A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena LOGÍSTICA E OPERAÇÕES GLOBAIS: EVOLUÇÃO E PROJETO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena LOGÍSTICA E OPERAÇÕES GLOBAIS: EVOLUÇÃO E PROJETO."— Transcrição da apresentação:

1 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena LOGÍSTICA E OPERAÇÕES GLOBAIS: EVOLUÇÃO E PROJETO

2 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Logística e Operações Globais Cada vez mais ouvimos que as empresas hoje em dia: Não podem se isolar Não podem ignorar fatores externos = tendências econômicas Não devem ignorar situações competitivas ou inovações tecnológicas em outros Países principalmente se seus concorrentes estão instalados em tais Países... CONSEQUÊNCIAS: Reestruturação Produtiva no Ambiente Global Negócios definidos em uma Economia globalizada – Ambiente GLOBAL Formação de grupos regionais Mercosul - Nafta– Aladi – Alca e.....que acabam promovendo a alteração da ESTRUTURA PRODUTIVA. Visão Geral

3 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Logística e Operações Globais FOCO ANTIGO... Marketing Finanças Produção FOCO ATUAL... Além das atividades antigas, SURGE a análise das atividades que ocorrem entre: A atividade entre pontos e momentos da produção – SUPRIMENTO, e A atividade entre pontos e momento de compra de produtos - DEMANDA ATIVIDADES DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA QUE AUMENTAM A EFICÁCIA DAS DEMAIS...E CONSEQUENTEMENTE, A LUCRATIVIDADE DA EMPRESA... Visão Geral

4 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena O avanço da Logística e das Operações Globais São as respostas à crescente integração de mercados internacionais, pois cada vez mais as empresas querem ser cada vez mais COMPETITIVAS.... Operações Globais: Planejamento, implantação e controle do fluxo e estocagem de matérias primas, estoques em processo, produtos acabados e informações relacionadas à eles, do ponto de origem ao ponto de consumo, para atender aos Clientes – COM USO EFICIENTE DOS RECURSOS GLOBAIS DA EMPRESA... Logística:É a gestão de fluxos entre marketing e produção, ou seja, COLOCAR O PRODUTO CERTO, NO LOCAL CERTO, NO TEMPO EXATO, AO MENOR CUSTO... Visão Geral

5 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Forças da Globalização Tradicionalmente, logística e operações globais desenvolveram-se em áreas geográficas e eram controladas por áreas funcionais ( marketing ou produção). A gestão do fluxo estava definida por essas áreas geográficas restritas e com foco no atendimento das necessidades da função que a controlava. NOVOS TEMPOS.....NOVAS PRESSÕES... Ocasionaram a duplicação de estoques, incompatibilidade de infra-estruturas logísticas e a limitada capacidade de reação individual às mudanças gerais na cadeia de suprimentos.... AS FORÇAS QUE DETERMINAM A GLOBALIZAÇÃO.... A integração de forças internas – gestão de distribuição física, marketing, produção ao longo da corporação. A cooperação crescente entre as áreas de logística e operações de diferentes elos na cadeia de suprimentos (integração setorial). A busca por melhorias na integração geográfica – abranger o mundo inteiro como fonte de potenciais clientes, conhecimento, tecnologia, matérias-primas, dentre outros... Logística e fluxos globais

6 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Forças de mercado globais Forças tecnológicas Forças de custos globais Forças políticas e macroeconômicas Custo de mão-de-obra direta Novas prioridades de custo Aumento da intensidade de capital de instalações de produção Avanços em manufatura/transporte/comunicação Difusão de conhecimento técnico Compartilhamento de tecnologia entre empresas Localização global de P&D Competição estrangeira intensa Crescimento da demanda externa Presença de mercado – ameaça competitiva Prioridades competitivas em transição Taxa de câmbio Acordos de comércio regionais Barreiras não tarifárias Processo de globalização de estratégias de operações

7 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Operações e Logística Logística e fluxos globais Como vimos no início...é possível definir operação como um processo físico... Operações Globais: Planejamento, implantação e controle do fluxo e estocagem de materias primas, estoques em processo, produtos acabados e informações relacionadas à eles, do ponto de origem ao ponto de consumo, para atender aos Clientes – COM USO EFICIENTE DOS RECURSOS GLOBAIS DA EMPRESA......e Logística, como uma atividade de gestão,... Logística:É a gestão de fluxos entre marketing e produção, ou seja, COLOCAR O PRODUTO CERTO, NO LOCAL CERTO, NO TEMPO EXATO, AO MENOR CUSTO... Ou seja, o gerenciamento dos fluxos entre as funções do NEGÓCIO....

