A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O PROBLEMA DA LINGUAGEM As palavras e as coisas - Teoria dos Signos -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O PROBLEMA DA LINGUAGEM As palavras e as coisas - Teoria dos Signos -"— Transcrição da apresentação:

1 O PROBLEMA DA LINGUAGEM As palavras e as coisas - Teoria dos Signos -

2 A relação entre as palavras e as coisas é objeto de um longo debate na filosofia. Seriam os nomes que damos aos seres meras convenções ou seriam eles naturais e inerentes aos seres? Poderíamos chamar as mesas de cadeiras e as cadeiras de mesas, por exemplo? CONVENÇÕES

3 Existe um limite para o convencionalismo, pois as palavras devem significar a essência daquilo que representam. Mesmo que as palavras variem de uma língua para outra, em cada uma delas a palavra sempre representa a essência daquilo que ela nomeia. Ela é um instrumento para representar a ordem das coisas. Assim como existe uma ordem nas coisas, existe uma ordem na linguagem, que é tão mais verdadeira quanto melhor representar a ordem das coisas. Por isso, é necessária uma crítica da linguagem para que ela se torne mais fiel como instrumento para dar expressão à ordem natural das coisas. Tal tarefa cabe ao dialético, responsável por criar os nomes e fazer com que a palavra possa exprimir em sons a idéia correspondente à essência da coisa.

4 Muitos povos antigos consideravam o nome como parte indissociável do seu ser. O nome seria tão parte da pessoa como suas mãos ou pés. Assim, o nome adquiria muitas vezes um caráter sagrado, cabendo ao indivíduo honrá-lo e defendê- lo. Ainda hoje, em muitas religiões, realizam-se ritos que tentam atingir uma pessoa através da manipulação do seu nome.

5 Entre os cristãos, era comum mudar de nome após converter-se ao cristianismo como símbolo de uma nova vida. Existem pessoas que acreditam que falando o nome da coisa a estamos chamando, como quando se fala da morte, por exemplo. Há outras que acreditam que não se deve falar de pessoas mortas.

6 TEORIA DOS SIGNOS

7 "Defino um ícone como sendo um signo que é determinado por seu objeto dinâmico em virtude de sua natureza interna". O ícone exibe a mesma qualidade que o objeto denotado. Ex: a onomatopéia, a imagem, o diagrama. Podemos então dizer que há uma relação de semelhança entre o signo e seu objeto. No caso do ícone, o significante tem uma semelhança ou imita o significado. Há alguma similaridade de qualidades entre um e outro. Exemplos: uma fotografia, um desenho, uma caricatura, um modelo em escala, uma onomatopéia, certos efeitos sonoros no rádio e no cinema, gestos de imitação ÍCONE

8 EXEMPLOS:

9 "Defino um índice como sendo um signo determinado por seu objeto dinâmico em virtude da relação real que mantém com ele". O índice se encontra em relação de contigüidade com o objeto denotado. Ex: O sintoma da doença, o pingo da chuva, a queda do barômetro, o cata-vento. Na língua, os dêiticos (expressões cujo referente só pode ser determinado em relação aos interlocutores: eu, tu, aqui, agora, etc... No caso do índice, o significante não está arbitrariamente ligado ao significado, e sim tem uma conexão direta com o mesmo, física ou causal. Essa conexão pode ser observada ou inferida. Exemplos: Signos naturais, como a fumaça, trovão, pegadas, ecos, cheiros e sabores naturais, sintomas médicos (dor, pulso), sinais como o do galo do vento, o relógio de sol, batidas na porta, o telefone que toca, o dedo que aponta, uma gravação, marcas pessoais (nossa escrita à mão) e palavras indexicais, como este, aquele, isto, aqui, eu, tu. ÍNDICE

10 EXEMPLOS:

11 "Defino um símbolo como sendo um signo que é determinado por seu objeto dinâmico no sentido apenas do qual ele será interpretado". O símbolo se refere a qualquer coisa por força de uma convenção ou lei. Há, nesse caso, uma relação convencional ou arbitrária entre o signo e seu objeto. Exemplo: as palavras de uma língua natural. No caso dos símbolos, o significante não tem semelhança com o significado. O símbolo é fundamentalmente arbitrário ou puramente convencional. A relação entre significante e significado deve ser aprendida. Exemplos: a linguagem humana, em geral. Números, código morse, luzes e apitos trânsito, bandeiras, etc SÍMBOLO

12 EXEMPLOS:


Carregar ppt "O PROBLEMA DA LINGUAGEM As palavras e as coisas - Teoria dos Signos -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google