A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A) Segundo o objeto da inovação: - Pr o d u t o - P r o c e s s o - M e t o d o l o g i a b) Segundo o tipo de mercado: - E m p r e s a - C o n s u m i.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A) Segundo o objeto da inovação: - Pr o d u t o - P r o c e s s o - M e t o d o l o g i a b) Segundo o tipo de mercado: - E m p r e s a - C o n s u m i."— Transcrição da apresentação:

1 a) Segundo o objeto da inovação: - Pr o d u t o - P r o c e s s o - M e t o d o l o g i a b) Segundo o tipo de mercado: - E m p r e s a - C o n s u m i d o r - C l a s s e b a i x a ou a l t a c) Segundo o grau de mudança - R a d i c a l, utiliza um princípio científico novo e representa uma ruptura em relação às tecnologias anteriores. - I n c r e m e n t a l, representa uma melhora técnica relativamente pequena sem modificar a essência de uma tecnologia. d) Segundo o significado econômico - B á s i c a, representa um grande impacto econômico p/ a empresa - M e l h o r i a, seu impacto econômico não é significativo. INOVAÇÃO

2 Etapas da Inovação Idéia Pesquisa Básica Pesquisa Aplicada Transferência de Tecnologia Desenvolvimento Produção Comercialização

3 S

4

5 Setores de produção intensiva de escala (scala intensive). Setores deste grupo são entre outros os equipamentos de transporte, eletrodomésticos, alimentício, cimento Predomina entre as grandes empresas com processos de integração vertical. Caracteriza-se pelas inovações tanto de produção como de processo e dos sistemas produtivos complexos, com fortes economias de escala tanto em produção e projeto como em P & D e redes de distribuição. Setores baseados na ciência (science-based). Inovações relacionadas com os novos paradigmas tecnológicos, baseadas em atividades formalizadas de P & D. Requerem fortes inversões nas instalações e laboratórios de pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Setores mais significativos: eletrônico, informática, farmacêutico, químico e bio-engenharia

6 ELEMENTOS QUE INCIDEM NO ÊXITO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. As fontes de conhecimentos para a inovação. A difusão dos resultados da inovação tecnológica.

7

8

9 Se expressa por três vias: - Pela própria assimilação da inovação por parte do usuário. - Pelas pequenas melhorias acumuladas. - Pelos efeitos que passam a outros setores. Dois aspectos que incidem positivamente no processo de difusão são: A existência de um quadro institucional adequado e de alguns serviços às empresas que permitam dispor da informação relevante para configurar uma inclinação que facilite a aceleração do processo de difusão. A existência de pessoal técnico ou qualificado é imprescindível para ampliar os efeitos positivos da difusão das inovações. Nas novas condições exigem um enfoque que priorize o tratamento à inovação tecnológica. Tal é o caso do desenvolvimento de capacidades tecnológicas dentro do setor produtivo e o aumento da interação entre os serviços. 2 - A difusão dos resultados da inovação tecnológica.

10 Também é necessária a criação de redes de cooperação, assim como do domínio e a assimilação da tecnologia estrangeira. Isto pode resumir-se na necessidade de estabelecer em cada país um Sistema Nacional de Inovação Tecnológica. Desse sistema denota um conjunto de dispositivos organizacionais e mecanismos de funcionamento que possibilitam a vinculação efetiva entre ciência, tecnologia, produção mercado e necessidades sociais, e, a partir disto, por em marcha os processos de geração, difusão e utilização de inovações. Esse sistema se refere a um esquema de organização que permite integrar capacidades distintas (informações, conhecimentos, habilidades, equipamentos, recursos financeiros), situadas em diferentes instituições (centros de pesquisas, universidades, empresas produtoras de bens e serviços, firmas consultoras, firmas de engenharia, entidades financeiras, centros de inovação e em geral, de acúmulo de capacidades tecnológicas). Está constituído por uma rede de relações que envolve entidades estatais, mistas e privadas, locais e estrangeiras, cujas atividades e inter-relações geram, importam, modificam e defendem novas tecnologias. Implica, portanto o entrelaçamento consciente de diversas responsabilidades institucionais, que chegam a conformação de um esquema de organização cujo objetivo é propiciar a integração das capacidades que convergem na criação, difusão e utilização de tecnologia, incluindo todos os aspectos da necessária inovação social requerida para o funcionamento do esquema.