8 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Fluxos globais na organização de um negócio Logística e fluxos globais EMPRESA – OBJETIVO ATENDER AO MERCADO: ALGUNS EXEMPLOS DO QUE DEVE SER ESTRUTURADO: Fluxo de matéria prima – compra, transporte, estoque, etc; Produtos semi-acabados, adquiridos de parceiros ou fornecedores; Máquinas e equipamentos entre suas unidades de manufatura; Distribuição de produtos acabados – estoque; Peças e itens de reposição para assistência aos clientes; Fluxo de reparos; Suporte de vendas – estandes, feiras e etc; Embalagens vazias, retorno de produtos do ponto de venda, prod. usados – fluxo reverso.

9 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Fluxos globais Logística e fluxos globais

10 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Gestão do fluxo Logística e fluxos globais 04 FORÇAS PODEM SER CITADAS COMO REGULADORAS DOS AMBIENTES DE NEGÓCIOS: Fornecimento de Serviço logístico Produção logística Mercado Produção logística Tecnologia Situação competitiva Intensidade competição Produtividade Necessidades dos clientes Satisfação Mudanças Adaptação e acompanhamento Legislação Normas Conformidades

11 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Logística e fluxos globais 05 ESTÁGIOS DO CONCEITO DE GESTÃO DO FLUXO:

12 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Definição de objetivos de acordo com critérios de serviço e categoria logística CONCEPÇÃO LOGÍSTICA DO PRODUTO Identificação critérios de serviço Definição da ponderação critérios Evolução quantitativa de objetivos (níveis de serviço de custo) Benchmarking em relação aos concorrentes Definição dos critérios para categorias Agrupamento de artigos de acordo com a categoria Conceito de uso Conceito de manutenção Análise de suporte Plano de suporte Embalagem Fluxo desde a concepção do produto (fornecedor de origem) Estágio 1 Estágio 2 AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO CRIAÇÃO DE CATEGORIAS LOGÍSTICAS

13 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena SISTEMA DE INFORMAÇÕES E TELECOMUNICAÇÕES Banco de dados Modelos de software Rede de telecomunicações EDI Codificação Arquitetura da rede Nível e localização de estoques Alternativas de Transportes Concepção do sistema de previsão Regras que governam a alocação dos recursos disponíveis Regras de prioridade Procedimentos de planejamento Indicadores Estágio 3 e 4 Estágio 5 SISTEMA FÍSICO SISTEMA DE INFORM. E TELECOMUNICAÇÕES

14 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena CONCEPÇÃO LOGÍSTICA DO PRODUTO Conceito de uso Conceito de manutenção Análise de suporte Plano de suporte Embalagem Fluxo desde a concepção do produto (fornecedor de origem) Estágio 1 Logística e fluxos globais

15 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Logística e fluxos globais Definição de objetivos de acordo com critérios de serviço e categoria logística Identificação critérios de serviço Definição da ponderação critérios Evolução quantitativa de objetivos (níveis de serviço de custo) Benchmarking em relação aos concorrentes Definição dos critérios para categorias Agrupamento de artigos de acordo com a categoria Estágio 2 AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO CRIAÇÃO DE CATEGORIAS LOGÍSTICAS

16 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Aéreo Rodoviário Marítimo Aéreo Expresso Ferroviário Custo x Tempo no Transporte Tempo Custo

17 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Banco de dados Modelos de software Rede de telecomunicações EDI Codificação Arquitetura da rede Nível e localização de estoques Alternativas de Transportes Estágio 3 e 4 SISTEMA FÍSICO SISTEMA DE INFORM. E TELECOMUNICAÇÕES

18 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena SISTEMA DE INFORMAÇÕES E TELECOMUNICAÇÕES Concepção do sistema de previsão Regras que governam a alocação dos recursos disponíveis Regras de prioridade Procedimentos de planejamento Indicadores Estágio 5 PROJETO DE GESTÃO DOS FLUXOS – COM CONTROLES E REGRAS QUE CONTROLAM A EXECUÇÃO DOS PASSOS NECESSÁRIOS PARA ALCANÇAR OS OBJETIVOS PLANEJADOS DEVE SER ORGANIZADOS AO LONGO DE 03 EIXOS: Gestão das atividades físicas; Gestão da Informação; Planejamento e gestão das operações.

