A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Contabilidade e Análise de Balanço I -EaD

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Contabilidade e Análise de Balanço I -EaD"— Transcrição da apresentação:

1 Contabilidade e Análise de Balanço I -EaD
Professora: Elisete Dahmer Pfitscher, Dra. Professor: João Paulo de Oliveira Nunes, Mestrando Fones: 0(xx48) ; ; ; 0(xx48) 1 1

2 Primeira aula Sumário Plano de ensino Primeira Unidade
Trabalho de fixação

3 Plano de Ensino Ementa Objetivos da Disciplina
Objetivos de Aprendizado para os Alunos Conteúdo Programático Avaliação de Aprendizagem Bibliografia Básica

4 Ementa A Contabilidade e a Ciência Econômica; Demonstração do Resultado do Exercício; Contabilidade por Balanços Sucessivos e o Método das Partidas Dobradas; Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) e Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR); Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC); Demonstração do Valor adicionado (DVA) e Princípios Fundamentais de Contabilidade; A Preparação das demonstrações contábeis para análise e Métodos de análise. 4 4

5 Objetivo da disciplina
Apresentar noções de contabilidade, especificamente das demonstrações contábeis na perspectiva de análise e conhecer as formas de gestão mostrando o relacionamento das Ciências Contábeis e Ciências Econômicas. 5

6 Objetivos de Aprendizado para os Alunos
Conceituar e evidenciar os grupos de contas do Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado (DRE), na sua forma dedutiva; Mostrar a Demonstração de Lucros e Prejuízos Acumulados (DLPA) como instrumento de integração entre o BP e DRE; Explicar a Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos (DOAR), especificando origens e aplicações de recursos; 6

7 Objetivos de Aprendizado para os Alunos
Apresentar a Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC); Demonstração do Valor adicionado (DVA) e Princípios Fundamentais de Contabilidade, juntamente com as mudanças originadas pela Lei de 28 de dezembro de 2007; Apresentar um breve histórico da Análise de Demonstrações Contábeis, juntamente com alguns métodos de análise.Balanço contabilidade e do controle interno; 7

8 Conteúdo Programático
UNIDADE 1: A Contabilidade e a Ciência Econômica 1.1 O crescimento e o desenvolvimento econômico 1.2 A gestão das empresas e a Economia 1.3 Balanço Patrimonial Ativo e Passivo Patrimônio Líquido Equação contábil 8 8

9 Conteúdo Programático
UNIDADE 2: Demonstração do Resultado do Exercício e Contabilidade por Balanços Sucessivos e o Método das Partidas Dobradas 2.1. Demonstração dedutiva 2.2. Como apurar a receita operacional líquida 2.3. Como apurar o lucro (operacional bruto) 2.4. Como apurar o lucro (operacional líquido) 2.5. Como apurar o lucro antes do IR e CS 2.6. Como apurar o lucro após o IR e a CS 2.7. Lucro líquido 2.8 A Contabilidade por Balanços Sucessivos 2.9 O Método das partidas dobradas 9 9

10 Conteúdo Programático
UNIDADE 3: Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) e Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) 3.1. Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados - DLPA 3.2. Demonstração das Mutações do Patrimônio Liquido – DMPL 3.3. Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos – DOAR 10 10

11 Conteúdo Programático
UNIDADE 4: Demonstração do Fluxo de Caixa; Demonstração do Valor adicionado e Princípios Fundamentais de Contabilidade 4.1 Lei de 28 de dezembro de 2007 4.2 Demonstração do Fluxo de Caixa 4.3 Demonstração do Valor Adicionado 4.4 Demais alterações ocorridas pela Lei /07 4.5 A importância dos Princípios Fundamentais de Contabilidade 11 11

12 Conteúdo Programático
UNIDADE 5: A Preparação das demonstrações contábeis para análise e Métodos de análise 5.1 Breve histórico da análise de demonstrações contábeis 5.2 Objetivo da análise das demonstrações financeira 5.3Aspectos que podem não ser evidenciados pela análise 5.4 Análise de Estrutura ou Vertical 5.5 Análise de Evolução ou Horizontal 5.6 Análise por Diferenças Absolutas 5.7 Análise por Quocientes e Índices de Endividamento 12 12

