A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA"— Transcrição da apresentação:

1 DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA
V SEMESTRE LICENCIATURA Profª Msc. Suelly Therezinha Santos Moreno

2 Definições caráter prático e normativo - objeto específico -
Do ponto de vista formal - a disciplina pedagógica,de caráter prático e normativo - objeto específico - técnica de ensino, isto é, a técnica de dirigir e orientar eficazmente os alunos na sua aprendizagem. Trata-se, portanto de uma das dimensões da pedagogia entendida –como o conjunto de conhecimentos sistemáticos sobre o fenômeno educativo. A apreciação do desenvolvimento da didática da Educação Física no Brasil,como também da própria pedagogia da mesma área, pode ser feita por períodos demarcados com características típicas de identificação. O primeiro destes períodos é denominado de “A Pedagogia da Educação Física” com duração de 1932 até 1938.

3 Este período foi precedido pela adoção de Sistemas e Métodos de Educação Física estrangeiros: Exercícios Sistematizados por Jahn (1860); Método Sueco (1888) e Calistenia, adotado na Marinha brasileira nos anos de Em termos cronológicos, apresentam-se a seguir os fatos de memória com maior significado deste estágio inicial e dos subseqüentes até a situação presente no país.

4 Períodos I aos Militares e a Educação
Adotada oficialmente pelo Centro Militar de Educação Física a expressão ‘Pedagogia da Educação Física’ era de uso corrente no campo. Em 1932, a Pedagogia da Educação Física fazia parte do Currículo do Curso de Instrutores da Escola de Educação Física do Exército. Neste estágio, o grande teórico da Pedagogia da Educação Física era Inácio de Freitas Rolim e a principal obra da época era de sua autoria: ‘Pedagogia da Educação Física’ (1932). O livro apresentava uma seção inicial que reunia o texto de duas Conferências: A primeira tecia Considerações sobre a Educação Geral nos seus pontos de contacto com a Educação Física A segunda apresentava Princípios Gerais do Método. Uma segunda seção discorria sobre as Bases Pedagógicas (do Método Francês). Recentemente, Amarílio Ferreira Neto publicou a Pedagogia no Exército e na Escola (1999) na qual dedica o Capítulo I aos Militares e a Educação

5 Neste ano, a obra ‘Pedagogia da Educação Física’ (Rolim,1933) recebeu uma nova seção, sobre jogos. A preocupação em desdobrar a Pedagogia da Educação Física para destacar a questão do método, começa a se fazer sentir. Uma evidência disto se encontra nos ‘Programas para o período letivo de 1934’, da “Escola de Educação Física do Estado do Espírito Santo” em que a disciplina ministrada pelo 1º Ten. Horácio Gonçalves,denominava-se “Noções de Psicologia, Noções de Pedagogia e Metodologia da Educação Física” (1934). Isto não significa que tudo desapareceria com o surgimento de um novo paradigma. Assim a Escola de Educação Física do Exército, manteve até 1970, a “Pedagogia e a Metodologia Aplicadas” como ‘Matéria’ no “Currículo para os Cursos de: Instrutor de Educação Física e Monitorde Educação Física” (EEFE, p. 4).

6 Período: Primazia da Metodologia da Educação Física (1935 até 1969)
Foi difundida no Brasil a obra de Faria de Vasconcelos – ‘O valor físico do indivíduo – sua medição e avaliação’ (1935), editada em Portugal, embora enfatizasse mais a medida e a avaliação no campo da antropometria, difundiu testes não incluídos no Método Francês - as ‘provas do Dr. Bellin du Coteau’; o coeficiente VARF e sua interpretação’ (1915) e as ‘fichas de performance’ para corridas (de rapidez, meio fundo, fundo e com obstáculos), saltos (altura e comprimento, com ou sem impulso), lançamento de pesos e natação (velocidade e meio fundo).

7 A obra recomendava a “normatização”dos resultados através “das ‘médias das ‘performances’ de criança e adultos”(p. 194); as Provas de performance dos centros escolares de Educação Física de Paris; provas escolares suecas do Dr. Boigey (p. 199) e as provas de ‘performance’ norte americanas’ (p. 205). Nas provas escolares de Petre Lazar é destacada a aplicação didática das medidas pois, com base nelas, ele organizou classes de ginástica e de exercícios físicos ... (p.200).

