A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução à Programação Periféricos Prof. Filipo Studzinski Perotto 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução à Programação Periféricos Prof. Filipo Studzinski Perotto 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução à Programação Periféricos Prof. Filipo Studzinski Perotto 2009

2 2 Hardware: Periféricos Entrada Saída Armazenamento Comunicação

3 3 Entrada por Teclado Através de digitação Informa sinais alfa- numéricos

4 4 Anatomia de um teclado

5 5 Teclados Ergonômicos Projetados para reduzir ou minimizar lesões por esforço repetitivo nos pulsos. Oferecem uma posição mais natural e confortável para os punhos, braços e mãos.

6 6 Entrada por Apontadores Mouse TouchPad Joystick Caneta Óptica TrackBall

7 7 Mouse O dispositivo apontador mais comum: O movimento sobre uma superfície plana provoca um movimento do ponteiro na tela Click sobre botões Diversos tipos: Mecânicos – uma pequena esfera na parte inferior rola quando o mouse é movimentado. Ópticos – usa um feixe de luz para monitorar o movimento do mouse. Sem fio – usa ou infravermelho ou ondas de rádio, em vez de um fio, para conectar-se ao computador.

8 8 Trackball e Joystick Trackball: Variação do mouse mecânico. O usuário rola a esfera direto com o dedo. Freqüentemente, incorporado a computadores laptop. Joystick: Alavanca curta com um pegador. A distância e a velocidade do movimento controlam a posição do ponteiro. Pressionar o gatilho faz com que as ações se desenvolvam.

9 9 Touchpad e Pointing Stick Touchpad: Superfície retangular sensível a pressão. Deslizar o dedo sobre a superfície faz o ponteiro se movimentar. Um toque com o dedo é reconhecido como um clique. Pointing stick (bastão apontador): Pequena haste sensível a pressão montada no centro do teclado. Empurrar a haste em qualquer direção provoca um movimento do ponteiro.

10 10 Outros Dispositivos Apontadores Mesa gráfica: O usuário movimenta uma caneta gráfica ou puck na superfície da prancha. Usada para criar ou traçar desenhos precisos. Computação baseada em caneta: Usa um estilo similar a uma caneta eletrônica para introduzir dados. Muito usada em PDAs ou pocket PCs. Telas sensíveis (Touch screen): Permite ao usuário tocar itens na tela. A posição do dedo na tela determina o item a ser introduzido no sistema. Usadas em quiosques em locais públicos, como shopping centers.

11 11 Reconhecimento Óptico Câmera Leitor de Código de Barras Scanners de Imagem

12 12 Scanners Scanner de mesa: Tipicamente, escaneia uma página a cada vez Pode ser usado para escanear grandes documentos encadernados. Scanner de folhas soltas: Roletes motorizados fazem a folha passar diante da cabeça digitalizadora. Scanner manual: O menor e o menos preciso. Reconhecimento óptico de caracteres (OCR) – software necessário para converter imagens em caracteres.

13 13 Outros Métodos de Reconhecimento Óptico Reconhecimento óptico de marcas: A máquina detecta marcas em uma folha de papel. Reconhecimento óptico de caracteres. A caneta óptica lê caracteres impressos com uma fonte especial. Códigos de barras: Uma série de marcas verticais. Representa um código único. O Universal Product Code (UPC) é usado como padrão em supermercados.

14 14 Câmeras Digitais O usuário tira fotos que são armazenadas em um chip. A foto pode ser transferida para o computador: Use um software de edição de fotografias para aperfeiçoá-las. Armazene permanentemente em CDs ou DVDs. Fotos compostas de muitos pixels de cor. Fotos armazenadas em cartões de memória removíveis.

15 15 Entrada de Vídeo Videodigital consiste em uma seqüência de imagens fixas: Exibidas rapidamente para dar a impressão de movimento. Web cam usada para transmitir imagens de vídeo pela Internet. Pode captar vídeo de fontes analógicas com placa de captura de vídeo.

16 16 Entrada de Áudio Microfone

17 17 Entrada de Áudio Voz Onda Microfone Placa de Som Codificação Digital Coleção de Amostras Arquivo Sonoro

18 18 Saída de Vídeo Monitor CRT Monitor LCD Placa de Vídeo Projetor

19 19 Telas CRT Por emissão controlada de luz Exibem texto e imagens em cores monocromáticos

20 20 Tecnologia CRT

21 21 Fatores de Desempenho Taxa de varredura (refresh) A freqüência com que a imagem é renovada. Resolução da tela: Medida em pixels (picture elements). Quanto mais pixels, mais elevada a resolução. Densidade de pontos (DPI). A quantidade de espaço entre os pontos. Quanto menor o dot pitch, mais nítida a imagem. Memória e Processamento de Vídeo RAM de alta velocidade instalada em placas gráficas. Operações disponibilizadas pela placa de vídeo (p/ jogos)

22 22 Padrões Gráficos Acordo a respeito de resoluções, cores e outras questões relativas à exibição de gráficos: Super Video Graphics Adapter (SVGA) é o padrão mais comum: SVGA: 800 pixels (horizontais) x 600 (verticais) XGA: 1024 x 768 WXGA: 1280 x 720 (widescreen 16:9) e muitas outras variações Suportam 16 milhões de cores. O número de cores que podem ser exibidas depende da quantidade de memória de vídeo.

