A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso de Pós-graduação Lato-Sensu em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas de Informação Disciplina: Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso de Pós-graduação Lato-Sensu em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas de Informação Disciplina: Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de."— Transcrição da apresentação:

1 Curso de Pós-graduação Lato-Sensu em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas de Informação Disciplina: Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software Professora Giselle Teixeira de Almeida PÓS-GRADUAÇÃO 07/05/2010

2 SUMÁRIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Modelagem de Processos de Negócio; Modelagem da Arquitetura do Negócio; Conceitos de Modelagem de Negócio; Extensões Eriksson-Penker para Modelagem de Negócio; Visão de Negócio; Atividades Propostas.

3 MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO: Introdução O Negócio Forma Tradicional de Documentação do Negócio Modelo de Negócio Principais Objetivos dos Modelos de Negócio Importância dos Sistemas de Informação nas Organizações Modelagem de Negócio Através da UML PARTE I Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

4 Introdução: É uma representação de como funciona a realidade de um negócio; Apresenta uma visão simplificada de uma realidade bastante complexa; Funciona como o plano para a condução de um negócio; Contribui para a tomada de decisões; Afeta decisões sobre priorização de objetivos e metas; Descreve de forma atualizada como o negócio está sendo realizado; MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

5 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Introdução: Facilita a comunicação entre diferentes profissionais que participam do negócio, reduzindo conflitos; Contribui para que um grupo possa trabalhar buscando um mesmo objetivo; Serve de base para outros modelos, como os modelos dos sistemas de informação; Não fornece todas as respostas, mas funciona como uma estratégia ou plano a ser seguido; É representado através de um conjunto de diagramas. MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

6 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida O Negócio: Pode ser visto com um sistema complexo; Possui uma organização hierárquica, envolvendo departamentos e suas funções; Algumas funções não estão restritas a um departamento, mas perpassam diversos departamentos MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

7 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Forma Tradicional de Documentação do Negócio: Divide o negócio em departamentos e setores (verticalização); Limitada a representar como o negócio foi construído e organizado; Não documenta os processos do negócio que perpassam os departamentos e afetam a estrutura hierárquica da organização; Não capturam: Processos de negócio, recursos que participam dos processos, regras que regulam a execução do negócio, metas e problemas que dificultam ou impedem que se alcance as metas. MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

8 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Modelo de Negócio: Nunca é perfeito ou completo, pois a sua modelagem depende da percepção do modelador (observador); Não deve conter todos os detalhes do negócio; Prioriza as tarefas mais importantes do negócio e seus principais mecanismos; Necessita de atualização na medida em que o negócio no mundo real sofre modificações. MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

9 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Principais Objetivos dos Modelos de Negócio: Melhorar a compreensão dos principais mecanismos de um negócio existente; Atuar como base para a melhoria da estrutura e operação do negócio em funcionamento; Atuar como base para a criação de sistemas de informação que se integrem ao negócio; Apresentar a estrutura para a inovação de uma área de negócio; Experimentar um novo conceito de negócio, ou avaliar algum conceito aplicado pela concorrência; Identificar partes do negócio que podem ser terceirizadas. MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

10 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Importância dos Sistemas de Informação nas Organizações: De fato atendem as necessidades da organização? Conseguem ser adaptados facilmente em função de mudanças no negócio? É visto como um recurso estratégico importante do negócio? As informações obtidas são adequadas e corretas? Não servem apenas para dar suporte ao negócio, são parte integrante do negócio. MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

11 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Modelagem de Negócio Através da UML: Similaridades de conceitos na modelagem de negócio e sistemas através de objetos; Técnicas de modelagem já amadurecidas; Notação padronizada e bem conhecida; Curva de aprendizado reduzida; Formas novas e mais simples de ser observar uma organização ou um negócio através de diversas visões. MODELAGEM DE PROCESSO DE NEGÓCIO

12 MODELAGEM DA ARQUITETURA DO NEGÓCIO: Benefícios da Arquitetura Arquitetura do Negócio Definição e Documentação do Negócio Características de uma Boa Arquitetura O que é Necessário para se Obter uma Boa Arquitetura PARTE II Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