11 Em um Sistema Nacional de Inovação Tecnológica consideram-se concretamente os seguintes agentes:

12 Início do Projeto Objetivo do Projeto PROJETO Define-se como projeto, um conjunto de atividades interdependentes dirigidas a um objetivo específico, com duração pré-determinada. Além disso, deve caraterizar-se como uma atividade não repetitiva e de recursos limitados e previamente designados para sua execução.

13 Os tipos de projetos mais usuais na atividade de Ciência e Inovação Tecnológica são: Inovação Tecnológica Desenvolvimento Tecnológico Criação Científica Formação de Recursos Humanos FORMULAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA Não é suficiente a identificação de vazios, limitações, ou problemas concretos dentro de uma organização produtiva. É necessário adquirir conhecimentos e destrezas para a formulação de projetos de solução das deficiências com uma clara visão dos objetivos finais da ação proposta. O Centro de P&D deve aprender a reconhecer os valores e parâmetros de avaliação da organização produtiva e a desenhar o projeto de desenvolvimento em total concordância com estes. A capacidade de "venda" da idéia ao produto, é tão crítica no mercado de Serviços Tecnológicos como é em qualquer outro tipo de atividade comercial.

14 tempo Conceituação Estruturação Execução Conclusão desenvolvimento Fases do Projeto

15 GERÊNCIA DE PROJETOS Elementos de avaliação dos resultados - qualidade dos resultados do projeto formulado - cumprimento dos objetivos de tempo acordados com o cliente - maximização dos benefícios econômicos do projeto

16 Estudo das Capacidades de Centros de P&D e Universidades M R B Serviços de assistência técnica (Consultoria, Pesquisa Tecnológica) Nível e qualidade do Potencial Tecnológico Estruturas de vínculo com entidades produtivas Ingressos por serviços prestados e Pesquisas realizadas Gastos em P&D Convênios de Cooperação Universidade - Empresa Participação em Programas Nacionais e Internacionais de Inovação Colaboração com outras entidades nacionais e internacionais Obtenção de patentes Obtenção de financiamentos por entidades internacionais Obtenção de financiamento por entidades nacionais Produção científica e porcentagem entre pesquisa e serviços Porcentagem de profissionais e Doutores do total do pessoal

17 1)Variáveis iniciais no processo de inovação 2)O processo de inovar: aspectos internos 3)Variáveis de saída ELEMENTOS BASICOS PARA A INOVAÇÃO EM EMPRESAS DE PRODUÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

18 a)Motivações para a inovação -Melhora de processo. -Prestigio. -Apertura de mercado. -Melhora de produtos. -Poupança. b) Recursos para a inovação - Pessoal dedicado a atividades de P&D - Investimento em capacitação. - Gastos em P&D - Investimentos nas inovações Variáveis iniciais no processo de inovação

19 -Aspectos organizacionais: Motivação para inovar, liderança para inovar, sistemas de administração, controle de qualidade, planejamento, comunicação, recursos materiais, sistema de pessoal e relação no ambiente. -Clima de participação. Disponibilidade a trabalhar horas extras, alta motivação para o trabalho, iniciativa do pessoal, autonomia no rendimento laborai, requerimento de informação para realização da tarefa. -Cultura organizacional. Aspectos parciais do clima organizacional, a descentralização na toma de decisões, a disponibilidade de tempo e espaço para o desenvolvimento de idéias, a comunicação interna, as práticas de trabalho em equipe e procura da mudança. -Estratégias. Podem ser competitivas e tecnológicas O processo de inovar: seus aspectos internos

20 Variáveis de Saída. -Vendas associadas á inovação -Exportações -Utilidades -Crescimento

21 Estratégias genéricas e competitivas: Asseguram: Conhecimento e compreensão do mercado Conhecimento e compreensão da competência Conhecimento e compreensão da capacidade organizacional Potencialização das capacidades da organização Coordenação de todas as políticas e ações a objetivos comuns. Adequação da estrutura organizacional Otimização dos recursos Desenvolvimento da uma cultura organizacional.

