim Pós-Doutores: 1 Professores Visitantes: 1 Discentes(31/12/09): 7D, 7M Grupos de pesquisa CNPq: sim

5 Física Nuclear: Linhas de pesquisa Estrutura Nuclear e Hadrônica Modelos relativísticos para o núcleo e hádrons. Fenomenologia de partículas. Emparelhamento, correlações núcleon-núcleon, e excitações coletivas em núcleos finitos incluindo deformação e matéria nuclear. Núcleos exóticos, estrutura de poucos corpos. Projetos -Correlações de poucos corpos e suas aplicações na física de muitos corpos (Temático) Reações Nucleares e Espalhamento Geral Espalhamento múltiplo. Formação e decaimento do núcleo composto. Reações de fragmentação do projétil. Excitação Coulombiana. Reações nucleares de poucos corpos. Projetos -Dados nucleares de reações de protons com núcleos de interesse médico -Reações nucleares entre núcleons, íons pesados e núcleos exóticos Teoria Quântica de Campos, Astrofísica, Cosmologia e Gravitação Interações eletrofracas. Fenômenos de transição de fase. Renormalização em mecânica quântica. Astrofísica Nuclear. Modelos Cosmológicos. Detecção e geração de ondas gravitacionais. Projetos -Matéria Hadrônica e QCD em Astrofísica: Supernovas, GRBs e Estrelas Compactas (Temático com o IAG) -Geração e análise de Ondas Gravitacionais (Projeto Temático Gravitón com o INPE) Docentes(5): Tobias Frederico (PQ-1B), Brett Vern Carlson (PQ-1B), Manuel Maximo B. O. Malheiro (PQ- 1C), Ricardo Rego, Rubens de Melo Marinho. Pós-Doutores: 1 Discentes(31/12/09): 4M, 6D Grupos de Pesquisa CNPq:sim

6 Proposta curricular A disciplina de Mecânica Quântica I é obrigatória para o Mestrado e Mecânica Quântica II para o Doutorado. Além disto, possui um elenco de 06 (seis) disciplinas eletivas que são comuns às três áreas de concentração, valendo até 03 créditos cada, a saber, Métodos Matemáticos da Física, Mecânica Analítica, Tópicos de Mecânica Analítica, Mecânica Estatística, Eletrodinâmica I e II e valendo 01 (um) crédito, Seminário de Tese. A disciplina Seminário de Tese consiste de seminários semanais proferidos por professores pertencentes ao quadro da pós-graduação, por pesquisadores e/ou professores de outras Instituições e pelos alunos de pós-graduação, sobre as pesquisas que estão realizando. Esta matéria deve ser cursada por todos os alunos matriculados em mestrado ou doutorado a partir do terceiro semestre. As disciplinas eletivas variam, dependendo da área de concentração, sendo sua escolha vinculada à natureza do trabalho de pesquisa a ser desenvolvido. 1.No. de créditos: 21(M) 27(D) (mestrado conta 15); 2.Créditos em publicações: mestrado até 6 créditos para o conjunto de publ.; doutorado minímo de 3 e máximo de 21 créditos; 3.Contagem de créditos de publicação: internacional com qualis até 3 créditos; 4.Estágio Docência (3) - obrigatório para alunos de doutorado CAPES; 5.Exame de qualificação para o Doutorado até o 6o. Semestre; 6.Mestrado até 36 meses e Doutorado até 72 meses (aprovada em 2008). 7.Ementas: 8.Inscrições semestrais – informações gerais: 9.Critérios de seleção: Histórico escolar, cartas de recomendação e Exame Unificado de Física;

7 1.2. Informar ações concretas do programa com relação a: planejamento com vistas a seu desenvolvimento futuro, contemplando os desafios internacionais da área na produção do conhecimento; melhoria de formação de seus alunos; metas de inserção social de seus egressos, conforme os parâmetros da área. Sim, temos diretrizes gerais sugeridas pela coordenação de curso aos professores do quadro permanente: Coordenação e participação em projetos de colaboração nacional e internacional envolvendo alunos e posdocs; Professores visitantes; Projetos experimentais/tecnológicos financiando atividades de criação/manutenção dos laboratórios, onde alunos do curso são formados; Criação de novos laboratórios; Integração com os institutos tecnológicos do CTA – Comando-Geral-de-Tecnologia-Aeroespacial – IEAv e IAE, e contrapartida do uso dos laboratórios; Organização de eventos no ITA no âmbito do curso onde os alunos de pós-gradução participam ativamente ( VIWFME - EVFITA LC2009 Seminário de Tese – Seminários semanais abordando temas de ponta em diversas áreas da Física com a participação de diversos convidados de renome na Física Brasileira.

