A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tema 3T13 – A doutrina de Deus Estudo 11 No Evangelho é revelada a justiça de Deus Deus é Justo Texto bíblico – Sl 76; Rm 1 e 2 Texto áureo – Rm 1.16 Porque.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tema 3T13 – A doutrina de Deus Estudo 11 No Evangelho é revelada a justiça de Deus Deus é Justo Texto bíblico – Sl 76; Rm 1 e 2 Texto áureo – Rm 1.16 Porque."— Transcrição da apresentação:

1 Tema 3T13 – A doutrina de Deus Estudo 11 No Evangelho é revelada a justiça de Deus Deus é Justo Texto bíblico – Sl 76; Rm 1 e 2 Texto áureo – Rm 1.16 Porque no evangelho é revelada, de fé em fé, a justiça de Deus, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.

2 Entramos, nesta semana, no estudo de um dos atributos mais discutíveis da pessoa de Deus, para o homem não- crente. Como não tem a visão de um Deus que se deu e que, dando ao homem o atributo da autodeterminação, abriu mão de sua soberania sobre o seu destino, eles não podem entender que os fatos que consideram injustos sobre as criaturas humanas são decorrentes da opção humana pelo pecado e não da vontade primeira de Deus. Na pessoa de Deus temos de perceber sempre: primeiro, a "vontade intencional" de Deus, aquela que o fez criar o universo e todas as criaturas para o usufruto de sua bênção e soberania sobre o mundo. Esta era a sua intenção original.

3 Assim, não podemos ver a "injustiça" de Deus quando algo que, segundo nosso juízo não poderia ocorrer (a morte trágica de uma pessoa boa, uma doença numa criança, a boa "sorte" na vida de um homem mal e cruel), quando tais fatos são decorrentes da opção do pai Adão pelo pecado, fazendo-nos, como humanidade, enveredar pelo campo da vontade permissiva de Deus (ele permite que tais coisas aconteçam) e não mais da vontade intencional dele, aquela que nos teria mantido no estágio edênico antes da queda.... E segundo, a "vontade permissiva" de Deus, aquela que, em função do livre- arbítrio outorgado à sua criatura por excelência, fê-lo concordar com as conseqüências assumidas pelo homem em suas escolhas. Esta é, então, a sua vontade conseqüente.

4 A figura da justiça é ilustrada para nós como um personagem com os olhos vendados, segurando uma balança à sua frente, para simbolizar, com isto, primeiro, a isenção de julgamento, pois não vê a aparência, e, segundo, o peso e o equilíbrio perfeito que devem existir entre os dois pratos da balança. No aspecto espiritual da justiça divina, Cristo é então o "fiel" desta balança. No centro dessa balança, especialmente nas balanças mecânicas de antigamente, havia uma pequena peça, fio ou ponteiro que, fazendo a junção dos dois braços que sustentavam os pratos, indicava o perfeito equilíbrio existente e era, por isso, chamada de "fiel" da balança.

5 Sim, a justiça de Deus se exerce para o homem através da pessoa de Cristo. Quando o homem pecou, imediatamente ela entrou em execução. Ainda que nos átrios da eternidade, o Senhor determinou naquele momento que a sua descendência, "Jesus Cristo, nosso Senhor", viesse ao mundo para "ferir a cabeça da serpente", ou seja, liquidar com o poder de Satanás. Isto decidido, esta justiça está se cumprindo pela promessa de Deus desde Caim até aos dias de Cristo, quando ele se entregou por nós, e desde aquele dia na cruz do Calvário, por sua consumação, até aos nossos dias.

6 No plano eterno do Senhor, ela, a justiça divina, está se cumprindo em todo o tempo. De alguma forma, às vezes até incompreensível para nós... Isto aconteceu no passado... Está acontecendo agora, no presente... E acontecerá amanhã no futuro. É desta forma que podemos compreender o que aconteceu com Sodoma e Gomorra quando apenas quatro criaturas foram salvas da destruição divina, enquanto todas as demais pereceram.

7 Nos tempos presentes isto está acontecendo também... O holocausto Judeu na 2ª guerra mundial... A queda do 3º Reich de Hitler... A derrota de Sadam Husseim no Iraque... E mais ainda está por vir. Vide Bashar Al-Assad na Síria! É dessa mesma maneira, compreendermos o que aconteceu ao exército de Faraó... Aos judeus na destruição de Jerusalém.... E mesmo aos ninivitas, na destruição da cidade 100 anos depois do Senhor tê-la preservado como nos c conta no VT o livro do p profeta Jonas

8 É em meio a este turbilhão de situações em que o homem se envolveu desde a saída do Éden que a justiça de Deus, sem que muitas vezes a entendamos sob o prisma da ótica humana, vem se cumprindo, está se cumprindo e irá se cumprir até a consumação dos séculos.