13 Benefícios da Arquitetura: Facilita a compreensão do que está sendo construído; Captura as partes vitais da estrutura de uma forma organizada; É uma ferramenta prática para o gerenciamento de sistemas complexos; Permite que se planeje a construção e se estime os custos; Serve de base para as blueprints da estrutura; Quando a construção é finalizada uma boa arquitetura permanece como uma documentação do processo e do resultado. MODELAGEM DA ARQUITETURA DO NEGÓCIO

14 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Arquitetura do Negócio: É a base para se descrever e compreender o funcionamento de uma organização; Identifica as partes que constituem o negócio, como elas são estruturadas e interagem entre si; Atua como uma base de conhecimento da organização; Pode estar presente em todos os tipos de negócio. MODELAGEM DA ARQUITETURA DO NEGÓCIO

15 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Definição e Documentação do Negócio: Facilita a obtenção do conhecimento já existente na área de negócio; Possibilita a melhoria do processo e a sua inovação; Possibilita a identificação de novas oportunidades de negócio; Provê os requisitos corretos para os sistemas de informação que irão dar suporte as operações do negócio. MODELAGEM DA ARQUITETURA DO NEGÓCIO

16 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Características de uma Boa Arquitetura: Captura a realidade do negócio da forma mais correta e confiável possível; É focada nos processos e estruturas prioritários do negócio, em um nível adequada de abstração; Representa uma visão consensual das pessoas que operam o negócio; Adapta-se facilmente a mudanças e extensões; É fácil de ser compreendida, facilitando a comunicação entre os diferentes profissionais da área de negócio. MODELAGEM DA ARQUITETURA DO NEGÓCIO

17 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida O que é Necessário para se Obter uma Boa Arquitetura: Modeladores com alto nível de conhecimento da área de negócio, ou pelo menos com fácil acesso a especialistas na área de negócio; Uma linguagem de modelagem que possa capturar todos o conceitos importantes do negócio; Capacidade de organizar diagramas em diferentes visões do negócio; Aplicação de padrões de modelagem já experimentados; Um processo de desenvolvimento de modelos de que garanta qualidade e precisão. MODELAGEM DA ARQUITETURA DO NEGÓCIO

18 CONCEITOS DE MODELAGEM DE NEGÓCIO: Introdução Esquema ou Metamodelo Vantagens da Utilização de Modelos PARTE III Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

19 Introdução: Cada organização tem diferentes metas e estruturas internas, porém elas usam conceitos similares para descrever sua estrutura e operação; Um modelo de negócio descreve: Objetos que são parte do sistema/negócio; Os relacionamentos e estruturas que envolvem estes objetos; As interações dinâmicas entre os objetos em várias situações Os conceitos usados para definir um modelo de negócio são: Recursos (resources) Processos (processes) Metas (goals) Regras (rules) CONCEITOS DE MODELAGEM DE NEGÓCIO

20 CONCEITOS DE MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Esquema / Metamodelo:

21 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Vantagens da Utilização de Modelos: Associa conceitos e seus relacionamentos; É mais fácil de ser compreendido do que uma descrição textual; É uma ferramenta poderosa para descrever estruturas complexas e seus relacionamentos. CONCEITOS DE MODELAGEM DE NEGÓCIO

22 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIOS: Mecanismos de Extensão da UML Porque Estender a UML para Modelagem de Negócio? Processo de Negócio (definição, representação, simbologia e atividades) Eventos de Negócio e Sua Representação Modularização do Sistema de Negócio e Sua Representação Recursos (representação e tipos) Metas (Goals) e Problemas (representação) Regras de Negócio e sua Rrepresentação Relacionamentos e sua Representação PARTE IV Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

23 Mecanismos de Extensão da UML: Estereótipos (stereotype) Valores marcados (tagged value [property]) Restrições (constraint) Por que estender a UML para modelagem de negócio? UML foi definida a principio para modelagem de software; Modelagem de negócio possui conceitos que não estão presentes em modelagem de sistemas (ex. profissionais do negócio, equipamentos, regras e metas do negócio). EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

24 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Definição de Processo de Negócio: É uma coleção de atividades que obtém uma ou mais tipo de entrada e cria uma saída que tem algum valor para o cliente. Um processo de negócio possui uma meta e é afetado por eventos que ocorrem na realidade externa ou em outros processos. [Hammer e Champy, 1993] EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

