A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fisioterapia em Gerontologia

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fisioterapia em Gerontologia"— Transcrição da apresentação:

1 Fisioterapia em Gerontologia
Professor:João Galdino

2 UNIDADE I- Epidemiologia do Envelhecimento
. Brasil: pais que está envelhecendo(controle de natalidade,tecnologia,tratamentos.....) . À partir dos anos 60 a faixa etária que mais cresce nos países em desenvolvimento é a de 60 anos, segundo as estatísticas. . Transição demográfica- passagem de uma situação de alta fecundidade e alta mortalidade para baixa fecundidade e cada vez mais baixa mortalidade. .População brasileira com idade igual ou superior a 60 anos- 15 milhões de habitantes- dobrou nos últimos 50 anos. . Participação de idosos no total da população: %, % , %. . Idosos com mais de 80 anos: mil , ,9 milhões. ( Fonte: IBGE, Vários Censos Demográficos, Projeções Populacionais IPEA )

3 Mudanças nos países que terão mais de 16 milhões de idosos no ano 2020/25
Pais 1950/ class. 1950/milhões 2025/milhões 2025/class. China 1 42 284 Argélia 2 32 146 Brasil 16 2 6 Indonésia 10 4 31 7 Paquistão 11 18 8 Bangladesh 14 17 Nigéria 27 1 16

4 1.1 Atitudes frente ao idoso e ao processo de envelhecimento:
-AFisioterapia atual, já não pensa somente em cura das patologias pertinentes a população idosa , e sim em um trabalho preventivo -Intervenção realizada através de atividades cinesioterapicas, individuais e ou em grupo, palestras de orientação, desenvolvidas em centros de convivências, abrigos , e até mesmo em academias -A Fisioterapia tem um olhar critico e sensibilizado para com a clientela idosa, são clientes com necessidades diferentes, mas com direitos como os demais.

5 -Objetiva :manter condições funcionais
-manter mobilidade; -estimular o cognitivo, o motor , o intelecto e o psicológico; -manter ou restabelecer a independência nas AVDS e AVPS; -minorar o estigma do envelhecimento,; -produzir influencia da realidade orientada e percepção do ambiente físico; - dar suporte emocional; - recuperar a auto estima ; -e encoraja-los a alcançar seu próprio bem estar.

6 1.2 Violencia Contra o idosos
De acordo com dados do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), do Relatório Individual de Notificação de Acidentes e Violência, em 2008, 188 idosos foram vítimas de violência. : -Negligência/abandono, 40; - suspeita de maus tratos, 35; - Auto-agressão, 21; -Violência física, 91 - Violência psicológica,  01. -Os agressores eram : cônjuge; vizinhos; filhos, padrasto, irmãos, outros, agente institucional, e desconhecido

7 São 18 milhões de velhinhos vivendo no país atualmente
... São 18 milhões de velhinhos vivendo no país atualmente. Destes, 35%, ou seja três em cada dez, já foram vítimas de humilhação, ameaça, abandono, agressão física, discriminação, exploração financeira e até mesmo abuso sexual. Os dados são da Fundação Perseu Abramo. A pesquisa foi realizada recentemente nas cinco regiões do país.

8 ... dor de quem cuidou de seus filhos a vida toda e agora não recebe os mesmos cuidados ...dor de quem lutou a vida inteira para receber uma aposentadoria pequena e, mesmo assim, acaba sendo roubado pelos próprios parentes. ... dor dos velhinhos que não têm onde morar. ...vivem nas ruas, pedindo esmolas e em abrigos da prefeitura,foram completamente esquecidos ... assaltos covardes, os idosos as principais vítimas de assaltantes, já que têm o reflexo lento, são mais fracos e frágeis para reagir.

9 Dia 15 de junho- Dia mundial de combate a violencia contra o idoso

10 UNIDADE II- Fisiologia do Envelhecimento e Complicações Funcionais
Senescencia: designa o processo de envelhecimento normal De acordo com alguns autores: fase dos 65 a0s 80 anos(acima ancião) Envelhecer: processo natural que ocorre desde que nascemos,porem fica mais evidente após a terceira idade. As mudanças que ocorrem com o envelhecimento não surgem do mesmo modo, nem acontecem com a mesma rapidez com todas as pessoas -Pode-se estar cero que a maneira como se viveu tem um papel muito importante e decisivo do que a rapidez e o decurso do processo do envelhecimento.

