A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FINANÇAS PÚBLICAS Teoria dos Ciclos Político Econômico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FINANÇAS PÚBLICAS Teoria dos Ciclos Político Econômico."— Transcrição da apresentação:

1 FINANÇAS PÚBLICAS Teoria dos Ciclos Político Econômico

2 2 Os Ciclos Político Econômicos A importância das eleições e da ideologia nos resultados macroeconômicos deu origem a uma literatura e pesquisa que se desenvolveu na Teoria da Escolha Pública conhecida como Ciclo Político Econômicos.

3 3 Bibliografia Recomendada Bruno Frei (1978, cap. 10) Martin Paldan (1997, cap.16) Alesina + Roubini + Cohen

4 4 Political Business Cycles The Political Business Cycle,William D. Nordhaus The Review of Economic Studies, Vol. 42, No. 2 (Apr., 1975), pp

5 5 Political Business Cycles Os modelos político econômicos pretendem introduzir o setor econômico e analisar de que modo o estado da economia influencia das preferências dos eleitores e, consequentemente, a avaliação dos partidos, e de que forma o governo, por sua vez, influencia o estado da economia (inflação, desemprego, investimento, taxa de juros, gastos governamentais, transferências, subsídios etc..)

6 6 Political Business Cycles A teoria do ciclos político econômico estuda as interações entre as decisões de políticas econômicas e as considerações políticas. A previsão mais conhecida da teoria é que o ciclo de negócios espelha a agenda do ciclo eleitoral.

7 7 Political Business Cycles Assume-se que os eleitores se preocupam com a inflação e com o desemprego quando eles são altos. Estudos de pesquisas eleitorais revelaram que os eleitores se preocupam também com o nível e a taxa de variação das taxas de inflação e desemprego. O desemprego ascendente aumenta a preocupação do público com o desemprego. A preocupação com a inflação depende das expectativas de inflação ascendente bem como do nível de inflação.

8 8 Political Business Cycles Os modelos político econômicos pretendem introduzir explicitamente o setor econômico e analisar de que modo o estado da economia influencia as preferências dos eleitores e, consequentemente, a avaliação dos partidos, e de que forma o governo, por sua vez, influencia o estado da economia. A ênfase está na interdependência entre os setores econômico e político.

9 9 Political Business Cycles A idéia básica de um modelo político econômico é que o governo é capaz de influenciar o setor econômico com o auxílio de instrumentos de política econômica (políticas fiscal, monetária, cambial, de crédito, etc.). Aqui assumimos que os eleitores julguem o desempenho do governo somente pelas condições econômicas no ano das eleições.

10 10 Political Business Cycles Economia Governo Oposição Eleitores Decisão pelo voto Variáveis econômicas Instrumentos de política econômica

11 11 Political Business Cycles William Nordhaus (1974) desenvolveu uma teoria dos ciclos políticos, argumentando que o ocupante de um cargo usa a política expansionista para estimular a economia, geralmente temprariamente, durante o anos eleitoral. Isto é, ele tenta aumentar suas chances de reeleição buscando políticas que busquem estimular o crescimento do PIB real e reduzir o desemprego.

12 12 Political Business Cycles A hipótese do ciclo politico-econômico assume que os políticos adotam políticas restritivas no início do governo, aumentando o desemprego para reduzir a inflação. Contudo, à medida em que as eleições vão se aproximando, a expansão se instaura para a garantir que a queda do desemprego obtenha a aprovação do eleitor mesmo até quando o nível de desemprego chegue a pressionar a inflação. Assim, haveria uma ciclo sistemático no desemprego, aumentando na primeira parte do mandato presidencial e diminuindo na segunda.

13 13 Political Business Cycles Pressupostos: os eleitores avaliam negativamente o desemprego e a inflação. Eles preferem um estado de pleno emprego e preços estáveis. É assumido também que os eleitores têm o governo como responsável pelo desemprego e pela inflação. Quanto maiores forem as taxas de desemprego e de inflação, menor será a quota de votos do governo.

14 14 Political Business Cycles A curva de isovotos mostra todas as combinações de curto prazo entre inflação e desemprego que proporcionam ao governo uma proporção constante de votos. Quanto mais próxima da origem estiverem as curvas de isovotos, maior será a quota de votos do governo. Se um governo quiser ser reeleito, ele terá que, por exemplo, obter uma parcela de, pelo menos, 51% dos votos.

15 15 Political Business Cycles 0 Taxa de desemprego Taxa de inflação Curva de isovotos 48%60%52%

16 16 Political Business Cycles 0 Taxa de desemprego Taxa de inflação 54%52% A B Espaço discricionário V CP lp

17 17 Political Business Cycles Um governo maximizador de votos que segue uma política econômica de desemprego e de inflação constantes irá selecionar um ponto no qual a curva de Philips de longo prazo que seja tangente á curva de isovotos.

