A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOENÇAS EXANTEMÁTICAS

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOENÇAS EXANTEMÁTICAS"— Transcrição da apresentação:

1 DOENÇAS EXANTEMÁTICAS
Claudio Orestes

2

3 Doença Exantemática Conceito
Patologia infecto-contagiosa que se acompanha de quadro cutâneo determinado pela ação direta do microorganismo ou por seus produtos tóxicos.

4 DEFINIÇÃO EXANTEMA: manifestação cutâneas.
(Macula papula vesícula bolhas pústulas vergão petéquias) ENANTEMA: lesões em mucosas.

5 CLASSIFICAÇÃO DOS EXANTEMAS

6 1. EXANTEMA MACULOPAPULAR:
Manifestação cutânea mais comum nas doenças infecciosas sistêmicas. Pode ser caracterizado por diversos tipos: Morbiliforme Escarlatiniforme Rubeoliforme Urticariforme.

7 MORBILIFORME: pequenas maculo-pápulas eritematosas (03 a 10 mm), avermelhadas. Ex: sarampo.
ESCARLATINIFORME: eritema difuso, puntiforme, vermelho vivo, sem solução de continuidade. Ex: escarlatina.

8 RUBEOLIFORME: semelhante ao morbiliforme, porem de coloração rósea, com pápulas um pouco menores. Ex: rubéola. URTICARIFORME: erupção papuloeritematosa de contornos irregulares. Típico de reações medicamentosas, alergias, mononucleose e malaria.

9 Exantemas Maculopapulares
Exantemas morbiliformes SARAMPO EXANTEMA MONONUCLEOSE SÚBITO Exantemas ERUPÇÕES urticariformes MEDICAMENTOSAS

10 Exantemas Maculopapulares
Exantemas rubeoliformes Exantemas RUBÉOLA Escarlatiniformes MONONUCLEOSE ESCARLATINA ERITEMA SOLAR

11 Exantemas Maculopapulares
Outros exantemas maculopapulares ERITEMA INFECCIOSO D. KAWASAKI

12 2. EXANTEMA PAPULOVESICULAR
Presença de pápulas e lesões elementares de conteúdo liquido (vesicular). É comum a transformação de maculo-pápulas em vesículas, vesico-pústulas, pústulas e crostas. Podendo ser localizado (herpes simples e zoster) ou generalizado (varicela, varíola, impetigo, estrófulo).

13 Exantemas Papulovesiculares
Exantemas papulovesiculares, geralmente AFEBRIS: IMPETIGO HERPES HERPES SIMPLES ZOSTER MILIÁRIA ESTRÓFULO MOLUSCO CONTAGIOSO

14 Exantemas Papulovesiculares
Exantemas papulovesiculares, geralmente FEBRIS: VARICELA COXSACKIE (Síndrome mão-pé-boca)

15 3. EXANTEMA PETEQUIAL OU PURPÚRICO
Alterações vasculares com ou sem distúrbio de plaquetas e de coagulação. Pode estar associado a infecções graves como meningococcemia, septicemia bacteriana, febre purpúrica brasileira, febre maculosa. Presente também em outra infecções como citomegalovirose, dengue e em reações por drogas.

16 Exantemas Petequiais ou Purpúricos
Meningococcemia Ricketiose Enterovirose Mononucleose Dengue

17 EXANTEMA MACULOPAPULAR

18 Sarampo Período de incubação 7-18 dias Período de prodômico: 3-4 dias
Febre alta > 38.5º C Tosse Corisa Conjuntivite Mancha de Koplik Exantema 2-4 dias após o início dos sintomas

19

20 Sarampo * Patognomônico do sarampo, consistem em pequenas ulcerações branco-azuladas na mucosa bucal; estas manchas contêm células gigantes, Ag virais e nucleocapsídios virais identificáveis

21 Erupção: Vermelho - acastanhada.
Inicio: face e pescoço. Progressão: craniocaudal. Generalizada: 3º dia. Ocorre leve descamação, exceto mãos e pés.

22

23 SARAMPO SARAMPO Otite média aguda - 7% - 9% Pneumonia - 1% - 6%
Diarréia – 8% Desnutrição Complicações oculares Encefalite aguda 1/1.000 Panencefalite Esclerosante Subaguda é tardia (10 anos) Na gestante - parto prematuro e recém-nascido de baixo peso

24 Letalidade do Sarampo EUA - 1 a 3 por 1.000
> 25% nos países em desenvolvimento Fatores de risco : Menores de 1 ano Desnutridos Deficiência de Vitamina A Imunodeprimidos: leucemia, HIV Sinal de Koplic

25

26 Sarampo Complicações Encefalite aguda É grave, incapacitante e fatal. O curso é imprevisível que pode levar a seqüelas neurológicas Panencefalite esclerosante subaguda Caracterizada por deterioração comportamental e intelectual progressiva

27

28

29 Rubeóla Sem sinais prodrômicos como o sarampo
Período de incubação dias Febre Linfoadenopatia retro-auricular/cervical Discreto exantema máculo-papular no segundo dia Exantema pode durar 5-10 dias e coincide com a ocorrência da febre Nos adultos artralgias e mialgias

30 Erupção: rósea discreta.
Inicio: face e pescoço. Progressão: craniocaudal. Generalizada: 24 a 48 hs. Desaparecem no 3º dia.