19 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Subsitemas logísticos Operações Suprimentos (fornecedores) Manufatura (plantas) DistribuiçãoPós-venda Física Preparação do fluxo para a planta Embalagem Entrega direta ou indireta para a planta Pré-manufatura Recepção Inspeção Reposição em estoque Reparo Fluxo entre setores Preparação da entrega para o armazém ou entrega imediata ao cliente Embalagem Entrega Recepção Inspeção Reparo Organização do armazém Preparação da ordem Embalagem Transporte inicial e final Pós-manufatura Recepção Inspeção dos itens retorno Testes Estoque Destruição Verificação da embalagem Instalação Preparação do pedido de peças Embalagem Entrega Requisição / testes Reparo Envio centros reparo Informação Planejamento e gestão Planejamento compras Planejamento planta Suprimento Ordens Monitoração de ordens Ciclo transp. e entrega Suprimento de ordens Previsão Pedidos e peças reposição Entrega e ordens Entrada de dados, embalagem, clientes Entrada de dados da ordem – saída e entrada do estoque Monitoração da pré e pós manufatura Documentos de entrega Monitoração do nível de serviço Informações provenientes dos indicadores críticos Indicadores críticos de Qualidade

20 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Novas características dos fluxos Logística e fluxos globais INTENSIFICAÇÃO DO COMÉRCIO - CAPACIDADE DE DESBRAVAR NOVOS MERCADOS HARMONIZAÇÃO E RACIONALIZAÇÃO DOS MERCADOS EM GRANDE ÁREAS DO MUNDO.. COMUNIDADE ECONÔMICA EUROPÉIA – EEC SUDESTE ASIÁTICO APEC – ÁSIA - PACIFIC ECONOMIC COOPERATION - Países do Pacífico SEATO – SOUTHEAST ASIA TREATY ORGANIZATION – Organização do Tratado do Sudeste Asiático - Austrália, Nova Zelândia, Japão, Hong Kong, Coréia do Sul, Nova Guiné e Chile

21 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Novas características dos fluxos Logística e fluxos globais ESSE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ALTERA AS CARACTERÍSTICAS DOS FLUXOS LOGÍSTICOS GLOBAIS: INTENSIDADE; NECESSIDADES FÍSICAS; INTENSIFICAÇÃO DE TRÁFEGOS; PREOCUPAÇÃO COM TEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIENTE. Consequências.. AUMENTO NA ÁREA DE COMPRAS – E DE POLÍTICAS DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS; BUSCA POR ÁREAS GEOGRÁFICAS MAIS AMPLAS E COM MAIO MOBILIDADE PARA NOVAS PLANTAS; IMPLEMENTAÇÃO DE NOVOS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO NO MUNDO INTEIRO.

22 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Princípios básicos das operações globais Logística e fluxos globais A GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA É FORÇADA A ADAPTAR-SE À ESSE AMBIENTE COMPETITIVO.. OS INTERVENIENTES PASSAM A SOFRER MAIS PRESSÃO, BUSCANDO A INTEGRAÇÃO: GEOGRÁFICA; FUNCIONAL; SETORIAL.

