A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

0 10 de março 2010 Programa de Financiamento das Cadeias Produtivas dos Estaleiros Projeto Sondas de Perfuração da PETROBRAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "0 10 de março 2010 Programa de Financiamento das Cadeias Produtivas dos Estaleiros Projeto Sondas de Perfuração da PETROBRAS."— Transcrição da apresentação:

1 0 10 de março 2010 Programa de Financiamento das Cadeias Produtivas dos Estaleiros Projeto Sondas de Perfuração da PETROBRAS

2 1

3 2 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

4 3 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

5 4 Costa Sudeste Brasileira

6 5 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

7 6 A Demanda de Sondas de Perfuração Estado da Arte A Petrobras, e seus parceiros nos blocos exploratórios, necessitarão implementar um agressivo programa de perfuração para viabilizar a meta de 1 M bopd até 2017; As características dos reservatórios do Pré Sal (lâmina dágua m e profundidade dos poços m) irão requerer sondas de perfuração especiais (estado da arte), não inteiramente disponíveis no mercado; 40 novas sondas serão necessárias para utilização no Pré Sal: 12 para atendimento no curto prazo (até 2012) foram licitadas em 2008; As características construtivas e especialização dessas sondas criaram nichos de mercado em determinados estaleiros internacionais (Coréia do Sul, China, Dubai); Para as 28 sondas remanescentes (US$ 20 bilhões entre 2010 e 2018), a Petrobras tem intenção de contratar a sua construção no Brasil, desde que elas atendam aos seus requisitos de qualidade, prazo e custos.

8 7 Sumário da Demanda Demanda de sondas para execução do programa de perfuração nos primeiros 6 blocos exploratórios do Pré Sal, já concedidos: 40 un; 1º lote de 12 sondas: já contratado em 2008, devendo ser entregues até 2012; 28 sondas remanescentes: a serem construídas no Brasil e entregues entre 2013 e 2018.

9 8 Competitividade da Petrobras em Águas Profundas XOM APC 6% MUR No nicho de águas profundas, a Petrobras é responsável por 22% de toda a produção de petróleo e opera 18% de todas as instalações offshore disponíveis no mundo Source: (1) PFC Energy | Note: Estimated volumes above reflect what operators are responsible for producing, not what they keep on a net working interest or entitlement basis. Minimum water depth is 300 meters; twelve operators above account for 94% of global deepwater production in (2) Copyright © 2008 ODS-Petrodata, Inc. Produção de Petróleo em Deepwater (2008) 2% HES 1% REL MUR Instalações operando em Deepwater (252 Vessels Total)

10 9 Aumento da Competitividade dos Fornecedores Brasileiros importação Demanda AtualDemanda Futura 1. Incremento da produtividade de setores altamente competitivos 2. Desenvolvimento da produtividade entre setores de média competitividade 3. Incentivo ao ingresso de novos entrantes nacionais 4. Incentivo à associação entre companhias nacionais e internacionais 5. Incentivo para companhias internationais competitivas estabelecerem-se no Brasil Indústria Nacional O CAMINHO Incremento da participação Nacional no Suprimento de B&S Fundamental: adequar o mercado nacional de fornecimento de bens e serviços SUPRIMENTO DE BENS & SERVIÇOS Fonte: Promimp, 2008 Indústria Nacional

11 10 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

12 11 Novas Oportunidades para o Mercado Brasileiro Em 16/10/2009 a Petrobras iniciou licitação para contratação de 9 sondas do lote das 28 unidades remanescentes. Outros lotes deverão se seguir até que a demanda total para o Pré Sal seja atendida; As primeiras 2 sondas serão entregues em 2013 e as demais entre 2014 e 2018, com índice crescente de conteúdo nacional: entre 55% e 65%; A fim de mitigar (parcialmente) os riscos de completion, performance e crédito associados à construção pioneira dessas sondas no Brasil, o Governo Federal criou o Fundo de Garantia da Construção Naval (FGCN); O FGCN irá suportar principalmente os riscos de crédito para financiamento da construção das sondas e eventuais atrasos na entrega das unidades; As encomendas da Petrobras e as garantias providas pelo FGCN poderão criar as condições adequadas para atrair novos participantes na criação de modernos e competitivos estaleiros no Brasil, bem como desenvolver toda a sua cadeia de suprimento (bens e serviços).