13 Avaliação de Aprendizagem
A conscientização em assegurar um bom ensino não depende somente do repasse de conhecimentos e sim da reciprocidade de informações obtidas com todo público acadêmico. Existe uma necessidade básica para o desenvolvimento do indivíduo em obter uma boa conduta, também nos bancos escolares, ter o poder de competir num mercado extremamente excludente. 13 13

14 Avaliação de Aprendizagem
14 14

15 Avaliação de Aprendizagem
Quanto às atividades de aprendizagem das unidades estas estão dispostas no material on-line e impresso, e deverão ser enviadas quando do término de cada unidade. A prova abrangerá todo o conteúdo do livro da disciplina, informações constantes e recomendadas por meio do AVEA, bem como as atividades e pesquisas recomendadas. Constará no AVEA as regras para a realização da prova presencial. 15 15

16 Bibliografia Básica BRASIL. Lei no 6.404, de 15 de dezembro de Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L6404compilada.htm>. Acesso em: 17 de julho de 2008. _______. Lei no , de 28 de dezembro de Altera e acrescentam dispositivos na Lei nº 6.404/76, e na Lei nº 6.385/76. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/_Ato /2007/Lei/L11638.htm>. Acesso em: 17 de julho de 2008. CFC. Resolução 750/93. Disponível em: <http://www.crcrs.org.br/resnormas/rescfc750.htm> Acesso em: 23/07/08. 16 16

17 Bibliografia Básica ____. Resolução 774/94. Disponível em: <http://www.crcrs.org.br/resnormas/rescfc774.htm> Acesso em: 23/07/08. IUDÍCIBUS, Sérgio de. MARION, José Carlos. Curso de Contabilidade para não Contadores. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2000. GARRISON, Ray; H NOREEN, Eric W. Contabilidade Gerencial. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editoria S/A, 2000. 17 17

18 Bibliografia Básica MARION, J. C. Contabilidade empresarial. 9 ed. São Paulo: Atlas (A) MARION, J. C. Análise das Demonstrações Contábeis: contabilidade empresarial. 2 ed. São Paulo: Atlas (MATARAZZO, Dante Carmine. Análise Financeira de Balanços: abordagem básica e gerencial. São Paulo: Atlas, 1998. NEVES, Silvério das. VICECONTI, Paulo Eduardo. Contabilidade Avançada e Análise das Demonstrações Financeira.São Paulo: Frase, ROSS, Stephen A.;WESTERFIELD, Randolph W. ; JAFFE, Jeffrey F. Administração Financeira: CORPORATE FINANCE. São Paulo: Atlas, 1995 Artigos e Dissertações. 18 18

19 A contabilidade e a Ciência Econômica
Primeira unidade A contabilidade e a Ciência Econômica O objetivo desta primeira unidade é mostrar num primeiro momento uma conceitualização sobre o crescimento e o desenvolvimento econômico; a gestão das empresas e a Economia e, após, apresenta-se a estrutura do Balanço Patrimonial, onde tem-se o Ativo, o Passivo o Patrimônio Líquido e a equação contábil mostrando a iniciação da contabilidade nas empresas. 19 19

20 Primeira unidade A contabilidade e a Ciência Econômica 1.1 O crescimento e o desenvolvimento econômico A Contabilidade está ligada ao desenvolvimento econômico como uma forma de mensurá-lo, quando, a partir das informações por ela geradas, serão obtidos os números da economia num determinado momento. Segundo Souza (2007 p.1): “[...] é um tema que emergiu somente no século XX. O objetivo daqueles que se ocupavam das finanças públicas era aumentar o poder econômico e militar do soberano”. 20 20

21 Primeira unidade A contabilidade e a Ciência Econômica 1.2 A gestão das empresas e a Economia As empresas de um modo geral têm sua função social na sociedade. É a partir delas, que são geradas as riquezas e os capitais que serão processados nas suas diversas etapas. Esses capitais podem ser classificados como humanos, financeiros, materiais, que no final vem formar a estrutura do processo econômico. 21 21