31 SARAMPO RUBÉOLA

32 Síndrome da Rubéola Congênita
Descrita por Gregg, em 1941 Pandemia na Europa e EUA EUA 12,5 milhões casos de rubéola 2.000 casos de encefalite abortos (espontâneos ou provocados) casos da Síndrome da Rubéola Congênita Surdez – Cegueira – 3.580 Retardo mental – 1.800

33

34 Síndrome da Rubéola Congênita
> 50% no primeiro mês gestação Catarata Retinopatia Glaucoma Doença cardíaca Surdez Problemas neurológicos Baixo Peso Hepatoesplenomegalia Trombocitopenia

35

36

37 Escarlatina (Group A Strepto)
Pródromos horas Transmitido: direto (via oral) ou indireto (objetos contaminado, ar, leite de vaca contaminado) Período de Incubação (PI): de 2 a 4 dias. Contagioso até 24 horas após inicio da antibioticoterapia. Febre e malestar Exantema eritematoso Palidez peribucal face estapeada Língua em framboesa

38 Erupção: eritematoso puntiforme, esbranquece à pressão.
Inicia-se no tronco e dobras cutâneas. Descamação extensa, acometendo mãos e pés. Palidez peribucal (sinal de Filatow) e linhas nas dobras de flexão (sinal de Pastia) e língua em “framboesa”.

39

40

41 Eritema Infeccioso (B-19)
Cefaléia, corisa, febre baixa, faringite, mal estar 7-10 dias antes Eritema sobre as bochechas como uma queimadura de sol Eritema desvanece após 2-4 dias Após o quarto dia é substituído de um eritma macular para uma erupção morbiliforme Poliartropatia

42 Erupção: característica
em 3 etapas: 1º Bochechas avermelhadas e palidez perioral. 2º Erupção maculopapulosa em membros superiores e inferiores e finalmente tronco. 3º Estágio evanescente. Exantema facial em forma de borboleta (“face esbofeteada”).

43

44

45 SARAMPO PARVOVIROSES

46 Exantema subito (HHV 6) (Roséola infantum)
Pródromos 3-4 dias Febre 3-4 days Febre >39.5 ºC e calafrios Encefalite Exantema começando no tronco eritematoso papular) e começa após o desaparecimento da febre

47 Erupção: maculopápulas rosa-avermelhadas discretas.
Inicio: no tronco, depois face e extremidades. Desaparecimento:em 02 dias, ocasionalmente em horas. A febre desaparece com o início do exantema.

48

49 Toxoplasmose Assintomático em recém-nascido Período de Incubação7 dias
Febre , mialgia, dor de garganta, astenia Exantema Máculo-papular Hepatoesplenomegalia

50 Erupção: maculopápulas generalizada, não acomete couro cabeludo, palma das mãos e planta dos pés. Variam de vermelho vivo a rosa pálido e algumas esbranquecem a pressão. A infecção adquirida apresenta: * Febre, pneumonia, erupção; * Linfoadenopatia, * Encefalite.

51 Mononucleose (EBV) Período de incubação: 10 – 50 dias
1-2 semanas de fadiga / mal estar Corisa, faringite e aumento das amigdalas Dor de cabeça, febre, miagias Linfoadenopatia generalizada Hepatoesplenomegalia Petéquias Exantema máculo-papular

52 Erupção: ocorre de 10 a 15% dos casos, exantema variável e inconstante morbiliforme, escarlatiniforme, hemorrágico, urticariforme ou nodular. A forma mais freqüente é semelhante a rubéola. Tríade: amigdalite membranosa, linfoadenopatia e esplenomegalia em geral acompanhada de febre.

53

54

55

56

57

58

59 Febre tifóide Período de incubação: comumente de 1 a 3 semanas. Podendo variar entre os extremos 3 a 56 dias dependendo da dose infectante. Transmissão: água e alimentos contaminados por material fecal. Febre, cefaléia, anorexia, dor abdominal Hepatoesplenomegalia Obstipação seguido de diarréia Exantema aparece na segunda semana na maioria dos casos Exantema desaparece após 3-4 dias

60 Erupção:rósea maculo-pápulares de 2-3 cm em número de 10 – 20 que clareiam sob pressão, predomina no tronco, aparecendo na segunda semana da doença. Como ocorre: inicio insidioso de febre, cefaléia, dores abdominais e exantema, em crianças o inicio pode ser abrupto.