8 1.3 – Infra-estrutura para ensino, pesquisa e, se for o caso, extensão. - Salas de aula do ITA e Auditórios. - Biblioteca ( volumes). - Sala para alunos de Pós-graduação PCs internet. - Laboratórios: a)Laboratório de Óptica e Espectroscopia (ITA); b) Laboratório de Plasmas e Processos (ITA); c) Laboratório de Caracterização de Superfícies (ITA); a)Laboratórios da Sub-Divisão de Fotônica do Instituto de Estudos Avançados do Comando- Geral de Técnologia Aeroespacial (www.ieav.cta.br): - Laboratório de Desenvolvimento de Aplicações de Laser e Óptica (DedALO) - Infra-estrutura Computacional: 06 estações de trabalho, sendo 1 dual Xeon de 3 GHz e 5 com dois processadores Xeon quad-core com 16GB MRAM, 71 PCs Intel e AMD, ligados à rede local. ~ 16 impressoras, dos quais algumas são impressoras a laser, e as demais INKJET B/P e colorida. Rede local de 100MB e rede "wireless".

9 2.1 - Apresentar tabela (exemplo abaixo) com número de docentes permanentes, colaboradores e visitantes, indicando ano e qualificação da última titulação, e nível da disciplina (graduação ou pós-graduação) que ministrou aulas nos anos de 2007 a Indicar para cada docente se é permanente (P), colaborador C, ou visitante (V), indicando na coluna, por ano, em ordem decrescente P, C e V. 2. Indicar se a disciplina ministrada em 2007 a 2009 foi de graduação (G) ou pós graduação (PG). CORPO DOCENTE

10 Nome do DocenteP, C ou VTitulaçãoAnoDisciplina 2007 (G ou PG) Disciplina 2008 (G ou PG) Disciplinas 2009 (G ou PG) Nível Bolsa CNPq Arnaldo Dal PinoPPPDr1989 G e PG Brett V. CarlsonPPPDr1981G e PG PQ-1B Choyu OtaniPPPDr1985GGGDT-1D Érico L. RempelPPPDr2003GG e PGGPQ-2 Francisco Bolivar Correto Machado PPPDr1990G e PG PQ-2 Gilberto Petraconi Filho PPPDr1997G e PG DT-2 Gilmar Patrocinio Thim PDr1997G Gustavo Soares Vieira (IEAv) PPPDr1998 Homero Santiago Maciel PPPDr1985PG G e PGPQ-1A

11 Nome do DocenteP, C ou VTitula ção AnoDisciplina 2007 (G ou PG) Disciplina 2008 (G ou PG) Disciplina 2009 (G ou PG) Nível Bolsa CNPq Jayr Amorim Filho PPPDr1994 PG PQ-1D José Silvério E. Germano PPPDr1992GG e PG Lara Kuhl TelesPPPDr2001G e PG PQ-2 Manuel Maximo B. O. Maheiro PPPDr1991G e PG PQ-1C Marcelo Geraldo Destro PPCDr1993PG DT-2 Marcos MassiPPPDr1999GGG e PGPQ-2 Marisa RobertoPPPDr1992G e PG Mirabel Cerqueira Rezende (IAE) PPPDr1991PQ-1B Nicolau Andre S. Rodrigues (IEAv) PPPDr1989PG DT-2