25 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Processo de Negócio: Possui uma meta (goal); Possui entradas específicas; Utiliza recursos; Possui um conjunto de atividades que são executadas numa certa ordem, e dependem de condições e eventos que ocorrem durante a execução do processo; Afeta mais de uma unidade organizacional (é horizontal ao invés de vertical); Agrega valor para o cliente (interno ou externo). EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

26 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação UML de Processo de Negócio: Pode apresentar valores marcados (tagged value) associados, para conter informações adicionais sobre o processo, exemplos: * Meta (goal)* Propósito * Documentação* Dono do processo * Atores do processo* Prioridade * Riscos* Possibilidades * Tempo* Custo EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

27 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Processo de Negócio – exemplo de símbolo: EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

28 Processo de Negócio – exemplo de símbolo: EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

29 Processo de Negócio – exemplo de símbolo: EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

30 Atividades do Processo de Negócio: Categoria das atividades: Direta – envolvida na criação do produto ou serviço; Indireta – dá suporte as atividades diretas (ex. administração, manutenção, planejamento); Garantia de qualidade – garante a qualidade das demais atividades (ex. inspeção, controle, revisões). EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

31 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Eventos de Negócio: Definição: é algo que acontece no mundo real e que requer uma certa ação. Um evento pode: Iniciar a execução de um processo; Afetar o comportamento e execução de um processo; Concluir um processo gerando um evento. Notação: São representados através de classes estereotipadas: > EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

32 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação de Eventos de Negócio:

33 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Modularização do Sistema de Negócio: Necessária devido a grande quantidade de processos presentes em grandes sistemas; Permite que se organize os processos afins sobre alguma ótica; Permite que o modelador se concentre em apenas um certo conjunto de processos por vez; Notação: Os processos são modularizados utilizandos o mecanismo de pacote da UML. EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

34 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Modularização do Sistema de Negócio:

35 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Recursos: Correspondem aos objetos que agem ou são utilizados pelo negócio. São conceitos consumidos, produzidos, transformados ou usados pelo processo de negócio Notação: Os tipos de recursos (Coisa [fisica/abstrata/pessoa], Informação) são representados através de classes estereotipadas com o tipo de recurso. EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

36 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação de Recursos:

37 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Tipos de Recursos:

38 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Metas (Goals): Descrevem o estado desejado de um ou mais recursos; Sao vinculados ao negócio como um todo e também a processos de negócio individuais; Motiva a execução de atividades que levam a obtenção de estados do processo que representam uma direção desejada; Deve ser mensurável (quantitativamente ou qualitativamente) de forma a ser perceber o progresso na direção desejada; Exemplos: seremos os líderes de mercado em 5 anos, vender mais de 5 milhões no Brasil em 12 meses; Podem ser decompostos em submetas (modelagem de metas). EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

39 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Problemas: Fortemente relacionados às metas, pois são obstáculos às mesmas; Se um problema é eliminado, quais metas podem ser atingidas? Notação para Metas e Problemas: Metas: objetos estereotipadas como >, > Problemas: Notas estereotipadas como > EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

40 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação de Metas e Problemas:

41 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Regras de Negócio: Um modelo de negócio contem regras que definem restrições, condições e políticas de como os processos de negócio deve ser executados; As regras controlam o negócio; São definidas para satisfazer requisitos externos (ex. leis, outros negócios) ou internos (de forma a assegurar o alcance das metas); EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

42 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Regras de Negócio: Existem 3 tipos de regras de negócio: Derivações: obtidas através de cálculos; Restrições: restrigem certos aspectos estruturais ou comportamentais dos objetos ou processos; Existência: Definem quando algo deve ou não existir, ser criado ou eliminado; Notação: Notas estereotipadas como > EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

43 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação de Regras de Negócio:

44 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Relacionamentos: Refletem os relacionamentos entre elementos/objetos; Tipos de relacionamentos: Transição de estado / atividade: relacionamento entre atividades / estados, para mostrar a atividade / estado seguinte; Generalização: o relacionamento de generalização / especialização permite que certos tipos de objetos sejam representados de forma mais generalizada ou mais especíalizada. EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

45 Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Relacionamentos: Associação / Agregação: a associação descreve os links que conectam certos objetos. A agregação representa um caso especial de associação, onde um objeto contém ou controla o outro objeto da associação. Dependência: representa a dependência entre certos objetos; Refinamento: alguns elementos representam o refinamento de um elemento mais abrangente. EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO

46 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação de Relacionamentos:

47 EXTENSÕES ERIKSSON-PENKER PARA MODELAGEM DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Representação de Relacionamentos:

48 VISÕES DE NEGÓCIO: Visão do Negócio Visão do Processo de Negócio Visão da Estrutura do Negócio Visão do Comportamento do Negócio PARTE V Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

49 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Tipos de Visões: Visão do Negócio Visão do Processo de Negócio Visão da Estrutura do Negócio Visão do Comportamento do Negócio

50 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Negócio: Matriz SWOT Pontos Fortes, Pontos Fracos, Oportunidades, Ameaças; Declaração de Visão Documento que define o futuro do negócio; Modelagem Conceitual Define Conceitos importantes do negócio e seus relacionamentos; Modelado através do diagrama de classes da UML; Modelagem de Metas/Problemas Descreve as metas do negócio e os problemas que dificultam o alcance das metas;

51 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Negócio: Modelagem Conceitual – fig. 4.3 pag 99

52 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Negócio: Modelagem de Metas – Fig. 4.4 pag. 102

53 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: É a parte central da modelagem de negócio; Os processos apresentam as atividades que dever ser realizadas para que se alcance uma determinada meta; As metas de uma organização declaradas na visão do negócio, são as bases para a modelagem dos processos; Como resultado, tem-se a criação de diversos diagramas que descrevem os principais processos da organização; Utiliza-se o diagrama de atividades da UML para esta modelagem.

54 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: A modelagem do processo de negócio, requer que se responda as seguintes perguntas: Quais atividades são requeridas? Quando as atividades são executas e em que ordem? Por que as atividades são executadas; qual é o objetivo do processo? Como as atividades são executadas? Quem ou o que está envolvido na execução das atividades O que está sendo consumido ou produzido? Como as atividades devem ser executadas? Quem controla o processo? Como o processo se relaciona com outros processos?

55 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: Diagrama de Processo – pag 108, fig 4.6

56 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: Diagrama de Processo – pag 108, fig 4.6 e 4.7

57 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: Diagrama de Processo – pag 108, fig 4.8

58 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: Diagrama de Linha de Montagem: Identifica a necessidade de sistemas de informação para dar suporte ao processo; Envolve um diagrama de processo na parte superior e diversos pacotes (que representam grupos de objetos) na parte inferior; Apresenta como as informações são acessadas (leitura/gravação) através do sistema de informação e como elas são utilizadas pelo processo.

59 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: Diagrama de Linha de Montagem – fig. pag

60 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Processo de Negócio: Diagrama de Linha de Montagem – fig. pag

61 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão da Estrutura do Negócio: Apresenta as estruturas dos recursos, produtos ou serviços e as informações do negócio, incluindo a estrutura organizacional da empresa; É representado através dos diagramas de classes e objetos da UML.

62 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão da Estrutura do Negócio: Fig pag 119, 4.15

63 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão da Estrutura do Negócio: Fig pag 121, 4.16

64 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão da Estrutura do Negócio: Fig pag 123, 4.17

65 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Comportamento do Negócio: Apresenta tanto o comportamento individual dos recursos e processos do negócio, quanto as interações entre diferentes recursos e processos; Apresenta as atividades do sistema, as transformações e as funcionalidades, concentrando-se especialmente nas interações entre recursos, metas e regras do negócio; Para representar as interações, são utilizados os diagramas de estado, seqüência e colaboração da UML e o próprio diagrama de processos.

66 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Comportamento do Negócio: Pag. 125 – fig 4.19

67 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Comportamento do Negócio: Pag. 127 – fig 4.20

68 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Comportamento do Negócio: Pag. 127 – fig 4.21

69 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Comportamento do Negócio: Pag. 129 – fig 4.22

70 VISÕES DE NEGÓCIO Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida Visão do Comportamento do Negócio: Pag. 129 – fig 4.23

71 ATIVIDADES PROPOSTAS: Pesquisa PARTE VI Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de Software – Giselle T. de Almeida

72 Pesquisa: Faça uma pesquisa e produza um relatório a respeito de outras formas utilizadas para modelagem de processos de negócio além da UML. Faça um comparativo entre elas. ATIVIDADESPROPOSTAS


Carregar ppt "Curso de Pós-graduação Lato-Sensu em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas de Informação Disciplina: Modelagem de Negócio e Gerência de Requisitos de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google