A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Treinamento Técnico- Dimensão Ambiental Novos Instrumentos de Planejamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Treinamento Técnico- Dimensão Ambiental Novos Instrumentos de Planejamento."— Transcrição da apresentação:

1

2 Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Treinamento Técnico- Dimensão Ambiental Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Módulo 3 : Produção de Energia e Impactos Ambientais Pesquisador: Mário Fernandes Biague

3 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 2 Impactos Ambientais- Produção de Eletricidade Cerca de 1/3 do consumo de energia primária tem como finalidade a produção de eletricidade Aproximadamente 2 bilhões de pessoas não tem acesso à eletricidade Emissões de Óxidos de Enxofre/GW de eletricidade

4 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 3 Impactos Ambientais- Produção de Eletricidade Emissões de óxidos de nitrogênio/GW de eletricidade

5 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 4 Impactos Ambientais- Produção de Eletricidade Emissões de dióxido de carbono/GW de eletricidade

6 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 5 Impactos Ambientais- Produção de Eletricidade Emissões de metano/GW de eletricidade

7 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 6 Impactos Ambientais- Produção de Eletricidade Emissões de monóxido de carbono/GW de eletricidade Fonte:Science Concepts Inc, reducing airborne emission with nuclear eletricity, 1625 K Street, NW, Suite 1125, Washington DC, EUA (1989)

8 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 7 Contribuição dos setores ao crescimento das emissões globais de CO2 provenientes da queima de combustível, : -Usinas geradoras de energia e Calor (outros combustíveis) = 18%; -Usinas Geradoras de energia e calor (carvão) = 33 % -Usos não-energéticos = 1%; -Consumo final e outros setores = 8%; -Consumo final transporte = 26 %; -Consumo final industria = 10 %; -Transformação, Uso Próprio e perdas = 4% Impactos Ambientais- Produção de Eletricidade

9 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 8 Impactos Ambientais Emissões Acumuladas de CO2 para Limitar o aquecimento global a 2 grau Celsius acima dos níveis industriais, o caso de referência para as tendências de emissão CO2 até 2100: Sensibilidade Climática Presumida grau Celsius Emissões acumuladas de CO a 2100 Emissões Acumuladas de CO Orçamento de emissão remanescente 1, ~90086% - 87% 2, – 3.337~90071 % - 73 % 3,5 4, – ~ % - 56 % 35 %

10 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 9 Os Potenciais Poluentes da Geração Termelétrica Tecnologia/ CombustívelInsumosPotenciais Emissões atmosféricas Convencional/ CarvãoCarvão, água desmineralizada, combustíveis auxiliares (óleo combustível, gás natural, briquetes), lubrificantes, desengorduradores, substancias de tratamento químico da água NOx, CO, SOx, CO2, particulados (incluindo PM10), emissões fugitivas, orgânicos voláteis e traços de metal Convencional/ Gás NaturalGás natural, combustíveis auxiliares (óleo combustível, destilados), água desmineralizada, desengorduradores, lubrificantes substancias de tratamento químico da água NOx, CO, CO2, SOx, particulados (incluindo PM10, orgânicos voláteis, traços de metal) Convencional/ OleoÓleo Combustível, combustíveis auxiliares (gás natural, destilados, água desmineralizada, lubrificantes, desengorduradores NOx, CO, CO2, SOx, particulados (incluindo PM10), orgânicos voláteis, cloro e traços de metal Turbina a gás/gás naturalGás natural, combustíveis auxiliar (destilado), lubrificantes, desengorduradores NOx, CO, CO2, orgânicos e traços de metal

11 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 10 Fatores Médios de Emissão dos Poluentes (SO2, CO2 e PM) para cada Categoria de Empreendimento Termelétrico CombustívelCategoria de Empreendimento TecnologiaFator de Emissão do Poluente (g/ kwh) SO2CO2PM10 Carvão Nacional1Ciclo a vapor Convencional ,5 2Leito Fluidizado31.32n.a Carvão Internacional3Ciclo a vapor Convencional com caldeira a carvão pulverizado 5, ,15 4Leito Fluidizado/ Ciclo Combinado 0,91n.a Gás Natural5Convencional0,134930,65 6Ciclo Combinado04380 Óleo Combustível Padrão Óleo Combustível Pesado 7878 Turbina a Gás Convencional 2,2 16, ,09

12 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 11

13 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 12 Hidroeletricidade: variam muito com o tamanho e o tipo. As PCHs = impactos muito pequenos. Grandes centrais = impactos maiores: destruição da fauna e da flora pelo alagamento, assoreamento em reservatórios, perdas de recursos minerais. Também não está livre das emissões de gases do efeito estufa; Impactos Ambientais- Energia Hídrica

