A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PLANO OPERATIVO. OBJETIVO Estabelecimento de metas e indicadores, como forma de ampliar a integração dos serviços existentes no Hospital ao SUS, com garantia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PLANO OPERATIVO. OBJETIVO Estabelecimento de metas e indicadores, como forma de ampliar a integração dos serviços existentes no Hospital ao SUS, com garantia."— Transcrição da apresentação:

1 PLANO OPERATIVO

2 OBJETIVO Estabelecimento de metas e indicadores, como forma de ampliar a integração dos serviços existentes no Hospital ao SUS, com garantia de atendimento aos problemas de saúde relevantes da população, buscando equidade, qualidade e sustentável relação custo-efetividade na prestação do cuidado.

3 COMO FAZER ? INTRODUÇÃO –Um pouco do histórico do Hospital e seu papel no SUS. –Definir o perfil assistencial da instituição, –Tipos de atendimento –Serviços existentes –Consultas de especialidades –SADT –Internações que realiza e os graus de complexidade, se é referência apenas para a demanda do próprio município ou também para outros municípios,

4 COMO FAZER ? INTRODUÇÃO –O atendimento ao SUS –E a convênios e particulares, –Inserção no sistema de saúde local, –Se os atendimentos são referenciados e contra-referenciados, –Se é a DIR ou o município quem regula as demandas ou se são espontâneas, –Como funciona o atendimento ás urgências e pronto-atendimento.

5 COMO FAZER ? INTRODUÇÃO –Apontar os principais problemas identificados em relação ao Hospital e seu papel no SUS – local e/ou regional: com relação à referência e contra-referência, atendimento à demanda da Central Regional de Regulação, –Disponibilização de vagas para consultas e SADT para a Central de Vagas do município(s), –Humanização do atendimento, –Processo de avaliação para a melhoria dos cuidados em saúde, etc.

6 METAS FÍSICAS Deve fazer parte do Plano Operativo, a capacidade instalada e ofertada de ações em saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde de sua abrangência. Na elaboração do instrumento de pactuação, deve-se buscar a definição de serviços ambulatoriais, de diagnose e terapia, internações e urgências.

7 METAS FÍSICAS Pontos Norteadores do Plano Operativo: –Garantia da disponibilização para o Gestor Municipal das consultas de casos novos –Cirurgias eletivas e –Exames diagnósticos de média e alta complexidade, dentro das necessidades identificadas e pactuadas. –Redução gradativa da demanda espontânea dos atendimentos de urgência de baixa complexidade e aumento na capacidade de atendimento em média e alta complexidade.

8 METAS FÍSICAS Pontos Norteadores do Plano Operativo: –O Município assuma seu papel na Atenção Básica. –Atenção centrada no usuário e humanizada. –Gestão Hospitalar democrática.

9 METAS FÍSICAS Planilhas de Pactuação nas áreas: Ambulatorial, Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico e Internação. As metas físicas pactuadas, bem como o respectivo financeiro, correspondem à parte fixa do repasse financeiro e a parte variável fica por conta do cumprimento das metas.

10 METAS QUALITATIVAS As metas qualitativas pactuadas correspondem à parte variável do repasse financeiro –Atenção à Saúde, –Políticas Prioritárias de Gestão e –Gestão Hospitalar.

11 METAS QUALITATIVAS –ATENÇÃO À SAÚDE Ambulatório - Disponibilização ao gestor das consultas pactuadas –Indicador: Disponibilizar ao gestor a agenda de consultas especializadas de 1ª. vez, de acordo com a pactuação para o quadrimestre avaliado.

12 METAS QUALITATIVAS ATENÇÃO À SAÚDE –SADT - disponibilização ao gestor da agenda de procedimentos de SADT conforme pactuado Indicador : SADT - disponibilizar ao Gestor marcação de exames de pacientes externos, gerenciados pela Central de Agendamento Municipal ou estadual conforme pactuação.

13 METAS QUALITATIVAS ATENÇÃO À SAÚDE –CIRURGIAS ELETIVAS - definir com o Gestor Municipal o número de média e alta complexidade a serem realizadas por especialidade pactuando os mecanismos de referência e contra-referência, estabelecendo protocolos de encaminhamento. Indicador: Total de cirurgias eletivas pactuadas e realizadas no período por especialidade.

14 METAS QUALITATIVAS POLITICAS PRIORITARIAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE –Humanização da Atenção Hospitalar – Atenção à Saúde Materno-Infantil –Atenção às Urgências

15 METAS QUALITATIVAS Humanização da Atenção Hospitalar –A Humanização é uma das políticas prioritárias do Ministério da Saúde e deverá ser eixo norteador das práticas de atenção e gestão, constituindo efetivamente uma nova relação entre usuário, os profissionais que o atendem e à comunidade.

16 METAS QUALITATIVAS Humanização da Atenção Hospitalar –VISITAS - redefinir a estrutura organizacional do hospital para facilitar o acesso de familiares permitindo o aumento do número de visitas diárias (horários flexíveis de visita). Indicador: Proposta elaborada para a criação de horários flexíveis de visita ou pelo menos 02 horários.