61 ENTEROVIROSES (não pólio)
Definição: Doença geralmente esta associada aos vírus ECHO ou Coxsackie A e B. Período de incubação: variável. Período prodrômico: - ECHO 16: 3 a 4 dias com febre baixa. - Coxsackie e outros ECHO: febre, geralmente coincide com o exantema. Transmissão: fecal – oral ou respiratória por gotículas. Infectividade: variável.

62 Enterovirus (Echo-Coxsackie)
Período de incubação: variável. Período prodrômico:ECHO 16: 3 a 4 dias com febre baixa. Início agudo da febre Cefaléia, Coriza, Disfagia Anorexia Herpangina=Exantema com papulo-vesículas branco acinzentado com 1-2 mm de diâmetro Lesões progridem para úlcera rasa Úlceras auto-limitada para amigdala, úvula, palato mole e pilar anterior

63 Erupção: Assemelha-se a rubéola – maculopápulas discretas, não pruriginosas, generalizadas; não há descamação. podendo estar associada a: Manifestações neurológicas (meningite asséptica), Respiratórias (resfriado, pneumonia). Cutâneas (exantema).

64 Kawasaki Período prodrômico: apresenta pródromos de 3-4 dias
Edema, Eritema, Descamação nas extremidades Conjutivite Bilateral Exantema polimorfo Adenopatia cervical Alterações nos lábios e na cavidade oral (edema, língua em framboesa) Artrite, dor abdominal Edema duro de dedos de mãos e pés

65 Erupção: exantema polimórfico, escarlatiniforme ou purpúrico com inicio no tronco e descamação lamelar. Há alterações na mucosa oral, com hiperemia, edema e ressecamento de lábios com fissura, edema duro de dedos, hiperemia palmoplantar.

66

67

68 EXANTEMA PAPULOVESICULAR

69 VARICELA Período de incubação: 14 a 16 dias.
Período prodrômico: 1 a 2 dias em adolescentes com febre, mal-estar, cefaléia. Anorexia. Em crianças não há. Transmissão: direta por gotículas de muco ou saliva; ou indireta através de objetos recentemente contaminados por secreções do individuo infectado. Contagioso: desde o 1º dia até que todas vesículas tenham secado (1 semana)

70

71 As vesículas localizam-se principalmente nas partes cobertas do corpo podendo aparecer no couro cabeludo e nas mucosas das vias aéreas superiores.

72

73 Varicela Mortalidade Letalidade População - 6,7 / 100.000
Crianças normais - 1 / Adultos anos - 25 / Imunodeprimidos - 7 % - 28 % *Peterson et al, 1996

74

75 Complicações da Varicela
Idade Gestação < 20 semanas - 1% - 2% Menores de um ano Celulite, abscesso Adolescentes e adultos Pneumonia x maior Encefalite - 7 x maior Letalidade - 25 x maior Imunidade Idosos, HIV, transplantes, câncer Arberter ,1996

76

77 Complicações da Varicela em crianças
5% a 10% dos casos, em crianças Mais frequentes infecções pele e tecidos moles Agentes: S. aureus e Streptococcus BHGA > frequência em crianças de creches, onde há maior risco de infecção por SBHGA Otite média - 5% Trombocitopenia - 5 a 16%, geralmente leve Hepatite leve - 20% a 50% (transaminases) Ataxia - 1: 4.000 Encefalite - 1: 5.000

78

79 Complicações da Varicela-Zoster
Infecção cutânea Síndrome da pele escaldada

80

81 HERPES SIMPLES Período de incubação:2 a 12 dias.
Período prodrômico:não há. Transmissão:enquanto durar a lesão.

82 Erupções: vesículas de parede fina com conteúdo hialinosseroso sobre placa eritematosa. Cura + ou – 10 dias.

83

84 Herpes Simplex Humanos
Período neonatal 25% doença disseminada Figado e pulmões 35% doença SNC 40% pele, olhos e boca Após Período Neonatal Assintomática Gengivoestomatite Herpes labial Herpes genital Eczema herpetico Encefalite, meningite

85 HERPES ZÓSTER Período de incubação: 12 a 15 dias.
Período prodrômico: não há. Transmissão: direto e indireto. Infectividade: desde o 1º dia até que todas vesículas tenham secado (1 semana).