18 18 Political Business Cycles Após as eleições, o desemprego é aumentado de forma a diminuir as expectativas inflacionárias. Essa política só têm efeito negativo por curto período. O conflito entre desemprego e inflação é então mitigado até a data da eleição. O desenvolvimento do ciclo-político econômico maximizador de votos têm lugar se os eleitores avaliam o governo de acordo com as condições econômicas no ano eletivo.

19 19 Political Business Cycles Inflação Desemprego tempo Inflação e Desemprego 0 Eleição

20 20 Political Business Cycles

21 21 Figure 10: The Political Business Cycle

22 22 Political Business Cycles A oscilação regular do sistema político- econômico acima pode ser chamada de ciclo eletivo, pois se deve aos requisitos de reeleição do governo e sua extensão se iguala exatamente a um período eletivo. Os ciclos eleitorais podem ter três causa: (i) horizonte de tempo restrito para os eleitores; (ii) horizonte de tempo restrito para o governo; (iii) uso das propriedades dinâmicas do sistema.

23 23 Political Business Cycles: Modelos Oportunistas Os modelos oportunistas afirmam que cada governo se comporta do mesmo modo, ou seja, oportunisticamente, para vencer uma reeleição.

24 24 Political Business Cycles O Modelo Oportunista Segundo Nordhaus (1975), atingir o poder é o único objetivo dos partidos políticos. Essa perspectiva é conhecida como modelo de ciclos eleitorais oportunistas e está associada a uma concepção dos partidos políticos como maximizadores de votos.

25 25 Political Business Cycles O Modelo Oportunista Aplicando o enfoque racional à política, esses autores argumentam que os partidos políticos não ganham eleições para formular políticas, mas formulam políticas para ganhar eleições.

26 26 Political Business Cycles O Modelo Oportunista O modelo oportunista está elaborado sobre quatro premissas básicas acerca do comportamento de governantes e eleitores: (i) o principal objetivo dos partidos no governo é manter-se no poder e, em virtude disso, intervêm na economia a fim de maximizar os votos na próxima eleição; (ii) os resultados eleitorais dependem de forma significativa dos resultados econômicos; (iii) os governos podem, mediante suas decisões e instrumentos de políticas públicas (fiscal, monetária, cambial, credito etc.), gerar, antes das eleições, um maior crescimento produtivo e uma diminuição do desemprego a níveis não sustentáveis a médio prazo; (iv) os eleitores têm um comportamento eleitoral retrospectivo míope.

27 27 Political Business Cycles O Modelo Oportunista A lógica do ciclo político funcionaria da seguinte forma: - os governos, preocupados principalmente em manter-se no poder, procuram maximizar as preferências do eleitorado diante da proximidade das eleições, particularmente no nível de emprego. Com esse objetivo, implementam políticas que estimulam um rápido aumento da atividade econômica e uma diminuição do desemprego antes das eleições para níveis inferiores aos sustentáveis pela capacidade da economia.

28 28 Political Business Cycles O Modelo Oportunista A reativação da economia gera um aumento da inflação no período logo posterior às eleições, para mais tarde começar a descer como conseqüência das políticas de ajuste pós-eleitorais que visam conter o aumento de preços. As medidas de ajuste resultam num menor crescimento do produto, enquanto o desemprego volta a crescer.

29 29 Political Business Cycles O Modelo Oportunista Uma premissa básica do modelo de ciclo político eleitoral oportunista é de que a percepção dos eleitores está dominada pela experiência passada – o voto retrospectivo -, limitado basicamente ao último ano, a chamada miopia política do eleitor. Ou seja, o fato de que, para suas escolhas, os eleitores valorizam muito mais o estado recente da economia do que a evolução da mesma em todo o período de governo.

30 30 Political Business Cycles O Modelo Oportunista Uma melhoria no desempenho econômico que seja concentrada no ano das eleições só será politicamente benéfica para o governo se os cidadãos priorizarem, em sua decisão de voto a situação daquele ano, não considerando o desempeno do governo no restante do período.

31 31 Political Business Cycles O Modelo Oportunista Na medida em que se supõe que os custos decorrentes da manipulação das variáveis macroeconômicas podem ser calculadas pelos governo para se manifestarem depois das eleições, entende-se que as preferências da população favorecerão este tipo de política.

32 32 Political Business Cycles O Modelo Partidário Os modelos partidários focalizam as diferenças nas políticas e resultados com conseqüências de diferentes orientações ideológicas do governo.