23 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Princípios da Gestão de Logística e das Operações Globais Logística e fluxos globais 04 FORÇAS PODEM SER CITADAS COMO REGULADORAS DOS AMBIENTES DE NEGÓCIOS: Integração geográfica (da logística local para a global) Gestão das operações e logística globais Integração setorial (da logística por setor para a entre setores) Integração funcional (da logística função para a fluxos)

24 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Princípios básicos das operações globais Logística e fluxos globais GEOGRÁFICA: Fronteiras perdem importância e empresas enxergam redes mundiais. Compras Globais; Instalação de fábricas em todos os continentes; Venda em múltiplos mercados; Produção em escala local e mundial Integração possibilitada: pelas tecnologias de processamento e comunicação; novos meios de transporte; serviços de entrega expressa (FedEx, UPS, DHL e TNT); sistemas de coletas e hubs; sistema de rastreamento e monitoramento da entrega final

25 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Princípios básicos das operações globais Logística e fluxos globais FUNCIONAL: Mudança na visão de controle de fluxos INTERNOS para controle e integração das funções: Pesquisa; Desenvolvimento e Marketing; Projeto e gestão de fluxos; Atuação buscando a integração das áreas. Integração possibilitada: equipes trabalhando de forma simultânea e integrada; equipes atuando com simulação de fluxos e estágios de compra e manufatura; possibilidade de uma atividade alterar o processo de outra a qualquer instante do processo, objetivando a melhoria da performance geral.

26 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Princípios básicos das operações globais Logística e fluxos globais SETORIAL: Mudança na visão de ATUAÇÃO entre fornecedores, fabricantes, distribuidores e clientes, saindo da forma individual, para operar de forma integrada: Eliminar a atuação de cada interveniente de forma individual; Eliminar perdas com ineficiência do processo; Aumentar o trabalho de forma cooperativa. Cooperação além das fronteiras (integração setorial) Resultados: Otimização dos fluxos de produtos; Lançamento eficiente de novos produtos; Adequação da produção à demanda; Coordenação eficaz de promoções e negociações. UMA NOVA VISÃO GLOBAL DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA.....

27 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Logística, uma nova visão TEMA ABORDADO: NOVA VISÃO PARA ENTENDER OS DESAFIOS DA ECONOMIA GLOBALIZADA E SEUS FLUXOS GLOBAIS.... Quais são as FORÇAS que moldam a ECONOMIA GLOBAL? Quais as CONSEQUÊNCIAS da GLOBALIZAÇÃO? Como tirar VANTAGENS desse PROCESSO DINÂMICO? VIMOS QUE: FATORES EM AMBIENTES GLOBAIS SÃO EXTERNOS ÀS EMPRESAS = EMPRESAS REAGEM OU ESTÃO FORA DA CONCORRÊNCIA.... PRESSÃO EM TODAS AS ÁREAS = LOGÍSTICA = SERVIÇO E NÃO MAIS SOMENTE CUSTOS DO PROCESSO, NOVOS CLIENTES E MENOR TEMPO DE VIDA DE UM PRODUTO.... Uma nova visão...

28 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena Logística, uma nova visão TEMA ABORDADO: NOVA VISÃO PARA ENTENDER OS DESAFIOS DA ECONOMIA GLOBALIZADA E SEUS FLUXOS GLOBAIS.... CONTINUANDO, DISCUTIMOS QUE: PARA AS EMPRESAS DEFINIREM SEUS PRÓPRIOS FLUXOS PRODUTIVOS, DEVEM BUSCAR A INTEGRAÇÃO (GEOGRÁFICA, FUNCIONAL E SETORIAL).... A GLOBALIZAÇÃO ALTEROU A VISÃO DA LOGÍSTICA DE ATIVIDADE PARA REDUZIR CUSTOS PARA UMA ATIVIDADE FORNECEDORA DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÕES QUE APRIMORAM O PLANEJAMENTO E A GESTÃO DEIXANDO DE SER UMA ATIVIDADE SUBORDINADA A ORIENTAÇÕES INTERNAS PARA UMA ATIVIDADE DE INTEGRAÇÃO EXTERNA, COORDENANDO CADEIAS DE SUPRIMENTO, EXPOSIÇÕES E ENTREGA DE PRODUTOS AO CLIENTE FINAL COM EFICIÊNCIA. Uma nova visão...

29 Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena a logística tem por objetivo, dentre outros promover a coordenação de todos os integrantes de uma equipe.. Muito Obrigado!


Carregar ppt "Logística e Operações Globais Helio Souto Dapena LOGÍSTICA E OPERAÇÕES GLOBAIS: EVOLUÇÃO E PROJETO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google