86 Erupção: vesículas ao longo das linhas dos nervos afetados e que tendem á confluência; adenopatia regional.

87 Zoster em Imunocomprometidos
Crianças menores de 10 anos incidência = 0,74 / 1.000 recorrência = 1,7 a 5% Imunocomprometidos Incidência ~ 70% recorrência = 53% HIV risco é 7 a 20 vezes maior do que em leucêmicos

88

89 IMPETIGO Definição:Infecção bacteriana da pele, comum em crianças, causada pelos germes estafilococos e estreptococos.

90 Varíola DNA vírus Doença muito contagiosa Altas taxas de letalidade
Complicações graves Cicatrizes Erradicada por vacina Último caso na Somália, em 1977

91 PETEQUIAL ou PURPÚRICO
EXANTEMA PETEQUIAL ou PURPÚRICO

92 MENINGOCOCCEMIA Período de incubação: 1 a 10 dias
Período prodrômico: 24 horas com febre, vômitos, mal-estar, anorexia. Contagiosidade: até 24 horas após início da antibioticoterapia.

93 Erupção: maculopapulosa podendo tornar-se petequial e purpúrica, ás vezes desaparecendo antes que o doente seja examinado pela primeira vez. Como ocorre: inicia-se com uma infecção assintomática que se instala na faringe, onde o meningococo se multiplica, em seguida os germes atingem a corrente sanguínea e podem causar uma infecção localizada (meningite) ou disseminada (meningococcemia)

94 Dengue Febre 1-5 dias Exantema 1-5 dias começando no tronco (10-15% dos casos) Astenia/ cefaléia/ artralgias Congestão Conjuntival e faríngea Linfoadenopatia generalizada Hepatomegalia Petéquias Sangramento gengival, melena, hematêmese

95

96

97 FEBRE MACULOSA Rickettsia rickettsii, transmitido pelo carrapato “estrela”. Período de incubação: 3 a 14 dias. Erupção: purpúrico, iniciando nos membros inferiores que se encontram edemasiados, não respeitando palma das mãos e planta dos pés.

98

99 CITOMEGALOVIROSE Definição: é um vírus que pertence à mesma família do vírus do herpes genital, entre outros. Pode ser transmitido através de relações sexuais, hemotransfusão, aleitamento materno. Em pessoas saudáveis, pode causar uma: doença semelhante à mononucleose, com curso auto-limitado, ou seja, ocorre resolução do quadro clínico sem necessidade de tratamento específico.

100

101 SIFILIS Definição:DST de distribuição mundial que afeta jovens entre 15 e 30 anos. Período de incubação:3 a 21 dias. Transmissão:direto por contato da mucosa ou pele do aparelho geniturinário. Período de transmissão: anos, isto é, durante a fase primaria e secundaria da doença.

102 Fase primária: úlcera rasa, de bordas endurecidas indolor de 0,5 a 1cm de diâmetro.
Fase secundária: surge as erupções no tronco plantas dos pé e palma das mãos.

103 Fase terciária reaparece as erupções e surgem gomas e lesões.
Sífilis congenita: no neonato á icterícia, anemia, hepatoesplenomegalia, lesões cutâneo mucosas.

104 Erupção por drogas, queimadura, miliária
Período de incubação: Não há. Período prodrômico: não há. Contagiosidade: não há.

105 Queimadura Erupção depende do grau da lesão.

106 Miliária Erupção: lesão puntiforme restrita ás áreas flexoras.
Coincidem com altas temperaturas ou com febre elevada.

107 Erupção por drogas Erupção maculopápulas que se confunde com outras doenças. Anamnese pode revelar ingestão ou contato tóxico e uso de medicamentos

108 Reação medicamentosa História de ingestão de algumas drogas (Atropina, Quinina, Antipirina, Hidantoinas, Alopurinol, Salvarsan, Sulfonamidas, Penicilinas) Pode ocorrer Febre e prurido Exantema pode ser máculo-papular Linfadenopatia pode ocorrer

109 Aspecto clínico da síndrome de Stevens- Johnson.

110 Urticária por penicilina.

111 LES induzido por Isoniazida.

112 Pigmentação por contraceptivo oral

113 Pigmentação por amiodarona.

114 Vasculite por piroxicam.

115 Exantema máculo- pápulo-purpúrico por clorpropamida

116 Exantema pápulo- purpúrico por trimetoprin- sulfametoxazol

117 Exantema pápulo- purpúrico por trimetoprin- sulfametoxazol

118 Erupção multiforme por carbamazepina

119 Erupção fixa medicamentosa por aspirina.

120 Eritema nodoso por clortalidona

121 Necrólise epidérmica tóxica por tiabendazol.

122 Erupção liquenóide por tetraciclina

123 Erupção acneiforme por corticoterapia sistêmica

124 Erupção foto-alérgica por sulfa.

125

126 OBRIGADO PELA ATENÇÃO


Carregar ppt "DOENÇAS EXANTEMÁTICAS"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google