12 Nome do DocenteP, C ou VTitula ção AnoDisciplina 2007 (G ou PG) Disciplina 2008 (G ou PG) Disciplinas 2009 (G ou PG) Nível Bolsa CNPq Orlando Roberto Neto(IEAv) PPPDr1993 PG PQ-2 Ricardo Affonso do Rego PPPDr1984G e PG Rubens de Melo Marinho Jr. PPPDr1983GG e PG Rudimar RivaPPPDr1993 PG DT-2 Tobias FredericoPPPDr1984G e PG PGPQ-1B 22 Docentes em 2007 & 2008 e 23 Docentes em Disciplinas no trienio: 2(G) 5(PG) 14(G&PG) 2(0) Bolsistas CNPq: 11(PQ), 6 Nível 1 - 5(DT), 1 Nível 1

13 3.1 – Apresentar sistemática de seleção: formato (exame, entrevista, etc.); # de inscritos; # de aprovados; # de matriculados; # de bolsas; comentar origem geográfica da maioria dos candidatos, p.ex., cidade, estado, estados vizinhos, etc.; procura por estudantes do exterior? Apresentar tabela com número de teses e dissertações defendidas anualmente; incluir percentual em relação ao corpo docente permanente e à dimensão do corpo discente Informar a distribuição das orientações das teses e dissertações defendidas anualmente, em relação aos docentes do programa Informar se há trabalhos publicados associados a cada tese ou dissertação 3.5 – Informar o tempo de formação de mestres e doutores, bem como percentual de bolsistas titulados. CORPO DISCENTE,TESES E DISSERTAÇÕES (ano a ano) 1. Colocar na forma de tabela, onde possível

14 rrrAlua Inscritos12M 8D 25M 11D 23M 15D Aceitos9M 6D 25M 8D 16M 11D Matriculados4M 5D 13M 4D 5M 6D alunos – Apresentar sistemática de seleção: formato (exame, entrevista, etc.); # de inscritos; # de aprovados; # de matriculados; # de bolsas; comentar origem geográfica da maioria dos candidatos, p.ex., cidade, estado, estados vizinhos, etc.; procura por estudantes do exterior?. Sistematica de selecao: Uma reuniao semestral dos Coordenadores de Area e Curso para avaliacao dos candidatos e elaboracao da lista de prioridades a bolsa. Criterios de selecao: Rendimento Academico, Instituicao de Formacao, Cartas de Recomendacao, sendo o Exame Unificado de Fisica opcional. E feita uma lista de prioridade a bolsa de Mestrado e Doutorado. Quando ha necessidade e feita uma entrevista. Em geral, convidamos os interessados a nos visitar e conversar com os Coordenadores de Area, quando e feita uma entrevista. Origem Geografica: Temos alunos das mais diversas regioes, tais como: Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Para, Parana, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Sao Paulo. Particularmente temos poucos alunos do Vale do Paraiba. Obs.:Temos um potencial de alunos maior do que podemos oferecer bolsas.

15 3.2 - Número de teses e dissertações defendidas no período de avaliação, percentual em relação ao corpo docente permanente e à dimensão do corpo discente; e distribuição das orientações das teses e dissertações defendidas no período de avaliação em relação aos docentes do programa. ANO MestM/Mtotal 31/dez Dout.D/Dtotal 31/dez M/Alunos 31/dez D/Alunos 31/dez Orientadores Orient/Perm /16 50% 22/18 11% 8/34 24% 2/34 6% 99/22 41% /23 30% 11/18 5% 7/41 17% 1/41 2% 66/22 27% /20 35% 44/24 17% 7/44 16% 4/44 9% 88/23 35% Expectativa de defesas para 2010 – Mestrado 9 Doutorado 6

16 3.3 - Trabalhos publicados associados a cada tese ou dissertação; e 3.4 – tempo de formação de mestres e doutores, e percentual de bolsistas titulados. Ano Titulados Meses MesesBolsaPubl.IndexMesesBolsaPubl.Index M19CAPES016CAPESB1 M24CAPES027CAPESB3 M26CAPESB227CAPESB3 M CNPq2A2 M M40--B240CAPESB3 M M51--0 D46FAPESP3B1 2B328--B1 B3 D52FAPESP2A2 2B4-- No. Cotas (2009): CAPES - 7M,9D CNPq - 2M, 1D CNPq Microeletr.– 1D FAPESP– 1M, 2D (1o. Sem /dout. 32/mest. ~50% sem bolsa) Contadas publ. orientado+orientador durante e depois do período de tese + 1 ano. Mest c/bolsa Mest c/s bolsa Dout c/bolsa Dout c/s bolsa 2007 %bolsisas tit %bosistas tit %bolsistas tit. 27 meses31 meses48.7 meses46 meses33% (M) 18%(D)43%(M) 0%(D)66%(M) 30%(D) 2009MesesBolsaPubl.Index 28FAPESP0 24CNPQ0 24CAPES0 43CAPESB3 30CAPES0 25CAPES FAPESPA2, B1 50FAPESP0 (patente) D-- D 53CAPES6B2,1B3,1B5, 1B1 49CAPESC

