A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MANIPULAÇÃO Pastas regulares e pesadas extremamente viscosas e pegajosas. Manipulação difícil mas com força suficiente aumenta a fluidez (Pseudoplastico)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MANIPULAÇÃO Pastas regulares e pesadas extremamente viscosas e pegajosas. Manipulação difícil mas com força suficiente aumenta a fluidez (Pseudoplastico)"— Transcrição da apresentação:

1 MANIPULAÇÃO Pastas regulares e pesadas extremamente viscosas e pegajosas. Manipulação difícil mas com força suficiente aumenta a fluidez (Pseudoplastico)

2

3 INDICAÇÕES As várias viscosidades possibilita diferentes técnicas de moldagem como moldagem de única impressão e dupla impressão, moldagem em casquete

4 INDICAÇÕES FOTOGRAFIA MOSTRANDO MOLDAGEM EM CASQUETE

5 INDICAÇÕES Para minimizar os problemas de contração inerentes do material deve sempre utilizar moldeira individual Material bem indicado na técnica de moldagem em casquete

6 INDICAÇÕES Fotografia utilizando o material em casquete ou moldeira individual mostrando o menor espaço comparado com a moldeira de estoque

7 CONSIDERAÇÕES Material com desenvolvimento químico já definido por isso ausência de novos materiais no mercado Utilizado principalmente em casquete

8 PRODUTOS COMERCIAIS Coe-Flex Coe Permlastic Kerr Surflex Kerr Speed-Tray Coltene

9 SILICONES DE CONDENSAÇÃO

10

11 SILICONE DE CONDENSAÇÃO Silicone:composto semi- orgânico contendo silício físico- quimicamente inerte Condensação:tipo de reação química com formação de subprodutos

12 SILCONES DE CONDENSAÇÃO SUBSTÂNCIAASUBSTÂNCIAA SUBSTÂNCIABSUBSTÂNCIAB MISTURA P F R I O N D A U L T O SUBPRODUTOSUBPRODUTO + TOTAL3/4 1/4 HIDROXIPOLIDIMETILSILOXANO

13 CONSIDERAÇÕES HISTÓRICAS O primeiro material elastomérico desenvolvido após os polissulfetos Ganhou logo grande aceitação em função de resultados satisfatórios e do odor agradável Erroneamente conhecidos como silicones de vulcanização

14

15 APRESENTAÇÃO Podem se apresentar nas viscosidades leve, regular, pesada e densa As viscosidades leve, regular e pesada em tubos e a viscosidade pesada em potes Mais utilizados densa e leve

16 APRESENTAÇÃO OBSERVAÇÃO: A pasta catalisadora pode também ser encontrada em forma de líquido devido os polímeros de silicone serem líquidos A maioria em pasta pela adição de partículas (sílica coloidal) com espessante

17 COMPOSIÇÃO BASE: Polidimetilsiloxano (PM=1000) com grupos (-OH) terminais Ortoalquilsilicato para ligação cruzada Partículas inorgânicas (carbonato de cobre ou sílica)

18 COMPOSIÇÃO CATALISADORA: Éster orgânico (octoato de estanho) Dibutildilaurato de estanho Um óleo espessante Partículas de carga (nas pastas)

19 COMPOSIÇÃO A quantidade de partículas varia de 30% a 75% em peso conforme a apresentação Tamanho médio das partículas de de 5 a 10 m, menores tendem a se agregar e maiores não contribuem para o reforço

20 COMPOSIÇÃO FOTOGRAFIA MOSTRANDO AS APRESENTAÇÕES COM ESQUEMA

21 CH 3 Si CH 3 O Si CH 3 OH n HO CH 3 Si CH 3 O Si CH 3 OH n HOC2H5OC2H5O C2H5OC2H5O Si OC 2 H 5 OCTOATO DE ESTANHO POLIDIMETILSILOXANOALQUILSILICATO INICIADOR REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO

22 CH 3 Si CH 3 O Si CH 3 O n HO CH 3 Si CH 3 O Si CH 3 O n HO Si OC 2 H 5 + 2C 2 H 5 OH SUBPRODUTO POLIDIMETILSILOXANOALQUILSILICATO ALCOOL ETÍLICO REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO

23 A temperatura tem influência significante na velocidade de polimerização Resfriamento do bloco ou do material reduz a velocidade de reação REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO

24 Umidade tem pouca influência na velocidade de reação Alteração proporção base/catalisador modifica a velocidade de reação REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO

25 FOTOGRAFIA MOSTRANDO O MATERIAL MANIPULADO E ENDURECIDO NA MOLDEIRA

26 MANIPULAÇÃO APRESENTAÇÃO EM TUBOS: Comprimentos iguais de pasta base e catalisadora mistura até a homogeneização APRESENTAÇÃO EM POTES: Quantidades iguais de pasta base e catalisadora, mistura até homogeneização

27 INDICAÇÕES As várias viscosidades possibilita diferentes técnicas de moldagem como moldagem de única impressão e dupla impressão, moldagem em casquete

28 CONSIDERAÇÕES Desenvolvimento químico desses materiais resultou nos silicones de adição Custo inferior aos seus sucessores mas com resultados inferiores Conscientização profissional leva a diminuição do uso desses materiais

29 PRODUTOS COMERCIAIS Coltoflex/Coltex coltène Optosil/Xantopren Kulzer/Bayer Silon Herpo Speedex Coltène 3M Zetaplus/Orowash Zhermack

30 SILICONES DE ADIÇÃO

31

32 SILICONE DE ADIÇÃO Silicone:composto semi- orgânico contendo silício físico- quimicamente inerte Adição:tipo de reação química sem formação de subprodutos

33 SILCONES DE CONDENSAÇÃO SUBSTÂNCIAASUBSTÂNCIAA SUBSTÂNCIABSUBSTÂNCIAB MISTURA P F R I O N D A U L T O TOTAL POLIVINILSILOXANO

34 CONSIDERAÇÕES Também chamados de polivinilsiloxano Por não haver formação de subproduos têm precisão muito superior às do tipo condensação

35 CONSIDERAÇÕES Materiais de moldagem de precisão mais pesquisado e com os melhores resultados Por isso uma grande variedade de produtos e uma melhora em materiais mais novos

36 APRESENTAÇÃO Podem se apresentar nas viscosidades leve, regular, pesada, densa (dois tipos) e ultraleve e em altomistura Podem ser usadas nas mais variadas combinações de técnicas de moldagem sem comprometimento do resultado

37

38 COMPOSIÇÃO BASE: Vinilsilicone Polimetilhidrogêniosiloxano Siloxanos prépolimerizados Partículas de carga

39 COMPOSIÇÃO CATALISADORA: Sal de platina Silicone híbrida Partículas de carga

40 COMPOSIÇÃO A quantidade de partículas varia de 35% a 75% em peso conforme a apresentação Tamanho médio das partículas de de 2 a 8 m com distribuição regular

41 COMPOSIÇÃO FOTOGRAFIA DAS VÁRIAS APRESENTAÇÕES DO MATERIAL

42 REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO CH 3 Si CH 3 Si CH 3 CH CH 2 H Si R R Si H O H Si R O CH 2 CH CH 3 Si CH SAL DE PLATINA VINILSILOXANO PRÉ-POLÍMERO SILOXANO

43 REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO CH 3 Si CH 3 Si CH 3 CH 2 -CH 2 Si R R Si H O Si R O CH 2 -CH 2 CH 3 Si CH 3 POLIVINILSILOXANO

44 REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO Reação de polimerização mais rápida, alguns fabricantes fornecem retardadores Retardadores não podem ser usados com os sistemas de auto mistura

45 REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO Altamente sensível a alteração de temperatura Podem ser resfriados antes do uso Resfriamento tem pouca influencia na viscosidade

46 MANIPULAÇÃO APRESENTAÇÃO EM TUBOS: Quantidades iguais de pasta base/catalisadora e mistura até homogeneização APRESENTAÇÃO EM POTES: Quantidades iguais de massa e mistura até homogeneização APRESENTAÇÃO EM REVÓLVER: Mistura automática com o acionamento do revólver

47

48 INDICAÇÕES As várias viscosidades possibilita diferentes técnicas de moldagem como moldagem de única impressão e dupla impressão, moldagem em casquete sem comprometimento dos resultados

49

50 POLIÉTER

51

52 Composto de polímero a base éter Alemanha no final dos anos 60 Como alternativa aos polissulfetos e Silicones condensação Primeiro material a oferecer estabilidade prolongada

53 APRESENTAÇÃO Em dois tubos: base e catalisadora Apresenta-se em viscosidade baixa, média e pesada Podem ser utilizados em diferentes tipos de moldagem

54 COMPOSIÇÃO BASE: Polímero de poliéter Glicoéter ou ftalato (plastificador) Sílica coloidal

55 COMPOSIÇÃO CATALISADORA: Alquilsulfato aromático Glicoéter ou ftalato (plastificador) Sílica coloidal

56 REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO CH 3 - CHCH - CH 3 NN CH 2 - CH 3 SO 3 R SO R + POLÍMERO DE POLIÉTER ALQUILSULFATO AROMÁTICO