11 2.1Fatores intervenientes
-Fatores individuais -Fatores hereditarios -Fatores sociais -Fatores ambientais -Doenças contraida ao longo da vida -Habitos de vida -Origem étnica(raça) -Religião -Grau de educação(relacionado a cultura) -Personalidade

12 2.2Alterações(distúrbios)sistêmicas(os)(orgânicas)
* Alterações na produção de hormônios causadas pelo envelhecimento Com o envelhecimento ocorrem alterações na maneira pela qual os sistemas corporais são controlados. Alguns tecidos alvo se tornam menos sensíveis aos seus hormônios de controle. A quantidade de hormônio produzido pode se alterar. Os níveis sangüíneos de alguns hormônios aumentam e alguns não se alteram. Os hormônios também são degradados mais lentamente.

13 -O hipotálamo está localizado no cérebro
-O hipotálamo está localizado no cérebro. -Ele produz hormônios que controlam as outras estruturas no sistema endócrino. -A quantidade destes hormônios reguladores permanece a mesma, mas a resposta dos órgãos endócrinos pode alterar com o envelhecimento. -Por exemplo, um hormônio chamado hormônio tiróido-estimulador (TSH) faz com que a glândula tireóide produza tirotropina (TSH). -Nas mulheres, a quantidade de TSH produzido permanece a mesma, mas em homens idosos pode ser reduzida.

14 -A glândula tireóide produz hormônios que ajudam a controlar o metabolismo. -Com o envelhecimento, a tireóide freqüentemente se torna granulosa (nodular). -A taxa metabólica basal (BMR) diminui gradualmente a partir dos 20 anos aproximadamente. -Pode haver menor produção de hormônio da tireóide, mas também há menos massa corporal (devido a à perda de tecido muscular e ósseo), de forma que os exames de função tireóidea usualmente permanecem dentro dos limites normais. -A calcitonina também é produzida pela tireóide; seu nível pode ser reduzido.

15 - As paratireóides são 4 glândulas pequenas localizadas ao redor da tireóide. O hormônio produzido por estas glândulas afeta os níveis de cálcio e fosfato. Isto, por sua vez, afeta a força dos ossos. As alterações no nível de hormônios paratireóideos pode contribuir para a osteoporose.

16 - A insulina é produzida pelo pâncreas
- A insulina é produzida pelo pâncreas. - A insulina "se fixa" em um local na parede celular chamado área receptora de insulina. Ela age como uma "fechadura e chave" para ajudar o açúcar sangüíneo (glicose) a ser levado do sangue para dentro das células, onde pode ser utilizado como energia. -Com o envelhecimento, o pâncreas pode passar a produzir menos insulina. Geralmente, no entanto, a produção de insulina permanece a mesma. A despeito disto, o nível "normal" ou "médio" de glicose em jejum se eleva de 6 para 14 mg/dl (miligramas por decilitro) para cada 10 anos de vida após os 50 anos. Isto ocorre pois as células se tornam menos sensíveis aos efeitos da insulina (provavelmente devido à perda no número de áreas receptoras de insulina na parede celular).

17 As glândulas supra-renais estão localizadas logo acima dos rins
As glândulas supra-renais estão localizadas logo acima dos rins. O córtex supra-renal é a camada da superfície que produz os hormônios aldosterona e cortisol. A aldosterona regula o equilíbrio entre líquidos e eletrólitos. O cortisol é o hormônio de "resposta ao estresse". Ele afeta a degradação da glicose, proteínas e gorduras e tem efeitos antiinflamatórios e antialérgicos. A secreção da aldosterona diminui com a idade, o que pode contribuir para a ocorrência de tonturas e queda da pressão sangüínea com alterações repentinas de posição (hipotensão ortostática). A secreção de cortisol diminui, mas o nível permanece o mesmo. Isto devido à lenta degradação do cortisol quando o nível começa a diminuir.

18 Os ovários e testículos têm 2 funções
Os ovários e testículos têm 2 funções. Eles produzem os hormônios sexuais (aqueles que controlam as características sexuais secundárias tais como os pelos faciais). Eles também produzem células reprodutivas (óvulo e espermatozóide). Com o envelhecimento os homens podem experimentar uma leve diminuição no nível de testosterona. As mulheres têm redução nos níveis de estradiol e estrógeno após a menopausa.

19 * Alterações causadas pelo envelhecimento na imunidade
- O timo, um dos órgãos do sistema imune, começa a atrofiar após a adolescência. Por volta da meia idade ele está reduzido a cerca de 15% de seu tamanho máximo. É este o local onde determinadas células imunes (as chamadas células T ou lifócitos T) amadurecem.

20 Há uma lenta (porém constante) diminuição da imunidade após o começo da fase adulta. Sempre que o corpo fica exposto a bactérias ou a outros microorganismos (devido a uma exposição real ou a uma imunização) pode haver uma formação menor ou mais lenta de anticorpos protetores. Vacinações contra gripe ou outras imunizações podem não ser tão eficazes, e a proteção pode não durar tanto quanto se esperava.