33 33 Political Business Cycles O Modelo Partidário Hibbs (1977) argumentou que a motivação dos partidos e de seus membros não se baseia exclusivamente em alcançar o poder, mas está orientada para a obtenção do governo com o objetivo principal de implementar políticas partidárias sustentadas por suas principais bases de apoio eleitoral, ou seja, não só somente as eleições e a lógica de maximização dos votos que motivam os partidos políticos; a ideologia partidária também importa.

34 34 Political Business Cycles O Modelo Partidário No modelo partidário, os eleitores têm preferências variadas segundo sua posição no contexto socioeconômico, ou de acordo com a situação econômica geral.

35 35 Political Business Cycles O Modelo Partidário De acordo com este modelo, os governos de partidos ou coalizões de esquerda tendem a gerar níveis mais altos de inflação e mais baixos de desemprego, porque, em termos relativos, suas bases eleitorais estão mais interessadas em reduzir o desemprego, pelo fato de serem mais afetadas, aumentando o risco de iniciarem-se períodos inflacionários.

36 36 Political Business Cycles O Modelo Partidário Por outro lado, os partidos ou coalizões de direita contam, em geral, com apoios que preferem baixos níveis de inflação, mesmo que isto implique maiores níveis de desemprego, podendo derivar em períodos de recessão econômica.

37 37 Political Business Cycles O Modelo Partidário A teoria dos ciclos partidários se baseia numa relação estável entre inflação e desemprego. Aqui, assume-se tratar-se de uma relação estável de médio e longo prazo. Uma vez no poder, os partidos políticos procuram atender às necessidades de seu eleitorado seguindo objetivos e estratégias em função da orientação ideológica.

38 38 Political Business Cycles O Modelo Partidário Governos de direita, preocupados principalmente com a estabilidade monetária geram um desemprego maior em relação aos governos de esquerda. Já os governos de esquerda, mais preocupados com os efeitos distributivos do crescimento e da situação dos setores menos favorecidos, centram suas políticas na expansão do gasto e na diminuição do desemprego, mesmo que isto implique num aumento da inflação.

39 39 Political Business Cycles O Modelo Partidário O modelo assume que existe diferenças na valorização relativas entre os partidos, mas não que os partidos de direita não se importem, em termos absolutos, com o desemprego, ou que os partidos de esquerda não se interessem pela estabilidade da moeda.

40 40 Alesina e Mankiw argumentaram que, para os EUA, os governos Democratas se preocupam mais com o desemprego e relativamente menos com a inflação do que os Republicanos. Os democratas tendesm a buscar ou implementar políticas expansionistas enquanto os republicanos perseguem políticas contracionistas. Political Business Cycles O Modelo Partidário Evidências Empíricas

41 41 Political Business Cycles: Modelos Tradicionais X Modelos com Expectativas Racionais Os modelos tradicionais assumem que o governo explora suas habilidades para predizer e influenciar os resultados macroeconômicos. Já os modelos com expectativas racionais enfatizam os limites da capacidade dos formuladores de política econômica de influenciar, de modo permanente e previsível, o estado da economia. As restrições da racionalidade afetam tanto a política como a economia.

42 42 Political Business Cycles: Modelos Oportunistas Tradicionais Implicações Empíricas: - expansão no ano ou dois antes das eleições; - o PIB cresce acima da taxa média ou normal antes das eleições; - o desemprego cai abaixo do normal antes das eleições; - política monetária expancionista antes das eleições;

43 43 Political Business Cycles: Modelos Oportunistas Tradicionais Implicações Empíricas: - evita-se a desvalorização cambial antes da eleição; - a inflação começa a aumentar imediatamente antes ou imediatamente após as eleições; - recessão após as eleições, com gradual redução da inflação; - não há diferenças nas políticas e resultados entre diferentes governos; - os governantes são reeleitos quando o crescimento é alto e o desemprego é baixo;

44 44 Political Business Cycles: Modelos Oportunistas com expectativas racionais - manipulações de curto prazo dos instrumentos de política econômica imediatamente antes das eleições; - aumentos nos déficits públicos; - aumento na inflação; - aumento na oferta de moeda dois ou três trimestres antes das eleições; - políticas fiscais e monetárias rígidas após as eleições; - os governantes são reeleitos quando o crescimento é alto e o desemprego é baixo nos anos eleitorais.

45 45 Political Business Cycles: Evidências Para o Caso Brasileiro Fialho, Tânia Marta Maia (1997), RBE &script=sci_arttext

46 46 Political Business Cycles: Evidências Para o Caso Brasileiro &script=sci_arttext

47 47 Political Business Cycles: Evidências Para o Caso Brasileiro / politicos.pdf

48 48 Sites Recomendados ml

49 FIM Prof. Giácomo Balbinotto Neto UFRGS Notas de Aula


Carregar ppt "FINANÇAS PÚBLICAS Teoria dos Ciclos Político Econômico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google