A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VIGILÂNCIA DO ÓBITO MATERNO E INFANTIL NA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VIGILÂNCIA DO ÓBITO MATERNO E INFANTIL NA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE."— Transcrição da apresentação:

1 VIGILÂNCIA DO ÓBITO MATERNO E INFANTIL NA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA -DIVEP Julho, 2010 Alcina Andrade

2 CONTEXTUALIZAÇÃO º Objetivo do Milênio: Reduzir a Mortalidade Infantil 5º Objetivo do Milênio: Melhorar a Saúde das Gestantes 2004 – Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal Uma das ações estratégicas: fortalecer a Vigilância Epidemiológica do óbito materno e neonatal Projeto de Redução das Desigualdades no Nordeste e na Amazônia Legal Reduzir a Mortalidade Infantil em 5% ao ano

3

4

5 TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL (POR NASCIDOS VIVOS) DE RESIDENTES NA BAHIA, SEGUNDO FAIXA ETÁRIA, *

6 . Distribuição proporcional dos óbitos infantis segundo a Lista Brasileira de mortes evitáveis por intervenção do SUS e o total de óbitos por ano do óbito, Brasil, Fonte: SIM - CGIAE/DASIS/SVS/MS – dados preliminares em 16/06/09

7 Eixo 1. Qualificar a Atenção ao Pré-natal, ao Parto e ao Recém Nascido; Eixo 2. Educação na Saúde; Eixo 3- Gestão da Informação; Eixo 4. Vigilância do Óbito Infantil, Fetal e Materno; Eixo 5. Gestão no Trabalho; Eixo 6. Mobilização Social e Comunicação. Projeto de Redução das Desigualdades na Região Nordeste e Amazônia Legal

8 MACROMUNICÍPIOS PRIORITÁRIOS Centro-Leste Feira de Santana, Itaberaba, Serrinha. Leste Salvador,Cama ç ari, Lauro de Freitas, Simões Filho, Santo Amaro, Dias D´ á vila,Santo Antônio de Jesus. Oeste Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Santa Maria da Vit ó ria. Sudoeste Itapetinga, Vit ó ria da Conquista, Guanambi. Sul Valen ç a, Ilh é us, Itabuna, Jequi é,Jaguaquara. Extremo Sul Eun á polis, Porto Seguro, Teixeira de Freitas,Itamaraju. Nordeste Alagoinhas, Ribeira do Pombal. Norte Juazeiro, Casa nova, Paulo Afonso, Senhor do Bonfim. Centro Norte Jacobina, Irecê.

9 1- Estruturar a investigação dos óbitos em 100% dos municípios prioritários. Equipe mínima para investigação: Estrutura e equipe compatíveis com as atribuições (Grupo Técnico, Computadores e insumos); Envolvimento das equipes de PSF e PACS; Capacitação. 2- Investigar de 100% dos óbitos. Fetais Neonatais Pós-neonatais Morte de mulheres em idade fértil Com causa mal definida METAS MUNICÍPIOS PRIORITÁRIOS – EIXO 4

10 AÇÕES/ESTRATÉGIAS

11 Planejamento Integrado - DIVEP ((DST/AIDS, MDDA, Imunização, Óbito Materno e Infantil), DIS, DGC(Área Técnica da Criança e da Mulher), DGRP DAB e DIVISA; Seminários/ Oficinas de Capacitação Vigilância do Óbito Materno e Infantil envolvendo profissionais de DIRES, municípios, maternidades, Núcleos Hospitalar de Epidemiologia; Análise de Óbitos/Emissão de Recomendações através do CEPOIF e Câmara Técnica Estadual; Elaboração dos Planos de Trabalho para Redução da Mortalidade Infantil e Materno dos 33 municípios prioritários -2009/2010; Elaboração e Divulgação de Material Instrucional (Resolução CIB/51 Documentos de Operacionalização da Vigilância do Óbito Infantil e Materno para o estado da Bahia; Nota Técnica DIS/DIVEP 01/2009) Supervisão no municípios prioritários AÇÕES/ESTRATÉGIAS

12 Seminários Regionais/Oficinas de atualização em Vigilância do Óbito Infantil e Materno por DIRES-Bahia, Participação de 329 municípios de 31 DIRES, totalizando 1294 profissionais capacitados