21 O sistema imune também vai ficando menos apto a detectar partículas estranhas; daí o risco maior de se contraírem infecções. Outros aspectos também aumentam o risco de infecções. As alterações de sensação, as alterações do andar, as alterações na estrutura da pele e outras "alterações normais" aumentam o risco de lesões, facilitando a entrada de bactérias pela pele danificada. Uma doença ou uma cirurgia podem, mais tarde, enfraquecer o sistema imune, deixando o organismo mais suscetível a infecções subseqüentes.

22 * PROBLEMAS COMUNS -aumento do risco de infecção -diminuição da capacidade de combater doenças -processo de cicatrização mais lento -distúrbios auto-imunes -câncer

23 * Alterações causadas pelo envelhecimento no sono O período de sono profundo, sem sonhos, diminui. As pessoas idosas acordam em média 3 a 4 vezes por noite com uma consciência maior de ter acordado. Esses despertares estão relacionados a um período de tempo menor de sono profundo e a fatores como a necessidade de ir ao banheiro (noctúria), ansiedade e mal-estar físico associado a doenças crônicas.

24 A dificuldade para dormir é um problema incômodo, porém raramente perigoso. Devido ao sono ser mais leve e o número de vezes em que a pessoa acorda serem mais freqüentes, as pessoas mais idosas podem sentir-se privadas do sono, mesmo quando o tempo total de sono não é alterado. A perda do sono pode eventualmente ocasionar confusão além de outras alterações mentais. Essa condição pode ser tratada, com a conseqüente diminuição dos sintomas quando a pessoa consegue dormir o suficiente.

25

26 Alterações causadas pelo envelhecimento nos ossos, músculos e articulações As alterações na postura e na forma de caminhar que se desenvolvem com o processo de envelhecimento são tão reconhecidas universalmente quanto as alterações que ocorrem na pele e nos cabelos. Em geral, as pessoas idosas são descritas como pessoas frágeis, encurvadas e fracas.

27 - O tronco se torna mais curto
- O tronco se torna mais curto. - As vértebras perdem parte de seu conteúdo mineral, fazendo com que cada osso também se torne mais fino. A coluna vertebral torna-se curva e comprimida. Podem se formar também esporões ósseos nas vértebras, provocados pelo processo de envelhecimento e pelo uso total da coluna vertebral. -Os arcos dos pés tornam-se menos pronunciados, o que contribui para uma (ligeira) redução de estatura

28 -Os ossos longos dos braços e das pernas, apesar de mais frágeis devido às perdas minerais, não sofrem qualquer alteração de comprimento, razão pela qual os braços e as pernas parecem mais longos em comparação com o resto do corpo. - As articulações tornam-se mais rígidas e menos flexíveis, podendo haver diminuição de seu líquido e um início de fricção das cartilagens.

29 -Pode ocorrer o depósito de minerais em algumas articulações (calcificação). -As articulações dos dedos perdem cartilagem e os ossos tornam-se um pouco mais espessos. -A massa corporal magra diminui devido, em parte, à perda de tecido muscular (atrofia). A proporção e a grau de alterações musculares parecem ser um aspecto determinado geneticamente. As alterações musculares, em geral, começam a aparecer por volta dos 20 anos nos homens e dos 40, nas mulheres.

30 - A lipofuscina (um pigmento relacionado com a idade) e a gordura são depositadas no tecido muscular. As fibras musculares encolhem e o tecido muscular é substituído de maneira mais lenta. Além disso, o tecido muscular perdido pode ser substituído por tecido fibroso rijo. Essa condição é mais notada nas mãos, que tendem a ser tornar finas e ossudas.

31 - As alterações normais do tecido muscular combinadas às alterações causadas pelo envelhecimento no sistema nervoso fazem com que haja uma redução do tônus muscular e da capacidade de contração dos músculos. Os músculos tendem a se tornar rígidos com a idade e a perder tônus com a prática regular de exercícios.

32 Efeitos Os ossos tornam-se frágeis Diminuição de estatura -A deterioração das estruturas articulares acarreta inflamação, dor, rigidez e deformidades. -Quase todas as pessoas idosas apresentam alterações articulares que vão desde uma rigidez leve até uma artrite severa.

33 -A postura torna-se progressivamente encurvada (inclinada) e os joelhos e quadris, mais flexionados. O pescoço torna-se inclinado e os ombros, mais estreitos. A pélvis, por outro lado, torna-se mais larga. -Alterações também na força e na resistência do indivíduo -Os movimentos tornam-se mais lento e limitados.

34

35

36 Alterações causadas pelo envelhecimento no coração e vasos sangüíneos
As células do músculo cardíaco passam por um processo lento de degeneração. As válvulas do coração que controlam a direção do fluxo sangüíneo ficam mais grossas e rígidas. O coração possui um sistema de marcapasso natural que controla o batimento cardíaco. Algumas das vias desse sistema podem formar tecido fibroso e depósitos de gordura. O marcapasso natural (nódulo sinoatrial) perde algumas de suas células. Essas alterações podem fazer com que a freqüência cardíaca seja ligeiramente mais lenta.