22 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.1 Ativo e Passivo Balanço Patrimonial
Posição Financeira em determinado momento, normalmente no fim do ano ou num período pré-fixado. Ativo Passivo PL Ativo Bens e Direitos Contas a Receber, duplicatas a receber, títulos a receber, ações, depósitos em contas bancárias, títulos de crédito, etc. Máquinas, terrenos, estoques, dinheiro (moeda), ferramentas, veículos, instalações, etc. 22 22

23 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.1 Ativo e Passivo Ativo
Obs.: Se o bem ou direito não for de propriedade da empresa, não constará do seu Ativo. O arrendamento mercantil (leasing) não se caracteriza como Ativo (é posse e não propriedade). Uma “marca” conhecida no mercado não poderá evidenciá-la como Ativo, embora seja um bem (intangível) de sua propriedade, pois é impossível avaliá-la. Exceção haverá, quando a marca for comprada de terceiros. 23 23

24 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.1 Ativo e Passivo
Requisitos para ser Ativo: Bens ou Direitos; Propriedade da empresa; Mensurável monetariamente (marca conhecida não é mensurável); Benefícios presentes ou futuros (título a receber de uma empresa falida é uma perda e não Ativo) 24 24

25 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.1 Ativo e Passivo Passivo
Obrigação (dívida) que a empresa tem com terceiros: contas a pagar, fornecedores de matéria-prima (a prazo), impostos a pagar, financiamentos, empréstimos,etc Passivo Exigível Dívida Exigida 25 25

26 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.2 Patrimônio Líquido
Recursos dos proprietários aplicados no empreendimento Capital. Outros acréscimos ao PL “O PL não só é acrescido com novos investimentos dos proprietários, mas também, e isto é mais comum, com os rendimentos resultantes do capital aplicado. Esse rendimento é denominado Lucro remuneração ao capital investido”. 26 26

27 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.2 Patrimônio Líquido
Outros acréscimos ao PL Lucro distribuição dividendos retenção crescimento empresa Obrigações da empresa Obrigações exigíveis reclamáveis Obrigações não exigíveis proprietários da empresa Obs.: Os recursos do PL pertencem à empresa que, por essa razão, também é conhecido como Capital Próprio. 1.3.3 Equação contábil PL = Ativo - Passivo 27 27

28 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.3 Equação contábil PL = Ativo – Passivo
Conceitos: Receita: o acréscimo de ativo (com conseqüente acréscimo de PL) derivado das operações usuais do empreendimento e das operações que derivam da adequada política de manutenção de Ativos, tais como: receitas de serviços, de vendas, de comissões, de juros, etc.. Despesas: o decréscimo de Ativo (ou aumento de Passivo), com conseqüente decréscimo de PL, derivado de ações, decisões e trocas efetuadas pela administração no esforço de auferir receitas e de manter a empresa operando. Exemplo: salários, consumo de materiais, impostos e taxas, etc... 28 28

29 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.3. Equação contábil PL = Ativo – Passivo
Conceitos: Ganhos: têm efeito parecido às Receitas, na equação patrimonial. Podem ser de natureza esporádica, ex.: ganho na baixa ou venda de bens imobilizado. Perdas: têm efeitos semelhantes às despesas, ex.: prejuízo não ressarcido derivante de um incêndio numa empresa. 29 29

30 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.3. Equação contábil a) Capital nominal:
Patrimônio Líquido Inicial. Só será alterado quando os proprietários realizarem investimentos adicionais (aumentos de capital) ou desinvestimentos (diminuições de capital). Patrimônio Líquido Capital ,00 10.000,00 Ativo Disponível Caixa ,00 Passivo e PL Ativo 30 30

31 a) Capital nominal: Patrimônio Líquido Inicial. Só será alterado quando os proprietários realizarem investimentos adicionais (aumentos de capital) ou desinvestimentos (diminuições de capital). Patrimônio Líquido Capital ,00 10.000,00 Ativo Disponível Caixa ,00 Passivo e PL Ativo

32 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.3. Equação contábil b) Capital próprio
Corresponde ao conceito de PL com suas variações. Ex.: Após determinado período, a “Sociedade Coml. Waldir Ltda.” obteve um lucro de R$ 100,00, proveniente de suas operações mercantis. Patrimônio Líquido Capital ,00 Lucro ,00 10.100,00 Ativo Circulante Ativo Disponível Caixa ,00 Títulos a Receber ,00 Passivo e PL Ativo 32 32

