A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Interfaces Caligráficas (Computação Gráfica 2 – Bloco2/2002) Aluno: Eduardo Barrére

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Interfaces Caligráficas (Computação Gráfica 2 – Bloco2/2002) Aluno: Eduardo Barrére"— Transcrição da apresentação:

1 Interfaces Caligráficas (Computação Gráfica 2 – Bloco2/2002) Aluno: Eduardo Barrére

2 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Roteiro Motivação Interface com o usuário Reconhecimento de esboços Aplicações Conclusão

3 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Motivação Pessoal Entender o processo de interpretação e transformação de esboços em elementos geométricos Artigo de referência: Sketching User Interfaces with Visual Patterns Anabela Caetano, Neri Goulart, Manuel Fonseca, Joaquim Jorge; SIACG 2002; Portugal-2002

4 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Motivação Autores Agilizar a criação e alteração de processos artísticos, tais como projetos arquitetônicos, interfaces de programas, sites.... EsboçoProjeto Pronto P R O B L E M A P R O P O S T A EsboçoProjeto Pronto geração automática

5 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére User Interface

6 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére User Interface - Características Visibilidade Maus Exemplos: controle cuja cor se confunde com a cor do fundo Disponibilidade Controles sugerem naturalmente seus usos, descrevendo aquilo que o usuário pode fazer com os itens de interface Bom Exemplo: Controles deslizantes Mau Exemplo: Figuras que se transformam em botões

7 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére User Interface - Características Mapeamento Descreve o relacionamento entre a ação do usuário sobre um controle e a reação correspondente do programa Exemplo: Controles de rolagem de tela (setas e guias) Feedback barra de progresso x ampulheta

8 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére User Interface - Características Limitação de Funções Impede que o usuário execute ações impróprias para um determinado contexto Exemplo: botões desativados Tolerância a Erros Usuários são humanos, portanto erram Ações que podem ser reversíveis (exemplo, apagar um arquivo) devem ser reversíveis Ações irreversíveis (exemplo: formatar um HD) devem ser avisadas

9 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére User Interface Reconhecer X Relembrar reconhecer é mais fácil do que recordar mais reconhecimento (menus e ícones), menos recordação (comandos) a interface relembra as coisas para o usuário usuários experientes tem dificuldade em recordar detalhes da interface, mas sabem como encontrar a informação desejada

10 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Esboço por ser feito a mão livre, o esboço não segue regras pré-definidas, ou seja, informações importantes como formato do objeto, continuidade do traço e quantidade de traços para representar um objeto não são bem especificadas. fatores como dimensão e rotação do objeto devem ser reconhecidos

11 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Algoritmo CALI reconhecer formas geométricas elementares e comandos gestuais, independentemente da sua rotação, tamanho ou número de traços que constituem a forma. fazer a distinção entre formas Solid, Dashed ou Bold, depois de identificar a forma base.

12 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Elementos e Comandos

13 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Etapas Obtenção dos Pontos Cálculo de Características Trata Gestos Identificador AplicaçãoReconhecedor Esboço Lista de Gestos

14 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Primeira Etapa o algoritmo se inicia com a obtenção de pontos referentes ao esboço (utilizando uma tablete digitalizadora) e o cálculo do polígono convexo correspondente (usando o algoritmo de Graham) Obtenção dos Pontos Cálculo de Características Trata Gestos Identificador Aplicação Reconhecedor Esboço Lista de Gestos

15 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Segunda Etapa este polígono é então utilizado para calcular três polígonos especiais (os 2 primeiros são o triângulo e o quadrilátero de maior área inscritos no polígono convexo [Boyce 85] e o terceiro é o retângulo envolvente de menor área [Freeman 75]) Obtenção dos Pontos Cálculo de Características Trata Gestos Identificador Aplicação Reconhecedor Esboço Lista de Gestos

16 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Segunda Etapa calcula-se a área e o perímetro para cada polígono encontrado, de modo a estimar características e graus de pertinência para cada classe de formas

17 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Terceira Etapa Através manipulação das características obtidas do esboço, é feita a tentativa de identificar o objeto. Obtenção dos Pontos Cálculo de Características Trata Gestos Identificador Aplicação Reconhecedor Esboço Lista de Gestos

