A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação dos Níveis de Conflito dos Envolvidos e Interessados no Processo do Desenvolvimento Sustentável do Setor Energético da Região de Araçatuba. PEA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação dos Níveis de Conflito dos Envolvidos e Interessados no Processo do Desenvolvimento Sustentável do Setor Energético da Região de Araçatuba. PEA."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação dos Níveis de Conflito dos Envolvidos e Interessados no Processo do Desenvolvimento Sustentável do Setor Energético da Região de Araçatuba. PEA 5730 – Planejamento Integrado de Recursos Agosto de 2006

2 Objetivo Fazer um levantamento dos Envolvidos e Interessados no setor de energia Levantar os seus interesses e avaliar as situações conflitantes Propor um modelo para resolução destes conflitos, considerando todas as dimensões do Planejamento Integrado dos Recursos Energéticos (PIR).

3 Diretrizes do PIR A inclusão de todas as opções de recursos energéticos no processo de planejamento A caracterização de recursos dentro de diferentes dimensões de análise perspectivas ambiental, social, política e técnico- econômica A participação de todos os agentes do setor energético no processo de análise de recursos.

4 Região Administrativa de Araçatuba Terminal Hidroviário de Araçatuba Hidrovia Tietê-Paraná Base Estratégica para o Mercosul Ferrovia Novoeste Gasoduto Brasil-Bolívia (Castilho – Avanhandava) Pólo Gerador de Energia Hidrelétrica: Jupiá, Ilha Solteira e Três Irmãos Pólo Calçadista Economia Regional: Comercialização de Bovinos Cana de Acúçar Indústrias Moageiras Produção de Barcaças Produção Sucroalcooleira AlcoolAzul Destivale Culturas: Café, Milho, Arroz, Soja, Feijão e Tomate

5 Envolvidos e Interessados Órgãos Fiscalizadores Órgãos Fomentadores Concessionárias de Energia Interessados Consumidores Outros

6 Fiscalizadores CSPE Regula e fiscaliza os serviços de distribuição das 14 concessionárias de distribuição de energia elétrica, que atuam no Estado de São Paulo e das 3 concessionárias de distribuição de gás canalizado. CETESB C ontrole, fiscalização e monitoramento da qualidade ambiental, no âmbito das águas, ar e solo. DAEE Gestão dos Recursos Hídricos do Estado de São Paulo

7 Fomentadores CooperHidro Cooperativa do Pólo Hidroviário de Araçatuba – Agência de desenvolvimento Regional, é uma organização privada, independente e sem fins lucrativos. Suas ações e atividades estão voltadas para identificar, criar e mapear oportunidades de negócios na região, promovendo o aproveitamento estratégico das potencialidades e infra-estrutura regional. Partiu desta a proposta de um PIR para a região do Oeste Paulista, como ferramenta para orientar o desenvolvimento sustentável e integrado da região. BNDES Desde a sua fundação, em 20 de junho de 1952, o BNDES vem financiando os grandes empreendimentos industriais e de infra-estrutura tendo marcante posição no apoio aos investimentos na agricultura, no comércio e serviço e nas micro, pequenas e médias empresas, e aos investimentos sociais. Eletrobrás Promover estudos e projetos de construção e operação de usinas geradoras, linhas de transmissão e subestações, destinadas ao suprimento de energia elétrica do País. Também dá suporte a programas estratégicos do governo, como o Proinfa, Procel e Luz para Todos Sebrae Desenvolvimento sustentável das empresas de pequeno porte.Incentivo ao desenvolvimento de atividades que contribuem para geração de emprego e renda.

8 Concessionárias AES Tiête Elektro CPFL Gas Brasiliano

9 Interessados Transen Posto GNV Universitário UDOP – Usinas e Destilarias do Oeste Paulista

10 Consumidores Indústrias -Indústria de Laticínio -Indústria de Óleos vegetais -Beneficiamento do couro -Enlatados -Eletrodomésticos -Artefatos de papel -Outros. Pólo Calçadista O Pólo conta com 246 empresas no setor calçadista o qual emprega pessoas com produção diária de pares. Pecuária e Agricultura -Pecuária bovina, criação de carneiros e avestruzes -Culturas do milho, arroz, soja, feijão e tomate -Produção Sucroalcooleira

