A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Relações Internacionais Relações Internacionais Da Belle Époque ao mundo do pós-Segunda Guerra Dos infinitos desejos do ser humano, os dois mais poderosos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Relações Internacionais Relações Internacionais Da Belle Époque ao mundo do pós-Segunda Guerra Dos infinitos desejos do ser humano, os dois mais poderosos."— Transcrição da apresentação:

1 Relações Internacionais Relações Internacionais Da Belle Époque ao mundo do pós-Segunda Guerra Dos infinitos desejos do ser humano, os dois mais poderosos são o desejo de poder e glória. Bertrand Russell

2 Entre 1500 a.C até 1860 haviam sido concluídos cerca de tratados de paz, enquanto somente entre 1947 e 1984 foram celebrados entre e tratados. Estas estatísticas nos levam a estimar que até a presente data este número possa ter chegado a tratados, pois após a II Grande Guerra Mundial praticamente toda a produção de regras de direito internacional tem se dado através de tratados.

3 Desde meados do século XIX acirra-se a disputa entre as potências imperialistas da Europa pelo controle das matérias-primas e dos mercados mundiais. Elas travam guerras contínuas e disputas por novos territórios. Rivalidades econômicas e imperialismo - A entrada de novas potências industriais imperialistas no cenário internacional aguça as rivalidades entre seus interesses econômicos, em particular sobre a repartição dos mercados e territórios. O nacionalismo das nações colonizadas manifesta-se em ações violentas e pressões contra as potências coloniais. o pan-eslavismo, o pangermanismo e o revanchismo francês. Explosão de nacionalismo - O nacionalismo das grandes potências desemboca num sistema de alianças para proteger-se da expansão das demais. O nacionalismo das nações colonizadas manifesta-se em ações violentas e pressões contra as potências coloniais. A crise dos Bálcãs, a partir de 1908, torna-se o foco das rivalidades imperialistas, em virtude da decadência do Império Otomano e da possibilidade da divisão de seus territórios. Os principais movimentos nacionalistas se desenvolvem na Europa e são o pan-eslavismo, o pangermanismo e o revanchismo francês.

4 Pan-eslavismo - Defende a união de todos os povos de origem eslava da Europa oriental, incluindo os que estão sob domínio do Império Austro-Húngaro. Manifesta-se a partir da Rússia, que busca uma saída para o mar Mediterrâneo. Pangermanismo - Propõe a consolidação de um bloco de países de origem germânica. É liderado pela Alemanha. Revanchismo francês - Em 1870 a França é derrotada ao tentar conter o expansionismo germânico e obrigada a ceder à Alemanha a Alsácia-Lorena, região rica em carvão e minério de ferro. Desde então cresce entre os franceses um movimento revanchista para recuperar o território cedido e "se vingar" da Alemanha.

5 Primeira fase da guerra (guerra de movimento)Primeira fase da guerra (guerra de movimento) Se caracteriza pelo grande movimentos de tropas. Alemanha invade rapidamente a Bélgica para invadir a França pelo norte. Conseguem, mas são detidos a 25 km de Paris Segunda fase da guerra (guerra de trincheiras)Segunda fase da guerra (guerra de trincheiras) Ambos os inimigos ficam de frente um contra o outro, protegidos em trincheiras. Nos combates não ocorrem avanços significativos, apenas mortes. Três anos neste tipo de conflito UMA TRAIÇÃO PARA A ALEMANHA! A ITÁLIA MUDA DE LADO E DECLARA GUERRA A ALEMANHA E A TRÍPLICE ALIANÇA!!! Novas tecnologias surgem nesta guerra Se desenvolve a metralhadora automática O tanque blindado E o submarino.

