A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O livro dos Salmos Estudo 8 Os salmos de Culto e Louvor (I) Salmos 33, 50, 68, 81, 108, 132, 145.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O livro dos Salmos Estudo 8 Os salmos de Culto e Louvor (I) Salmos 33, 50, 68, 81, 108, 132, 145."— Transcrição da apresentação:

1 O livro dos Salmos Estudo 8 Os salmos de Culto e Louvor (I) Salmos 33, 50, 68, 81, 108, 132, 145

2 Entramos nesta lição na quarta série dos salmos. Já vimos: 1. Os salmos de exaltação à lei de Deus; 2. Os salmos de celebração ao rei, chamados também de messiânicos; 3. Os salmos de celebração a vitórias alcançadas e de confiança em Deus;

3 E hoje, iniciamos uma nova série: Os salmos de Culto e Louvor (I) São 17 salmos dos quais veremos nesta semana sete deles. Os salmos: 33, 50, 68, 81, 108, 132, 145

4 No próximo domingo estaremos vendo então os 10 últimos. Nos de hoje, os autores são Davi (3), Asafe (2), e os dois últimos, anônimos. Devem ter sido escritos pelas equipes de louvor, os levitas que cultuavam no templo.

5 Esses 17 salmos representam o cerne da razão de ser do livro. Ou seja, este livro foi compilado pelo povo de Deus para servir de instrumento para o melhor culto e louvor a Deus, e para marcar a lembrança ao povo de Israel, do Deus grandioso ao qual deviam toda honra e toda glória.

6 Comentários Salmo 33 Este salmo é um convite a todo o povo a louvar ao Senhor pela grandeza de sua obra e de sua bondade para com ele, Israel. Podemos dividi-lo em cinco partes, como leremos a seguir:

7 Comentários ao Salmo 33 Este salmo aborda um dos aspectos mais importantes em nossa exaltação a Deus: aquele que resulta da observação de sua natureza esplendorosa. Se o salmista com sua precariedade de recursos e de tecnologia, podia se entusiasmar desta forma com a obra da criação divina, quanto mais nós hoje, que por meio dos telescóspios gigantes, das operações dos satélites e das viagens interplanetárias, podemos vislumbrar com mais clareza.

8 Salmo 33 1º. O salmista convida o povo a louvar ao Senhor (1-3); 1.Regozijai-vos no Senhor, vós justos, pois aos retos fica bem o louvor.2. Louvai ao Senhor com harpa, cantai-lhe louvores com saltério de dez cordas. 3. Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo. 2º. Justifica a razão deste louvor: a retidão do Senhor, a sua fidelidade para com Israel (4,5); 4. Porque a palavra do Senhor é reta; e todas as suas obras são feitas com fidelidade. 5. Ele ama a retidão e a justiça; a terra está cheia da benignidade do Senhor. 3º. Louvar por suas obras, o mar, o céu, a terra (6,7); 6. Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo sopro da sua boca. 7. Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe em tesouros os abismos.

9 4º. Louvar em razão do nosso temor a ele (8-12); 8.Tema ao Senhor a terra toda; temam-no todos os moradores do mundo. 9. Pois ele falou, e tudo se fez; ele mandou, e logo tudo apareceu. 10. O Senhor desfaz o conselho das nações, anula os intentos dos povos. 11. O conselho do Senhor permanece para sempre, e os intentos do seu coração por todas as gerações. 12. Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, o povo que ele escolheu para sua herança. 5º. Louvar também pelo seu poder onipotente, onisciente e onipresente (13-19); 13. O Senhor olha lá do céu; vê todos os filhos dos homens; 14. da sua morada observa todos os moradores da terra, 15. aquele que forma o coração de todos eles, que contempla todas as suas obras. 16. Um rei não se salva pela multidão do seu exército; nem o homem valente se livra pela muita força. 17. O cavalo é vã esperança para a vitória; não pode livrar ninguém pela sua grande força. 18. Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua benignidade, 19. para os livrar da morte, e para os conservar vivos na fome.

10 6o. E o salmo se encerra com um hino de louvor e confiança (20-22). 19. para os livrar da morte, e para os conservar vivos na fome. 20. A nossa alma espera no Senhor; ele é o nosso auxílio e o nosso escudo. 21. Pois nele se alegra o nosso coração, porquanto temos confiado no seu santo nome. 22. Seja a tua benignidade, Senhor, sobre nós, assim como em ti esperamos.

11 Salmo 50 É um salmo que nos traz uma palavra um tanto contraditória pois, aparentemente, Asafe está falando contra o culto sacrificial dos hebreus. No entanto, o que ele transmite ao povo é que o Senhor requer e espera muito mais obediência dos seus servos, do que propriamente sacrifícios. Como o holocausto era uma conseqüência do erro e do pecado, o Senhor está dizendo ao seu povo que prefere não o holocausto, mas, sim, a obediência, a demonstração de fidelidade por parte dos seus seguidores, quando então, o sacrifício seria desnecessário.