13 SITUAÇÃO ATUAL VIGILÂNCIA ÓBITO FETAL E INFANTIL

14 Situação da Investigação de óbitos infantis e fetais, Bahia, 2009*. Dos 417 municípios, 213 investigaram óbitos infantis( 51,1%) e 157 dos 417 (37,6%)investigaram óbito fetal; Dos 213 municípios que realizaram investigação infantil, 110 (51,6%) investigaram 25% ou + dos óbitos infantis; Todas as 31 DIRES realizaram investigações, sendo que 14 atingiram ou ultrapassaram a meta mínima de 25% de óbitos infantis investigados; Destaques para: 31ª DIRES- Cruz das Almas onde 100% dos municípios investigaram 46,4% dos óbitos infantis e fetais; 23ª DIRES -Boquira onde 80% dos municípios investigaram óbitos infantis e 100% alcançaram a meta mínima de 25%; 30ªDIRES- Guanambi onde 46,8% dos óbitos infantis e fetais foram investigados;

15 Proporção de Óbitos Infantis Investigados por Macrorregião, Bahia *. Fonte: Fichas Investigação/SIM Ultima atualização: 29/062010

16 Fonte: Fichas Investigação/SIM Ultima atualização: 29/ Proporção de Óbitos Infantis e Fetais Investigados, Bahia * N%N%N%N%N% 81612,276078, , ,624625,0

17 Proporção de Óbitos Infantis e Fetais Investigados por DIRES, Bahia 2010*

18 Dos 33 municípios prioritários, 28 investigaram óbitos ocorridos em Dos 33 municípios prioritários, 28 investigaram óbitos ocorridos em Dos 28 municípios : -12 investigaram 25% ou + dos óbitos infantis de 2009: (Dias Davila, Feira de Santana, Ilhéus, Itaberaba, Itamaraju, Porto Seguro, Teixeira de Freitas, Vitória da Conquista, Paulo Afonso, Barreiras, Bom Jesus da Lapa e Guanambi) Vale ressaltar que a oportunidade das investigações ainda é muito baixa. Fonte: Fichas de Investigação *atualizado em 29/06/2010 Situação da Investigação de óbitos infantis dos Municípios Prioritários, Bahia, 2009*.

19 Dos 33 municípios prioritários, 22 investigaram óbitos fetais ocorridos em Dos 33 municípios prioritários, 22 investigaram óbitos fetais ocorridos em Dos 22 municípios : -10 investigaram 25% ou + dos óbitos fetais: (Bom Jesus da Lapa, Dias Davila, Eunápolis, Ilhéus, Porto Seguro, Itaberaba, Teixeira de Freitas, Itamaraju, Paulo Afonso e Guanambi) A oportunidade das investigações também é muito baixa Situação da Investigação de óbitos fetais dos municípios prioritários, Bahia, 2009*. Fonte: Fichas de Investigação *atualizado em 29/06/2010

20 SITUAÇÃO DA VIGILÂNCIA DO ÓBITO MATERNO

21 Situação do Indicador Proporção de Óbitos de MIF investigados 1.Período de 2003 a 2005 evolui de 10% para 30%, aumentando para 32% em 2008; Verifica-se que municípios sede das 3ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª, 16ª e 26ª DIRES não realizaram investigação neste período e 60 municípios de outras DIRES que não investigavam passaram a investigar, mantendo este patamar de 30%.

22 Dos 417 municípios, 213 investigam óbitos de MIF ( 51%); Dos 417 municípios, 213 investigam óbitos de MIF ( 51%); A 2ª- Feira de Santana e 6ª DIRES- Ilhéus são as que apresentam 100% dos seus municípios realizando a investigação do óbito de MIF. O município de Salvador com óbitos de MIF (25,41% de óbitos do Estado) residentes, realizou 281 investigações; O município de Salvador com óbitos de MIF (25,41% de óbitos do Estado) residentes, realizou 281 investigações; Dos 213 municípios que realizaram investigação, 38 (9,11%), conseguiram atingir os 75% estabelecido da meta da SVS/MS. Dos 213 municípios que realizaram investigação, 38 (9,11%), conseguiram atingir os 75% estabelecido da meta da SVS/MS. Situação da Investigação de óbitos de MIF, Bahia, 2009*.

