A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ISO/IEC 17799 Norma de Segurança da Informação Fernando Benedet Ghisi Vitor Luiz Barboza Wesley Tiago Zapellini.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ISO/IEC 17799 Norma de Segurança da Informação Fernando Benedet Ghisi Vitor Luiz Barboza Wesley Tiago Zapellini."— Transcrição da apresentação:

1 ISO/IEC Norma de Segurança da Informação Fernando Benedet Ghisi Vitor Luiz Barboza Wesley Tiago Zapellini

2 Segurança da Informação

3 Segundo a norma ISO/IEC 17799, é a proteção contra um grande número de ameaças às informações, de forma a assegurar a continuidade do negócio, minimizando danos comerciais e maximizando o retorno de possibilidades e investimentos. o conceito não está restrito somente a sistemas computacionais, informações eletrônicas ou sistemas de armazenamento. Se aplica a todos os aspectos de proteção de informações.

4 Exemplo A Bolsa de Tóquio, 8 de Janeiro de 2006: Queda acentuada da bolsa; Alto volume de transações; Sistema próximo a atingir sua capacidade máxima (estrutura tecnológica); Fechamento das operações 20 minutos mais cedo. Inúmeros prejuízos.

5 A tríade CIA Confidencialidade: a garantia de que a informação só pode ser acessada e manipulada por pessoas autorizadas, ou seja, ela é restrita a um conjunto de entidades, que podem ser seres humanos ou podem ser um sistema eletrônico. Integridade: implica que toda vez que uma informação é manipulada ela está consistente, ou seja, que não foi alterada ou adulterada por um acesso legal ou ilegal.

6 A tríade CIA Disponibilidade das Informações Críticas: garantia de que uma informação sempre poderá ser acessada, pelas pessoas e processos autorizados, independentemente do momento em que ela é requisitada e do local no qual está armazenada. * as ameaças à segurança da informação são relacionadas diretamente à perda de uma de suas três características principais.

7 NORMA ISO/IEC Compilação de recomendações para melhores práticas de segurança, que podem ser aplicadas por empresas de qualquer porte ou setor. Padrão flexível, nunca guiando seus usuários a seguirem uma solução de segurança específica em detrimento de outra. Neutra com relação à tecnologia. O grande objetivo da norma é o de garantir a continuidade dos negócios por meio da implantação de controles, reduzindo muito as possibilidades de perda das informações.

8 Histórico Em 1987 o departamento de comércio e indústria do Reino Unido (DTI) criou um centro de segurança de informações, o CCSC (Commercial Computer Security Centre). Tarefa de criar uma norma de segurança das informações para o Reino Unido. Desde 1989 vários documentos preliminares foram publicados por esse centro, até que, em 1995, surgiu a BS7799 (British Standart 7799). Esse documento foi disponibilizado em duas partes para consulta pública, a 1ª em 1995 e a 2ª em 1998.

9 Histórico Em 1 de dezembro de 2000, após incorporar diversas sugestões e alterações, a BS7799 ganhou status internacional com sua publicação na forma da ISO/IEC 17799:2000. Em setembro de 2001, a ABNT homologou a versão brasileira da norma, denominada NBR ISO/IEC Em 24 de abril de 2003 foi realizado um encontro em Quebec, no qual uma nova versão da norma revisada foi preparada. Essa nova versão da ISO/IEC foi lançada 2005.

10 NBR ISO/ IEC 17799:2005 Tecnologia de Informação – Técnicas de Segurança – Código de prática para a gestão da segurança da informação (http://www.abntnet.com.br/fidetail.aspx?Font eID=6955).http://www.abntnet.com.br/fidetail.aspx?Font eID=6955 Possui onze seções de controle (macro- controles). Cada um destes controles é subdividido em vários outros controles (a norma possui um total de 137 controles de segurança).