8 1939 1939 O Decreto-Lei nº 1190, de 4 de abr. 1939 criou, na
Universidade do Brasil, a Faculdade Nacional de Filosofia que compreendia as ‘seções fundamentais’ de filosofia, de ciências, de letras, de pedagogia e uma ‘seção especial de didática’. Aos que completassem os denominados ‘cursos ordinários’, de três anos, das várias seções, seria conferido o título de ‘bacharel’, e ao bacharel que concluísse o ‘curso de didática’ seria outorgado o diploma de Licenciado. Dias mais tarde, o Decreto-Lei nº 1212 criou, na mesma Universidade do Brasil, a Escola Nacional de Educação Física e Desportos-ENEFD, destinada a “formar técnicos em Educação Física e Desportos”. Alfredo Faria Junior (In: Faria Junior, Oliveira, 1987) levantou a questão: como, “dentro de uma mesma universidade, com diferença apenas de dias, sejam criadas duas unidades universitárias voltadas para a habilitação de professores, que teriam no ensino secundário seu campo de exercício profissional, com concepções totalmente antagônicas”? [...]

9 [...]. Na Carta Outorgada de 1937, a Educação Física vai aparecer, pela primeira e única vez, mencionada em uma Carta Magna brasileira . Esse ‘desenvolvimento em separado’ em relação com as demais licenciaturas, que mais mal do que bem tem trazido para a educação física, persistiu e hoje aparece claramente nas posições do sistema CONFEF/CREFs que busca isolar os professores de Educação Física dos demais professores e resiste em aceitar as premissas gerais das Diretrizes Nacionais para a Formação de Professores para a Educação Básica (BRASIL CNE,Parecer nº 9/2001). O currículo incluía o estudo da ‘Didática’ da ENEFD e usava a expressão ‘Metodologia’ (da Educação Física) para designar uma das disciplinas, obrigatórias nas três séries do ‘Curso Superior de Educação Física’

10 [...]. Pode-se admitir que,no Projeto do Estado Novo, a Educação Física teria funções diferentes das demais disciplinas do currículo das escolas secundárias. Isto teria ocorrido porque, enquanto no grupo que estudou a criação da Faculdade Nacional de Filosofia- FNFi predominavam profissionais com uma visão formada para a formação do professor, na comissão que se dedicou ao projeto de criação da ENEFD encontravam-se militares, comprometidos com o ideário estadonovista, possuidores de uma visão tecnicista. O projeto estadonovista para a educação física se apoiava em um tripé: (a) criação da Divisão de Educação Física na estrutura do Ministério da Educação e Saúde-MES; (b) criação de uma Escola Nacional de Educação Física e Desportos, com currículo que serviria de padrão para todas as demais; (c) criação da Juventude Brasileira, organização que objetivava o “enquadramento de toda a infância compreendida entre 7 e 11 anos de idade e toda a juventude incluída entre 11 e 18 anos”

11 Na Carta Outorgada de 1937, a Educação Física volta a
aparecer pela primeira e única vez, mencionada em uma Carta Magna brasileira. Esse ‘desenvolvimento em separado’ em relação com as demais licenciaturas, que mais mal do que bem tem trazido para a educação física, persistiu e hoje aparece claramente nas posições do sistema CONFEF/CREFs que busca isolar os professores de Educação Física dos demais professores e resiste em aceitar as premissas gerais das Diretrizes Nacionais para a Formação de Professores para a Educação Básica (BRASIL CNE, Parecer nº 9/2001). O currículo da FNFi incluía o estudo da ‘Didática’ enquanto o currículo da ENEFD usava a expressão ‘Metodologia’ (da Educação Física) para designar uma das disciplinas, obrigatórias nas três séries do ‘Curso Superior de Educação Física’

12 A Metodologia do Treinamento Desportivo era obrigatória para os Cursos de “Técnico Desportivo”, “Treinamento e Massagem” e“Medicina da Educação Física(BRASIL.Decreto- Lei nº 1190/39). Na ENEFD, essas ‘cadeiras’ tinham um catedrático, inicialmente o Capitão Antonio Pereira Lira para a Metodologia da Educação Física e do Treinamento Desportivo (BRASIL. Decreto nº 1212/39). Nesse modelo questiona-se: como poderiam quatro disciplinas Metodologia da Educação Física e dos Desportos, Metodologia da Educação Física, Metodologia dos Desportos e Metodologia do Treinamento Desportivo, cada qual com seu corpus próprio de conhecimento, virem a se integrar em uma ‘cadeira’ com sólida consistência teórica? Provavelmente isto se deu por problemas de ajustamento de pessoas na carreira docente da ENEFD.


Carregar ppt "DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google