6 Os reveses da guerra Em 1917: Os Estados Unidos entram na guerra para assegurar a vitória da Tríplice Entente Também em 1917: Ocorre a Revolução Russa. Os bolcheviques tiram a Rússia da guerra. Mas a Alemanha está desgastada Em Os recursos minerais e as matérias-primas acabam. O esforço humano também. A guerra se torna insustentável. Vendo que iria perder, o governo alemão assina o armistício. É o fim da guerra

7 Fim da Guerra Os EUA passaram a ser os maiores credores Os EUA passaram a ser os maiores credores da Europa, além dos maiores fornecedores de munição e armas para os aliados. De 1913 a 1917, os EUA dobraram sua produção industrial de 50 para mais de 100 milhões de dólares De 1913 a 1917, os EUA dobraram sua produção industrial de 50 para mais de 100 milhões de dólares, principalmente pela indústria de máquinas-ferramentas. A Europa perdeu a posição hegemônica para os EUA Finda a guerra, seus feitos sobre a economia-mundo capitalista já eram sentidos, mesmo antes da assinatura do Tratado de Versalhes. A Europa perdeu a posição hegemônica para os EUA, que ficaram credores de 4 bilhões de dólares (mais uma reserva de 287 milhões de libras-ouro), só de empréstimos. Além dos milhões de mortos, feridos e inutilizados, a destruição de instalações, mais de 250 mil edifícios destruídos e de 8 mil milhas quadradas de terras cultiváveis arrasadas, só na França. Era urgente a reconstrução.

8 Desorganização do Comércio Internacional O Japão também foi grande beneficiário apoderando-se das colônias alemães no Pacífico e dos mercados asiáticos que os europeus não podiam mais suprir: China, Indochina francesa, material bélico à Rússia, Chile e Peru. O Japão também foi grande beneficiário do conflito, acumulando reservas em ouro de 183 milhões de libras esterlinas e apoderando-se das colônias alemães no Pacífico e dos mercados asiáticos que os europeus não podiam mais suprir: China, Indochina francesa, material bélico à Rússia, Chile e Peru. A destruição das marinhas mercantes européias em 13 milhões de toneladas brutas, das quais cerca de 8 milhões só da Inglaterra, desorganizou o comércio internacional, obrigando vários países periféricos à substituição de importações, desenvolvendo suas próprias marinhas mercantes, para levar seus produtos primários à Europa, com preços majorados. O esforço das colônias foi tão substancial que mostrou às suas elites a capacidade que tinham de subsistir sem suas metrópoles. Se a descolonização não ocorreu neste período, teve aí lançadas suas bases.

9 Revolução na Rússia A Rússia, desde novembro de 1917, estava submetida ao regime bolchevique que declarou nulos as obrigações contraídas pelos governos anteriores, como empréstimos, financiamentos e dívidas. A Rússia, desde novembro de 1917, estava submetida ao regime bolchevique que declarou nulos as obrigações contraídas pelos governos anteriores, como empréstimos, financiamentos e dívidas. A chegada a esta situação se deu pelas enormes perdas em termos de população, principalmente masculina: 1,7 milhões de combatentes mortos e 2 milhões de civis. Além de todos estes efeitos, a crença de que seria natural que os perdedores arcassem pelos danos imensos causados pela guerra, proporcionando o retorno à antiga prosperidade européia.

10 Aspectos Políticos, econômicos e Sociais Monarquia absoluta. A agricultura continuava a ser a base da vida económica, funcionando ainda num regime quase feudal. A industrialização, concentrava-se em alguns centros urbanos (Baku, Moscou e S. Peterburgo). A sociedade russa apresentava profundas diferenças sociais: –A Igreja, a Coroa e a Aristocracia possuíam a maior parte das terras que eram trabalhadas por camponeses (80% da população). –Os operários cerca de 3 milhões, levavam uma vida de miséria, recebendo baixos salários a troco de longas horas de trabalho.

11 Hegemonia Americana A década de 1920 confirmou a hegemonia americana, que se esforçou por manter os níveis de produção da época da guerra e mesmo aumentá-los, mesmo que para isso tivesse que lançar mão dos capitais ociosos que os EUA acumularam com a guerra. Também chamada de Belle Époque, os anos 1920 pareceram um período de euforia e recuperação econômica, só que mantido artificialmente. a Depressão de Quando os níveis de consumo interno dos EUA foram impossíveis de se manter, pela ausência de capitais, que haviam se transformado em estoques ou em investimentos externos, a economia-mundo mergulhou na mais grave crise que o capitalismo já havia experimentado: a Depressão de 1929.