11 1. Política de Segurança da Informação Documento que define parâmetros para gestão da Segurança da Informação; Padrões a serem seguidos e ações a serem tomadas; Descreve processos relativos à segurança; Descreve responsabilidades sobre os processos; Deve ser apoiado pela gerência; Deve ser abordado em treinamentos;

12 2. Segurança da Organização Infra-estrutura de Segurança da Informação: Define a infra-estrutura para gerência da segurança da informação; As responsabilidades e as regras devem estar claramente definidas; Um gestor para cada ativo do ambiente; Inclusão de novos recursos feita sob autorização de um responsável; Consultor interno ou externo disponível para atuar em suspeitas de incidentes de segurança.

13 2. Segurança da Organização Segurança de acesso a terceiros: Controle de acesso à locais críticos; Tipo do controle definindo conforme riscos e valor da informação; Presença de terceiros mediante autorização e acompanhamento; Serviços terceirizados regulamentados por contrato;

14 2. Segurança da Organização Terceirização: Acordo contratual, flexível para suportar alterações nos procedimentos;

15 3. Controle e Classificação de Ativos Contabilização dos ativos: Mapeia todos os ativos da informação e atribui responsáveis; Associa ativos com níveis de segurança; Classificação da Informação: Define a importância de um ativo; Definição pode variar com o tempo;

16 4. Segurança em Pessoas Segurança na definição e nos recursos de trabalho: Diminuição dos riscos provenientes da atividade humana, como roubo de informações; Contratos devem abordar questões de sigilo e segurança; Treinamento dos usuários: Capacitar para o bom funcionamento das políticas de segurança;

17 4. Segurança em Pessoas Respondendo aos incidentes de segurança e mau-funcionamento: Diminuição de danos causados por falhas; Sistema de comunicação de incidentes; Aprendizado armazenado em bases de conhecimento;

18 5. Segurança Física e do Ambiente Áreas de segurança: Controle de acesso à áreas restritas; Nível de proteção proporcional aos riscos e importância; Podem ser utilizados mecanismos de autenticação e vigilância (câmeras); Equipamentos de segurança: Proteção física dos equipamentos contra ameaças do ambiente (rede elétrica, contato com substâncias); Proteção do cabeamento de rede; Controles gerais: Diminuem o vazamento de informações; Política Tela limpa, mesa limpa. O acesso é negado às informações sendo trabalhadas no momento;

19 Governança da Segurança da Informação As decisões a respeito da segurança da informação não são discutidas a nível estratégico; A falta de investimento em segurança pode trazer problemas ao planejamento estratégico da organização; (BALBO 2007) propõe a criação de um modelo baseado em ISO/IEC 17799, ITIL e COBIT;

20 6. Gestão das comunicações e das operações Visa disponilizar mecanismos para o controle da troca de informações dentro e fora da organização. 1. Planejamento e Aceitação dos Sistemas 2. Proteção contra softwares maliciosos 3. Gerência de Rede 4. Segurança e Manuseio de Mídias 5. Housekeeping 6. Troca de Informações e Softwares 7. Procedimentos e Responsabilidades Operacionais

21 7. Controle de acesso Este controle visa evitar problemas de seguranças decorrentes do acesso lógico indevido a informação não privilegiada por parte de certos usuários. 1. Requisitos do negócio para controle de acesso 2. Gerência de acesso dos usuários 3. Responsabilidade dos usuários 4. Controle de Acesso ao Sistema Operacional 5. Controle de Acesso às aplicações 6. Computação móvel e trabalho remoto 7. Notificação do uso e acesso ao sistema 8. Controle de Acesso à rede

22 8. Manutenção e desenvolvimento de Sistemas Fornece critérios para o desenvolvimento de sistemas confiáveis. A segurança deve ser abordada desde a fase de modelagem do sistema, inserindo-se os controles de segurança na fase de iniciação de projetos. Objetiva evitar que aplicações comprometam a integridade e confidencialidade dos dados, através da validação da entrada e saída de dados e de verificações periódicas sobre os dados. Deve-se garantir a integridade de arquivos associados a aplicações, controlando-se o acesso aos dados armazenados, deve-se também fornecer um sistema de controle de alterações e atualizações de arquivos.