37 Um pequeno aumento de tamanho do coração, em especial no lado esquerdo inferior (o ventrículo esquerdo), não é um fato raro. A parede do coração engrossa e a quantidade de sangue contida na câmara pode diminuir apesar de o coração ter sofrido um aumento geral. O coração se enche de forma ligeiramente mais lenta.

38 Vasos sangüíneos A principal artéria que sai do coração (a aorta) torna-se mais grossa, mais rígida e com uma capacidade de distensão reduzida. Isso se deve provavelmente a alterações do tecido conjuntivo da parede do vaso sangüíneo, fazendo com que a pressão sangüínea se eleve e o coração trabalhe mais. Podem também ser observados nas outras áreas um espessamento e uma rigidez. A maioria dos idosos geralmente tem um aumento moderado da pressão sangüínea.

39 Os receptores, denominados baroreceptores, controlam e adaptam a pressão sangüínea a fim de que ela seja constante mesmo nas mudanças de posição e atividades. Os baroreceptores perdem a sensibilidade à medida que se envelhece, o que talvez explique um fenômeno relativamente comum, a hipotensão ortostática (condição em que a pressão sangüínea cai ao se sentar ou ficar de pé, o que pode resultar em vertigem quando a pessoa fica de pé).

40 As paredes dos capilares engrossam ligeiramente, o que pode fazer com que a taxa de troca de nutrientes e de material residual fique um pouco mais lenta. Sangue: O próprio sangue apresenta alterações devidas à idade. O processo de envelhecimento acarreta uma redução no volume total da água corporal. Em conseqüência, há menos líquidos na corrente sangüínea, levando a uma redução do volume de sangue.

41 O número de glóbulos vermelhos do sangue (e, de forma semelhante, de hemoglobina e de hematócrito) também sofre uma redução. Tal fato contribui para a manifestação da fadiga. A maioria dos glóbulos brancos permanece na mesma quantidade, embora uma diminuição do número de glóbulos brancos importantes para a imunidade (os linfócitos), reduzindo assim a capacidade de resistência às infecções.

42 EFEITO DAS ALTERAÇÕES Em circunstâncias normais, o coração deve permanecer apto a suprir todas as partes do corpo de forma adequada. No entanto, o coração pode ficar um pouco menos capaz de suportar cargas de trabalho maiores, pois as alterações vão reduzir a capacidade de bombeamento "extra" (função cardíaca de reserva). Entre as ocorrências que podem aumentar a carga de trabalho cardíaco estão as doenças, as infecções, o estresse emocional, as lesões, o esforço físico extremo e certos medicamentos.

43 PROBLEMAS COMUNS -Entre os distúrbios mais encontrados estão a pressão sangüínea alta e a hipotensão ortostática. -A arteriosclerose, ou o endurecimento das artérias, também é freqüente. -Os depósitos de placas de gordura dentro dos vasos sangüíneos acabam por estreitá-los, podendo até bloqueá-los totalmente.(Aterosclerose) -A doença arterial coronariana é muito comum. -A angina (dor no peito causada pelo fluxo sangüíneo temporariamente reduzido no músculo

44 A insuficiência cardíaca é muito comum em idosos.
Em pessoas acima dos 75 anos de idade, a insuficiência cardíaca tem uma freqüência dez vezes maior do que em adultos jovens. Também são comuns as doenças valvulares; dentre elas, a estenose aórtica, a mais freqüente em pessoas idosas.

45 Outros problemas do coração e dos vasos sangüíneos são:
-A doença vascular periférica, que produz uma claudicação (uma dor nas pernas intermitente). -As veias varicosas e os coágulos sangüíneos (a tromboflebite e a trombose venosa profunda) de ocorrência freqüente em idosos.

46 PREVENÇÃO Algumas doenças cardíacas sobre as quais se tem algum controle são a pressão sangüínea alta, os níveis de colesterol, o diabetes, a obesidade e o tabagismo. Deve se ingerir alimentos saudáveis para o coração, com pouca quantidade de gordura saturada e de colesterol, controlar o peso, seguir o tratamento de pressão sangüínea alta, colesterol alto ou diabetes recomendado pela assistência médica, além de minimizar ou abandonar o tabagismo.

47 A prática moderada de exercício é uma das melhores coisas que podem ser feitas para manter o coração e o organismo em geral com saúde. A prática de exercícios deve ser feita com moderação, levando em consideração os limites individuais.

48


Carregar ppt "Fisioterapia em Gerontologia"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google