A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIX: Comandos Básicos INE5602 Introdução à Informática Prof. Roberto Willrich.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIX: Comandos Básicos INE5602 Introdução à Informática Prof. Roberto Willrich."— Transcrição da apresentação:

1 UNIX: Comandos Básicos INE5602 Introdução à Informática Prof. Roberto Willrich

2 2 Terminologia e Conceitos n Login name/Login ID –Cada usuário do UNIX tem um nome (user name) previamente cadastrado para permitir o seu acesso ao sistemapreviamente cadastrado para permitir o seu acesso ao sistema –Atributos mantidos pelo UNIX para cada usuário Nome de loginNome de login Identificação do usuário (UID)Identificação do usuário (UID) Senha secretaSenha secreta Grupos ao qual ele pertenceGrupos ao qual ele pertence Comentário livre sobre o usuário (nome completo, função, setor,...)Comentário livre sobre o usuário (nome completo, função, setor,...) Diretório Home: um lugar no sistema de arquivos que será de propriedade do usuárioDiretório Home: um lugar no sistema de arquivos que será de propriedade do usuário Seu interpretador de comandos (tcsh)Seu interpretador de comandos (tcsh)

3 3 Terminologia e Conceitos n Superusuário –é aquele usuário com permissões irrestritas administrador do sistemaadministrador do sistema –suas funções (contacte pela tem por funções o cadastramento de outros usuários, instalação dos softwares para que todos usem, configuração do sistema, avaliação e gerência da desempenho e segurança e responsável pela execução dos backupstem por funções o cadastramento de outros usuários, instalação dos softwares para que todos usem, configuração do sistema, avaliação e gerência da desempenho e segurança e responsável pela execução dos backups –nome de login do administrador é root palavra root significa raiz, em alusão ao diretório mais importante do sistema de arquivospalavra root significa raiz, em alusão ao diretório mais importante do sistema de arquivos

4 4 Terminologia e Conceitos n Sessão de Trabalho –Para ter acesso ao sistema usuário precisa fazer parte de pelo menos um grupo, ter um nome de usuário (login) e uma senhausuário precisa fazer parte de pelo menos um grupo, ter um nome de usuário (login) e uma senha –Use SSH – Securite Shell fornece serviços segurosfornece serviços seguros –Ao ligar o terminal aparece o prompt de login login:aparece o prompt de login login: usuário entra com seu nome e sua senha e abre uma sessão de trabalhousuário entra com seu nome e sua senha e abre uma sessão de trabalho use logout (ou exit) para encerrar a sessão de trabalhouse logout (ou exit) para encerrar a sessão de trabalho –pois ninguém poderá usar aquele terminal e danificar seus arquivos

5 5 Terminologia e Conceitos n Prompt do shell – Ao abrir uma sessão de trabalho um prompt é apresentado ao usuário indicando que o shell (interpretador de comandos) está pronto para executar o próximo comando.um prompt é apresentado ao usuário indicando que o shell (interpretador de comandos) está pronto para executar o próximo comando. –Prompt é representado pelo símbolo $, para o usuário comum e # para o superusuário –Cada usuário pode alterar seu prompt para um de sua preferência coloca-se o diretório corrente para indicar onde ele se encontracoloca-se o diretório corrente para indicar onde ele se encontra –set prompt="%S%m%s[%c] –set prompt="`hostname`:`pwd` \! % –set prompt="`hostname`:`pwd` \! % –set prompt="`hostname`:`whoami` \! % "

6 6 Prompt n Prompt do shell –%B %b colocar em negrito –%C nome do diretório corrente –%d dia da semana –%D dia do mes –%h número do history –%M nome da máquina (igual `hostname`) –%n login do usuário (igual $USER) –%p hora com segundos (am/pm) –%P hora com segundos (24h) –%S %s inversão das cores –%t hora sem segundos (am/pm) –%T hora sem segundos (24h) –%U %u sublinhas –%w mês (3 letras) –%W mês (número) –%y ano (2 últimos números) –%Y année (4 números) –%# símbolo '>' –\! numéro history –%/ path –% simbolo '%' –%~ path a partir de ~user –%. Diretório corrente

7 7 Prompt Exercício: definir o prompt abaixo:

8 8 Comandos n Manual on-line –comando man dá acesso ao manual de referência on-line oferecido pelo sistema poderemos ter um help mostrando descrições técnicas a respeito dos comandospoderemos ter um help mostrando descrições técnicas a respeito dos comandos –Para chamar o man, basta digitar: $ man comando$ man comando Exemplos: $ man lsExemplos: $ man ls $ man man $ man man

9 9 Comandos n Alterando sua password –Administrador pode definir algum tempo limite para uso da senha do usuário depois desse tempo, a senha expira e ele é obrigado a trocá-ladepois desse tempo, a senha expira e ele é obrigado a trocá-la –Senha representa um fator enorme na busca pela segurança é a assinatura eletrônica de cada usuárioé a assinatura eletrônica de cada usuário não use palavras obviasnão use palavras obvias –utilize símbolos, números, maiúsculas e minúsculas –use passwd para alterar sua senha

10 10 Comandos n clear –limpa a tela n who –Informa quais usuários estão ativos no sistema n whoami –Informa qual o seu login name n w –Lista usuários e o que eles estão fazendo n finger –Lista de usuários logados n rusers –Lista todos os usuários do sistema n finger –apresentações de usuários locais ou remotos

11 11 Comandos n Exercício: Procurando alguém no INE –Encontrar o nome completo e de Pedro Chaves. –Quais pessoas estão usando a máquina juno?