22 Estratégias genéricas e competitivas: Diferenciação Diversificação Alta segmentação Liderança Qualidade Expansão Serviço ao mercado Benefício Custos Inovação

23 Estratégia de diferenciação Consiste na diferenciação do produto ou serviço que oferece a empresa. em design em imagem da marca em tecnologia em características especiais do produto em serviço ao cliente em canais de distribuição

24 Estratégia de diversificação Tentar alcançar a extensão do produto e do mercado, com o objetivo de obter rendimentos maiores pela presença em distintas áreas por setores por produtos por canais por mercado por riscos (atividades)

25 Estratégia de alta segmentação Consiste em trabalhar sobre um determinado grupo de compradores, em um segmento da linha do produto ou num mercado geográfico. em produtos especiais em mercados especiais em clientes especiais.

26 Estratégia de liderança Consiste em conseguir a primeira posição num determinado segmento industrial e de serviços em marca em qualidade em tecnologia em inovação em produtos em setores em mercados em custos em preços em distribuição

27 Estratégia de qualidade Consiste numa determinada liderança frente à competência em função da qualidade no produto na gestão no serviço na distribuição na tecnologia na totalidade

28 Estratégias de expansão Consiste no crescimento continuado na quota de mercado ou em novos mercados ou setores consolidada captação de oportunidades a curto período. em mercados em diferentes setores por fusões por aquisições

29 Estratégia de serviços ao mercado Consiste na segmentação única naqueles produtos e setores que tem demanda de mercado com base na capacidade de resposta por qualidade / preço com base na satisfação de necessidades de baixa rentabilidade com base na rede de distribuição

30 Estratégia de benefício No caso das empresas não lucrativas, consiste em uma qualidade da gestão que permite uma situação financeira e econômica saneada No caso de empresas lucrativas determinam o desenvolvimento posterior da organização benefício por rentabilidade econômica benefício por cotização beneficio econômico a curto prazo benefício econômico a longo prazo benefício social

31 Estratégia de custos Consiste em conseguir a liderança e a força competitiva através da redução dos custos. por redução dos custos econômicos por otimização dos recursos por melhoria dos processos produtivos por desenvolvimento tecnológico por qualidade da gestão

32 Estratégia de inovação Consiste em conseguir a liderança a partir de desenvolvimentos de capacidades tecnológicas da empresa, que permitam elevar o nível competitivo mediante a elaboração de novos e melhorados produtos e processos sobre produtos sobre materiais sobre design sobre tecnologia políticas comerciais políticas de distribuição

33

34 As Operações como vantagem competitiva

35 Estratégia de entrada e saída do mercado

36 Necessidade que tem as empresas de inovar Situação diferente segundo estrutura industrial Relação com o mercado a) ofensiva b) defensiva c) imitativa d) dependente e) tradicional f) oportunista Estratégias empresariais sobre inovação tecnológica segundo Freeman (1975).

37 posição tecnológica X competitiva da empresa. a)Liderança tecnológica. b)Seguidor. c)Aquisição de tecnologia. d)Nicho tecnológico. e)Joint-Venture. f )Reconversão. Estratégias empresariais relacionadas com inovação tecnológica, por Arthur D. Little (1981)

38 Objetivo desejado Métodos ou meios para alcançar os objetivos Componentes Instrumental Econômica Funciona- mento Resultado esperado Eficiência Benefício Tipos de avaliação Estratégia utilizada Diferenciação Liderança em custos.

39 Estratégia Tecnológica Impossibilidade da auto- suficiência tecnológica Cresce o número de disciplinas que intervêm em cada caso Cresce a velocidade do avanço em forma cada vez mais complexa e custosa Aumenta o papel da ciência nos desenvolvimentos tecnológicos O equipamento experimental é mais custoso e complexo A quantidade de P&D que se realiza externamente na empresa é cada vez maior.

