A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pedagogia Empreendedora Mogi das Cruzes Colégio Santa Mônica No Brasil, o tema central do empreendedorismo deve ser o desenvolvimento humano e social,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pedagogia Empreendedora Mogi das Cruzes Colégio Santa Mônica No Brasil, o tema central do empreendedorismo deve ser o desenvolvimento humano e social,"— Transcrição da apresentação:

1 Pedagogia Empreendedora Mogi das Cruzes Colégio Santa Mônica No Brasil, o tema central do empreendedorismo deve ser o desenvolvimento humano e social, (não só geração de riquezas mas, principalmente a sua distribuição), e não o enriquecimento pessoal. Ensino de empreendedorismo na universidade Palestra Fernando Dolabela

2 Pedagogia Empreendedora Mogi das Cruzes Núcleo de Jovens Empreendedores No Brasil, o tema central do empreendedorismo deve ser o desenvolvimento humano e social, (não só geração de riquezas mas, principalmente a sua distribuição), e não o enriquecimento pessoal. Desenvolvimento social & Características do empreendedor Fernando Dolabela

3 Pedagogia Empreendedora Ensino universitário Segunda fase: programas nacionais CNPq – Softex IEL – Sebrae Resultados –300 instituições de ensino no Brasil –2.500 Professores capacitados –24 estados e Brasília – alunos/ano

4 Pedagogia Empreendedora Experiência na Educação Básica (4 a 17 anos) (Metodologia: Pedagogia Empreendedora) Experiência na Educação Básica (4 a 17 anos) 93 cidades 255 escolas professores alunos

5 Pedagogia Empreendedora Qual o tema do empreendedorismo? Desenvolvimento Capital Humano Capital Social Empreendedorismo Rede Democracia Cooperação Fonte: AED

6 Pedagogia Empreendedora O que sugere esta imagem?

7 Pedagogia Empreendedora Uma metáfora: qual seria o mapa das relações sociais no Brasil? Relações: Entre governo e cidadãos ? Entre sociedade civil e governo? Entre microempresas e governo? Entre sociedade e mercado? Entre filhos e pais? Entre alunos e ensino? Entre empregados e patrões? Entre cidadãos e cidadãos? Entre…

8 Pedagogia Empreendedora Primeiro passo: colocar de cabeça para baixo?!! Por que?

9 Pedagogia Empreendedora Segundo passo: tentar apagar as suas riquezas?!!! Por que?

10 Pedagogia Empreendedora Renda Conheciment o Poder Mapa das relações sociais no Brasil: A pirâmide seria uma metáfora? Por que? Ralé, plebe, patuléia, choldra, escória, arraia miúda, gentalha, escumalha, Zé-povinho 2,4% pop. 1980=10 vezes 2000=14

11 Pedagogia Empreendedora Cooperação Mudanças na organização do trabalho e suas repercussões na educação empreendedora Indivíduo Trabalho Know-how Emprego Indivíduo Trabalho G erar conhecimentos Oportunidade Mundo para o qual fomos preparados Mundo em que vivemos Competição Dependência Autonomia

12 QUESTÕES PROPOSTAS PELA REALIDADE BRASILEIRA Valor negativo do trabalho. Estigma do fracasso. Sonho pouco vinculado ao trabalho. Busca da estabilidade. Aversão ao risco. Cultura da dependência. Imagem negativa do empresário. Síndrome do empregado.

13 A SÍNDROME DO EMPREGADO É dependente, no sentido de que necessita de alguém para se tornar produtivo; para trabalhar. Descuida de outros conhecimentos que não sejam voltados à sua especialidade. Domina somente parte do processo. Não é auto-suficiente; exige supervisão e espera que alguém lhe forneça o caminho. Não busca conhecer o negócio como um todo: a cadeia produtiva, a dinâmica dos mercados, a evolução do setor. É especialista no que existe. O empreendedor é especialista no que não existe.

14 Não sabe ler o meio ambiente externo: ameaças e oportunidades. Raramente é agente de inovações, não é criativo, não gera mudanças e não muda a si mesmo. Faz mais do que aprende. Tem medo do erro (que é punido em nosso sistema de ensino e em nossa sociedade) e não o toma como fonte de aprendizagem. Prioriza o que se passa dentro da organização, em detrimento do que acontece fora. A SÍNDROME DO EMPREGADO

15 Pedagogia Empreendedora O empreendedor é alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidade, buscando e gerenciando recursos para transformar a oportunidade em negócio de sucesso (Timmons) identificaragarraraproveitar As fases da ação empreendedora

16 Pedagogia Empreendedora O empreendedor é alguém que sonha e busca transformar o seu sonho em realidade (Dolabela) TEORIA EMPREENDEDORA DOS SONHOS

17 Pedagogia Empreendedora PEDAGOGIA EMPREENDEDORA Realização do Sonho A relação entre os elementos é mais importante do que os dois elementos O empreendedor nasce do ato de sonhar