12 12 Terminologia e Conceitos n Diretório HOME –Quando o sistema aceita o login usuário é colocado em um lugar pré-definido dentro do sistema de arquivos - o diretório HOMEusuário é colocado em um lugar pré-definido dentro do sistema de arquivos - o diretório HOME –/home/sin/seunome isto evita que vários usuários usem um mesmo diretório e deixa-o livre para fazer o que quiser dentro do seu espaço isto evita que vários usuários usem um mesmo diretório e deixa-o livre para fazer o que quiser dentro do seu espaço

13 13 Comandos n ls –lista arquivos do diretório –Algumas opções do ls são muito importantes: -l: apresenta o tipo do arquivo, suas permissões, proprietário, tamanho, data da última modificação e nome do arquivo (entre outros)-l: apresenta o tipo do arquivo, suas permissões, proprietário, tamanho, data da última modificação e nome do arquivo (entre outros) -a: mostra todos os arquivos do diretório, inclusive aqueles cujo nome começa com. (arquivos ocultos) -a: mostra todos os arquivos do diretório, inclusive aqueles cujo nome começa com. (arquivos ocultos) -R: lista, recursivamente, todos os subdiretórios abaixo do diretório solicitado-R: lista, recursivamente, todos os subdiretórios abaixo do diretório solicitado

14 14 Comandos n Comando para diretório –pwd Informa o diretório correnteInforma o diretório corrente exemplo: $ pwdexemplo: $ pwd –cd Muda o diretório correnteMuda o diretório corrente exemplo: $ cd /tmpexemplo: $ cd /tmp $ cd.. $ cd.. –mkdir Cria os diretórios informadosCria os diretórios informados exemplo: $ mkdir doc fontesexemplo: $ mkdir doc fontes –rmdir Remove diretórios informadosRemove diretórios informados exemplo: $ rmdir lixo doc/oldexemplo: $ rmdir lixo doc/old –mvdir Muda o lugar de um diretório (move)Muda o lugar de um diretório (move) exemplo: $ mvdir proj/cdf/doc proj/sgt/docexemplo: $ mvdir proj/cdf/doc proj/sgt/doc

15 15 Comandos n Exercícios –Crie o diretório ~/tmp/ e ~/aula/ –Crie o diretório ~/tmp/lixo/ –Troque o nome de ~/tmp/lixo/ por ~/tmp/teste/ –Mude o diretório ~/tmp/teste para ~/aula/teste

16 16 Comandos n Comandos de manipulação de arquivos –Copia arquivos: cp arq1 arq2 –Apaga arquivos: rm arq1 –Edita arquivos: vi arq ou pico arg –Cria um arquivo: cat >arquivo –Concatena dois arquivos: cat arq1 arq2 > arq3 –Acha texto em arquivos: grep exemplo grep –i –n palavra arquivoexemplo grep –i –n palavra arquivo –Mostra conteúdo de arquivo: cat arq1 –Mostra uma tela por vez: more arq1 –Muda nome de arquivos: mv arq1 arq2

17 17 Alguns arquivos especiais n.project –Permite especificar um projeto na qual trabalhamos n.plan –Permite escrever uma texto no finger n.signature –Assinatura de

18 18 Exercícios n Crie um arquivo ~/aula/arq1 com o texto este eh o conteudo de arq1 n Crie um arquivo ~/aula/arq2 com o texto este eh o conteudo de arq2 n Concatene o conteúdo de arq1 com arq2 e coloque em arq3 n Verifique se há a palavra Government no arquivo /usr/java/Licence n Edite um arquivo chamado.project colocando uma mensagem para as pessoas que fizerem finger sobre você

19 19 Comandos n Proteção de Arquivos e Diretórios –Direitos de um arquivos podem ser vistos com: –Direitos de um arquivos podem ser vistos com: $ ls -l$ ls -l -rw-rw-r-- 1 root 48 Jun 17 08:34 arp_data-rw-rw-r-- 1 root 48 Jun 17 08:34 arp_data drwxrwx--x 4 autor 80 Mar 28 09:40 autordrwxrwx--x 4 autor 80 Mar 28 09:40 autor –Primeiro caractere indica o tipo do arquivo: comum (-)comum (-) –Armazena textos, executáveis, programas, etc –Criados livremente pelo usuário diretório (d)diretório (d) link (l)link (l) especial (c, b)especial (c, b) –Associado a impressora, disco flexível, etc –Criados e mantidos pelo sistema