33 b) Capital próprio Corresponde ao conceito de PL com suas variações. Ex.: Após determinado período, a “Sociedade Coml. Waldir Ltda.” obteve um lucro de R$ 100,00, proveniente de suas operações mercantis. Patrimônio Líquido Capital ,00 Lucro ,00 10.100,00 Ativo Circulante Ativo Disponível Caixa ,00 Títulos a Receber ,00 Passivo e PL Ativo

34 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.3. Equação contábil
c) Capital de terceiros Investimentos feitos na empresa, com recursos provenientes de terceiros. Ex.: Suponha que a citada empresa tenha comprado, a prazo, móveis para escritório, por R$ 200,00. Passivo Circulante Fornecedores ,00 Patrimônio Líquido Capital ,00 Lucro ,00 10.300,00 Ativo Circulante Ativo Disponível Caixa ,00 Títulos a Receber ,00 Ativo Permanente Imobilizado Móveis e Utensílios 200,00 Passivo e PL Ativo 34 34

35 c) Capital de terceiros
Investimentos feitos na empresa, com recursos provenientes de terceiros. Ex.: Suponha que a citada empresa tenha comprado, a prazo, móveis para escritório, por R$ 200,00. Passivo Circulante Fornecedores ,00 Patrimônio Líquido Capital ,00 Lucro ,00 10.300,00 Ativo Circulante Ativo Disponível Caixa ,00 Títulos a Receber ,00 Ativo Permanente Imobilizado Móveis e Utensílios 200,00 Passivo e PL Ativo

36 1.3 Balanço Patrimonial 1.3.3. Equação contábil
d) Capital total à disposição da empresa Segundo Iudícibus et al: “ Em acepção mais ampla, pode-se conceituar o capital como sendo o conjunto dos valores disponíveis pela empresa em determinado momento. Ex.: Capital + Lucros + Credores = ,00 (P + PL)” e) Patrimônio O Patrimônio é o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma entidade. É por esta razão que o Balanço costuma ser denominado Balanço Patrimonial. 36 36

37 d) Capital total à disposição da empresa
Segundo Iudícibus et al: “ Em acepção mais ampla, pode-se conceituar o capital como sendo o conjunto dos valores disponíveis pela empresa em determinado momento. Ex.: Capital + Lucros + Credores = ,00 (P + PL)”

38 Análise da Equação Contábil
1ª Situação: O valor do Ativo é maior que o valor do Passivo, sendo assim, tem-se uma situação líquida positiva, superavitária ou favorável. . 2ª Situação: O valor do Ativo é menor que o valor do Passivo, resultando numa situação líquida passiva, ou seja, negativa, deficitária ou desfavorável. Passivo a descoberto 38 38

39 Análise da Equação Contábil
3ª Situação: O valor do Passivo e do Ativo são iguais, resultando numa situação nula ou compensada. Aqui, evidencia-se uma situação em que todo o capital foi absorvido e, assim, todo o patrimônio pertence a terceiros, pois como se pode ver, o total de bens e direitos é igual ao das obrigações. (FRANCO, 1997). 39 39

40 Inventário Geral Patrimônio Passivo =obrigações (para com terceiros)
Arrola o patrimônio de uma entidade em um dado momento de tempo; É necessário colocar o momento do tempo em que foi elaborado, inclusive, se possível com a hora; Consta os dados de forma analítica. Patrimônio Conjunto dos bens, dos direitos e das obrigações Ativo = bens e direitos Passivo =obrigações (para com terceiros) 40 40

41 Conjunto dos bens, dos direitos e das obrigações
Patrimônio Conjunto dos bens, dos direitos e das obrigações Ativo = bens e direitos Passivo =obrigações (para com terceiros)

