A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional."— Transcrição da apresentação:

1

2 Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável

3 Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 2 de 37

4 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 3 de 37 Justificativa e Relevância A atividade socioeconômica necessita segurança energética agora e no longo prazo: Global (efeito estufa e camada de O 3 ) e localmente (chuva ácida, contaminação e Lixo). Isso determina a introdução das dimensões econômica, social, política e ambiental dentro do planejamento energético. O custo ambiental, social e econômico devem ser parte da avaliação energética e técnica de formulação de planos locais e/ou nacionais.

5 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 4 de 37 O BURACO NA CAMADA DE OZONIO

6 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 5 de 37 Comparação do Incremento de Temperatura Observada Real e Simulada em Modelos Científicos desde 1860 até 2000

7 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 6 de 37 -As contradições de ambientalistas e desenvolvimentalistas, identificados como Eco-loucos e Energo-loucos, ambos os lados numa luta do bem e do mal. -A limitação da matriz energética atual (lembrando 2001), mesmo que renovável no uso da biomassa e do recurso hídrico, requer, na sua forma comercial, uma diversificação coerente bem dentro do século 21.

8 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 7 de 37 -As mudanças de clima, vinculadas ao aquecimento global, são um desafio recente e real - Quioto. -As fontes de energia externas devem ser consideradas posto que isto traz conseqüências econômicas inerentes. -A abertura dos mercados de energia e a competição na IE, determinam mudanças na forma tradicional de aprovisionamento de energia.

9 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 8 de 37

10 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 9 de 37 Introdução Geral A idéia de sistemas energéticos responde as necessidades energéticas num mundo cheio de incertezas quanto a satisfazer as necessidades que o crescimento demográfico apresenta. No paradigma atual de desenvolvimento, essas necessidades representam cargas pesadas ao planeta em quanto fonte de recursos e receptor de rejeitos. Os modos atuais de sustentação da atividade socioeconômica demonstram cenários impossíveis de alcançar caso o desenvolvimento em curso não incorpore mecanismos de desenvolvimento limpo.

11 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 10 de 37 Introdução Geral O desenvolvimento limpo carrega a idéia intuitiva de servir para arquitetar mecanismos de sistemas energéticos que considerem na sua construção a exaustão dos recursos, o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável. A consciência de um mundo com recursos naturais finitos e demanda de energia em crescimento obriga a incorporar, no desenvolvimento humano, o entendimento dos processos que degradam a energia e os recursos. Introduzindo o emprego continuo de metodologias para a melhoria de sistemas de energia e a redução de danos ao ambiente.

12 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 11 de 37 Introdução Geral As condições ambientais da maioria dos países têm piorado e a promessa de iniciar a era do desenvolvimento sustentável foi deixada para o futuro, um futuro que talvez jamais começa. Um dos perigos iminentes que confronta o desenvolvimento humano na terra é a falta de energia disponibilizada aos países pobres e o domínio opressivo do uso de energia atômica e fóssil no mundo inteiro. Surge assim a percepção e dilema de que a atual arquitetura de sistema energético no mundo é a principal razão para o desenvolvimento insustentável.

13 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 12 de 37 Introdução Geral O sistema energético estabelecido pelas sociedades industriais evoluiu de uma economia agrícola e de ações rurais para uma economia de serviço industrial em grandes áreas urbanas. No caso dos PEDs, esse sistema energético acelerou a migração da população rural, fazendo com que os centros urbanos crescessem incontrolavelmente, aumentando a defasagem entre a cidade e o campo. Para fixar o homem no campo, deve-se pensar na geração distribuída e renovável.

14 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 13 de 37 Introdução Geral Formalmente o elo entre energia e desenvolvimento determina a relação direta entre o uso do estoque de energia atômica/fóssil e os problemas ambientais: a ameaça para a atmosfera terrestre e o clima mundial; o aumento do buraco na camada de ozônio; o desaparecimento de florestas e a chuva ácida; a poluição do ar urbano, afetando fatalmente a saúde humana e a qualidade de vida; a contaminação tóxica de mares, lagos e rios; o consumo maciço de reservas de água, petróleo e carvão. os riscos de radiação nuclear e o armazenamento do lixo atômico não resolvido.

15 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 14 de 37 Sistemas Energéticos e Atividade Socioeconômica O desenvolvimento humano, manifesta-se através do avanço e inovação em tecnologias energéticas cada vez mais eficientes. A evolução se observa no processo das tecnologias de irrigação e instalações de transporte melhoradas, da milenar cultura chinesa às sociedades avançadas da Mesopotâmia, Egito, Grécia e Roma. Na Idade Média, esses avanços foram aplicados à industrialização, graças às energias hídricas e eólicas. A máquina a vapor representa, modernamente, a Revolução Industrial, e foi introduzida na produção, no transporte fluvial e ferroviário.

16 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 15 de 37 Sistemas Energéticos e Atividade Socioeconômica A máquina a vapor foi o maior conversor de combustível fóssil no século 19. A máquina a combustão coloca o combustível fóssil como referência para consumidores que emergem com as tecnologias energéticas do século 20. Desde 1950, a energia atômica foi somada à economia fóssil (porém não a substitui). As energias renováveis vêm através de grandes hidroelétricas como parte do abastecimento energético moderno. Porém não se dá o valor real ao potencial da energia renovável como instrumento de desenvolvimento limpo.