23 23 Telas Planas Monitor de cristal líquido (LCD): Originalmente usado em laptops, mas está ganhando espaço em computadores de mesa. Muito delgadas (somente algumas polegadas). Produzem texto e imagens mais nítidas do que as telas de CRT. Mais fácil para a visão do que as telas de CRT.

24 24 Tecnologias de LCD Matriz ativa: Usa muitos transistores thin-film (TFT). Produz imagens mais claras e pode ser vista de ângulos maiores. Matriz passiva: Usa um número menor de transistores. Mais barata e usa menos energia Plasma gasoso: Suporta telas muito grandes. Tem uma exibição de cores vívidas. Visualizável em ângulos grandes.

25 25 Saída de Áudio Placa de Som Amplificador e Caixas de Som Fones

26 26 Áudio Onda Sonora Arquivo de amostras (wav) Arquivo compactado (mp3, etc.) Sintetização Musical Instrument Digital Interface (MIDI)

27 27 transdutor eletroacústico

28 28 Saída Impressa Impressoras Saída visual impressa Converte os sinais digitais em caracteres ou imagens no papel Jato de Tinta Laser Matricial Plotter

29 29 Impressoras de Impacto O contato físico com o papel é necessário para produzir imagens. Impressora de linha: Imprime uma linha inteira de um programa a cada vez. Tipicamente usada com computadores mainframe que imprimem relatórios extensos. Impressora matricial: Possui uma cabeça de impressão que consiste em uma ou mais colunas de pinos. Os pinos formam caracteres e imagens como padrões de pontos.

30 30 Impressoras de Não-Impacto Impressora a laser: Usa um feixe de luz para queimar o toner sobre o papel. Produz saída de elevada qualidade a velocidades muito altas. Impressora a jato de tinta: Borrifa pontos de tinta de múltiplos esguichos a jato. Pode imprimir tanto em preto-e-branco como em cores. Requer papel de alta qualidade para que a tinta não borre. Mais baratas do que as impressoras a laser.

31 31 Saída como Controle Processos e Mecanismos

32 32 Discos Magnéticos As mídias de armazenamento mais comuns: Disquete (1.4mb): flexível de 3,5 em invólucro plástico. Disco Rígido (40 – 540 gb): mais capacidade de armazenamento e acesso mais rápido do que os disquetes.

33 33 Lendo e Escrevendo Dados O braço de acesso movimenta a cabeça de leitura/gravação sobre uma localização em particular. A cabeça de leitura /gravação paira alguns milionésimos de polegada acima da lâmina.

34 34 Trilha A porção circular da superfície do disco que passa sob a cabeça de leitura/gravação. Um disco flexível tem 80 trilhas em cada superfície. O disco rígido pode ter ou mais trilhas em cada superfície de cada lâmina.

35 35 Setor Cada trilha é dividida em setores que contêm um número fixo de bytes. Tipicamente, 512 bytes por setor. A gravação por zonas atribui mais setores às trilhas que estão nas zonas externas do que àquelas que estão nas zonas internas. Usa o espaço de armazenamento de maneira mais completa. Um conjunto de setores adjacentes tratados como uma unidade de armazenamento é chamado cluster.

36 36 Cilindro A trilha sobre cada superfície, que está sob a cabeça de leitura/gravação, em determinada posição das cabeças de leitura/gravação. Quando o arquivo é maior do que a capacidade de uma única trilha, o sistema operacional armazena-o em trilhas que fazem parte do mesmo cilindro.

37 37 Discos Ópticos Usam raios laser para ler grandes volumes de dados a baixo custo: CD (600mb) DVD (4gb)

38 38 Fita Magnética Armazena grandes quantidades de dados a baixo custo. Freqüentemente usada para fazer backup do sistema.

39 39 Cartão de Memória Memória Flash (1- 256mb) Pen Drives rápida, pequena e cara

40 Introdução à Programação Periféricos Prof. Filipo Studzinski Perotto 2009


Carregar ppt "Introdução à Programação Periféricos Prof. Filipo Studzinski Perotto 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google