17 4.1 - Apresentar tabela com publicações qualificadas do Programa, de acordo com a nova classificação qualis (anexo) Indicar a distribuição de publicações qualificadas em relação ao corpo docente permanente do Programa, e em relação ao corpo discente Informar sobre a produção técnica, patentes e outras produções consideradas relevantes. PRODUÇÃO INTELECTUAL

18 4.1 - Publicações qualificadas do Programa, de acordo com a nova classificação qualis ANO A1A2B1B2B3B4B5Total Publicações Discentes com qualis 2007 A2B1B2B3 1D02M, 2D1M,1D 152 4D, 3M1M3M, 1D 2008 A2B1B2B3B4 3D2D, 2M2D1D, 2M1D ANO Qualis NPub ND NPV Pub/tot. 10/57 (17%)13/36 (36%)17/35 (49%) Npub= Número de Publicações com FI com discentes no ano ND= Número de Discentes NPV= Número de Publicações com FI vinculadas a diss./teses de discentes titulados em anos anteriores A2B1B2B3B5 2D 7D2D, 1M3D

19 Observação: Total de trabalhos em 2007: – 57 = 13 (Não contadas revistas sem FI) Total de trabalhos em 2008: – 36 = 9 (Não contadas revistas sem FI) Total de trabalhos em 2009: – 35 = 17 (Não contadas revistas sem FI ou C) International Journal of Bifurcation on Chaos in Applied Sicences and Eng. Nonlinear process in geophysics Physics Statu Solidi C: Conference and Critical Reviews Materials Research Elastic properties of hygrothermal conditioned laminate J. of Applied polymer Science Evaluation of hygrothermal effects on the shear properties of caral composites Revista Brasileira de Vácuo Composites: Part B Engineering Latin América Journal of Solids and Structures J. of. Braz. Society of Mech. Sci. and Eng. Contados (fora da área da Física) Applied Economics Letters FI=1 Surface and Coatings FI=1.678 Journal of Materials Science: Materials in Medicine FI=1.029 Applied Surface Science: FI=1,406 Surface and Coatings Techn. FI=1,678 J. of Atmospheric and Solar – Terrestrial Physics FI=1.566 Journal of Materials Science: Materials in Electronics FI=0.95 Referente aos anos de 2007 e 2008.

20 4.2 - Distribuição de publicações qualificadas em relação ao corpo docente permanente do Programa, e em relação ao corpo discente. ANO No. ArtigosNo. Discentes No. Docentes No. Discentes No. Docentes No. Discentes No. Docentes No./No.Total7/44 =16% 17/22 =77% 13/49 =27% 17/22 =77% 11/48 =23% 19/23 =83% Foi contado o número de artigos pertencentes a cada discente e/ou docente.

21 4.3 - Produção técnica, patentes e outras produções consideradas relevantes. Organização de eventos: II, III, IV e V EVFITA Encontro de Verão de Física do ITA, 02/2007/2008/2009/2010 (http://evfita.ita.br/) 6º Workshop em Física Molecular e Espectroscopia, 11/2007(ITA), II Workshop on simulation and analysis of complex systems, 07/2008 (INPE) 10th International Workshop on Separation Phenomena in Liquids and Gases 08/2008, Conference on Computational Physics (CCP2008): Plasma Parallel Section, 07/2008, Light-Cone 2009: Relativistic Hadronic and Particle Physics, 07/09,

22 5.1 – Indicar dados tangíveis sobre inserção e impacto regional e (ou) nacional do Programa. 5.2 – Indicar dados tangíveis sobre a integração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissional relacionados à área de conhecimento do programa Indicar dados tangíveis sobre a visibilidade ou transparência dada pelo programa à sua atuação. INSERÇÃO SOCIAL