17 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 16 de 37 Sistemas Energéticos e Atividade Socioeconômica O modelo energético hoje restringe a viabilidade do ser humano na Terra: A população mundial está perto do esgotamento da reserva de energia não renovável comercial. Isso traz conflitos internacionais, pela preocupação com reservas. Traz perdas econômicas com o aumento dos preços da energia, que provocam tensões sociais locais e globais. Com o incremento do consumo de energia fóssil no mundo nos últimos 50 anos, os ecossistemas terrestres estão altamente prejudicados. De aí que o limite ecológico do planeta poderá vir antes dos limites da energia fóssil. A dependência global do sistema energético fóssil tem relação direta com o fato das fontes de energia se concentrarem somente em algumas regiões da Terra.

18 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 17 de 37 Visão Esquemática de um Sistema Energético

19 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 18 de 37

20 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 19 de 37

21 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 20 de 37

22 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 21 de 37

23 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 22 de 37 Objetivos Estabelecer bases de compreensão da energia e a possibilidade de um desenvolvimento sustentável. Na interação entre recursos, produção, transporte e uso da energia com a atividade sócio-econômica. Valorizar o tripé desenvolvimento, energia e meio ambiente nas dimensões econômicas, ambientais, políticas e sociais. Construir os conceitos e metodologia dirigidos ao DS local, regional ou global.

24 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 23 de 37 Contexto Verificadas as mudanças energéticas devido ao atual paradigma de desenvolvimento, deve-se: introduzir o conhecimento compreensivo do papel dos sistemas energéticos Incorporar a contribuição das diferetes fontes energéticas, das inter-relações entre elas e com o meio ambiente biótico, físico e humano. Surgem novas abordagens nas estratégias no tratamento da IE face ao desenvolvimento Local, Regional e/ou do País, onde é a energia o instrumento que sustenta a infra-estrutura em si.

25 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 24 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS 1.INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO HUMANO DIMENSÕES POLÍTICA, ECONÔMICA, AMBIENTAL E SOCIAL DA ENERGIA EQUIDADE (DISPARIDADES NORTE/SUL) DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

26 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 25 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS 2. MEIO AMBIENTE EVOLUÇÃO DA IMPORTÂNCIA AMBIENTAL IMPACTOS NO MEIO AMBIENTE DEVIDO À ENERGIA CAUSAS DOS IMPACTOS AMBIENTAIS MEIO AMBIENTE SUSTENTÁVEL

27 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 26 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS 3.ENERGIA HISTÓRICO DO USO DA ENERGIA FORMAS DE ENERGIA BALANÇO ENERGÉTICO MATRIZ ENERGÉTICA PROBLEMÁTICA ECONÔMICA DA ENERGIA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA ENERGIA SUTENTÁVEL

28 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 27 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS 4.RECURSOS NATURAIS CLASSIFICAÇÃO E ABRANGÊNCIA RESERVAS CAPITAL NATURAL

29 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 28 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS PRODUÇÃO DA ENERGIA TIPOS TECNOLOGIAS IMPACTOS INERENTES A CADA TECNOLOGIA CUSTOS COMPLETOS

30 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 29 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS TRANSPORTE DE ENERGIA TIPOS TECNOLOGIAS IMPACTOS DECORRENTES DO TRANSPORTE DE ENERGIA CUSTOS COMPLETOS

31 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 30 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA TIPOS TECNOLOGIAS IMPACTOS CUSTOS

32 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 31 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS USOS DA ENERGIA USO DA ENERGIA MOVEL USO DA ENERGIA ESTACIONÁRIO TECNOLOGIAS IMPACTOS CUSTOS COMPLETOS

33 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 32 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS ASPECTOS RELEVANTES DOS SISTEMAS ENERGÉTICOS PARADIGMA ATUAL DO SETOR ENERGÉTICO OFERTA E DEMANDA DE ENERGIA MERCADOS DE ENERGIA CONSERVAÇÃO ENERGÉTICA E USO RACIONAL CENÁRIOS ENERGÉTICOS ACESSO UNIVERSAL À ENERGIA PRECIFICAÇÃO ENERGÉTICA

34 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 33 de 37 CONTEÚDO DOS MÓDULOS MECANISMOS DE DESENVOLVIMENTO LIMPO –MDL MODELAGEM DO IPCC PROTOCOLO DE QUIOTO 1997 TEORIA E POLÍTICA DOS MDL ESTRATÉGIAS AMBIENTAIS – ENERGÉTICAS TIPOS DE MECANISMOS NOVAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO E USO DA ENERGIA

35 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 34 de 37 1.PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS ENERGÉTICOS Aspectos teóricos do PIR e a busca do menor Custo Completo Elementos para o desenvolvimento sustentável Introdução ao SAGe (Sistema de Análise Geo-energético) Usina de Dados. Conteúdo da Oficina de PIR

36 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 35 de CARACTERIZAÇÃO INICIAL DO POTENCIAL REGIONAL Exposição dos resultados obtidos na avaliação dos recursos energéticos de oferta e perspectivas de implantação regional como vetor do Desenvolvimento Sustentável. Conteúdo da Oficina de PIR

37 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 36 de DINÂMICA DE ACC COM OS ENVOLVIDOS INTERESSADOS Introdução ao método de Avaliação de Custos Completos e dinâmica com a audiência, através do preenchimento da planilha de recursos energéticos Percepção dos agentes locais em relação às opções energéticas locais (En-In). Conteúdo da Oficina de PIR

38 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta 37 de 37 GEPEA-USP – Grupo de Energia do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo COOPERHIDRO – Cooperativa do Pólo Hidroviário de Araçatuba IEE/USP – Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo PIPGE/USP – Programa Interunidades de Pós-graduação em Energia da USP GTMDLeCS/USP – Grupo de Trabalho em Mecanismos de Desenvolvimento limpo e Consumo Sustentável da Universidade de São Paulo. FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Entidades Envolvidas no Treinamento


Carregar ppt "Introdução Geral Miguel Edgar Morales Udaeta Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google