13 12 Enormes Desafios Precisam ser Enfrentados Mesmo com o cenário das encomendas e do FGCN, os desafios a serem ultrapassados são enormes, podendo inviabilizar toda a iniciativa: qualidade final dos produtos para atendimento da performance; atendimento aos cronogramas de construção; adequação ao índice de conteúdo nacional (s/ perda da competitividade); taxas de afretamento em linha com as praticadas pelo mercado afretador. Para atendimento desses requisitos a criação de estaleiros competitivos e modernos poderá não ser suficiente: desenvolver toda a sua cadeia produtiva também será essencial; Esse desenvolvimento precisa ser tanto técnico quanto financeiro; Pelo viés financeiro, o acesso a fontes de crédito fácil, rápido e com custo atrativo é fator fundamental e crítico para o sucesso de todo o Projeto.

14 13 O Programa CDV Sondas Pré Sal Para fazer frente a essa necessidade de crédito, com condições diferenciadas e que possam auxiliar na viabilização do empreendimento, a Petrobras está negociando com o mercado bancário nacional a criação de um Programa Especial de Crédito; Esse Programa será exclusivo e dedicado para financiamento de toda a cadeia de suprimentos a ser utilizada na construção das sondas de perfuração para o Pré Sal, a serem construídas em estaleiros brasileiros; Utilizado de forma piloto para o Projeto Sondas, caso venha a ser aprovado, e após aperfeiçoado, o programa poderá ser ampliado para outros projetos da Petrobras; A seguir serão apresentadas as considerações gerais desse Programa de Crédito, ainda em fase de elaboração; A contribuição ativa das entidades de classe brasileiras será fundamental para a construção de um programa efetivo, amplo e que realmente atenda às necessidades de todos os participantes do Projeto.

15 14 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

16 15 Viabilizar a oferta de crédito em volume e condições que favoreçam a implantação e crescimento sustentável da Cadeia de Valor para a construção Sondas do Pré-Sal no Brasil, bem como definir as regras pelas quais os demandantes e ofertantes de crédito irão se relacionar para minimizar os riscos relativos a esta atividade. Objetivo CDV Sondas Pré Sal

17 16 Os bancos consideram muito arriscado adiantar recursos com base na expectativa de performance do mutuário Não havendo histórico (track-record) sobre a qualidade de performance, o risco percebido é ainda maior ambiente de incerteza que não permitir avaliar o risco Além do risco de performance, existe o risco de inadimplência do cliente para seu fornecedor (calote) que aumenta ainda mais a dificuldade de viabilização A mitigação do risco de calote necessita passar pela qualidade e credibilidade do âncora da cadeia produtiva e por mecanismos de regresso para liquidação das obrigações vencidas e, eventualmente, não honradas Financiamentos lastreados em recebíveis não performados Por que é difícil viabilizar financiamentos lastreados em recebíveis não performados?

18 17 Financiamentos concedidos como um % do valor dos contratos entre Compradores e Fornecedores Medição permanente da performance dos Fornecedores pelos Compradores Compradores certificando a sua aceitação da entrega dos Fornecedores Padronização de procedimentos (cadastros, certificados, informações, etc) Mecanismos de garantia dos fluxos de pagamento Utilização de travas de domicílio bancário para pagamento de obrigações Financiamentos lastreados em recebíveis não performados CDV Sondas Pré Sal A viabilização de financiamentos lastreados em recebíveis não performados, principalmente em uma indústria nova que ainda não dispõe de track record, exige a inclusão de uma série de mecanismos para mitigação de riscos:

19 18 O PORTAL de informações BANCOS – FINANCIAMENTOS e PAGAMENTOS ESTALEIROS F1 F2 F3 F4 PORTAL DE INFORMAÇÕES CADASTROS / HISTÓRICO CONTRATOS OPERAÇÕES DE EMPRÉSTIMO DISTRIBUIÇÃO DAS OPERAÇÕES Banco 1 Banco 5 Banco 3 Banco 2 Banco 4 PORTAL DE INFORMAÇÕES PARÂMETROS PROPOSTAS PETROBRAS

20 19 Os Objetivos do PORTAL de informações CDV Sondas Pré-Sal BANCOS – FINANCIAMENTOS e PAGAMENTOS ESTALEIROS F1 F2 F3 F4 PORTAL DE INFORMAÇÕES CADASTROS / HISTÓRICO CONTRATOS OPERAÇÕES DE EMPRÉSTIMO DISTRIBUIÇÃO DAS OPERAÇÕES Banco 1 Banco 5 Banco 3 Banco 2 Banco 4 PORTAL DE INFORMAÇÕES PARÂMETROS PROPOSTAS PETROBRAS 2)Permitir o acesso, de forma atualizada e precisa, às informações sobre os contratos (fornecimento e financiamento) e a performance de cada um 3) Reter o histórico sobre todas as informações a fim de melhorar a base para análise e concessão de crédito baseada nos contratos não performados 4)Criar ambiente para que Compradores qualifiquem a performance e certifiquem a sua aceitação para a entrega de produtos e serviços de seus Fornecedores 5)Promover a concorrência entre os bancos participantes 1)Criar um ambiente único e padronizado para relacionamento entre Bancos, Compradores e Fornecedores;

21 20 Riscos e mitigantes de financiamento da Cadeia de Valor Sondas do Pré-Sal DEFAULT FINANCEIRO IDONEIDADE PERFORMANCE NÃO CONFORMIDADE RISCOS TRAVAS DE CONTRATO E GARANTIA DOS RECEBÍVEIS ANÁLISE CRÉDITO PELOS BANCOS CRITERIOS DE SELEÇÃO ACOMPANHAMENTO (AVALIAÇÃO PELOS COMPRADORES) AVALIAÇÕES PRÉVIAS ESTALEIROS F1 F2 F3 F4 SÓ COMPRADOR COMPRADOR e FORNECEDOR COMPRADOR ou FORNECEDOR COMPRADOR ou FORNECEDOR COMPRADOR ou FORNECEDOR MITIGANTES CDV Sondas Pré Sal Riscos e mitigantes do financiamento PETROBRAS SÓ FORNECEDOR

22 21 Responsabilidades Para que o programa atenda a maior parte das empresas envolvidas é importante que não haja rompimento de nenhum elo da cadeia, ou seja, todos os participantes devem estender os benefícios a seus fornecedores em cascata tornando-se também Âncoras. Da mesma forma, os bancos não podem privilegiar apenas uma parte da cadeia, é necessário que existam políticas pré-definidas para cada grupo, segundo o seu porte e ramo de atuação.... a cadeia de valor não é uma coleção de atividades independentes, e sim um sistema de atividades interdependentes. (Porter, 1985) CDV Sondas Pré Sal Os bancos sempre terão a prerrogativa de recusar crédito caso o cliente não se enquadre em suas políticas internas, que serão transparentes para todos os seus participantes.

23 22 Fluxo de criação das cadeias produtivas F1 F2 F3 F4 C1 F2 F3 F4 C2 F3 F4 C4 C2 C3 ESTALEIRO F1 F2 F3 F4 C1 ESTALEIRO PB Fluxo financeiro de recebimentos de um COMPRADOR poderá ser utilizado para quitar débitos de sua cadeia 5 FORNECEDORES dos ESTALEIROS estarão livres para tomar financiamento do PROGRAMA 2 ESTALEIROS serão compulsoriamente cadastrados como COMPRADORES e cadastrarão FORNECEDORES (F1) 1 Fluxo se mantém para todos os ELOS da cadeia (Ilustração do fluxo)Ilustração do fluxo 4 Se decidirem participar, terão que aderir à classe de COMPRADORES (C1) para seus FORNECEDORES (F2) 3 Ao aderirem à classe de COMPRADORES, os ESTALEIROS estarão assumindo uma série de OBRIGAÇÕESOBRIGAÇÕES 6