14 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 13 Usinas Hidrelétricas Não emitem poluentes associados aos combustíveis fósseis, mas apresentam impactos ambientais Alagamento de grande áreas, em razão da construção de grandes represas Perda de terras agricultáveis, pastagens, flora e fauna nativa Deslocamento de populações Indicador de impacto ambiental: relação potência fornecida e área de alagamento Quanto menor o indicador, maior será o impacto causado pela usina em questão

15 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 14 Potência produzida por hectare de área inundada de usinas hidrelétricas brasileiras

16 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 15 Vista aérea de Três Gargantas – China

17 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 16 Três Gargantas - China 26 geradores - total de 18,2GW Barragem de 2.309m x 185 m US$28 bilhões Projeto de 17 anos (2009) Altura da água: 175 m 632 km 2 alagados ha de terras (agricultura) 1300 sítios arqueológicos Deslocamento de 1,2 milhões 1599 indústrias Melhoria da navegação Aumento na oferta eletricidade Controle de vazão

18 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 17 Biomassa: Fonte renovável (quando manejada adequadamente) Apresenta balanço zero de emissões, não são emitidos NO x, SO x, CO2 é absorvido na fotossíntese Problemas: monocultura (diminui a fertilidade do solo), agrotóxicos, fertilizantes, o transporte requer veículos e infra-estrutura que causam emissões para a atmosfera; Impactos Ambientais

19 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 18 Energia Eólica Quase total ausência de impactos ambientais. Dentre os possíveis: ruído; colisão de pássaros (problema maior em linhas de alta tensão); impacto visual; limitação do uso do espaço ocupado. Impactos Ambientais

20 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 19 Energia solar Não apresenta impactos diretos. Produção de painéis solares provoca impactos ao ambiente Possibilidade de a energia requerida para se confeccionar um sistema completo ser maior do que a energia produzida por esse sistema em sua vida útil. Impactos Ambientais

21 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 20 Energia Nuclear Não apresenta emissões para atmosfera Processo de enriquecimento do urânio apresenta impactos ambientais Apesar disso, e excluindo-se os acidentes, a energia nuclear pode ser considerada pouco impactante para a natureza, e por isso deve ser analisada sempre como uma boa alternativa de fonte de energia; Impactos Ambientais

22 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 21 Chernobyl

23 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 22 Energia Geotérmica Temporários, relacionados a perfuração e a exploração, Permanentes, resultantes da manutenção da fonte e operação da fonte de geração: ocupação do solo e impacto estético da mesma, incluindo em alguns casos Plumas, torres de refrigeração, ruídos, liberação de gases poluentes (como H 2 S e CO 2 ) e elementos tóxicos (mercúrio e arsênico) na atmosfera, lixo sólido e deposição de água residual, pequenos tremores de terra e rebaixamento do solo; Impactos Ambientais

24 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 23 Energia das Ondas Ambiente costeiro pode ser afetado pela modificação do clima das ondas locais, ou seja, a redução de energia das ondas pelos equipamentos podem, em teoria, afetar a densidade e a composição das espécies dos organismos residentes. Mesmo assim a utilização da energia das ondas apresenta bem mais aspectos ambientais positivos do que negativos; Impactos Ambientais

25 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 24 OTEC Diversos efeitos ambientais, alguns de difícil análise, o grande fluxo de água quente e fria, poderia modificar os padrões locais ou mesmo globais do tempo, embora as evidencias desse fato sejam poucas. Outro problema é o dióxido de carbono contido nas águas profundas do oceano que poderia ser liberado quando bombeado e aquecido no condensador. Uma planta OTEC pode também afetar o ecossistema local devido a mudanças provocadas na temperatura e salinidade da água. Impactos Ambientais

26 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 25 Energia das Marés O aproveitamento da energia das marés não causa a emissão de poluentes na atmosfera, além do fato de a barragem poder proteger a costa na ocorrência de tempestades marítimas Por outro lado, a construção de estruturas a beira-mar pode afetar o regime de sedimentação e erosão do local Impactos Ambientais

27 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 26 Geração de Eletricidade e Impactos Ambientais Usinas a gás natural poluem menos do que as baseadas no carvão, petróleo e madeira As usinas nucleares poluem menos que as demais, mas apresentam problemas ambientais graves relacionados à deposição do lixo atômico

28 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 27 Custos ambientais da energia Tipo USD/MMB tu USD/kWh gerado USD/kWh entregue Carvão – leito fluidizado Carvão – IGCC Carvão – caldeira conv Óleo (1%S) – caldeira conv GN – caldeira convencional GN – CC Solar Eólica Biomassa Fonte: Ottinger. R. L.; Environmental costs of eletricity, 1991

29 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 28 Ciclo energético global UNCED issues matrix Valor relativo do impacto (10 é o máximo) Nenhum 0 a < 3 3 a < 7 7 a 10 Símbolo Nenhum Fonte: International Solar Energy Society, 1992


Carregar ppt "Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Treinamento Técnico- Dimensão Ambiental Novos Instrumentos de Planejamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google