23 5.1 – Indicar dados tangíveis sobre inserção e impacto regional e (ou) nacional/internacional do Programa. Projetos Tecnológicos: Tratamento a plasma de resíduos com geração de energia, desinfecção a ozônio, turbinas a gás, desenvolvimento e tratamento de materiais de emprego aeroespacial, turbinas aeronáuticas (visita do presidente Lula ao protótipo), microfrabricação de sensores de pressão, etc... (17 projetos); Participação no INCT de Aeronáutica e Espaço (ITA/INPE/UFRN); Promove (FINEP): Reciclagem de Professores Fisica/Quimica/Matematica 2o. Grau (90 professores de 35 escolas públicas); "Física Vivencial : uma aventura do conhecimento(MEC/MCT): WEBLAB; Participação no comitê avaliador do prêmio Petrobrás de Tecnologia 2008 Coordenação da XIV Escola André Swieca de Física Nuclear Teórica (SBF), Itaipava, 2009; I-IV EVFITA Encontro de Verão de Física do ITA, ( ; 6º Workshop em Física Molecular e Espectroscopia, 11/2007(ITA) ( Light-Cone 2009: Relativistic Hadronic and Particle Physics, 07/09, International Light-Cone Advisory Committee (http://www.ilcacinc.org/members.html) Steering Committee of the International Workshop and Exhibition on Plasma Assisted Combustion; 10 th Inter. Workshop on Plasma-Based Ion Implantion & Deposition 7-11/09/2009 Projeto FINEP: Rede Nacional de Fusão (participação do ITA na coordenação); Estudantes de 9 estados brasileiros (15 do interior de SP e 20 de outros estados).

24 5.2 – Indicar dados tangíveis sobre a integração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissional relacionados à área de conhecimento do programa. Programas Institucionais: CAPES-Grice, CAPES-DAAD, projeto de Pesquisa Coordenada com a Agência Internacional de Energia Atômica. Colaboração efetiva com os programas de pós-graduação FEG/UNESP e INPE Cooperação com os Institutos de Estudos Avançados (IEAv) e Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) do CTA. Colaborações nacionais: USP,IFT,UFRJ,UFSC,UFF,UFRGS,FEG/UNESP Colaborações internacionais: Open University, Roma I, MSU, Washington University in St. Louis, Univ. de Coimbra, Univ. Paris - Orsay, Univ. de Lisboa, Univ. de Eindhoven, Merck Research Laboratories, USA, Institut für Festkörpertheorie und Theoretische Optik, Friedrich-Schiller- Universität, Jena, Alemanha, UC Berkeley, Univ. Texas...

25 5.3 - Indicar dados tangíveis sobre a visibilidade ou transparência dada pelo programa à sua atuação. Página do PGFIS/ITA: I a IV EVFITA Encontro de Verão de Física do ITA O objetivo do encontro é congregar estudantes em final de graduação em Física / Engenharia, estudantes de pós-graduação em Física de diversas instituições do país, com os estudantes e professores curso de Pós-graduação em Física do ITA. (4a. Edição, 120 participantes, 83 de graduação) 6º Workshop em Física Molecular e Espectroscopia, Novembro de 2007 (ITA). O objetivo foi reunir pesquisadores teóricos e experimentais em física atômica, molecular e química quântica que atuam em espectroscopia. LC2009 -Light-Cone 2009: Relativistic Hadronic and Particle Physics Julho 8-13, Reuniu representantes da comunidade científica nacional e internacional, em particular, das áreas de física de hádrons e de física nuclear relativística. Este evento, tradicional na área, teve início em 1991 e, pela primeira vez, realizou-se no Brasil e no ITA.

26 Apoio Financeiro ao Programa

27 Considerações Finais PG-FIS do ITA está consolidado e com o doutorado em forte crescimento; Tem um corpo docente experiente com 23 docentes sendo 15 bolsistas do CNPq (7 nivel 1); Projetos de pesquisa recebendo um forte apoio das agências de fomento (15 milhões de reais); Programas de Cooperação Internacional CAPES/GRICES, CAPES/DAAD, AIEA e 3 Temáticos/FAPESP; Tempo de formação de mestres e doutores bolsistas: muito bom; Um bom aumento na participação discente na produção científica do curso; Produção científica bem distribuída entre os docentes; Melhora grande da visibilidade do programa (organização de eventos no ITA).

