A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Observatório do CDCC - USP/SC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Observatório do CDCC - USP/SC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural."— Transcrição da apresentação:

1

2 Observatório do CDCC - USP/SC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC Universidade de São Paulo - USP Endereço: Av. Trabalhador São-Carlense, n.400 São Carlos-SP Tel: 0-xx (Observatório) Tel: 0-xx (CDCC) Localização: Latitude: 22° 00' 39,5"S Longitude: 47° 53' 47,5"W Imagem: O Inicio do Observatório

3

4 Sessão Astronomia As Sessões Astronomia são palestras proferidas pela equipe do Setor de Astronomia todos os sábados às 21h00. Iniciadas em 1992, foram criadas com o objetivo de falar sobre Astronomia ao nosso público em uma linguagem simples e acessível a todas as faixas etárias. Estas palestras se tornaram uma opção de diversão e informação para a comunidade local e também para visitantes de nossa cidade. Os temas abordados são os mais variados possíveis. O material multimídia contido aqui consiste numa opção audiovisual complementar que o professor do Sistema de Ensino pode utilizar como auxílio às suas aulas. O conteúdo das Sessões Astronomia pode ser acessado no seguinte endereço: Crédito do logo: Sessão Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva Observação: Padrão e resolução da apresentação: 800 x 600 pixel com imagens a 96 dpi ou 38 pixel por centímetro com dimensão de 8,35 polegadas x 6,26 polegadas ou 21,2 cm x 15,9 cm respectivamente. Editado normamente em Office 97, podendo haver incompatibilidade de execução no Office XP e vice-versa.

5 TEMAPALESTRANTEDATA Auroras PolaresAndrea19 de junho Luas GalileanasRaphael26 de junho As últimas missões à Lua Beatriz03 de julho Observando o invisível Evandro10 de julho Paisagens Marcianas Natalia17 de julho Os Grandes Astrônomos Raphael24 de julho Próximas Sessões Astronomia

6

7 ECLIPSE Do grego ( κλειψις ) deixar para trás Um objeto celeste se move para a sombra de outro Dentro de um sistema estelar: sizígia

8 Sizígia Alinhamento de três ou mais corpos dentro do mesmo sistema gravitacional A sombra criada pelo objeto mais próximo à estrela faz intersecção com o corpo mais distante, diminuindo a luminosidade que chega a sua superfície Trânsitos Ocultações

9 Sizígia Local do objeto eclipsado define o tipo de eclipse

10 Sistema Sol-Terra-Lua

11

12

13 Ciclo de Saros Ciclo com período de 6,585.3 dias (18 anos 11 dias 8 horas) A série retorna para cerca de Saros mesma região geográfica a cada 3 saroses (54 anos e 34 dias)

14 Eclipses Solares

15

16

17 1.Primeiro Contato Segundo Contato – temperatura e luminosidade começam a diminuir 2.Em terreno elevado, percebe-se uma coluna de sombra vindo rapidamente, a uma velocidade de km/h 3.Temperatura cai em até 10ºC, ventos súbitos podem ocorrer e animais ficam atordoados 4.Instantes antes da fotosfera ser totalmente encoberta, luminosidade cai abruptamente e são vistas na superfície as sombras voadoras devido a turbulência da atmosfera (como reflexo no fundo de uma piscina) 5.Segundos antes da totalidade, crescente solar transforma-se num fino fio de luz visível pelos grãos de Baily, é a luz do Sol que ainda ultrapassa as montanhas da Lua 6.No último segundo antes da totalidade observa-se o anel de diamante, última parte visível da fotosfera, descrito por Halley em Na totalidade é possível ver então a coroa e a cromosfera do Sol; o céu suficientemente escuro para conseguir ver estrelas e planetas

18 Eclipses Solares Diminuem a intensidade da luz visível, mas não protegem contra radiações ultra-violeta e infra-vermelho Quando o olho humano recebe menos luz visível, a pupila dilata, ficando mais vulnerável a esse tipo de radiação do que na própria observação a olho nu

19 Eclipses Solares Limitar o tempo de observação a 20 segundos, com pelo menos trinta segundos de intervalo entre as observações Fase de maior perigo, com 95% ou mais de escuridão, pois é o momento em que a pupila fica mais dilatada, podendo então a visualização da coroa solar causa dano imediato e irreversível

20 Eclipses Lunares

21

22 História: Mitos Antiga China

23 História: Mitos Egípcios Hindus Romanos Noruegueses Vikings

24 História: Registros

25

26 Últimos Eclipses Lunares

27 Próximos Eclipses Lunares

28 Próximos Eclipses Solares

29 Satélites Artificiais

30 Outros Planetas

31

32 BIBLIOGRAFIA WIKIPÉDIA, A ENCICLOPÉDIA LIVRE. Astronomia. Disponível em:. Acesso em: 30 dez WIKIPÉDIA, A ENCICLOPÉDIA LIVRE. História da Astronomia. Disponível em:. Acesso em: 30 dez INTERNATIONNAL ASTRONOMICAL UNION. Divisions. Disponível em:. Acesso em: 30 dez INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS. Cursos de Pós-Graduação. Disponível em:. Acesso em: 30 dez http://www.inpe.br/pos_graduacao/index.php INSTITUTO DE ASTRONOMIA, GEOFÍSICA E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS – USP. Departamento de Astronomia – Linhas de Pesquisa. Disponível em:. Acesso em: 30 dez OBSERVATÓRIO DO VALONGO - UFRJ. Pós-Graduação >> Linhas de Pesquisa. Disponível em:. Acesso em: 30 dez http://www.ov.ufrj.br/pos_linhasdepesquisa.htm

33 FIM


Carregar ppt "Observatório do CDCC - USP/SC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google