18 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére ( Lógica Fuzzy ) a Lógica Fuzzy é um superconjunto da Lógica Convencional (Booleana), que foi estendida para trabalhar com o conceito de parcialmente verdadeiro: valores verdade que situam-se entre o completamente verdadeiro e o completamente falso pode ser considerada como uma metodologia para generalizar QUALQUER teoria específica, de um estado discreto (1 ou 0) a um estado contínuo ([0,1]), pelo processo de difusão

19 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére (Lógica Fuzzy - exemplo ) "quando podemos considerar uma pessoa ALTA ?" ALTA é descrita como sendo uma variável lingüística, a qual representa uma categoria cognitiva de ALTURA. Para cada pessoa no universo de discurso, devemos atribuir um grau de pertinência referente ao subconjunto fuzzy ALTO. O modo mais fácil de resolver isso é determinar uma função de pertinência baseada na altura das pessoas: 0, se altura(x) < 1.50 m alta (x) = (altura(x) m) / 0.2 m, se 1.50 m <= altura(x) <= 1.70 m 1, se altura(x) > 1.70 m

20 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére ( Lógica Fuzzy - exemplo ) Significa que uma pessoa é considerada alta nos seguintes termos: Se sua altura for menor que 1.50 m, a pessoa não é alta ( alta = 0) Se sua altura for um valor entre 1.50 m e 1.70 m, é alta com um certo grau de pertinência (0< alta <1), ou seja, não é totalmente alta Se sua altura for maior que 1.70 m, a pessoa é alta ( alta =1) Graficamente, podemos representar da seguinte forma: 1,50 1, ,5 1,60 altura(x)a alta (x)

21 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére ( Lógica Fuzzy - exemplo ) Dada esta definição, podemos, exemplificar da seguinte forma: Pessoa Altura(m) Grau Conclusão Joaquim1,450não é alto Carlos 1,560,3alto com 0,3 de pertinência Pedro 1,600,5alto com 0,5 de pertinência Maria 1,650,75alta com 0,75 de pertinência José1,751alto

22 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Terceira Etapa Relação Altura x Largura do retângulo envolvente

23 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Terceira Etapa Outras características consideradas: Pch: perímetro do polígono Convexo Plq: perímetro do retângulo inscrito Plt: perímetro do triângulo inscrito Per: perímetro do retângulo envolvente Ach: área do CH Alq: área do retângulo inscrito Ns: Número de traços etc.

24 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Quarta Etapa caso o elemento esboçado seja um Gesto, faz-se a operação correspondente na aplicação ( apagar, recortar,... ) Obtenção dos Pontos Cálculo de Características Trata Gestos Identificador Aplicação Reconhecedor Esboço Lista de Gestos

25 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére CALI - Ambigüidade

26 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Avaliação Experimental Foi solicitado a um grupo de usuários que desenhassem cada forma repetidamente usando linhas normais ou tracejadas. Tipo Primeira Três Gesto Escolha Primeiras Individual 92% 93% Grupos 93% 94%

27 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Aplicações INESC-ID, Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores: Investigação e Desenvolvimento (http://immi.inesc-id.pt/ ) CALI Java Sketchit FRAG

28 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Aplicações DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA DA UNIVERSIDADE DE WASHINGTON

29 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Conclusão a utilização de um bom conjunto difuso é essencial para o sucesso destas interfaces os casos de ambigüidade são comuns e difíceis de serem tratados automaticamente a implementação de uma interface mais natural e intuitiva é um dos principais desafios dos projetos de Interfaces Caligráficas.

30 Interfaces Caligráficas (CPS751 – Bloco2/2002) Barrére Bibliografia Sketching User Interfaces with Visual Patterns Anabela Caetano, Neri Goulart, Manuel Fonseca, Joaquim Jorge; SIACG 2002; Portugal-2002 C AL I : A Software Library for Calligraphic Interfaces Manuel Fonseca and Joaquim Jorge; IX Encontro Português de Computação Gráfica, Portugal-1999 Drawing on the Back of an Envelope: a framework for interacting with application programs by freehand drawing Mark D. Gross, Ellen Yi-Luen Do; Computers & Graphics 24 (2000)


Carregar ppt "Interfaces Caligráficas (Computação Gráfica 2 – Bloco2/2002) Aluno: Eduardo Barrére"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google