28 Física Tecnológica em Programas de Pós-Graduação em Física Documento elaborado por uma Comissão de docentes do Programa de Pós-Graduação em Física do Instituto Tecnológico de Aeronáutica Física Tecnológica em Programas de Pós-Graduação em Física É consenso no meio acadêmico que a Física no Brasil, embora tenha tido uma enorme evolução no que se refere a inserção no meio acadêmico internacional, apresenta uma inserção pífia na sociedade e no meio produtivo nacional. No documento Física para um Brasil competitivo, que é fruto de um estudo realizado por uma Comissão formada pela Capes, com o objetivo de propor medidas que levassem a uma maior inclusão da física na vida do País[1], é recomendado explicitamente que se tomem medidas que estimulem a maior interação entre empresas e a comunidade acadêmica, como a criação de centros cooperativos de pesquisa e desenvolvimento.[2] No próprio documento da CAPES que baliza a avaliação dos Cursos de Pós Graduação em Física do País é enfatizado que Não obstante o bom estágio atual da Física e Astronomia no país, vários aspectos precisam ser melhorados, particularmente no tocante à formação de recursos humanos em áreas experimentais, ao impacto dos egressos pós-graduados em áreas tecnológicas e ao envolvimento da pós-graduação na formação de professores de física para o ensino fundamental e para o ensino profissional.[3] A nossa experiência é limitada à realidade que praticamos dentro do Programa de Pós-Graduação em Física do ITA, e portanto a qualificação dos critérios adicionais que iremos propor passa por um breve relato, do que acreditamos ser importante nas atividades dos nossos discentes e docentes no âmbito do Programa e que contribuem ou podem contribuir ao setor produtivo e de inovação. O Programa de Pós Graduação em Física do ITA forma mestres e doutores nas áreas de Física Atômica e Molecular, Física de Plasmas e Física Nuclear, voltados para o ensino, pesquisa e o desenvolvimento tecnológico. Dado o caráter diferencial da absorção dos egressos da pós- graduação em Física do ITA no mercado de trabalho, com atuação não só em pesquisa básica e ensino, mas também na indústria e em setores ligados à inovação tecnológica, se faz necessário traçar os contornos de uma "física tecnológica" considerando sua importância para o Brasil e a atuação de parte do nosso corpo docente. É sem dúvida, uma característica singular do nosso programa de pós-graduação em física, estar inserida em um pólo tecnológico (CTA), onde não só ocorre o desenvolvimento de pesquisa básica, como também, de pesquisa científica e tecnológica ligada a setores aeroespaciais e a empresas. Desta forma, torna-se natural a atuação de parte dos nossos alunos e professores em projetos de pesquisa de interesse tecnológico e com apoio de algumas empresas e industrias assim, concretizando um perfil de "física tecnológica", onde os alunos aliam uma formação sólida em física, dentro do que esperamos de um bom programa de pós-graduação a uma formação com cunho tecnológico. Isto é decorrente da experiência que os alunos adquirem em atividades cientificas voltadas a elaboração de teses no ambiente dos laboratórios que compõem o Programa de Pós-Graduação em Física do ITA, os quais mantêm uma saudável interação com o setor produtivo. Acreditamos que esta sinergia entre formação solída em física, laboratórios bem equipados e contacto com empresas e industrias, é o melhor meio de capacitar os alunos para inovar tecnologias que façam uso extensivamente de conceitos oriundos de Física dos Plasmas, de Novos Materiais, Atòmica e Molecular, Nuclear entre outras áreas, e em particular da física quântica presente em nanotecnologia, spintrônica, lasers e etc. [1] Física para um Brasil Competitivo, Introdução [2] Idem, pg. 49. [3] CAPES Diretoria de Avaliação, Documento de Área 2009, Área de Avaliação: Astronomia/Física, p.3 (2009).