40 É necessário estabelecer as fronteiras tecnológicas e científicas em função da base tecnológica, a base produtiva, o acesso aos mercados, e a capacidade financeira em um horizonte a longo prazo Situar a empresa no interior do processo produtivo completo que o afeta (fornecedores, clientes, diretos ou indiretos) Diagnosticar corretamente os limites deste processo

41 A Estratégia Tecnológica se estabelece em um Plano de Desenvolvimento Tecnológico que deve incluir os diferentes programas de ação, cujo conteúdo é o seguinte: 1. Distribuição do orçamento destinado a tecnologia 2. Fontes da tecnologia. Programas internos de P&D. Compra de tecnologias externas. Parcerias (Joint- ventures). 3. A eleição da posição competitiva nas diversas tecnologias (líder, seguidor) 4. O grau de intensidade no esforço tecnológico

42 Distribuição do esforço tecnológico por elementos estratégicos

43 Distribuição do esforço tecnológico por objetivos de mercado

44 Destino do esforço tecnológico

45 Matriz de geração da tecnologia

46 ter presente: Como evolui o entorno? Em que negócios devemos competir no futuro? Em que setores ou negócios se apresentam oportunidades de êxito comercial? Como devemos posicionarmos em um setor? Em que estado se encontram nossas tecnologias? Que novas tecnologias podem ter impacto em nossa cadeia de valor, aumentando nossa rentabilidade? Que estratégias estão adotando e desenvolvendo nossos competidores? Como está relacionada nossa estratégia tecnológica com a estratégia global da empresa? Quais são os pontos fracos e fortes?

47 Processo de elaboração de uma estratégia tecnológica Considerações Comerciais Estratégia da Empresa Considerações Tecnológicas Estratégia Tecnológica

48 Matriz da tecnologia dos produtos Matriz do Atrativo Tecnológico e Posição Tecnológica Alerta Tecnológico Árvore Tecnológico dual Matriz de acesso a Tecnologia Ramos das árvores Tecnológicos Funções básicas para a gestão dos recursos tecnológicos Inventar Vigiar Avaliar Enriquecer Otimizar Proteger

49

50 EmergenciaCrescimentoMaturaçãoSaturaçãso Amadurecimento Tecnológico Patentear Desenvolver aplicações Ampliar Licenças Conceder Licenças Normatizar Inovar em Serviços Melhorar o Marketing Avaliar Vigiar Incrementar o desenvolvimento Novas aplicações Engenharia de Valor Sair Vigiar Claborar Subcontrataer Cooperação Tecnológica Transferencia de Tecnologia Sair Fraca Média Forte Posição Tecnológica

51 Atrativo tecnológico Posição Tecnológica

52

53

54

55 DesenvolvimentoCompra Global Seletiva Matriz de acesso à tecnologia

56 AUDITORIA TECNOLÓGICA Auditoria tecnológica e um processo que tem por finalidade registrar e avaliar periodicamente e de forma sistemática o potencial tecnológico da empresa contribuindo assegurar que a tecnologia seja utilizada de forma eficaz para o cumprimento dos objetivos da organização.

57 Modelo conceitual elaborado por Vasconcellos: Nível de sensibilização do fator tecnológico Nível de sintonia entre estratégia tecnológica e da empresa Nível de capacitação tecnológica em relação com o nível tecnológico nacional e internacional Nível de integração entre P&D e as outras áreas da empresa Nível de antecipação de ameaças e oportunidades tecnológicas Nível de adequação das estruturas de P&D Nível de adequação do sistema de informação tecnológica Nível de adequação dos recursos para P&D e inovação tecnológica Nível de adequação do sistema de avaliação da P&D e Inovação tecnológica Nível de adequação das técnicas de Gestão Tecnológica

58 Exemplos de Resultados importantes na realização dos Programas de Gestão da Tecnologia em Cuba Empresa de reparação das equipes Ferroviárias, Havana: Diminuição de 30 % dos defeitos nos trilhos Aplicação de um esquema anti-corrosivo Aperfeiçoamento do Sistema da Qualidade Organização da recuperação de peças Desenvolvimento de equipes para economia de energia Empresa de Pré-moldados de Concreto, Havana: Aperfeiçoamento de tecnologias de painéis SPIROLL Organização da Recuperação de peças Generalização de tecnologia de Concreto protendido Suscitação de importação Empresa de Construção de Vias Férreas, Santa Clara: Desenvolvimento de equipamento para o Pólo Científico Desenvolvimento de montagem para nova linha de produção Aperfeiçoamento da organização tecnológica Aperfeiçoamento de sua capacidade comercializada.


Carregar ppt "A) Segundo o objeto da inovação: - Pr o d u t o - P r o c e s s o - M e t o d o l o g i a b) Segundo o tipo de mercado: - E m p r e s a - C o n s u m i."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google