20 20 Comandos n Proteção de Arquivos e Diretórios –Direitos de um arquivos podem ser vistos com: –Direitos de um arquivos podem ser vistos com: $ ls -l$ ls -l -rw-rw-r-- 1 root 48 Jun 17 08:34 arp_data-rw-rw-r-- 1 root 48 Jun 17 08:34 arp_data drwxrwx--x 4 autor 80 Mar 28 09:40 autordrwxrwx--x 4 autor 80 Mar 28 09:40 autor –Nove caracteres seguintes indicam as permissões para os arquivos -rwx rwx rwx-rwx rwx rwx dono grupo outros dono grupo outros r - read (leitura); w - write (gravação); x - execute (execução) e um traço (-) significa a sua negaçãor - read (leitura); w - write (gravação); x - execute (execução) e um traço (-) significa a sua negação

21 21 Comandos n Alterando o dono e o grupo do arquivo –é realizada pelo dono atual ou pelo superusuário –mudança de dono chown (change owner)chown (change owner) Sintaxe: chown novopropriet arq1 arq2... arqnSintaxe: chown novopropriet arq1 arq2... arqn Exemplo: $ chown root relatorio Exemplo: $ chown root relatorio –Para alterar o grupo ao qual pertence um arquivo chgrp (change group)chgrp (change group) Sintaxe: chgrp novogrupo arq1 arq2... arqnSintaxe: chgrp novogrupo arq1 arq2... arqn Exemplo: $ chgrp projeto relatorioExemplo: $ chgrp projeto relatorio

22 22 Comandos n Alterando as permissões –mudança das permissões de acesso a um arquivo é feita através do comando chmod –Modo intuitivo de utilizá-lo é: chmod u/g/o/a +/-/ r/w/x arqchmod u/g/o/a +/-/ r/w/x arq –onde: »u: proprietário; g: grupo; o: outros; a: todos »+: libera; -: bloqueia; »r: leitura; w: escrita; x: execução –Exemplos: $ chmod ug+w relatorio$ chmod ug+w relatorio $ chmod o-rw+x arq1$ chmod o-rw+x arq1

23 23 Exercícios n Crie um arquivo ~/aula/lixo –Dê permissão de escrita para o seu grupo e para outros –Apague ou altere o arquivo de seu colega n Crie um arquivo ~/public_html/index.html –Conteúdo Página de..(seu nome).... Página de..(seu nome).... Página em Construção n Execute o browser e visite sua página –Em –Em

24 24 Comandos n Manipulação de Processos –Processos são numerados dinamicamente, possuindo um número único de identificação chamado process id (PID) –Comandos ps: verifica os processos em execuçãops: verifica os processos em execução –opções: »-a : lista todos os processos »-u : identifica o usuário »-x : usa um formato detalhado –exemplo: ps -aux | grep seunome kill: interrompe a execução de um processokill: interrompe a execução de um processo –kill IDdoProcesso

25 25 Funções de apoio aos utilitários n Redirecionamento de Entrada e Saída –Entrada e saída do terminal: entrada padrão (stdin), saída padrão (stdout) e saída padrão para erro (stderr) –shell permite o desvio destas E/S para arquivos comuns ou até dispositivos Desvio da Entrada Padrão ou >> (append)Saída Padrão > ou >> (append) –exemplo: cat >arquivo finger nome > lixo finger nome > lixo who > arqusuarios who > arqusuarios cat >lixo cat >lixo ls >/dev/diskette ls >/dev/diskette Saída Padrão de Erro 2> ou 2>> (append)Saída Padrão de Erro 2> ou 2>> (append) –exemplo: rm arquivo 2>arqerro

26 26 Funções de apoio aos utilitários n Encadeamento de Comandos – Pipelines –permite conectar a saída de um comando com a entrada de outro –sinal utilizado para um pipe é a barra vertical | –exemplos: finger silva | morefinger silva | more –mesmo que finger silva > lixo ; more lixo ; rm lixo ls | grep puls | grep pu –mesmo que: ls > lixo ; grep pu lixo ; rm lixo finger silva | grep –i fernandafinger silva | grep –i fernanda

27 27 Comunicação n n talk – –Permite a comunicação interativa entre duas pessoas. Para estabelecer a conexão é necessário conhecer o host onde a outra pessoa se encontra. – –Exemplo: talk n n write – –Escreve uma mensagem no terminal de um usuário. – –Exemplo: write sincero Bla ^C n n mesg – –Habilita ou desabilita a recepção de mensagens mesg n mesg y

28 28 n n Pine –Aplicativo mais utilizado para ler s no Unix –Ver aula prática n Outros leitores –Ver modo de configuração em


Carregar ppt "UNIX: Comandos Básicos INE5602 Introdução à Informática Prof. Roberto Willrich."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google