24 23 Macro-fluxo de operação da Cadeia de Valor 1.COMPRADORES inserem informações do contrato no PORTAL (à pedido dos fornecedores), ou FORNECEDOR se cadastra e COMPRADOR valida. 2.FORNECEDORES solicitam financiamento. 3.BANCOS visualizam solicitações e fazem propostas (análise de crédito e risco é individual por banco). 4.FORNECEDORES selecionam banco para trabalhar (um banco por contrato). 5.BANCO solicita ao COMPRADOR que trave o domicílio do contrato do FORNECEDOR e registra essa TRAVA no PORTAL. 6.BANCO libera recurso para FORNECEDOR, porém somente se este assumir todas as obrigações de um COMPRADOR para seus FORNECEDORES. 7.Após entrega (Bens ou Serviços) COMPRADORES liquidam suas obrigações com um dos bancos conveniados do PORTAL, conforme TRAVA. 8.BANCOS checam domicílio do pagamento (contrato) no PORTAL antes de executar ordem de pagamento do COMPRADOR. 9.BANCOS executam o pagamento ao FORNECEDOR também em um dos bancos conveniados. 10.FORNECEDORES liquidam financiamento com BANCOS. PORTAL INFORMAÇÕES COMPRADOR FORNECEDOR 10 Banco 1 Banco 2 Banco 4 Banco 5 Banco 3

25 PORTAL INFORMAÇÕES FORNECEDOR COMPRADOR Solicitar crédito, caso seja de seu interesse Caso venha a fechar contrato de financiamento através do CDV Naval, assumir todas as obrigações de um COMPRADOR (quando seu perfil assim o permitir) Utilizar somente bancos participantes para suas operações de pagamentos e recebimentos Dar em garantia (penhor) seus recebíveis para pagamento dos seus fornecedores Operar o CDV Sondas Pré Sal somente para o Projeto SONDAS Informar base de fornecedores Validar informações fornecedores Disponibilizar contratos Prazos de vigências Fluxos de caixa Aprovação das operações Utilizar somente bancos participantes para suas operações de pagamentos e recebimentos Informar cancelamento de contratos Não conceder trava a bancos fora da CDV Sondas Pré Sal Informar alterações fluxos financeiros (superiores a 5%) em grandes contratos Avaliar periodicamente performance dos fornecedores Dar suas contas em garantia para pagamento de seus fornecedores. Certificar (medir) a entrega de bens e serviços por seus fornecedores (boletins de medição) Operar o CDV Sondas Pré Sal somente para o Projeto SONDAS Informações das cadeias Oferta das operações Garantia das travas PORTAL DE INFORMAÇÕES FORNECEDOR COMPRADOR Operar dentro das regras definidas Colaborar, para manutenção do sistema; Registrar travas; Alimentar a Plataforma com as informações de pagamentos Notificar atrasos e ocorrências BANCOS Papéis e responsabilidades Histórico de crédito dos fornecedores Histórico de pagamentos das cadeias Informar travas descumpridas Banco 1 Banco 2 Banco 4 Banco 5 Banco 3

26 25 Acessos ao PORTAL O acesso ao PORTAL ficará restrito a seus membros, no entanto, a visualização de algumas informações será restrita de acordo com a relação entre ambos: CompradorFornecedorBancos CadastroSim FinanceiroNãoSimCom autorização CertificaçõesSim CertidõesSim Com autorização Contratos (Fornecimento)Sim Com autorização Contratos (Financiamento)NãoSim CDV Sondas Pré Sal C4 C2 C3 F1 F2 F3 F4 C1 ESTALEIRO PB F1 F2 F3 F4 ESTALEIRO F1 F2 F3 F4 F3 F4 F2