42 1.3 Balanço Patrimonial Plano de Contas
Conjunto de contas, previamente estabelecido,para orientar a execução da contabilidade de uma empresa. Características fundamentais: Tamanho da empresa; Ramo de atividade; Sistema Contábil e Interesse dos usuários. Tamanho da empresa (Maiores informações Resumo Contábil- xerox) Micro, pequena, média e grande empresa. “Ao planejar uma Contabilidade para uma microempresa (bar, farmácia, mercearia...), através de um plano de contas, sabe-se, antecipadamente, que muito pouco (ou quase nada) a contabilidade poderá contribuir para a administração da empresa. O próprio fisco isenta as empresas de reduzida receita do Imposto de Renda e dispensa-as da contabilidade”. O maior interessado deve ser o proprietário, para constar se seu empreendimento apresenta lucro compatível com outras alternativas de investimentos. Ramo de Atividade Objetivo de cada empresa; Características do seu ramo; Setor de atividades. 42 42

43 1.3 Balanço Patrimonial Exemplos:
1. “As características operacionais da empresa são fundamentais na elaboração do plano de contas. Por exemplo, no caso de um supermercado (que só vende a vista), não se fará constar a conta “Duplicatas a Receber” no Ativo Circulante, mas será elencada a conta “Fornecedores” no Passivo Circulante, pois este tipo de empresa, compra a prazo”; 2. No caso de uma indústria de eletrodomésticos, no que tange a impostos, inclue-se ICMS a Recolher (haverá comercialização de mercadorias), IPI a recolher (pela industrialização) e se existir a possibilidade de prestação de serviços de assistência técnica, ISS a Recolher; 3. Uma agropecuária, além de Estoques Vivos, incluirá no seu Ativo Circulante as “Culturas Temporárias” e “Culturas Permanentes”. Obs.: Modelo de Plano de Contas - Xerox. Plano de Contas de uma Empresa Comercial Codificação Inicia-se com a unidade 1, para todas as contas do Ativo; com a unidade 2 para todas as contas do Passivo; com a unidade 3 para todas as contas do PL; 4 para todas as contas Receitas e deduções das Receitas e 5 para as contas dedutivas no Resultado (Custos, Despesas, Participações, etc.) 43 43

44 1.3 Balanço Patrimonial “Em seguida, adiciona-se um segundo número que representará o grupó de contas do ativo, do Passivo e assim por iante. Desse modo, se observa o código 1.1., tem-se o Ativo Circulante (o primeiro 1 é Ativo, o segundo 1 é Circulante); Ativo Realizável a Longo Prazo; 1.3 Ativo Permanente; Passivo Circulante; PELP”. O terceiro dígito significa a conta do grupo. Código Caixa Bancos Conta Movimento Aplicações do Mercado Aberto 44 44

45 1.3 Balanço Patrimonial Resumo Contábil Introdução Novos negócios:
Aspectos e fases que envolvem a abertura de um negócio; Características, tamanho do mercado, legislação pertinente, padrões de qualidade. Decisão quanto a forma jurídica: Firma Individual: Única pessoa responsável ilimitada e individualmente pela empresa (ou pelo seus atos; nome da firma - titular. 45 45

46 1.3 Balanço Patrimonial Resumo Contábil
Sociedade por quotas de responsabilidade limitada (Ltda): Dois ou mais sócios; Atividade Industrial e ou Comercial; A responsabilidade de cada um é limitada à importância do capital social. Sociedade Civil (S/C Ltda.): Atividade Prestação de Serviços; Não podem praticar atos de Comércio. 46 46

47 1.3 Balanço Patrimonial Resumo Contábil
Sociedade Civil de profissão regulamentada: Sócios com atividades regulamentadas. Ex.: 1. Dois médicos montam uma Clínica Médica S/C Ltda.,desde que não exerçam serviços próprios de hospitais. 2. Um engenheiro se associa a um arquiteto. “Lei 9.430, de , a partir de janeiro de 1997, as sociedades civis de prestação de serviços profissionais relativos ao exercício de profissão legalmente regulamentada passaram a ser tributadas pelo IR de acordo com as normas aplicáveis às demais pessoas jurídicas, ficando extinto o regime especial de não incidência do IRPJ previsto para elas no decreto-lei de no 2.397/87. Passaram a contribuir também, para a seguridade social - COFINS - com base na receita bruta da prestação de serviços auferida a partir do mês de abril de 1997. 47 47

