A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MORTALIDADE MATERNA COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE DRA.SÔNIA ANTONINI COORDENADORA CRS-LESTE DR.PAULO AFONSO FERRIGNO MARCUS ASSESSOR TÉCNICO CRS-LESTE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MORTALIDADE MATERNA COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE DRA.SÔNIA ANTONINI COORDENADORA CRS-LESTE DR.PAULO AFONSO FERRIGNO MARCUS ASSESSOR TÉCNICO CRS-LESTE."— Transcrição da apresentação:

1 MORTALIDADE MATERNA COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE DRA.SÔNIA ANTONINI COORDENADORA CRS-LESTE DR.PAULO AFONSO FERRIGNO MARCUS ASSESSOR TÉCNICO CRS-LESTE

2 " A morte de uma mulher durante a gestação ou dentro de um período de 42 dias após o término da gestação, independente da duração ou da localização da gravidez, devido a qualquer causa relacionada com ou agravada pela gravidez ou por medidas em relação a ela, porém não devidas a causas acidentais ou incidentais. (OMS, CID-10) CONCEITO

3 É A MORTE DE QUALQUER MULHER EM IDADE FÉRTIL DURANTE A GESTAÇÃO, DURANTE O PARTO OU DURANTE O PUERPÉRIO até 1 (um) ano do parto ou aborto MORTE MATERNA CMMMSP

4 CONCEITOS l MORTE MATERNA OBSTÉTRICA l MORTE MATERNA NÃO OBSTÉTRICA – DIRETA – INDIRETA – TARDIA ATÉ 42 DIAS DE PUERPÉRIO l RAZÃO DE MORTE MATERNA RMM = CASOS POSITIVOS NASCIDOS VIVOS X DE 43 DIAS ATÉ 1 ANO DE PUERPÉRIO CMMMSP

5 DEFINIÇÕES INTERNACIONAIS DE MORTALIDADE MATERNA

6 RAZÃO DE MORTALIDADE MATERNA RMM= casos diretos e indiretos X Nascidos Vivos CID - 10 Revisão

7 MORTALIDADE MATERNA SUB-NOTIFICAÇÃO número de casos não declarados número de casos declarados X 100 CMMMSP

8 MORTE MATERNA DECLARADA CMMMSP

9 MORTE MATERNA SUBNOTIFICADA (aborto provocado por manipulação) CMMMSP

10 1953 casos diretos ou indiretos 1165 casos declarados 788 casos não declarados SUB-NOTIFICAÇÃO DE 71,66% Comitê Central de Mortalidade Materna - PMSP MORTALIDADE MATERNA NA CIDADE DE SÃO PAULO a 2010

11 PERFIL DA MORTALIDADE MATERNA MUNDO

12

13 BRASIL PERFIL DA MORTALIDADE MATERNA

14 RMM=77,2 DATASUS - IDB, 2008

15 PERFIL DA MORTALIDADE MATERNA SÃO PAULO

16 casos mortes durante a gravidez, parto ou puerpério 1953 devido a causas diretas ou indiretas MORTALIDADE MATERNA CIDADE DE SÃO PAULO a 2010 CMMMSP

17 1.953 casos diretos ou indiretos 1000 diretos 953 indiretos Pré-Eclâmpsia/Eclâmpsia Hemorragias Abortos Infecção Puerperal Alterações Cardiovasculares Hipertensão Arterial Crônica Broncopneumonia Tromboembolia MORTALIDADE MATERNA CIDADE DE SÃO PAULO a 2010 CMMMSP

18 FLUXOGRAMA DE INVESTIGAÇÃO CMMMSP Declaração De Óbito (3500 a 4000/ano) Seleção dos casos 2300 descartados 1200 encaminhados cruzamento DNV X DO descartados confirmados visitas domiciliar, UBS, Ambulatório de AR e hospitalar descartados confirmados

19 CRUZAMENTO DO X DN Mulher em idade fértil com óbito em março/2010 MORTE MATERNA Óbito de gestante ou puérpera até 1(um) ano após o parto ou aborto Exemplo: Procura no banco do SINASC desde março/2009 mulheres que deram à luz a recém-nascidos vivos Nome da Mãe, Idade, Endereço CMMMSP

