A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

02/12/2003 Sistema de Informações de Crédito - SCR Cooperativas - GTBHO.

Cópias: 1
02/12/2003 Sistema de Informações de Crédito - SCR Cooperativas - GTBHO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "02/12/2003 Sistema de Informações de Crédito - SCR Cooperativas - GTBHO."— Transcrição da apresentação:

1 02/12/2003 Sistema de Informações de Crédito - SCR Cooperativas - GTBHO

2 02/12/2003 Agenda da Reunião Histórico, normativos e prazos O que é o SCR? –Características técnicas –Famílias de funcionalidades Cadocs e dados exigidos –Características dos leiautes –Desafios e responsabilidades Troca / compartilhamento de informações Início das funcionalidades do sistema –Cronograma das cooperativas –Facilidades oferecidas

3 02/12/2003 Histórico, Normativos e Prazos

4 02/12/2003 Breve histórico do sistema

5 02/12/2003 Normativos Circular 3.098/02 –Dispõe sobre a remessa de dados ao SCR Carta-Circular de 26/09/02 –Dispõe sobre os procedimentos na remessa de informações. Carta-Circular de 21/06/02 –Dispõe sobre a estruturação dos arquivos e os status possíveis dos documentos. Comunicado de 27/06/02 –Divulga as regras de consistência sintática dos documentos.

6 02/12/2003 Prazos para Cooperativas Circular 3.166/02 –Adia o compromisso de informar para jan/2004 Altera a data-base de início para remessa de informações ao sistema Central de Risco de Crédito de cooperativas de crédito e sociedades de crédito ao microempreendedor Comunicado /03 –Abre o SCR para testes de cooperativas Desde jun/2003 os testes são realizados Reunião com cooperativas centrais –Abril, Maio e Dezembro de 2003 Apesar das iniciativas de divulgação, percebe-se que há tanto cooperativas que estão de fato preparando-se, quanto outras que desconhecem o sistema

7 02/12/2003 O que é o SCR? Características técnicas Famílias e funcionalidades

8 02/12/2003 SCR e inovação tecnológica Características técnicas –O SCR adota tecnologia de ponta (XML, internet) –Tecnologia XML requer treinamento de pessoal de informática das IFs –O SCR recebe os maiores documentos dentre todos os disponíveis no Banco Central –O leiaute do SCR demanda a maior quantidade de diferentes informações dentre todos os sistemas do Banco Central

9 02/12/2003 Famílias de Funcionalidades Correções de dados Validação Qualidade carga de dados Base de Dados do DataWarehouse DW Supervisão solicitação de geração infos. Base de Dados Operacional Consulta Supervisão Consulta IFs Consulta At. Público Consulta Individual Consulta Público Medidas Judiciais

10 02/12/2003 Como o SCR atende às instituições OLTP –Manutenção da base de dados Corrigir informações prestadas (Doc 3030 / 3020) Consultar Correções realizadas (Doc 3030 / 3020) Solicitar exclusão de documento enviado Consultar status de processamento do documento –Medidas judiciais Cadastrar medidas judiciais que contestem as informações prestadas –Acesso aos dados Consultar individual aos devedores Solicitar arquivo com a exposição no SFN dos clientes enviados ao SCR Solicitar arquivo a partir de um conjunto de devedores enviado Consulta via web-service (aplicação com aplicação) Existe na CRC

11 02/12/2003 Questões relevantes –1,10% do volume de crédito –2,86% do total de registros As Cooperativas e SCMs são sistemicamente relevantes?

12 02/12/2003 Questões relevantes –64% do valor se concentra entre e reais –A Central de Risco é relevante para avaliação de risco das Cooperativas Cooperativas têm muitos clientes com informações não agregadas na CRC?

13 02/12/2003 Cadocs e dados exigidos Características dos leiautes Desafios e responsabilidades

14 02/12/2003 Maior complexidade SFN –Dívida de cada cliente em 8 fixas de vencimento Dados da própria IF –Os mesmos para o SFN CRC SCR SFN –dívida de cada cliente em 21 faixas de vencimento, segregada por Modalidade / Sub-modalidade Exposição em moeda estrangeira ou Reais –Dados comportamentais do cliente Maior responsabilidade total Relacionamento com o SFN Dados da própria IF –Todos devolvidos para o SFN –Classificação de risco A ser acrescido –Risco indireto de op. Com interveniência

15 02/12/2003 Cadocs exigidos NomeIdentifDescrição Dados individualizados Doc3020Dados de clientes e operações de crédito com responsabilidade total maior ou igual a 5 mil reais. Dados adicionais para clientes com operações maiores que 5 milhões de reais Dados agregados Doc3030Agregações de todas as operações de crédito em carteira Dados de conglomerado informações solicitadas Doc3026Informações sobre conglomerados econômicos, dados de agência classificadora de crédito e dados de balanço dos clientes O sistema está estruturado em 3 documentos distintos (cadocs)

