A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RECURSOS ENERGÉTICOS NATURAIS

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RECURSOS ENERGÉTICOS NATURAIS"— Transcrição da apresentação:

1 RECURSOS ENERGÉTICOS NATURAIS
Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável RECURSOS ENERGÉTICOS NATURAIS Decio Cicone Junior

2 Departamento Mineral dos EUA
Recursos: concentrações do material em formas em que a extração é potencialmente econômica. Recursos Identificados: localização, qualidade e quantidade conhecidas ou estimadas por evidências geológicas Demonstrados Inferidos Não-descobertos: espera-se que existam devido a condições geológicas favoráveis Reservas: recursos identificados que são economicamente recuperáveis Outras ocorrências: recursos que a extração é considerada técnica ou economicamente inviável Recursos não-convencionais 04/11/2004 manhã

3 Controvérsias a respeito de avaliações de longo prazo
Reservas de Petróleo Controvérsias a respeito de avaliações de longo prazo 1a: maior parte já foi descoberto 2a: reservas têm uma quantidade dinâmica, guiada pela demanda e avanço tecnológico Ocorrência finita Desde a metade dos anos 70, poucos novos campos foram descobertos Reavaliação das reservas já descobertas Faltam os de mais difícil acesso e menores 90 % da produção atual é de poços de mais de 20 anos 04/11/2004 manhã

4 Reservas estimadas (EJ – 10^18 exajoule)
04/11/2004 manhã

5 Formas não-convencionais de petróleo
Recursos tão grandes quanto os convencionais Pessimismo acerca do aproveitamento no curto prazo Previsão de auge e declínio da produção de petróleo, num futuro próximo Xisto: rocha sedimentar rica em matéria orgânica 1% têm mais de 100 litros por m3 de rocha 85 % têm menos de 40 litros por m3 de rocha China e Estônia – principal fonte de energia Óleo cru pesado Petróleo de alta viscosidade – acima de 20º API Degradação de petróleo convencional em reservatórios 8% da produção mundial: Venezuela, EUA, Canadá, Iraque Betume natural Arenitos co m hidrocarbonetos em alta viscosidade Metamorfose térmica e biodegradação de petróleo convencional Alberta - Canadá 04/11/2004 manhã

6 Reservas estimadas de formas não convencionais de petróleo (em EJ)
04/11/2004 manhã

7 Reservas de Gás Natural
Reservas são bem maiores que o uso atual Desenvolvimento da distribuição exige altos investimentos em tubulações e infraestrutura Grande potencial para o século XXI 04/11/2004 manhã

8 Reservas de GN em formas não-convencionais
Maiores que as convencionais Metano Mistura de gases com mais de 90 % de metano Associados a depósitos de carvão betuminoso e antracito Ex-URSS: 50%, Ásia Central 20 % e América do Norte 15 % EUA: produção comercial – 5% da produção de GN Gás comprimido GN preso em reservatórios naturais de baixa permeabilidade Extração requer processos especiais e caros 3 % da produção de GN mundial - EUA 04/11/2004 manhã

9 Reservas de GN em formas não-convencionais
Hidratos Depósitos congelados de gás que cobrem o oceano Alto conteúdo de gás metano Não se propôs técnicas atrativas para o aproveitamento, nem há estimativas científicas para a quantidade de metano existente Pesquisa a longo prazo: Índia, EUA e Japão. Gás geopressurizado Gás dissolvido em aqüíferos subterrâneos sob pressões normais, principalmente na forma de metano. Potenciais enormes Produção pequena na Itália, Japão e EUA, motivada pela extração de outros elementos como o iodo 04/11/2004 manhã

10 Recursos potenciais de gás de fontes não convencionais (em EJ)
04/11/2004 manhã

11 Reservas de Carvão Classificação por valores caloríficos
Carvão betuminoso Carvão subbetuminoso (alta e baixa energia – kJ/kg) Lignita Base da produção de energia por 200 anos Previsão de crescimento devido às enormes reservas 75 % concentrada na Austrália, China, Índia, África do Sul e EUA 85 % de alto poder calorífico Produtores: China – 31 %, EUA – 26 % 90 % consumido no próprio país Austrália: maior exportador 04/11/2004 manhã

