A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pólo Industrial de Camaçari Objetivo e metodologia de trabalho Cadeias produtivas do Pólo Industrial Roteiro - Química, Petroquímica e Fertilizante - Metalurgia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pólo Industrial de Camaçari Objetivo e metodologia de trabalho Cadeias produtivas do Pólo Industrial Roteiro - Química, Petroquímica e Fertilizante - Metalurgia."— Transcrição da apresentação:

1 Pólo Industrial de Camaçari Objetivo e metodologia de trabalho Cadeias produtivas do Pólo Industrial Roteiro - Química, Petroquímica e Fertilizante - Metalurgia - Celulose - Automotivo Cenário de Insumos Energéticos Conclusões/Proposições - Gás Natural - Óleo combustível - Energia Elétrica

2 Pólo Industrial de Camaçari Aplicações do Gás Natural no Pólo

3 Pólo Industrial de Camaçari Oferta de Gás Natural Bahia Bahia maior produtor de GN no Nordeste 2007: 6,4 milhões m 3 /d (56% do Nordeste) Tendências Manati: Produção de 8 milhões m 3 /dia entre 7 e 10 anos Recôncavo: Declínio da produção Possibilidade de restrição futura Presença de nitrogênio restringe o uso como matéria-prima Possibilidade de restrição futura Presença de nitrogênio restringe o uso como matéria-prima Plano Petrobras Novos investimentos concentrados na região Sudeste GNL: Pecém(CE) e Baia de Guanabara(RJ) em 2008 – Foco Termelétrica GASENE em 2010

4 Pólo Industrial de Camaçari Novas Ofertas de Gás Natural Oferta reduzida: Dependente da transferência da região Sudeste

5 Pólo Industrial de Camaçari Oferta/demanda de Gás Natural Bahia Balanço oferta/demanda Acordo Petrobras/Bahiagás ( ): 5,1 milhões m 3 /dia Firme inflexível3,5 milhões m 3 /dia Firme flexível0,5 milhões m 3 /dia Interruptível 1,1 milhões m 3 /dia Baseado em questões energéticas Firme inflexível3,5 milhões m 3 /dia Firme flexível0,5 milhões m 3 /dia Interruptível 1,1 milhões m 3 /dia Baseado em questões energéticas Demanda atual do Pólo Industrial: (ex-FAFEN) 3,8 milhões m 3 /dia Balanço: oferta-demanda (Bahiagás) Atual: Contingenciamento para o Pólo: 500 mil m 3 /dia combustível Futuro: Restrição ao crescimento Balanço: oferta-demanda (Bahiagás) Atual: Contingenciamento para o Pólo: 500 mil m 3 /dia combustível Futuro: Restrição ao crescimento

6 Pólo Industrial de Camaçari Demanda de Gás Natural Bahia Mil m 3 /dia

7 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Comparativo combustíveis

8 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Preço Gás Natural no Brasil ao Consumidor

9 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Margem das distribuidoras

10 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Formação de preços Portaria MF/MME 003/2000 :: Commodity: Correção trimestral em função de uma cesta de óleos :: Transporte: Parcela fixa :: Tarifa: Congelada por 3 anos ( ) Nova metodologia :: Parcela fixa: US$ 2,2 /MMBTU reajustado anualmente pelo IGPM :: Parcela variável: Cesta de óleos reajustada trimestralmente sobre a metade da parcela

11 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Formação de preços Projeção de Preço de Compra de Gás Natural pela Bahiagás

12 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Formação de preços Fonte: EIA. Elaboração: Abiquim.

13 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Formação de preços Fonte: EIA. Elaboração: Abiquim. Proposta Abiquim para o preço do gás natural como matéria-prima O preço FOB médio do gás natural praticado no mercado internacional, pelos grandes produtores e exportadores, com base nos dados publicados pela International Energy Agency-IEA, descontado o custo do frete, vezes o fator de ajuste, calculado a partir da razão entre os preços dos energéticos e dos produtos químicos e petroquímicos no mercado americano, de acordo com informações publicadas pelo US Bureau of Labor Statistics. Proposta Abiquim para o preço do gás natural como matéria-prima O preço FOB médio do gás natural praticado no mercado internacional, pelos grandes produtores e exportadores, com base nos dados publicados pela International Energy Agency-IEA, descontado o custo do frete, vezes o fator de ajuste, calculado a partir da razão entre os preços dos energéticos e dos produtos químicos e petroquímicos no mercado americano, de acordo com informações publicadas pelo US Bureau of Labor Statistics.

14 Pólo Industrial de Camaçari Competitividade Projeção de preço Gás Natural ao Consumidor: Bahia x São Paulo

15 Pólo Industrial de Camaçari Contrato de concessão da Bahiagás considera: Remuneração de 20% sobre os Investimentos e Custos Operacionais Na base de cálculo do Custo de Capital, o imposto de renda dos quais a Bahiagás é isenta A remuneração do investimento antes de sua execução Oneração da tarifa por considerar Take or Pay de 80% sobre o volume contratado Contrato de concessão Bahiagás deixa o consumidor exposto a tarifação do GN Competitividade

16 Pólo Industrial de Camaçari Conclusões Oportunidade de melhor destinar o GN no Pólo Industrial Há um contingenciamento no fornecimento de GN para o Pólo frente a quantidade demandada Há um crescimento de demanda no horizonte de 5 a 10 anos O GN firme não atende as necessidade de crescimento do Pólo para os próximos 5 anos

17 Pólo Industrial de Camaçari Alto teor de N 2 do GN Manatí para uso como MP a ser equacionado pela Petrobras e Bahiagás (risco de perda de capacidade de Produção) Há necessidade de previsibilidade de oferta (contratos) no horizonte de Faz-se necessário ter o GASENE no prazo (2010) e explorar novas fontes off-shore na Bahia para aumentar a oferta Os empresários não conseguem focar seus investimentos de longo prazo baseados em GN, devido imprevisibilidade A tendência de aumento de preços do GN pela nova metodologia de reajuste Há necessidade de revisão do contrato de concessão da Bahiagás frente a exposição do consumidor final à fórmula de tarifação Conclusões


Carregar ppt "Pólo Industrial de Camaçari Objetivo e metodologia de trabalho Cadeias produtivas do Pólo Industrial Roteiro - Química, Petroquímica e Fertilizante - Metalurgia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google