16 02/12/2003 Doc 3030

17 02/12/2003 Consolidação da carteira de crédito Congrega todos dados enviados de forma individualizada no Doc 3020 –Agregação de todas as operações, observando-se as aberturas e informando-se para cada agregado Doc Dados Agregados É o documento que reúne a totalidade da Carteira de Crédito e deve compatiblizar-se com o Cosif

18 02/12/2003 Informação desagregada por: –tipo de cliente; –faixa de valor da operação; –tipo de controle; –classificação de risco da operação; –natureza da operação; –modalidade da operação; –origem dos recursos; –localização; –prazo em dobro para provisionamento; –vinculação à moeda estrangeira; e –característica especial. Doc Dados Agregados

19 02/12/2003 Doc 3020

20 02/12/2003 Informações sobre Operações Responsabilidade igual ou superior a R$ 5 mil define o valor mínimo a ser informado ao SCR –operações iguais ou maiores que R$ 5 mil e inferiores à R$ 5 milhões –dados individualizados, operação por operação –Operação igual ou superior a R$ 5 milhões informações adicionais –operações menores que $ 5 mil dados consolidados, por cliente, modalidade e classificação de risco. Informações Consolidadas sobre Operações inferiores a R$ 5 mil Informações Individualizadas sobre Operações Não Relevantes Informações Individualizadas sobre Operações Relevantes

21 02/12/2003 Definição dos clientes Exige-se mais informações de clientes com maiores exposições –Operações abaixo de R$ 5 mil – dados consolidados –é o cliente titular de operação relevante. – é qualquer operação que tenha valor superior à R$ 5 milhões Cliente Relevante Operação Relevante

22 02/12/2003 Informações sobre Clientes Informações comuns a todos os clientes : –Código identificador do cliente CNPJ/CPF Código interno de devedor no exterior o Código interno do devedor sem CNPJ ou CPF –Tipo de cliente –Autorização –Porte do cliente –Tipo de controle –início do relacionamento do cliente com a IF abertura de conta corrente ou outra data relevante De acordo com o conceito interno adotado pela IF –Código interno do conglomerado econômico relacionar a posição de tomadores individuais ao conglomerado econômico Informações adicionais para clientes relevantes

23 02/12/2003 Operações acima de R$ 5 mil –Código do contrato código alfa numérico interno não se pode ter dois contratos com o mesmo cliente, código e modalidade –Código do Crédito baixado como prejuízo referenciado ao número do contrato da operação baixada –Origem dos recursos distinção entre livre e direcionado nas operações direcionadas –abertura quanto ao funding da operação –Taxa Referencial ou Indexador pré, pós, flutuante, índice de preços e outros –Variação cambial Sem variação, e principais moedas –US$, libra, euro, franco suíço, iene e outras –Natureza da operação Operações próprias Operações transferidas e cedidas –Modalidade /Submodalidade Vinculados ao Cosif e às operações + comuns Cada operação acima de R$ 5 mil conterá:

24 02/12/2003 –Taxa efetiva anual encargos e demais despesas incidentes no curso da operação –CEP CEP da dependência de concessão da operação –Classificação de risco da operação segundo Res 2682 –Distribuição dos vencimentos 21 diferentes faixas –a vencer acima de 5400 dias –vencido há mais de 540 dias Créditos baixados como prejuízo –Característica especial Renegociação recuperação do prejuízo; Crédito Rural (diversas) Etc. –Data da contratação da operação do vencimento da última parcela –Garantidores pessoais CNPJ ou CPF dos garantidores pessoais todos os garantidores da operação –Tipo e Subtipo das garantias Operações acima de R$ 5 mil Informações adicionais para todas operações acima de R$ 5 milhões Cada operação acima de R$ 5 mil conterá:

25 02/12/2003 Modalidades a detalhar Modalidades –Financiamentos –Adiantamentos a depositantes –Empréstimos –Títulos descontados –Operações de arrendamento –Outros créditos –Repasses interfinanceiros –Coobrigações –Créditos a liberar –Operações vinculadas –Créditos baixados como prejuízo Sub-modalidade (Ex. Financiamentos) - 64 –à exportação/importação, com interveniência, rurais e agroindustriais, imobiliários, de títulos e valores mobiliários, de infraestrutura e desenvolvimento

26 02/12/2003 Doc 3026

27 02/12/2003 Doc Dados Complementares Cliente relevantes op. igual ou super. R$ 5milhões Conglomerado – identificado pela IfConglomerado – identificado pela If –Código identificador de cada uma das pessoas –Tipo de pessoas Cliente solicitado pelo Bacen Dados de BalançoDados de Balanço –Código identificador do cliente –Tipo de cliente –Data do balanço –Dados do balanço Dados de Agência Classificadora - RatingDados de Agência Classificadora - Rating –Código identificador da agência –Classificação –Tipo de classificação

28 02/12/2003 Validação

29 02/12/2003 Validação dos cadocs Carta-Circular 3025 –Validação Etapa 1 (Sintática) – cerca de 400 críticas verificação da estrutura e formatação do arquivo, por meio de XML Schema (XSD) –Tags –Tipos de dados informados –Códigos –Campos obrigatórios; Cerca de 600 críticas sintáticas –Validação Etapa 2 (Semântica) – cerca de 70 críticas Verificação da consistência das informações –Aferição da compatibilidade interna dos dados –Doc x Cosif, Cadoc 4010 –Doc x Doc Validador Docs XML Críticas de avaliação MSGs de erro