18 Pedagogia Empreendedora SISTEMA EMPREENDEDOR

19 Pedagogia Empreendedora EMPREENDEDORES, QUEM SÃO ELES? (1) Capacidade de sonhar Identificação de oportunidades Conceito de si Rede de relações. Conhecimento do setor O fracasso é visto como um resultado. Luta contra padrões impostos. Diferencia-se. Tem a capacidade de ocupar um intervalo não ocupado por outros no mercado. Tem forte intuição. Como no esporte, o que importa não é o que se sabe, mas o que se faz. Comprometimento. Ele crê no que faz. Orientado para resultados. É racional, mas usa também a parte direita do cérebro.

20 Pedagogia Empreendedora EMPREENDEDORES, QUEM SÃO ELES? (2) Líder. Sistema próprio de relações com empregados. Líder de banda. Orientado para o futuro. Dinheiro como uma das medidas de desempenho. Traduz os seus pensamentos em ações. Define o que deve aprender (a partir do não definido) para realizar as suas visões (aprender a aprender, proativo). Fixador de metas. Método próprio de aprendizagem. Aprende a partir do que faz. Emoção e afeto são determinantes para explicar o seu interesse. Aprendem indefinidamente. Internalidade. Empresa é um sistema social que gira em torno do empreendedor. Assume riscos moderados. É inovador e criativo. Alta tolerância à ambigüidade e incerteza.

21 Pedagogia Empreendedora CONCEITO DE SI APRENDER A SER LIDERANÇA E ENERGIA APRENDER A FAZER REDE DE RELAÇÕES APRENDER A CONVIVER CONHECIMENTO DO SETOR APRENDER A CONHECER Aprender a empreender O 5° Pilar da educação

22 Pedagogia Empreendedora Professor/Consultor: Fundação Dom Cabral - CNI-IEL Nacional –CNPq –Softex, AED, ex- UFMG, World Vision (ONG) Autor do software de Plano de Negócios, MakeMoney Autor de 9 livros : Segredo de Luísa, (20 edições) (1999) (romance) Oficina do Empreendedor (2000) A vez do sonho (2000) Empreendedorismo, Ciência, Técnica e Arte,Viagem do sonho, (Bob Brockhaus, Filion, Formica) (2000) Boa Idéia! E Agora? (Filion e outros) (2001) A viagem do Empreendedor (2002) Empreendedorismo: Uma forma de ser (2002) Pedagogia Empreendedora (2003) A Ponte Mágica (no Prelo) (romance) Autor de dezenas de artigos publicados em congressos nacionais e internacionais Fernando Dolabela

23 Pedagogia Empreendedora 1 – Explicitar objetivamente uma intencionalidade. A quem serve, no Brasil, a educação empreendedora? 2 – Adotar uma postura ética 3 – Estar afinada com a com a agenda nacional de desenvolvimento. 4 – Apoiar-se nas raízes culturais da comunidade, do município, da região, do estado, do país. (Não é adequado importar metodologias) 5 – Ser formadora de capital social 6 - Ser agente de mudança cultural 7 – Considerar a comunidade como o verdadeiro espaço de aprendizado. A educação empreendedora não pode ser confinada por muros. 8 – Entender que empreender é gerar conhecimento. 9 – Possuir uma linguagem própria. 10 – A educação empreendedora não pode se propor (porque não sabe, e não deve) a dar respostas. O empreendedor real é o mestre. (Quem faz e não quem somente lê) Propostas para a educação empreendedora

24 Pedagogia Empreendedora 11 – Privilegiar o auto-aprendizado. O ensino de empreendedorismo simula a forma através da qual o empreendedor aprende na vida real: fazendo, errando. Desenvolve empreendedores e não empresas. 12 – Atribuir ao professor um novo papel: o de "organizador" de um ambiente ou "cultura" favorável ao aprendizado. Ambiente do conhecimento 13 – Possibilitar que a metodologia seja "recriada". Evitar rigidez. 14 – Compatibilizar baixíssimo custo com alta eficácia. 15 – Atingir (principalmente) as populações carentes. O pobre pode e precisa ser empreendedor 16 - Não pretender ajustar pessoas a um modelo ou conjunto de características. O ser é mais importante do que o saber 17 - Considerar o empreendedorismo em seu conceito mais amplo. 18 – Eliminar a distancia entre sonho, emoção e trabalho Apoiar-se em fundamentos de cooperação, rede e democracia. 20 – Privilegiar o estudo da oportunidade. 21 – Suavizar a aversão sócio-política à Micro e Pequena Empresa. Propostas para a educação empreendedora


Carregar ppt "Pedagogia Empreendedora Mogi das Cruzes Colégio Santa Mônica No Brasil, o tema central do empreendedorismo deve ser o desenvolvimento humano e social,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google