12 Comentários ao Salmo 50 1º. O salmista convida o povo a ter integridade de vida (1-13); Ele intima dos altos céus... Para o julgamento do seu povo... Congregai os meus santos... Aqueles que fizeram comigo um pacto por meio de sacrifícios... Não te repreendo pelos teus sacrifícios... Os teus holocaustos estão de contínuo perante mim... 2º. Que o povo venha a ele para cultuar e agradecer e não apenas para confissão de pecados (14,15); Oferece a Deus por sacrifício ação de graças, e paga ao Altíssimo os teus votos; e invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei e tu me glorificarás. 3º. Aponta então para os desvios dos ímpios com os quais Israel convivia, para encerrar com um convite à fidelidade (16-23); Mas ao ímpio, diz o Senhor... Quando vês um ladrão tu te comprazes nele?...Considerai pois isto que vos esqueceis de Deus... Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.

13 Salmo 68 Este é um salmo de Davi. Se há um personagem na Bíblia que deveria render graças ao Senhor, este é um dos que mais poderia fazê-lo: de pastorzinho de Jessé, de escudeiro de Saul, de cantor do rei, de amigo de Jônatas, de valente guerreiro que foi, se transformou no maior rei do povo do Senhor, o Israel de Deus. Por tudo que passou na vida... por tudo que enfrentou... por tudo que venceu... somente Davi poderia escrever um salmo como este em que celebra a bênção de Deus sobre ele e seu povo. Ele, mais do que qualquer outro personagem da Bíblia, experimentou em seu viver a bênção da graça de Deus sobre ele.

14 Comentários ao Salmo 68 1º. Os inimigos eram rechaçados e expulsos diante do Senhor (1,2); Levante-se Deus... Sejam dispersos os seus inimigos... Fujam de diante deles os que o odeiam... Como a fumaça que se esvai... Assim pereçam os seus inimigos... 2º. Os justos, no entanto, se achegavam e se jubilavam (3-6); Alegrem-se os justos e se regozijem na presença dele... Cantai a Deus, cantai louvores. Deus faz com que o solitário viva em família... 3º. Por numerosas vezes Deus veio ao encontro do povo (7-14); Ó, Deus, quando saías à frente do teu povo... A terra se abalava... O próprio Sinai tremeu na tua presença... Reis de exército fogem... 4º. Por sua magnificência e confirmação Israel deve louvar (15-33); Bendito seja o Senhor que diariamente leva a nossa carga…Confirma ó Deus o que já fizeste por nós… Ó Deus, tu és tremendo desde o teu santuário… Ele dá força e poder ao seu povo. Bendito seja Deus.

15 Salmo 81 Asafe vai novamente admoestar o povo de Deus. Como regente do culto no templo, ele percebia que o povo se afastava dos ensinos do Senhor. Ele se via então, na obrigação de advertir o povo sobre os perigos do caminhar do povo de Israel distanciado de Deus, e como o Senhor dos céus via a tudo isto. O salmista vai mostrar que o Senhor dá valor ao ser humano como ser pensante. Por sua soberania poderia nos fazer autômatos ou robôs que não pudéssemos nos afastar de seus comandos e ordens, não nos dando outra opção de vida, senão a sujeição a ele… Mas, aí, não seríamos a criatura por excelência. Ele nos deu o livre-arbítrio, para que por índole e intenção, tivéssemos a autonomia para decidir por ele e para ele nos passos da vida.

16 Comentários ao Salmo 81 1º. Primeiramente ele convida o povo a louvar a Deus (1-3); Cantai alegremente a Deus, nossa fortaleza... Erguei alegres vozes de louvor... Entoai um salmo... Tocai a trombeta... 2º. Em segundo expõe que o Senhor espera por este louvor (4-7); Pois isso é um estatuto para Israel... Uma ordenança do Deus de Jacó... Ordenou-o por decreto em José... 3º. Por isso, Israel deveria ser submisso e obediente (8-12); Ouve-me, povo meu, e eu te admoestarei… Ó Israel, se me escutasses?... Mas o meu povo não ouviu a minha voz… Não me quis. 4º. Para expressar a alegria do Senhor se Israel o ouvisse (13-16); Oxalá me escutasse o meu povo… andasse nos meus caminhos… Eu o livraria dos seus inimigos… Eu te sustentaria com o trigo mais fino… E com o mel saido da rocha eu te saciaria.