30 02/12/2003 Importante Devo continuar enviando o Documento 3010? Sim. Sim. O sistema atual continuará recebendo informações por intermédio do Doc 3010 até que todas as fases de implantação do novo sistema, que utilizará os Doc 3020, 3026 e 3030, estejam concluídas e os dados enviados apresentem adequados graus de consistência e confiabilidade. O sistema atual continuará recebendo informações por intermédio do Doc 3010 até que todas as fases de implantação do novo sistema, que utilizará os Doc 3020, 3026 e 3030, estejam concluídas e os dados enviados apresentem adequados graus de consistência e confiabilidade.

31 02/12/2003 Compartilhamento de Informações

32 02/12/2003 CRC x SCR - Comparação Instituição Bacen Doc 3010 BD Operaci onal PDEV300 PDEV310 Doc 3030 Doc 3020 Doc 3026 Rotinas de Qualidade BD Controle BD Operacional Carga de dados Instituição Bacen Internet WebService Doc3082 PSTAW10 Doc3082 Sistema SCR Sistema CRC (atual)

33 02/12/2003 Início das Funcionalidades do SCR Cronograma das cooperativas Facilidades oferecidas

34 02/12/2003 Momentos de entrada Momento 0 01/12/2003 –Cadastramento de Medidas Judiciais Momento 115/12/2003 –Consultas às próprias informações Momento 219/01/2004 –Correção de dados Momento 330/01/2004 –Consultas SFN - Teste 20/02/2004Momento 420/02/2004 –Consultas SFN - Produção –Data-limite para envio de cadocs das cooperativas

35 02/12/2003 Cronograma Simplificado 01/Dez 15/Dez/03 01/Jan/04 19/Jan 31/Jan 20/Fev Momento 3 Consultas SFN - Teste Momento 0 Cadastramento de Medidas Judiciais Momento 2 Correção de dados Momento 1 Consultas às próprias informações Momento 4 Consultas SFN – Produção Data-limite para envio de cadocs das cooperativas

36 02/12/2003 Transição CRC x SCR Manutenção dos 2 sistemas por algum tempo Previsões: –Sistema SCR inicia a devolução de informações para o SFN em regime de teste a partir de 31/01 –Em 20/02 SCR entra em produção –Em 20/02 desativa-se apenas externamente o sistema CRC Todas as Instituições deixam de usar a PDEV300 –Em 20/02, cooperativas passam a enviar dados ao SCR (data-base janeiro) Cooperativas que não conseguirem enviar o documento perdem acesso ao sistema Central de Risco –Instituições permanecem enviando o doc 3010 até a data-base junho de 2004 –Realizada a migração completa, desativa-se o sistema CRC

37 02/12/ /Dez 31/Jan 28/ Fev 31/Mar 30/Abr Inicia-se o UC17 Cooperativas. 1a Data-base Doc 3010 Interrompe-se a PDEV300 20/Fev Cronograma: Transição

38 02/12/2003 Desafios do Segmento Adaptar a organização e os produtos internos às convenções do leiaute proposto Conseguir cumprir prazos previstos pelo Banco Central –critérios de qualidade transparentes porém rigorosos –data prevista: Jan/2004 Infra-estrutura tecnológica –sistema opera com tecnologia de ponta –profissionais mais qualificados devem ser incorporados –obter nos bancos de dados das cooperativas as informações que compõem a base de dados

39 02/12/2003 Facilidades Oferecidas Testes para Cooperativas –Início – 31/05 Realizado no ambiente de homologação –O envio e a aprovação do documento não o incorpora a base de dados definitiva Inclui todas as fases do processo –Envio de dados pelo PSTAW10 –Crítica dos arquivos –Avaliação pelos analistas de qualidade do Banco Central –Devolução de mensagens de erro ou aprovação Arquivos a serem enviados –Doc 3020 T320 –Doc 3030 T330 –Doc3026T326 Arquivos de resposta –Resultado de processamento T001

40 02/12/2003 Facilidades Oferecidas Treinamento gratuito –Introdução ao SCR e XML (4 horas): TI –Validação semântica de cadocs (4 horas): negócio Datas e inscrições –1a turma em 17/12/2003 –2a turma em 19/01/2004 –Solicitar vaga pelo Informar instituição, nome do participante, dados para contato, data de sua preferência

41 02/12/2003 Facilidades Oferecidas Informações na internet –http://www.bcb.gov.br/?COOPCREDITO, clicar no linkRoteiro Passo a Passo –Manual na internet disponível para download –Validador sintático disponível para download –Ajuda disponível na funcionalidade, quando do acesso Atendimento a dúvidas –Em Belo Horizonte, já disponíveis os números e –


Carregar ppt "02/12/2003 Sistema de Informações de Crédito - SCR Cooperativas - GTBHO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google