12 Estimativas WEC – milhões ton
04/11/2004 manhã

13 Estimativas BGR – bilhões de ton
04/11/2004 manhã

14 Materiais Físseis Urânio Auge na década de 70
Avaliado segundo os níveis de custo de produção Alto poder energético: 22 ton produzem 1 TWh Formas não-convencionais: fosfatos Interesse quando se pensou que a demanda pudesse exceder a produção Tório Poucos reatores Pouco desenvolvimento Reservas e recursos grandes Maiores reservas: Brasil, Austrália, Canadá, Índia, África do Sul, EUA 04/11/2004 manhã

15 Recursos de urânio (ton)
04/11/2004 manhã

16 Recursos estimados e especulados (ton)
04/11/2004 manhã

17 Recursos de tório (ton)
04/11/2004 manhã

18 Recursos Hidrelétricos
Fonte renovável mais utilizada para geração de eletricidade 2566 TWh (1997) Não disponível em todas as regiões Centros de produção distantes dos centros de consumo – aumento dos custos de transmissão Fonte limpa Impactos poucas emissões de gases de efeito estufa Alagamentos Longo período de amortização: menos atrativa para mercados privados Potencial teórico, técnico, econômico 04/11/2004 manhã

19 Recursos Hidrelétricos
04/11/2004 manhã

20 Recursos de Biomassa 11% da energia do mundo
Importante em países em desenvolvimento – 35 % do total Índia – 41 % da energia primária Grande parte em forma não-comercial Considerada fonte do passado e do futuro Recursos enormes Tecnologias: Gaseificação, Álcool Classificação: animal e vegetal, dejetos de lixo e esgoto 04/11/2004 manhã

21 Produção de energia 04/11/2004 manhã

22 Recursos de Energia Solar
Potencial teórico enorme Irradiação é três vezes maior que todo o uso de energia Uso depende da posição geográfica condições de tempo utilização da terra Limitada pela tecnologia de conversão 04/11/2004 manhã

23 Potencial anual (EJ) 04/11/2004 manhã

24 Recursos de Energia Eólica
Viável a partir de potência dos ventos acima de 400 W/m2 a 30 metros do solo Avanços tecnológicos esperados Potenciais muito grandes 04/11/2004 manhã

25 Potencial anual de energia eólica
04/11/2004 manhã

26 Recursos anuais estimados
04/11/2004 manhã

27 Recursos de Energia Geotérmica
Calor armazenado dentro da Terra Temperatura aumenta 3º C a cada 100 m de profundidade Quatro tipos ·  Hidrotérmica: água quente a baixas profundidades; · Geopressurizada: água quente contendo metano dissolvido sob altas pressões a profundidades de 3 a 6 km; ·  Rocha seca quente: formações geológicas quentes com pouca ou nenhuma água; · Magma: rochas derretidas a temperaturas de 700 a graus Celsius. Grande potencial Dificuldade de ser explorada economicamente em larga escala 04/11/2004 manhã

28 Potencial anual de energia geotérmica (EJ)
04/11/2004 manhã

29 Energia Oceânica Energia das marés: gravidade do sol e da lua
Energia das ondas: energia mecânica retida Energia térmica dos oceanos: diferença de temperatura entre águas superficiais quentes e águas profundas Energia do gradiente do sal: vinda da diferença de salinidade entre a água da foz dos rios e a água do mar A energia das marés é a de aproveitamento mais avançado, com centrais comerciais Outras ainda não são maduras comercialmente Grande potencial, mas de forma difusa 04/11/2004 manhã

30 Potencial anual de energia oceânica
04/11/2004 manhã

31 Resumo fósseis e físseis (milhares de EJ)
Recursos Globais Plenamente suficientes para se construir um desenvolvimento sustentável, nos próximos 100 anos Resumo fósseis e físseis (milhares de EJ) 04/11/2004 manhã

32 Recursos renováveis (exajoules/ano)
Recursos Globais Fontes renováveis são incrivelmente grandes, porém uma grande parte desses recursos ainda não dispõe de tecnologia para serem aproveitados. Recursos renováveis (exajoules/ano) 04/11/2004 manhã