23 Proporção de Óbitos de MIF Investigados, Bahia * N%N%N%N% Fonte: Fichas Investigação/SIM Ultima atualização 01/03/2010

24 Proporção de óbitos de MIF investigados por macrorregião, Bahia 2006 a 2010 Fonte: Fichas de investigação SIM/SESAB

25 Proporção de óbitos de MIF investigados por Dires de residência, Bahia Fonte: SIM/SASAB

26 Situação dos casos de óbitos maternos investigados em relação aos declarados no SIM Bahia, 2006/2010*.

27 Dos 33 municípios prioritários, 28 investigam; Dos 33 municípios prioritários, 28 investigam; Dos 28 municípios que investigaram: 03 investigaram 75% ou + dos óbitos de MIF de 2009 (Santo Antonio de Jesus, Guanambi e Paulo Afonso) Vale ressaltar que a oportunidade das investigações é muito baixa Fonte: Fichas de Investigação *atualizado em01/03/2010 Situação da Investigação de óbitos de MIF dos municípios prioritários, Bahia, 2009*.

28 EXPERIÊNCIAS ACADÊMICAS O Efeito da Estratégia de Saúde da Família na Vigilância de Óbitos Infantis no Estado da Bahia. Autores: Marta Pereira e Rosana aquino

29 ¹ Dois municípios (Barrocas e Luís Eduardo Magalhães) foram excluídos por falta de informação, pois foram emancipados após o ano de referência do cálculo do IDH. Fonte: SIM, SIAB, CNES, IBGE, PNUD, Planilha de Monitoramento SESAB

30 ¹ Dois municípios (Barrocas e Luís Eduardo Magalhães) foram excluídos por falta de informação, pois foram emancipados após o ano de referência do cálculo do IDH. Fonte: SIM, SIAB, CNES, IBGE, PNUD, Planilha de Monitoramento SESAB

31

32

33 Avaliação da Implantação da Vigilância Epidemiológica do Óbito Materno no município de Salvador – Bahia, no ano de 2008 Autores: Iraní Parente Dorzeé, Eronildo Felisberto, Juliana Martins

34 Escores e Grau de Implantação da Dimensão Estrutura por Unidade de Análise – Distritos Sanitários e Nível Central da SMS de Salvador, 2008

35 Escores e Grau de Implantação da Dimensão Processo por Unidade de Análise – D Sanitários e Nível Central da SMS de Salvador, 2008

36 Grau de Implantação por Unidade de Análise – Distritos Sanitários e Nível Central da SMS de Salvador, 2008

37 Descentralização da estratégia e Vigilância de Óbitos para as equipes locais na expansão da Estratégia de Saúde da Família para os grandes centros urbanos; Resgatar e/ou fortalecer o papel das Regionais na qualificação dos profissionais ou equipes responsáveis e no monitoramento das ações de Vigilância do Óbito Materno e Infantil desenvolvidas pelos municípios; Sensibilizar os gestores municipais e profissionais de saúde quanto a importância da investigação do óbito materno e infantil como forma de avaliação da assistência prestada pelos municípios; Melhorar a qualidade da informação sobre óbitos infantil, fetal, MIF/Materno no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM); Aprimorar a análise dos óbitos infantis juntamente com as DIRES e municípios para que as recomendações e medidas de prevenção sejam oportunas; Desafios:

38 Utilizar da Epidemiologia para realização do diagnóstico de saúde; A gestão dos serviços de saúde atuar como indutora da reorganização do processo de trabalho e no desenvolvimento de dispositivos institucionais que contribuam com o trabalho de equipe; Implantação e funcionamento dos Comitês de Mortalidade como instância indutora de Políticas que visem a Redução Materno e Infantil; Fortalecer o Planejamento das ações de forma articulada com outros GTs da DIVEP (DST/AIDS, MDDA/DTA, COPIM, Núcleo de Vigilância, DANTS e outros..). Desafios:

39 OBRIGADA! Telefone: Site: acessar COPLAM, acessar GT óbito infantil ou maternowww.saude.ba.gov.br/divep


Carregar ppt "VIGILÂNCIA DO ÓBITO MATERNO E INFANTIL NA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google