17 METAS QUALITATIVAS Humanização da Atenção Hospitalar –OUVIDORIA/ SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES - manutenção ou implantação do sistema de avaliação da satisfação dos clientes internos e externos. Indicador: Garantir que os clientes internos e externos tenham acesso ao formulário de manifestação de satisfação do cliente.

18 METAS QUALITATIVAS Humanização da Atenção Hospitalar –CAPACITAÇÃO PERMANENTE - Manutenção ou implantação da capacitação permanente dos profissionais que atuam no hospital. Indicador: Apresentação da relação pela divisão de recursos humanos dos cursos desenvolvidos na instituição, com as respectivas listas de presença.

19 METAS QUALITATIVAS Humanização da Atenção Hospitalar –Adequação de área física para conforto de usuários, familiares e trabalhadores; –Sistema de internação domiciliar; –Disponibilizar equipe interdisciplinar de referência para o usuário e familiares;

20 METAS QUALITATIVAS Atenção à Saúde Materno-Infantil –Reduzir Mortalidade Materna e Infantil é uma das grandes prioridades da Agenda de Saúde do Estado. –Considerando o componente predominante de mortalidade neonatal, os Hospitais Filantrópicos constituem-se num importante aliado desta política.

21 VISÃO DIFERENTE DOS ATORES DO SISTEMA HOSPTAL: sabe sua capacidade instalada e quer vender tudo o que tem disponível. GESTOR: analisa o que quer comprar e o que o prestador quer obriga-lo a comprar

22 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO Quebrar o gelo e não começar já com a discussão Se preparar para não ganhar no 1º momento, mas sair com prazo para realiza-lo; Advogado – ir preparado com legislação impressa e assinalada no que é preciso ser lembrado ao negociador e gestor;

23 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO Enfatizar relação com os outros municípios; Enfatiza a qualidade que o hospital já possui ou esta na busca, como por ex: Hospital Amigo da Criança, maternidade segura, acreditação, ISO, etc; Gestor tende a chegar agressivo como forma de nos enfraquecer; Se ele passar para o depto. jurídico discutir o contrato não se esquecer que o seu advogado deve fazer parte da comissão de analise;

24 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO Parte Social – convidar para visitar o hospital, homenagem, reunião com corpo médico, inaugurar algo com uma plaquinha em homenagem a ele, para mostrar que o hospital não é hostil; –Quando for discutir o contrato não esquecer de clausula de reajuste, prazo de pagamento e especificação dos anexos: Plano Operativo, FPO.

25 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO Para cada R$ 100,00 gasto, recebo apenas R$ 60,00 e por isso é preciso discutir custo; Discutir o volume de atendimentos não pagos e que não constam da série histórica; Pactuar procedimentos com valores pelo SIH e poder realiza-los via ambulatorial como forma de reduzir custos e conseguir a adesão do corpo clinico, tais como:

26 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO Para cada caso deve existir uma solução e deve estar prevista no convênio, com por exemplo: –Sacionalidade (por turismo, agricultura, meses de inverno, verão, etc); –Vaga zero; –Ações judiciais

27 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO TABELA SIA Exerese de trombose hemorroidária ( ) – R$ 18,85 Bartolinectomia ( – R$ 18,85) TABELA AIH Trat. Cir da Trombose Hemorroidaria ( – 1 dia) – R$ 169,90 Bartolinectomia ( – R$200,36)

28 DICAS PARA EQUIPE DE NEGOCIAÇÃO TABELA SIA Incisão e Drenagem de Abscesso Bolsa Escrotal ( – R$ 11,28) Bartolinectomia ( – R$ 18,85) Plástica Mamaria Masculina ( – R$ 28,44) TABELA AIH Incisão e Drenagem de Abscesso Bolsa Escrotal ( – R$ 180,61) Bartolinectomia ( – R$200,36) Plástica Mamaria Masculina ( – R$ 429,18)

29 TABELA SIATABELA SIH PROCEDIMENTO- CÓDIGOVALORCÓDIGOVALOR Extirpação de Tu ou Adenoma Mama , ,32 Incisão e Drenagem de Abscesso de Mama , ,34 Fasciotomia Palmar , ,72 Miorrafia , ,29 Tenorrafia , ,30 Orquiectomia Unil , ,82 Correção de Hidrocele , ,83

30 EXEMPLO DE CNES ERRADO

31

32 EXEMPLO DE CNES CORRIGIDO

33

34 Obrigada Maria Fátima da Conceição Membro do Grupo de Trabalho instituído na Portaria da Contratualização pela CMB Superintendente Técnica da Fehosp


Carregar ppt "PLANO OPERATIVO. OBJETIVO Estabelecimento de metas e indicadores, como forma de ampliar a integração dos serviços existentes no Hospital ao SUS, com garantia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google