33 Recursos Brasileiros 04/11/2004 manhã

34 Recursos Brasileiros 04/11/2004 manhã

35 Recursos Brasileiros Petróleo (milhões de m3) – águas profundas:
04/11/2004 manhã

36 Recursos Brasileiros Biomassa: bagaço de cana
270 milhões de toneladas moídas 11 milhões de bagaço 100 Wh por tonelada 04/11/2004 manhã

37 Recursos Brasileiros Carvão Mineral
32 bilhões de toneladas em reservas Baixa qualidade Importante na região Sul 04/11/2004 manhã

38 Recursos Brasileiros 04/11/2004 manhã

39 Recursos Brasileiros Material físsil: 6a maior reserva de urânio do mundo 04/11/2004 manhã

40 Recursos Brasileiros Energia eólica: Atlas do Potencial Eólico
Energia solar Ótimo índice de radiação Semi-árido 200 a 250 W/m2 1752 a 2190 kWh/m2 Entre as de maior potencial no mundo Energia dos Oceanos Sem dados, estimativa de grande potencial Energia geotérmica: dados inexistentes 04/11/2004 manhã

41 Dependência Brasileira
04/11/2004 manhã

42 Dependência Brasileira
04/11/2004 manhã

43 Dependência Brasileira
04/11/2004 manhã

44 Dependência Brasileira
04/11/2004 manhã

45 Impactos ambientais da exploração
Petróleo: flora e fauna marítima, meio ambiente terrestre; GN: impactos decorrentes de perfuração Carvão mineral: impactos semelhantes à extração de outros minérios (escavação com risco de erosão, danos à bacias hidrográficas); Biomassa: danos inerentes à cultura agrícola (monocultura, desmatamentos, uso de agrotóxicos, queimadas) Hidroeletricidade: alagamento de áreas, danos à flora e fauna. Energia nuclear: extração do urânio, depósito dos resíduos Solar, eólica, ondas, marés: sem impactos diretos 04/11/2004 manhã

46 Capital Natural A economia ecológica, desde 1990, aponta novas vertentes para o conceito de capital Capital natural: água, ar, fauna selvagem, ambiente natural, pesca, florestas, terras agrícolas, energia, minas, e os outros recursos que constituem as fontes de riqueza Capital social: a família, a vida comunitária, as redes de apoio naturais, as políticas sociais, os serviços sociais formais e as suas instituições, etc. Capital econômico: as infraestruturas físicas e serviços públicos, os edifícios, as auto-estradas; a atividade econômica, os investimentos, etc. Capital humano: o nível de saúde, de educação, de capacidade para a inovação, de criatividade e de auto-estima dos indivíduos, etc. 04/11/2004 manhã

47 Capital natural As empresas utilizam os 4 tipos para agregar lucro a suas operações e produtos Para o desenvolvimento, é necessário o uso dos quatro tipos, que se interrelacionam Portanto, para manter e desenvolver o capital econômico, é necessário desenvolver também os outros tipos de capitais Facilidade: incorporar os recursos naturais aos modelos econômicos tradicionais de produção 04/11/2004 manhã

48 Capital Natural Dificuldade: valorar o capital natural para poder realizar comparações entre opções Exemplo: introdução de recursos ambientais como lagos e rios nos gabaritos conceituais de fluxos e estoques de capital monetário Tendência da visão neoclássica: valorar monetariamente a preços de mercado, para os recursos que possuem esses preços Limitações relativas à simplificação da precificação e incomensurabilidade de valoração de ativos ambientais 1 kW de energia hidrelétrica não pode ser comparado a 1kW de energia nuclear, pois não sabemos monetarizar totalmente as externalidades Propostas: indicadores biofísicos como limitantes do desenvolvimento econômico 04/11/2004 manhã

49 Capital Natural Crítica: tratar a natureza como um mero ativo tipo conta de poupança Agentes necessitam de indicadores práticos que norteiem suas decisões Avanço em direção à sustentabilidade 04/11/2004 manhã


Carregar ppt "RECURSOS ENERGÉTICOS NATURAIS"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google