29 O Programa de Pós Graduação em Física do ITA tem uma característica que o distingue da média dos Programas do País: uma forte componente tecnológica, uma ligação estreita com o setor produtivo e uma sólida formação em física. Enfatizamos novamente que a busca por novas tecnologias, só pode ocorrer desde que a capacitação dos alunos esteja amparada nestes três fundamentos, e portanto necessariamente deve estar inserida em um programa de pós-graduação em fisica. Esta característica está em consonância com as recomendações dos documentos acima citados, e é uma realidade dentro das atividades do programa de pós-graduação em Física do ITA Nos critérios de avaliação para os Programas de Pós-Graduação em Física não existem indicadores que permitam uma avaliação do programa que levem em conta a contribuição dos projetos tecnológicos apoiados financeiramente pelas empresas, com a participação de alunos do programa de pós- graduação. Estes indicadores devem reconhecer o esforço e a contribuição dos docentes e discentes em atividades e projetos de física com cunho tecnológico. Este esforço não é apenas uma atribuição de uma pós-graduação em engenharia, cabendo à física a sua parte, principalmente no tocante à inovação e à busca de novas tecnologias. São sugeridos aqui indicadores que eventualmente poderiam passar a fazer parte da avaliação da CAPES dos Programas de Pós-Graduação em Física. Para estabelecer critérios de avaliação que fomentem no âmbito de um curso de Pós-Graduação em Física a inserção de atividades em "Física Tecnológica", sugerimos os seguintes indicadores: (número de alunos egressos dos programa contratados por empresas)/(número de alunos formados); (número de alunos do programa envolvidos em projetos financiados por empresas ou por órgãos não oficiais de fomento à tecnologia)/(número de discentes); (número de bolsas provenientes de projetos financiados por empresas ou por órgãos não oficiais de fomento à tecnologia)/(número total de bolsistas); computar publicações de áreas correlatas à física que caracterizem uma "física tecnológica" usando critérios de qualificação das revistas dessas áreas; computar todos os Bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPq, mesmo que não perteçam a área.de Física e Astronomia; computar todos os Bolsistas Desenvolvimento Tecnológico do CNPq, docentes no Programa da Física. Considerações finais. A cooperação existente dentro do programa de pós-graduação em física do ITA, entre empresas e a comunidade acadêmica, docentes e discentes com sólida formação em física, é sem dúvida desejável no cenário nacional das pós-graduações em física. Diversos dos doutores formados no nosso curso já estão ingressando em empresas e trabalhando com inovação tecnológica. Com isso, sem dúvida alguma, o programa de pós-graduação em física do ITA é um exemplo de um curso que está contribuindo para o desenvolvimento de empresas de base tecnológica, ajudando assim, na política de P&D do nosso país. Neste contexto, consideramos que a entrada no mercado de trabalho dos egressos, não somente no meio acadêmico e também nas empresas, é algo muito importante e não um demérito. Numa recente entrevista do Presidente do CNPq, o físico Prof. Carlos Alberto Aragão, ao jornal Folha de São Paulo (31/01/2010) sobre reforçar elos do CNPq com empresas, disse que "é ultrapassado pensar que universidades e empresas não combinam" e também que "está havendo uma mudança cultural. Leva um certo tempo, mas a idéia que existia na universidade de que o pesquisador que trabalhava com uma empresa fazendo algo condenável, desvirtuando a sua missão, é cada dia mais ultrapassada". No nosso programa já praticamos essa cultura, envolvendo tanto o professor como o aluno. Os exemplos práticos que apresentamos, e esta forte preocupação dos nossos dirigentes dos orgãos de fomento à ciência e tecnologia do País, nos fazem acreditar que estamos no rumo certo. São José dos Campos, 12 de Março de Tobias Frederico (Coordenador do PGFIS-ITA), Marisa Roberto (Coordenadora do PGFIS-Plasmas), Manuel Malheiro (ITA), Lara Kuhl Teles (ITA), Nicolau Rodrigues (IEAv), Homero Santiago Maciel (ITA), Choyu Otani (ITA).


Carregar ppt "Programa de Pós-Graduação em Física Mestrado/Doutorado Instituto Tecnológico de Aeronáutica 33011010 Coordenador:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google