9 É dentro deste contexto que a Palavra de Deus vem ao nosso encontro para ensinar-nos algo: Abramos as nossas Bíblias: Salmo 76 e Romanos 1 e 2

10 Salmo : 1 Conhecido é Deus em Judá, grande é o seu nome em Israel. 2 Em Salém está a sua tenda, e a sua morada em Sião. 3 Ali quebrou ele as flechas do arco, o escudo, a espada, e a guerra. 4 Glorioso és tu, mais majestoso do que os montes eternos. 5 Os ousados de coração foram despojados; dormiram o seu último sono; nenhum dos homens de força pôde usar as mãos. 6 À tua repreensão, ó Deus de Jacó, cavaleiros e cavalos ficaram estirados sem sentidos. 7 Tu, sim, tu és tremendo; e quem subsistirá à tua vista, quando te irares? 8 Desde o céu fizeste ouvir o teu juízo; a terra tremeu e se aquietou, 9 quando Deus se levantou para julgar, para salvar a todos os mansos da terra. 10 Na verdade a cólera do homem redundará em teu louvor, e do restante da cólera tu te cingirás. 11 Fazei votos, e pagai-os ao Senhor, vosso Deus; tragam presentes, os que estão em redor dele, àquele que deve ser temido. 12 Ele ceifará o espírito dos príncipes; é tremendo para com os reis da terra

11 Romanos : Palavra de saudação e seu desejo de ir a Roma; Romanos 1.16,17 - O assunto da carta: a justiça pela fé; Romanos – A decadência da humanidade: 18 Pois do céu é revelada a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça. 19 Porquanto, o que de Deus se pode conhecer, neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. 20 Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; 21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, 23 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. 24 Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; 25 pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém.

12 Romanos – A consequência do pecado: 26 Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; 27 semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro. 28 E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm; 29 estando cheios de toda a injustiça, malícia, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, dolo, malignidade; 30 sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pais; 31 néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, sem misericórdia; 32 os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam

13 Romanos – A lei judaica e a justiça de Deus 1 Portanto, és inescusável, ó homem, qualquer que sejas, quando julgas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu que julgas, praticas o mesmo. 2 E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade, contra os que tais coisas praticam. 3 E tu, ó homem, que julgas os que praticam tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus? 4 Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te conduz ao arrependimento? 5 Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus, 6 que retribuirá a cada um segundo as suas obras; 7 a saber: a vida eterna aos que, com perseverança em favor o bem, procuram glória, e honra e incorrupção; 8 mas ira e indignação aos que são contenciosos, e desobedientes à iniqüidade; 9 tribulação e angústia sobre a alma de todo homem que pratica o mal, primeiramente do judeu, e também do grego; 10 glória, porém, e honra e paz a todo aquele que pratica o bem, primeiramente ao judeu, e também ao grego; 11 pois para com Deus não há acepção de pessoas. 12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados. 13 Pois não são justos diante de Deus os que só ouvem a lei; mas serão justificados os que praticam a lei 14 porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem por natureza as coisas da lei, eles, embora não tendo lei, para si mesmos são lei. 15 pois mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os}, 16 no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Cristo Jesus, segundo o meu evangelho.

14 Romanos – A verdadeira justiça de Deus para o judeu 17 Mas se tu és chamado judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus; 18 e conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído na lei; 19 e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, 20 instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens na lei a forma da ciência e da verdade; 21 tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? 22 Tu, que dizes que não se deve cometer adultério, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, roubas os templos? 23 Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? 24 Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios, como está escrito. 25 Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se guardares a lei; mas se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão tem-se tornado em incircuncisão. 26 Se, pois, a incircuncisão guardar os preceitos da lei, porventura a incircuncisão não será reputada como circuncisão? 27 E a incircuncisão que por natureza o é, se cumpre a lei, julgará a ti, que com a letra e a circuncisão és transgressor da lei. 28 Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. 29 Mas é judeu aquele que o é interiormente, e circuncisão é a do coração, no espírito, e não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus

15 Conclusão Porque a justiça de Deus se declarou no Éden... Porque a justiça de Deus se consumou na cruz... Porque a justiça de Deus venceu o pecado... Enfim, porque ele vive eu posso crer no amanhã!...


Carregar ppt "Tema 3T13 – A doutrina de Deus Estudo 11 No Evangelho é revelada a justiça de Deus Deus é Justo Texto bíblico – Sl 76; Rm 1 e 2 Texto áureo – Rm 1.16 Porque."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google