A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução ao Heliocentrismo e Geocentrismo - Parte I Por Luiz Henrique.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução ao Heliocentrismo e Geocentrismo - Parte I Por Luiz Henrique."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Introdução ao Heliocentrismo e Geocentrismo - Parte I Por Luiz Henrique

4 Astronomia Matemática Preocupa-se apenas em descrever os fenômenos astronômicos, utilizando para isso métodos matemáticos - não há preocupações com motivos (causas)

5 Definições formais Sistema Heliocêntrico: sistema de coordenadas que tem como origem o centro do Sol (helio = Sol) Sistema Geocêntrico: sistema de coordenadas que tem como origem o centro da Terra (geo = Terra)

6 Interpretações Sistema Heliocêntrico: procura representar o que veríamos do Sol Sistema Geocêntrico: procura representar o que vemos da Terra No primeiro caso, poderíamos também estar parados em relação ao Sol; analogamente para o segundo

7 Exemplo Heliocêntrico Imagem extremamente simplificada e adaptada!

8 Exemplo Geocêntrico Luna - Lua, Venere - Vênus, Sole - Sol, Giove - Júpiter

9 Movimento retrógrado ("para trás") Faixa da eclíptica: região do céu onde encontramos o Sol, a Lua, os planetas e as constelações do zodíaco

10 As laçadas no céu... Sobreposição das laçadas de vários planetas. Curvas descritas ao longo de vários meses

11 Sistema de Ptolomeu (simplificado) Earth - Terra, Moon - Lua, Mercury - Mercúrio, Sun - Sol, Mars - Marte Cláudio Ptolomeu foi o último dos grandes sábios gregos e procurou sintetizar o trabalho de seus predecessores, desenvolvendo-o também; seu sistema foi dominante por 14 séc., em considerável parte do mundo.

12 Alguns conceitos Note que o centro do deferente coincide com o centro da Terra

13 Mais conceitos... Agora, deslocamos o centro do deferente para fora do centro da Terra

14 Sistema de Tycho Brahe Tycho Brahe foi um astrônomo dinamarquês famoso pela qualidade de suas observações astronômicas

15 Reinterpretando dados Os dados observacionais, colhidos pela humanidade ao longo de séculos, foram obtidos independentemente do sistema adotado ser geocêntrico ou heliocêntrico.

16 Sistema de Copérnico (simplificado!) Nicolau Copérnico, astrônomo polonês, foi responsável pela construção do sistema heliocêntrico que deu início à Astronomia moderna

17 O Sistema heliocêntrico de Copérnico continha círculos e epiciclos "...portanto, bastam trinta e quatro círculos para explicar toda a estrutura do universo e o bailado dos planetas." Copérnico, no encerramento do Commentariolus

18 Movimento retrógrado no sistema de Copérnico Note que não é através de epiciclos que descrevemos os movimentos retrógrados (movimentos "para trás")

19 Outras vantagens do Sistema de Copérnico sobre o Sistema de Ptolomeu:

20 Relembrando Sistema de Ptolomeu Sistema de Copérnico Acrescentando: Copérnico não usava equantes

21 a) Aparente simplicidade geométrica – epiciclos menores Com Copérnico, os epiciclos são essencialmente correções que procuram transformar uma curva perfeitamente circular num "círculo chato" - que discutiremos depois.

22 b) Velocidade Angular No Sistema de Ptolomeu: constante em relação ao equante No Sistema de Copérnico: constante em relação ao centro do deferente = movimento circular uniforme (MCU)

23 c) Semelhança de tratamento entre os planetas:

24 Sistema Heliocêntrico "atual" - planetas interiores e exteriores Imagem extremamente simplificada e adaptada!

25 Sistema de Ptolomeu simplificado

26 d) Ordenação mais consistente dos planetas A reinterpretação de dados observacionais feita por Copérnico permitiu ordenar os planetas com relação ao Sol

27 e) Novas idéias... A Terra é um planeta do sistema solar; O universo é constituído de inumeráveis mundos substancialmente similares ao do sistema solar - o Sol é apenas uma entre todas as estrelas; Leis de Kepler; etc.

28 "Último" conceito... Desenhando uma Elipse O que é uma elipse? É, mais ou menos, um "círculo achatado"...

29 1. Nem círculo, nem epiciclo... Contudo, a órbita dos planetas do sistema solar é, aproximadamente, circular

30 2. Nem centro, nem equante... Na figura, o Sol ocupa um dos focos. O outro não é mostrado

31 Em toda parte ocorrem mudanças relativas incessantes de posição por todo o universo, e o observador está sempre no centro das coisas Giordano Bruno Giordano Bruno: filósofo que rejeitou a teoria geocêntrica tradicional e ultrapassou a teoria heliocêntrica de Copérnico que mantinha o universo fechado

32 Bibliografia COPÉRNICO, Nicolau. Commentariolus, pequeno comentário de Nicolau Copérnico sobre suas próprias hipóteses acerca dos movimentos celestes. Introdução, tradução e notas de Roberto de A. Martins. Ed. Livraria da Física, segunda edição. - Há um (1) exemplar na Biblioteca da Física. NUSSENZVEIG, H. Moysés. Curso de Física Básica. Ed. Edgard Blucher, vol Há vários destes exemplares na Biblioteca da Física.

33 Geocentrismo e Heliocentrismo - Parte I Por Luiz Henrique Vale Silva Monitor do CDA e aluno do curso de bacharelado em Física do IFSC - USP São Carlos, agosto de 2007

34 Movimento diário aparente Foto de longa exposição: trajetória aparente das estrelas

35 "Quais são os movimentos de rotação, uniformes e perfeitamente regulares, que devem ser tomados como hipóteses para que possam ser salvas as aparências apresentadas pelos astros errantes?" Platão Platão, filósofo grego, é um dos pensadores que mais influenciou a cultura ocidental


Carregar ppt "Introdução ao Heliocentrismo e Geocentrismo - Parte I Por Luiz Henrique."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google