27 26 Financiamento ESTALEIROS F1 F2 Trava A COMPRADOR Banco PAGADOR X Banco CREDOR Z Banco PAGADOR Y FORNECEDOR COMPRADOR FORNECEDOR COMPRADOR Compradores RETENDO INDEVIDAMENTE os PAGAMENTOS aos FORNECEDORES O banco credor terá o direto de acionar uma trava em caso de retenção indevida dos pagamentos aos FORNECEDORES: Caso fique comprovado que o COMPRADOR reteve indevidamente um pagamento ao seu FORNECEDOR, que tenha performado a sua obrigação contratual, o Banco Credor poderá executar alienação fiduciária dos fluxos futuros da cadeia superior (pagamentos em favor do COMPRADOR) para quitação da obrigação deste junto ao seu FORNECEDOR,. Gerenciamento dos fluxos de pagamentos PORTAL BANCOS FORNECEDOR cumpre sua obrigação contratual COMPRADOR retém Indevidamente pagamento ao FORNECEDOR Aciona Cessão Fiduciária

28 27 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

29 28 Requisitos exigidos dos estaleiros Aderir compulsoriamente à qualidade de COMPRADOR Avaliar seus fornecedores através de Boletim de Avaliação de Desempenho (BADs), através de ficha padronizada, simples e direta, no próprio Portal. Autorizar Travas de Domicílio para seus fornecedores interessados a integrar o Programa Autorizar a Cessão de seus Direitos Creditórios para garantir o pagamento de seus fornecedores. Cadastrar todos os seus Fornecedores (ou fornecedores em potencial) Cadastrar seus contratos de fornecimento ou pelo menos as suas informações financeiras Utilização das políticas de Compliance da PETROBRAS para efeito do acompanhamento da performance de seus fornecedores Informar desvios ou alterações relacionadas à performance dos contratos dos fornecedores Compromisso do contratante da construção (Petrobras) em informar sobre eventuais descontinuidades nos pagamentos a fornecedores pelos estaleiros Nunca desrespeitar as travas de domicílio dos fornecedores informadas no Portal. Centralizar os seus processos de pagamento e recebimento via Bancos Participantes Crédito, garantias e mitigantes Gestão dos Pagamentos Obs.: em vermelho = sugestões para edital Para viabilização desse programa haverá a necessidade de adesão compulsória dos estaleiros à qualidade de COMPRADOR (condição de qualificação das propostas) CDV Sondas Pré Sal

30 29 Índice Necessidade de viabilizar a Nova Indústria A Nova Fronteira da Indústria do Petróleo – O Pré Sal O Projeto Sondas de Perfuração no Brasil O Financiamento para a Cadeia Produtiva dos Estaleiros Requisitos Exigidos dos Estaleiros Vantagens Percebidas desse Programa de Crédito

31 30 Vantagens do Programa Oportunidade para que empresas médias e pequenas, ou até grandes (sem estruturas financeiras muito grandes), possam operar em um ambiente de mesa de operações Profundidade na cadeia, buscando além dos nomes óbvios, possibilitando o financiamento para ambos recebíveis: performados e não performados (prioridade) Precificação por cliente, sendo muito mais mandatório o relacionamento com os clientes (fornecedores) e as estratégias de cada banco (histórico, ampliação da base de clientes, etc.) Baixo custo de implementação somente custo de formatação dos sistemas (absorvido p/ PROMINP e bancos participantes) Ampla disponibilidade de funding (limitado aos balanços e à política de crédito de cada banco) Aprovação das operações de financiamento dependerá somente do risco de crédito de cada fornecedor e das informações disponibilizadas no sistema (contratos, performance, etc.) Maior oferta de linhas de crédito e produtos dedicados (Capital de Giro, Repasses do BNDES, Leasing, Financiamentos à Importação, Cessão) lastreados pela estrutura Sistema simples, direto, ágil e transparente, provendo maior competitividade entre os bancos CDV Sondas Pré Sal

32 31 Para maiores informações: Petrobras / Finanças / Gefipe Projeto Sondas de Perfuração para a PETROBRAS Obrigado


Carregar ppt "0 10 de março 2010 Programa de Financiamento das Cadeias Produtivas dos Estaleiros Projeto Sondas de Perfuração da PETROBRAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google