23 9. Gestão da continuidade dos negócios A gestão da continuidade dos negócios tem por objetivo evitar interrupções nas atividades do negócio e proteger processos críticos do negócio contra os efeitos de grandes falhas ou desastres.

24 10. Conformidade Trata aspectos legais ligados a segurança. Objetiva evitar infração de qualquer lei civil e criminal, estatutária, regulamentadora ou de obrigações contratuais e de quaisquer requisitos de segurança. Visa a garantia de que a política e as normas de segurança são seguidas Garantir que processos de auditoria existam e sejam planejados e testados.

25 Checklist ISO Elaborado pelo instituto americano SANS (System Administration, Networking and Security Institute) – mais de 156 mil profissionais de segurança, auditores, administradores de sistemas e redes. Direcionado aos profissionais de TI e Segurança da Informação que necessitam auditar o nível de segurança de suas empresas. pdf pdf Versão não-oficial em PT: klist.pt-BR.pdf klist.pt-BR.pdf

26 Considerações Finais A segurança da informação está relacionada com o faturamento de uma empresa, sua imagem e sua reputação. As conseqüências de incidentes de segurança podem ser desastrosas, mas podem ser evitadas. A ISO17799 cobre os mais diversos tópicos da área de segurança, possuindo um grande número de controles e requerimentos que devem ser atendidos para garantir a segurança das informações de uma empresa.

27 Considerações Finais A norma é intencionalmente flexível e genérica. O processo de implantação da Norma de Segurança a um determinado ambiente não é simples e envolve muitos passos. a ISO17799 pode ser considerada a norma mais importante para a gestão da segurança da informação que já foi elaborada – ela estabelece uma linguagem internacional comum para todas as organizações do mundo. Deverá se tornar uma ferramenta essencial para empresas de qualquer tipo ou tamanho.

28 Referências Bibliográficas ABNT NET. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Disponível em: ABNT NBR ISO/IEC Segunda Edição. Disponível em: Informacao-Tecnicas-de-Seguranca-Codigo-de-Pratica-para-a-Gestao-da- Seguranca-da-Informacao. Informacao-Tecnicas-de-Seguranca-Codigo-de-Pratica-para-a-Gestao-da- Seguranca-da-Informacao IDG Now!. Bolsa de Tóquio fecha mais cedo por pane em TI. Disponível em: / / InformaBR. Segurança: 27 questões freqüentemente formuladas sobre as normas BS e ISO Disponível em: ISO World. Disponível em: Módulo. 10ª Pesquisa Nacional de Segurança da Informação OLIVEIRA BALDO, Luciano de. Uma Abordagem Correlacional dos Modelos CobiT/ ITIL e da Norma ISO para o tema Segurança da Informação. São Paulo 2007.

29 Referências Bibliográficas GONÇALVES, L. R. O. O surgimento da Norma Nacional de Segurança de Informação [NBR ISO/IEC-1779:2001] Disponível em: GORISSEN, MAXIMILIAN. Política de Segurança da Informação: A norma ISO ISO 17799: Information and Resource Portal. Disponível em: JUNIOR, A. F. NOVA NORMA GARANTE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Disponível em: The A-Z Guide for ISO and ISO 17799/ ISO Disponível em: VETTER, Fausto; REINERDT, Jonatas Davson. ISO/IEC 17799: Norma de Segurança da Informação. Florianópolis WIKIPÉDIA. Segurança da Informação. Disponível em:


Carregar ppt "ISO/IEC 17799 Norma de Segurança da Informação Fernando Benedet Ghisi Vitor Luiz Barboza Wesley Tiago Zapellini."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google