20 PESQUISA DO COMITÊ REGIONAL Mortes Maternas Declaradas Mortes Presumidas (Suspeitas serem Mortes Maternas ) - Investigação Domiciliar (Ficha de Investigação, Questionário Padrão, e Informações dos Familiares) - Investigação nas UBS e Ambulatórios de Alto Risco - Investigação Hospitalar (Estudo Completo do Prontuário) ۔ - Laudos do SVO e IML (Quando houverem) ۔ - Discussão do Caso - Evitável (Sim ou Não) - Classificação e Encaminhamento ao Comitê Central

21 FINALIDADES DO ESTUDO DA MORTALIDADE MATERNA Determinar a ocorrência de mortes maternas e as principais causas Estabelecer a Razão de Mortalidade Materna Conhecer as condições de saúde ofertadas a uma população Detectar falhas na atenção à saúde Traçar estratégias para a redução da morte materna CMMMSP

22 DIFICULDADES ENCONTRADAS Obtenção dos Laudos de Necropsia -Serviço de Verificação de Óbitos / IML -Outros Serviços de Necroscopia Morosidade no Retorno das Investigações ۔Dificuldade de Localização do Endereço Residencial Pesquisa do Prontuário Médico (falho) Preenchimento das Declarações de Óbito CMMMSP

23 SUGESTÕES DO COMITÊ MORTALIDADE MATERNA Planejamento Familiar Atendimento adequado à gestação normal Atendimento apropriado à gestação de alto risco -ambulatório de especialidades -atendimento prioritário (pré-natal e hospital) Melhoria de acesso e coerência na admissão Reativação e distribuição de leitos hospitalares CMMMSP

24 SUGESTÕES D O COMITÊ MORTALIDADE MATERNA Infra-estrutura Hospitalar adequada -Equipamentos -Profissionais capacitados -Bancos de Sangue -Controle rigoroso da Infecção Hospitalar -Reuniões anátomo-clínicas -Supervisão de preenchimento da Declaração de Óbito dados pessoais e causa mortis CMMMSP

25 SUGESTÕES DO COMITÊ MORTALIDADE MATERNA Criação de Comitês de Mortalidade Materna ۔intra-hospitalares (H.C., Sta. Casa, H.S.Paulo, S. Luiz) ۔Municipais e Estaduais (Alípio; Waldomiro; Cid. Tiradentes; Tide Setubal; Santa Marcelina) ۔outros municípios Intercâmbio de experiências Orientação técnica CMMMSP

26 COMITÊS DE MORTALIDADE MATERNA CMMMSP – 3535 casos – 100,0% 2006 – 3621 casos – 99,9% 2007 – 3583 casos – 100,0% 2008 – 3473 casos – 100,0% 2009 – 4720 casos – 99,9% Investigação:

27 SÉRIE HISTÓRICA DA MORTALIDADE MATERNA - MUNICÍPIO DE SÃO PAULO CMMMSP

28 RMM ANO LE MSP ,4 36, ,3 52, ,3 59, ,9 42, ,4 67,9 COORDENADORIA LESTE MÉDIA: 80,3 56,6

29 PERFIL TRIENAL CMMMSP

30 PERFIL TRIENAL CMMMSP

31 PERFIL TRIENAL CMMMSP

32 PERFIL TRIENAL CMMMSP

33 PERFIL TRIENAL CMMMSP

34 PERFIL TRIENAL CMMMSP

35 PERFIL TRIENAL CMMMSP

36 PERFIL TRIENAL CMMMSP

37 MORTALIDADE MATERNA CIDADE DE SÃO PAULO a 2010 PRINCIPAIS CAUSASRMM HIPERTENSÃO ARTERIAL12,6 HEMORRAGIAS 8,0 COMPLICAÇÕES DE ABORTO 5,3 CARDIOPATIAS 4,4 INFECÇÃO PUERPERAL 4,0 CMMMSP