57 REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO CH 3 - CHCH - CH 3 NN CH 2 - CH 3 CH 2 - CH - CH 3 - CHCH - CH 3 NN CH 2 - CH 3 R

58 MANIPULAÇÃO Comprimentos iguais de pasta base e catalisadora Espatulação até a homogeneização Aumento do fluidificador altera as propriedades Sistema de automistura Dispositivos de bancada (Pentamix)

59 Fotografia da manipulação do material pastas dispensadas e mistura homogênea ou não

60 MANIPULAÇÃO Mais sensíveis à temperatura Alterar base/catalisador para aumentar tempo de trabalho Fluidificador aumenta o tempo de trabalho mas altera as propriedades

61

62 INDICAÇÕES Indicado para diferentes tipos de moldagem mas em espaços protéticos menores em função da rigidez

63 Fotografia mostrando diferentes técnicas de moldagem

64 PROPRIEDADES TEMPO DE TRABALHO: Vai do início da manipulação do material até o momento de iniciação das propriedades elásticas. Tempo de aplicação do material

65 TEMPO DE TRABALHO FOTOGRAFIA MOSTRANDO A VISCOSIDADE INICIAL E O INÍCIO DAS PROPRIEDADES ELÁSTICAS

66 PROPRIEDADES TEMPO DE PRESA: Vai do início da manipulação ao enrijecimento do material ou seja, o material adquire propriedades elásticas definidas

67 TEMPO DE PRESA FOTOGRAFIA DOS MATERIAL FLUIDO ATÉ A RECUPERAÇÃO ELÁSTICA COM INSTRUMENTO

68 TEMPO DE TRABALHO (média em minutos) MATERIAL TEMPO DE TRABALHO 23º C 37º C Polissulfetos 6,0 4,3 Silicone de Cond. 3,3 2,5 Silicone de Adição 3,1 1,8 Poliéter 3,3 2,3

69 TEMPO DE PRESA (média em minutos) MATERIAL TEMPO DE PRESA 23º C 37º C Polissulfetos 16,0 4,3 Silicone de Cond. 11,0 8,9 Silicone de Adição 8,9 5,9 Poliéter 9,0 8,3

70 ELASTICIDADE Propriedade de um material retonar à sua forma original, ao deixar de atuar sobre ele uma força deformante. Silicones por Adição Silicones por Condensação Polissulfetos Poliéter + -

71 ELASTICIDADE ELASTÔMERO RETENTIVA ELASTÔMERO

72 DEFORMAÇÃO PERMANENTE Polissulfetos 3.4 a 3.6 % Silicones de Cond. 1.2 a 2.3 % Silicones de Adição 0.05 a 0.5 % Poliéter 1.5 a 2.0 %

73 DEFORMAÇÃO PERMANENTE RECUPERAÇÃO FORÇAFORÇA

74 ENERGIA DE RUPTURA Força necessária para provocar o rasgamento do material Polissulfetos Silicones de adição Poliéter Silicones de cond

75 ENERGIA DE RUPTURA ELASTÔMERO

76 CONTRAÇÃO Silicone Condensação Polissulfeto Poliéter Silicone Adição

77 CONTRAÇÃO Perda de subprodutos Alteração de temperatura Espessura uniforme de material Volume de material (poliissulfetos e Silicones Condensação)

78 BIOCOMPATIBILIDADE CÉLULAS VIVAS % J Prosthet. Dent 69: 431, POLISSULFETOSILICONESPOLIÉTER

79 BIOCOMPATIBILIDADE Hipersensibilidade ao catalisador Dermatite de contato Restos nos sulcos gengivais Náuseas polisulfetos

80 CAPACIDADE DE UMEDECIMENTO

81 CAPACIDADE DE UMEDECIMENTO Poliéter Silicones de Adição(HFL) Polissulfetos Silicones de Condensação e Silicones de Adição (HFB)

82 DESINFECÇÃO DO MOLDE Hipoclorito de sódio (diferentes concentrações) Glutaraldeido 2% Esterilização por 18 horas de imersão em glutaraldeido somente os silicones de adição

83 Fotografia do molde dentro da solução desinfetante

84 FALHAS DE MOLDAGEM Aplicação fora do tempo de trabalho Polimerização incompleta (proporção) Remoção prematura Falta de conhecimento para a indicação Espatulação incompleta

85 FALHAS DE MOLDAGEM Umidade ou debris Falta de adesivo Movimento da moldeira antes da polimerização Remoção inadequada da moldeira


Carregar ppt "MANIPULAÇÃO Pastas regulares e pesadas extremamente viscosas e pegajosas. Manipulação difícil mas com força suficiente aumenta a fluidez (Pseudoplastico)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google