12

13

14 Ascensão do Totalitarismo CRISE DAS DEMOCRACIAS Dificuldades econômicas do pós-guerra: - desemprego; - degradação das condições de vida; - agitação social (greves, manifestações, ocupação de terras e fábricas) Triunfo da revolução Socialista na Rússia. Assustou muita gente que começou a apoiar ideologias de extrema-direita Triunfo de movimentos políticos que defendiam soluções ditatoriais

15 Princípios ideológicos do Fascismo Totalitarismo: Estado forte e disciplinado acima do indivíduo (desprezavam-se os direitos individuais)Totalitarismo: Estado forte e disciplinado acima do indivíduo (desprezavam-se os direitos individuais) Corporativismo: união de patrões e empregados em corporações ou grémios com o objectivo de evitar a luta de classes e resolver os problemas segundo o interesse do estadoCorporativismo: união de patrões e empregados em corporações ou grémios com o objectivo de evitar a luta de classes e resolver os problemas segundo o interesse do estado Culto da Personalidade ou Culto do Chefe: o chefe do País concentrava todos os poderes; era considerado salvador da pátria e todos os seus actos eram aprovados incondicionalmente.Culto da Personalidade ou Culto do Chefe: o chefe do País concentrava todos os poderes; era considerado salvador da pátria e todos os seus actos eram aprovados incondicionalmente. Nacionalismo: exaltação das glórias do passado; a nação era o valor mais importante a preservar.Nacionalismo: exaltação das glórias do passado; a nação era o valor mais importante a preservar. Nacionalismo econômico: posição intervencionista e dirigista da economia para conseguir a autosuficiência do país.Nacionalismo econômico: posição intervencionista e dirigista da economia para conseguir a autosuficiência do país. Imperialismo: necessidade de alargar o seu espaço territorial.Imperialismo: necessidade de alargar o seu espaço territorial. Racismo –Racismo – distinção entre raças superiores e inferiores. Consideravam a raça ariana (povo indo-europeu) raça superior e todas as outras inferiores. Anti-semitismo –Anti-semitismo – ódio aos judeus. Sistematicamente perseguidos começaram a ser exterminados a partir de (Genocídio – eliminação sistemática de um povo, raça ou tribo.) Totalitarismo –Totalitarismo – suspendeu o Parlamento, o Partido Nazi tornou-se o partido do Estado; passou a controlar todos os órgãos de poder; tornou-se Chefe absoluto. Princípios ideológicos do Nazismo

16 1.Intentona Comunista; 2.Plano Cohen; 3.Perigo Comunista

17

18 é um tipo de organização política e econômica que coloca o Estado como agente da promoção (protetor e defensor) social e organizador da economia. Estado do bem-estar social garantir serviços públicos e proteção à população. Estado de bem-estar social (em inglês: Welfare State), também conhecido como Estado- providência, é um tipo de organização política e econômica que coloca o Estado como agente da promoção (protetor e defensor) social e organizador da economia. Nesta orientação, o Estado é o agente regulamentador de toda vida e saúde social, política e econômica do país em parceria com sindicatos e empresas privadas, em níveis diferentes, de acordo com o país em questão. Cabe ao Estado do bem-estar social garantir serviços públicos e proteção à população. Consenso de Washington é um conjunto de medidas - que se compõe de determinadas regras básicas Disciplina fiscalDisciplina fiscal Redução dos gastos públicosRedução dos gastos públicos Reforma tributáriaReforma tributária Juros de mercadoJuros de mercado Abertura comercialAbertura comercial Investimento estrangeiro direto, com eliminação de restriçõesInvestimento estrangeiro direto, com eliminação de restrições Privatização das estataisPrivatização das estatais Direito à propriedade intelectualDireito à propriedade intelectual


Carregar ppt "Relações Internacionais Relações Internacionais Da Belle Époque ao mundo do pós-Segunda Guerra Dos infinitos desejos do ser humano, os dois mais poderosos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google