38 PRINCIPAIS PATOLOGIAS COORDENADORIA LESTE (RMM 2007 a 2009) CMMMSP PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE MATERNA COLENOSDSUTOTAL HIPERTENSÃO ARTERIAL 6,817,513,79,014,512,6 COMPLICAÇÕES HEMORRÁGICAS 1,77,99,18,18,58,0 COMPLICAÇÕES DE ABORTO 5,11,76,35,64,15,2 CARDIOPATIAS 0,04,44,36,83,64,4 INFECÇÃO PUERPERAL 5,13,53,34,53,84,0 OUTRAS 15,421,924,321,119,224,0

39 PASSOS PARA REDUÇÃO Saúde Sexual e Reprodutiva Gestação Indesejada baixa aderência no pré-natal induz a aborto inseguro aumenta o stress HIPERTENSÃO propicia a violência doméstica causa baixo peso ao nascer aumenta a mortalidade materna CMMMSP

40 REDUÇÃO DE 7,9% 10 a 14-9,9 15 a 19-25,4 20 a 24-23,5 25 a 29-13,8 30 a 34-2,4 35 a 3910,2 40 a 4421,0 45 a 4911,2 TOTAL-13,4 REDUÇÃO DE 13,4% -20,3 -12,6 10 a 14-12,0 15 a 19-20,4 20 a 24-15,5 25 a 29-3,1 30 a 342,9 35 a 3912,2 40 a 4419,4 45 a 49-8,5 TOTAL-7,9 Saúde Sexual e Reprodutiva CMMMSP

41 PASSOS PARA REDUÇÃO Protocolos assistenciais Ácido acetilsalicílico 100mg/dia Coomarasamy A, 2003 Suplementação de cálcio 1,0 g/dia ( 1,0 g ao dia= 2 Comprimidos de 1250mg de Carbonato de cálcio ) Hofmeyr GJ, 2010 Controle semanal da PA (28-32 semanas) Pesquisa de proteinúria Ambulatórios de Alto Risco Ambulatórios de Especialidades CMMMSP

42 DOENÇAS HIPERTENSIVAS l HIPERTENSÃO ARTERIAL CRÔNICA (HAC): Hipertensão arterial prévia a gestação ou diagnosticada antes de 20 semanas HAC LEVE 90

43 DOENÇAS HIPERTENSIVAS l HIPERTENSÃO GESTACIONAL:- Elevação da pressão arterial (PA>140X90), após a 20ª semana de gestação em pacientes sem história prévia de hipertensão arterial e sem proteinúria Conduta:- Incentivar repouso DLE - Reduzir intervalo entre consultas (máximo sete dias) - Alertar sobre sintomas relacionados à hipertensão como cefaléia, distúrbios visuais ou dor epigástrica - Pesquisar proteinúria (fita) em todas as consultas PROTEINÚRIA POSITIVA: ENCAMINHAMENTO IMEDIATO AO PS DA MATERNIDADE DE REFERÊNCIA PARA ALTO RISCO

44 DOENÇAS HIPERTENSIVAS l PRÉ-ECLÂMPSIA:- Hipertensão gestacional associada a edema e proteinúria significativa (+ em fita ou 1,0 g em amostra isolada ou 300,00 mg em urina de 24horas), após a 20ª semana de gestação Formas de predição:- Até o momento, não há evidências de utilidade ou eficiência de algum teste para a predição de pré-eclampsia Prevenção secundária:- Além das drogas hipotensoras Uso de AAS em baixas doses (100 mg por dia) Cálcio 1,0 g/dia = 2 comprimidos de Carbonato de Cálcio EVITAR A ECLÂMPSIA

45 FATORES DE RISCO - Primigestas e Nulíparas - Primipaternidade - Idade materna > 40 anos - História familiar de Pré-eclâmpsia - Hipertensão Arterial Crônica - Obesidade (I.M.C. > 35) - Diabetes melito pré-existente - Gestação gemelar - Antecedentes pessoais de Pré-eclâmpsia grave ou Eclâmpsia ou HELLP Síndrome - Ausência de redução da PA no segundo trimestre da gravidez - Pressão Diastólica entre 80 e 89 mmHg na primeira consulta