48 1.3 Balanço Patrimonial Resumo Contábil
Sociedade Civil de Uniprofissionais: A Prefeitura do Município de São Paulo concedeu benefícios às sociedades civis de profissões regulamentadas, uniprofissionais, ou seja, quando dois ou mais sócios exercem a mesma atividade em profissões legalmente regulamentadas. Exemplos: Dois ou mais engenheiros constituem uma empresa de prestação de serviços de engenharia. Decreto n de 18 de julho de 1996, Parágrafo I, Inc. I a VII e artigos 22 e 24, determina quais os profissionais que podem constituir uma sociedade uniprofissional. “Este tipo de empresa está dispensada da emissão de notas fiscais e da escrituração dos livros fiscais de Prefeitura, emitindo somente recibos”. 48 48

49 1.3 Balanço Patrimonial Produtor Rural: Autônomo:
Registro como produtor rural no Posto Fiscal da Secretaria da Fazenda que jurisdiciona o seu estabelecimento rural. A própria Secretaria da Fazenda deverá ser consultada quanto ao fornecimento do talão de Notas Fiscais do Produtor, cuja emissão é obrigatória na circulação de mercadorias. Autônomo: O registro de autônomo para prestação de serviços pessoais, ambulantes, bancas de jornais e uma séirie de outras atividades da mesma natureza, pode ser realizado na Prefeitura do Município onde reside o interessado. Tributação de Imposto Sobre Serviços (ISS) e INSS. 49 49

50 1.3 Balanço Patrimonial Enquadramento como Microempresa e Empresa de Pequeno Porte: Lei de atividade a ser desenvolvida limite de faturamento estabelecido 50 50

51 Enquadramento como Microempresa e Empresa de Pequeno Porte:
Lei de atividade a ser desenvolvida limite de faturamento estabelecido

52 Tributação Mudanças no Simples
Promulgada a Lei no que aprovou a MP 255 – MP do Bem – Art. 33: “[...] ficou estabelecido que as microempresas e as empresas de pequeno porte do Simples Federal, teriam seus limites de receitas brutas dobradas, ou seja, as ME passariam dos R$ 120 mil para 240 mil reais”.(www.sebraesp.com.br). 52 52

53 Tributação - ME 53 Receita Acumulada/ano R$
TIPO EMPRESA Percentual Empresa Comercial Percentual Empresa Industrial (IPI) Percentual Empresa Serviços * até ,00 ME 3,0% 3,5% 4,5% de ,01 até ,00 4,0% 6,0% de ,01 até ,00 5,0% 5,5% 7,5% de ,01 até ,00 5,4% 5,9% 8,1% 53 53

54 Tributação - ME Receita Acumulada/ano R$ Percentual Empresa Comercial
TIPO EMPRESA Percentual Empresa Comercial Percentual Empresa Industrial (IPI) Percentual Empresa Serviços * até ,00 ME 3,0% 3,5% 4,5% de ,01 até ,00 4,0% 6,0% de ,01 até ,00 5,0% 5,5% 7,5% de ,01 até ,00 5,4% 5,9% 8,1%

55 Receita Acumulada/ano R$ Percentual Empresa Comercial
TIPO EMPRESA Percentual Empresa Comercial Percentual Empresa Industrial (IPI) Percentual Empresa Serviços * até ,00 EPP 5,4% 5,9% 8,1% de ,01 até ,00 5,8% 6,3% 8,7% de ,01 até ,00 6,2% 6,7% 9,3% de ,01 até ,00 6,6% 7,1% 9,9% de ,01 até ,00 7,0% 7,5% 10,5% de ,01 até ,00 7,4% 7,9% 11,1% de ,01 até ,00 7,8% 8,3% 11,7% de ,01 até ,00 8,2% 12,3% de ,01 até ,00 8,6% 9,1% 12,9% De ,01 até ,00 9,0% 9,5% 13,5% De ,01 até ,00 9,4% 14,1% De ,01 até ,00 9,8% 10,3% 14,7% De ,01 até ,00 10,2% 10,7% 15,3% De ,01 até ,00 10,6% 15,9% De ,01 até ,00 11,0% 11,5% 16,5% De ,01 até ,00 11,4% 11,9% 17,1% De ,01 até ,00 11,8% 17,7% De ,01 até ,00 12,2% 12,7% 18,3% De ,01 \até ,00 12,6% 13,1% 18,9%