11 Outros Sindicato dos Trabalhadores Rurais Prefeituras e Governo do Estado Universidades e Faculdades Outros

12 Resultado - ACC Fonte: Ponderação Integral de Recursos Energéticos Locais de Oferta

13 Aspectos Negativos Coletores Solares Utilização de grandes áreas e demanda por grandes investimentos Álcool Adoção da colheita mecanizada sem queima. Redução do número de trabalhadores Bagaço de Cana-de-Açúcar Necessidade de contornar a falta de regularidade no suprimento (sazonalidade da produção), criação de monoculturas, uso intensivo de defensivos agrícolas. Desconhecimento das regras para que produtores se tornem PI. Risco do investimento. Aumento da Queima Gás Natural Veicular Concorrente do Álcool

14 Aspectos Negativos Aerogeradores Impactos Sonoros e Visuais e possibilidade de interferências eletromagnéticas Gás Natural (com. e res.) Necessidade de um sistema de resfriamento, cujo fluido normalmente é a água. Incerteza no fornecimento (corporações internacionais). Produtores x Distribuidores. PCH Conflitos de uso dágua com a população local Óleos Vegetais (in natura) Necessidade de áreas para plantio Fotovoltaica Adequado para sistemas isolados ou não conectados à rede. Alto Custo. Necessidade de Incentivos. Intermitência da geração

15 Aspectos Negativos Biogás O PROINFA teve sua primeira fase de contratação iniciada em maio/2004, porém nenhum projeto de biogás foi contemplado, pois as exigências técnicas e documentais e o exíguo tempo para elaboração de propostas não permitiram. Biodiesel Áreas Agrícolas disponíveis. Alto preço Termelétricas Disponibilidade de Recursos Hídricos. Ruídos. Geração de Resíduos

16 Levantamento de Conflitos

17 Modelo para Solução de Conflitos Interesses Distintos Opiniões Técnicas Divergentes Como Buscar o Consenso?

18 Modelos Disponíveis Modelos Matemáticos Pesquisa Operacional, Estatística, etc Modelos da Inteligência Artificial Mineração de Dados, Redes Neurais etc Modelos analíticos multidisciplinares Apoio Multicritério à Decisão

19 Objetivo: Fornecer uma decisão onde vários pontos de vista, frequentemente contraditórios, devem ser considerados. O ótimo depende de cada ponto de vista que se adota (ou seja, de cada critério). Não existe, na imensa maioria dos contextos reais de decisão, uma solução ideal – que agradaria simultaneamente a todos os interesses associados ao problema. Busca-se, na realidade, algumas possíveis soluções de compromisso.

20 Apoio Multicritério à Decisão Pode ser dividida em três grupos: Teoria da Utilidade Multiatributo Agrega diferentes pontos de vista em uma função, que se baseia em teoremas ou axiomas matemáticos Métodos de Sobreclassificação É criada uma relação de sobreclassificação, que representa uma espécie de ordenação entre as alternativas baseada nas preferências do decisor Métodos Interativos Alterna de cálculos matemáticos e perguntas ao decisor para estabelecer suas preferências

21 Métodos de Sobreclassificação Caso Araçatuba Determinar um peso para cada tipo de conflito e grupo afetado, de acordo com a sua dificuldade de solução Determinar o grau de sobreclassificação para cada par de alternativas Classificação dos recursos por ordem de dificuldade de solução dos conflitos Rever o resultado da ACC

22 Fontes [01] CEO, Alexandre Silva; NYIMI, Douglas Ricardo Slaughter; GALVÃO, Luiz Claudio Ribeiro; UDAETA, Miguel Edgar Morales. Ponderação Integral dos Recursos Energéticos Locais de Oferta. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA., Rio de Janeiro, RJ, [02] FITTIPALDI, Eduardo Henrique Diniz;SAMPAIO, Luciano Bezerra Menezes; ALMEIDA, Adiel Teixeira. Comercialização de Energia Elétrica em um Mercado Competitivo:Um Problema de Decisão Multicritério. [02] Prefeitura Municipal de Araçatuba. Em [03] Portal do Governo do Estado de São Paulo. Em


Carregar ppt "Avaliação dos Níveis de Conflito dos Envolvidos e Interessados no Processo do Desenvolvimento Sustentável do Setor Energético da Região de Araçatuba. PEA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google