46 INDICAÇÕES PRÉ-NATAL:- Ganho ponderal 1,5 – 2,5 – 3,0 – 6,0 Kg por consulta orientação nutricional aumenta risco para hipertensão ganho rápido 25/33 semanas (6Kg) orientação para verificar PA semanalmente entre semanas realizar pesquisa de proteinúria (se proteinúria + e HA enc. p/PS)

47 INDICAÇÕES PRÉ-NATAL:- Ácido Acetilsalicílico 100 mg/dia Suplementação de cálcio (1,0 g ao dia = 2 comprimidos de 1250mg de Carbonato de cálcio) MEDICAÇÃO ANTI-HIPERTENSIVA Trocar Captopril por Metildopa (pelo menos 750 mg/dia /em 3 doses) Opções Nifedipino 10 a 80 mg/dia Anlodipino 5 a 20 mg/dia Pindolol 5 a 30 mg/dia

48 CRITÉRIOS DE GRAVIDADE: l PA> ou = a 160 x 110 mmHg l Proteinúria > 2g/24h l Creatinina plasmática > 1,2 l Plaquetas < 100 mil. l Elevação de transaminases l Sintomas cerebrais l Dor epigástrica CONDUTA:- ENCAMINHAMENTO IMEDIATO AO PS DA MATERNIDADE DE REFERÊNCIA PARA ALTO RISCO

49 INDICAÇÕES ATENDIMENTO HOSPITALAR: Medicada com benzodiazepínico X Crise convulsiva auto-limitante Introduzir Sulfato de Magnésio Introduzir Hidralazina Intervenção cirúrgica de emergência X Raquianestesia Agrava a morbi-mortalidade Exames de controle Estabilização clínica CMMMSP

50 OBSERVAÇÕES ATENDIMENTO HOSPITALAR: Término da cesárea Queda natural da PA (raqui) Encaminhamento para enfermaria Controle adequado de dados vitais Controle adequado de sangramento Evitar alerta tardio para a equipe médica CMMMSP

51 ATENÇÃO ATENDIMENTO HOSPITALAR: Coagulopatia Descompensação hemodinâmica Choque ÓBITO CMMMSP

52 PRINCIPAIS CAUSAS DE ÓBITOS ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL 45,1 % dos óbitos maternos Sulfato de Magnésio previne convulsão Hidralazina reduz a incidência de picos hipertensivos CMMMSP

53 PRINCIPAIS CAUSAS DE ÓBITOS EDEMA AGUDO DE PULMÃO 27,5 % dos óbitos maternos redução da pressão coloidosmótica infusão inadequada de cristalóides perdas sanguíneas aumentadas CMMMSP

54 PRINCIPAIS CAUSAS DE ÓBITOS COAGULOPATIAS E HELLP 16,6 % dos óbitos maternos medidas inadequadas para redução da pressão arterial sangramentos anômalos CMMMSP

55 IMPACTO DA H1N1 NA MORTE MATERNA IMPACTO DA H1N1 NA MORTE MATERNA H1N l JAN l FEV l MAR l ABR l MAI l JUN l JUL l AGO l SET l OUT l NOV l DEZ l TOTAL CMMMSP

56 IMPACTO DA H1N1 NA MORTE MATERNA IMPACTO DA H1N1 NA MORTE MATERNA CMMMSP

57 RMM POR PATOLOGIA CMMMSP

58 RMM POR PATOLOGIA CMMMSP

59 RMM POR PATOLOGIA CMMMSP

60 RMM POR PATOLOGIA CMMMSP

61 RMM POR PATOLOGIA CMMMSP

62 Obrigado


Carregar ppt "MORTALIDADE MATERNA COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE DRA.SÔNIA ANTONINI COORDENADORA CRS-LESTE DR.PAULO AFONSO FERRIGNO MARCUS ASSESSOR TÉCNICO CRS-LESTE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google