56 Tributação EPP 56 Receita Acumulada/ano R$
TIPO EMPRESA Percentual Empresa Comercial Percentual Empresa Industrial (IPI) Percentual Empresa Serviços * até ,00 EPP 5,4% 5,9% 8,1% de ,01 até ,00 5,8% 6,3% 8,7% de ,01 até ,00 6,2% 6,7% 9,3% de ,01 até ,00 6,6% 7,1% 9,9% de ,01 até ,00 7,0% 7,5% 10,5% de ,01 até ,00 7,4% 7,9% 11,1% de ,01 até ,00 7,8% 8,3% 11,7% de ,01 até ,00 8,2% 12,3% de ,01 até ,00 8,6% 9,1% 12,9% De ,01 até ,00 9,0% 9,5% 13,5% De ,01 até ,00 9,4% 14,1% De ,01 até ,00 9,8% 10,3% 14,7% De ,01 até ,00 10,2% 10,7% 15,3% De ,01 até ,00 10,6% 15,9% De ,01 até ,00 11,0% 11,5% 16,5% De ,01 até ,00 11,4% 11,9% 17,1% De ,01 até ,00 11,8% 17,7% De ,01 até ,00 12,2% 12,7% 18,3% De ,01 até ,00 12,6% 13,1% 18,9% Tributação EPP 56 56

57 Tabela progressiva para o cálculo
Rbm % Dedução Até R$ , 2,1526 R$ 430,53 De R$ , a R$ , , ,44 Acima de R$ ,01 4, ,34 57 57

58 Exemplos Sistema anterior 50.000,00 x 2,1526%=1.076,30
1.076,30 –275,00= 801,30 Novo sistema 1.076,30-430,53= 645,77 58 58

59 1.3 Balanço Patrimonial Balanço Patrimonial Equilíbrio Equilíbrio
do Patrimônio A= P + PL Aplicações + Origens Igualdade Patrimonial Requisitos: Denominação da empresa, Título da demonstração (BP, DMPL, DLPA, DOAR) Data do encerramento do balanço. 59 59

60 1.3 Balanço Patrimonial Grupo de contas homogêneas ou de mesmas características Liquidez Ativo Circulante Ativo Disponível Caixa Bancos Aplicações Temporárias Contas a Receber Estoques Despesas do Exercício Seguinte (despesas contraídas antecipadamente e ainda não consumidas: seguros antecipados) Deduções do Circulante Provisões para Devedores Duvidosos Duplicatas a Receber ( Duplicatas Descontadas) 60 60

61 1.3 Balanço Patrimonial Investimentos Imobilizado
Diferido (gastos pré-operacionais, gastos de reorganização, pesquisa e desenvolvimento de produtos) Deduções do Permanente Investimentos: Provisões para Perdas Imobilizado: Depreciação Acumulada: Bens tangíveis perdem a eficiência funcional; Amortização Acumulada: Bens intangíveis (marcas, patentes, direitos autoriais, benfeitorias em imóveis de terceiros); Exaustão Acumulada: Recursos Naturais (jazidas, reflorestamento, poço de petróleo). Diferido: “a diminuição deste ítem, em virtude de sua distribuição proporcional aos exercícios sociais (no mínimo cinco e no máximo dez anos), é denominada Amortização Acumulada” 61 61

62 Trabalho de fixação 1 6 e 7. A Cia Beta negocia (compra e vende) aparelhos de imagem e som. Em 30/04/2004, foi elaborado um Inventário Geral (analítico) da empresa, descrito abaixo no Quadro e assim pede-se: Identifique os componentes denominados Ativo (A) e Passivo (P); Estrutura o Balanço Patrimonial; Faça uma análise prévia sobre as contas do Ativo Circulante e Passivo Circulante, descrevendo com suas palavras a posição financeira da empresa neste momento. 62 62

63 Trabalho de fixação 1 Ativo Permanente- Imobilizado
Ativo Circulante- Estoques 63 63


Carregar ppt "Contabilidade e Análise de Balanço I -EaD"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google