17 Salmo 108 O texto deste salmo ganha contornos bem reais quando o lemos à vista de 1Sa 30.8 ou 1Cr Em ambos os casos o rei tinha diante de si uma batalha, e antes de lançar-se a ela com a sua força e exército, indaga do Senhor, se ele, o Deus de Israel, iria com ele à luta. Ou seja, se o Senhor estava aprovando a sua batalha. Como Deus o aprovou, agindo em seu favor, nada mais natural que o rei, agora, separasse um dos seus salmos para louvar a ele por sua glória e pelo auxílio sempre recebido nas batalhas que enfrentou e prevaleceu.

18 Comentários ao Salmo 108 1º. Primeiramente sua disposição em estar nas mãos do Senhor (1); Preparado está o meu coração, ó Deus!... 2º. Sua disposição em louvar a Deus por isto (1-3); Cantarei sim... Cantarei louvores...Despertai saltério e harpa... Eu mesmo despertarei a aurora... Louvar-te-ei entre os povos 3º. A grandeza do Senhor era a razão deste louvor (4-6); Pois grande, acima dos céus é a tua benignidade… A tua verdade ultrapassa as mais altas nuvens… Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus 4º. Para enumerar as vitórias alcançadas e dar graças a Deus (7-13); Deus falou no seu santuário… Repartirei Siquém… Sucote… Gileade… Manassés… Efraim…Judá… Moabe… Edom… Filistia… Dá-nos auxílio contra o adversário…Pois vão é o socorro da parte do homem… Em Deus faremos proezas…

19 Salmo 132 É um salmo da equipe de louvor do templo, invocando as bênçãos do Senhor sobre a casa de Davi, tendo em vista as vitórias alcançadas por ele. É um dos salmos chamados dos degraus, usados pelos hebreus quando subiam a Jerusalém para visitar o templo. Como estavam se dirigindo ao culto, eles se lembravam de que muito daquilo que ali acontecera, só foi possível por causa da atuação de Davi e de seus filhos depois.

20 Comentários ao Salmo 132 1º. Primeiramente uma evocação à família do rei (1,2); Lembra-te, Senhor, a bem de Davi... De todas as suas aflições... E como jurou ao Senhor... E fez votos ao Senhor... 2º. De sua intenção em construir um templo para Deus (3-5); Não entrarei na casa em que habito... Nem subirei ao leito... Nem darei sono aos meus olhos... Até que eu ache um lugar para o Senhor 3º. De como idealizou aquele local de culto para Deus (6-13); Ouvimos falar dela em Efrata… em Jaar… Entremos nos seus tabernáculos… Levanta-te Senhor, entra no lugar do teu repouso… 4º. Para então ver a forma como Sião receberia a Arca (7-16); Este é o lugar do meu repouso para sempre…Aqui habitarei… Pois o tenho desejado… Abençoarei abundantemente o seu mantimento… Fartarei de pão os necessitados… Farei brotar a força de Davi… Prepararei uma lâmpada para o meu ungido.

21 Salmo 145 Este é um salmo repleto de versículos marcantes. Parece que cada um deles merece uma melodia especial para acompanhá- lo. Alegria e paz transparecem em cada uma de suas linhas. O salmista, Davi, pois é ele o seu autor, estava realmente inspirado por Deus para tecer esta linguagem de louvor e exaltação. Cada versículo merece uma leitura vagarosa e uma pausa após ela, para a devida meditação e reflexão. Vamos fazer este exercício em classe, de maneira que todos possamos tirar deste texto da Palavra de Deus, a melhor inspiração para os nossos dias.

22 Salmo 145 Eu te exaltarei, ó Deus… bendirei o teu nome… pelos séculos… Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado… Uma geração louvará as tuas obras à outra geração… Nas tuas obras maravilhosas meditarei… Falar-se-á do poder dos teus feitos tremendos… Publicarão a memória da tua grande bondade… Bondoso e compassivo é o Senhor… O Senhor é bom para todos.Todas as tuas obras te louvarão. Falarão da glória do teu reino e relatarão o teu poder… Os teus feitos poderosos e a glória e esplendor do teu reino. O teu reino é eterno… o teu domínio dura todas as grações. O Senhor sustém os que estão a cair… Levanta os abatidos. Os olhos de todos esperam em ti… tu lhes dás o mantimento Justo é o Senhor em todos os seus caminhos… Ele cumpre o desejo dos que o temem… Ouve e os salva… O Senhor preserva todos os que o amam… Publique a minha boca o louvor do Senhor… Bendiga toda a carne o seu santo nome para sempre.

23 Conclusão Os salmos não foram escritos para serem confrontados. Seria muita pretensão nossa confrontar a mensagem inspirada de um salmista guiado por Deus em seu poema. Os salmos foram escritos para serem experimentados, vivenciados e entendidos em nosso viver diário. Esperamos que isto esteja acontecendo com cada um de nós.


Carregar ppt "O livro dos Salmos Estudo 8 Os salmos de Culto e Louvor (I) Salmos 33, 50, 68, 81, 108, 132, 145."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google