A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Secretaria da Saúde Setembro de 2011 PROGRAMA ESTADUAL DE DST/HIV/AIDS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Secretaria da Saúde Setembro de 2011 PROGRAMA ESTADUAL DE DST/HIV/AIDS."— Transcrição da apresentação:

1 Secretaria da Saúde Setembro de 2011 PROGRAMA ESTADUAL DE DST/HIV/AIDS

2 Sífilis Mesmo conhecida pela humanidade há vários séculos, a sífilis continua como um crescente desafio, sendo considerada até os dias de hoje como um sério problema de saúde pública. Apesar de nos dias de hoje a terapêutica medicamentosa ser eficaz e ter relativa facilidade para o seu diagnóstico, controle e prevenção, ainda apresentam alta incidência e prevalência.

3 Sífilis No Brasil, estima-se que 3,5% das gestantes sejam portadoras desta doença, havendo um risco de transmissão vertical do treponema ao redor de 50% a 80% e taxas de mortalidade perinatal de até 40%.

4 Sífilis Congênita A sífilis congênita é mais uma das doenças de grave repercussão sobre o feto. O diagnóstico e tratamento oportunos evitam transtornos gravíssimos como o óbito, deformidades em ossos e dentes, problemas respiratórios e pneumonias, retardo mental, surdez e lesões cutâneas graves.

5 Sífilis Congênita

6 Problema importante de saúde pública Reflexo da dificuldade de controle da SÍFILIS ADQUIRIDA Considerada evento marcador da qualidade da assistência pré-natal

7 Solicitação rotineira e obrigatória de, no mínimo, dois testes sorológicos para o diagnóstico na assistência prénatal: no primeiro trimestre (idealmente na primeira consulta) e no terceiro trimestre (aproximadamente na 28a semana). Em caso de falha da vigilância sorológica ou situações de elevado risco, torna-se fundamental o conhecimento da sorologia da mãe no momento do parto.

8 Sífilis Congênita Agente etiológico (Treponema Pallidum) conhecido desde Exame de triagem disponível na rede pública tecnologia simples e baixo custo Tratamento eficaz Penicilina (sem relato de resistência à droga) (apenas 16,6% são tratados)Tratamento da mãe só é adequado se o parceiro for tratado (apenas 16,6% são tratados) A Bahia ainda não conseguiu controlar a doença!

9 Incidência de Sífilis Congênita por NV. Bahia, 2000 a 2009 Fonte: SINAN/DIVEP/PE DST/HIV/Aids

10 A partir de 1986, O Ministério da Saúde, ciente dos riscos perinatais e da magnitude da sífilis gestacional e congênita, tornou compulsória a notificação da sífilis congênita; Em 1995, o MS e OPAS assumem compromisso para elaboração do Plano de Ação visando à eliminação da sífilis congênita até o ano de 2000, definindo como meta um coeficiente de incidência de até 0,5 caso por nascidos vivos;

11 Em 1997, visando a adequar essas metas à política nacional de controle, o MS passou a considerar que o registro de 1 caso por nascidos vivos representava a meta de eliminação da sífilis congênita.

12 O objetivo é que o homem também se engaje no pré-natal, faça o exame que detecta a sífilis e se necessário inicie o tratamento em um centro de saúde.

13

14 Em 2007, para dar visibilidade a Sífilis, através da Lei 228/2007, foi instituído O Dia Nacional de Combate a Sífilis e a Sífilis Congênita, comemorado no terceiro sábado do mês de outubro a cada ano.

15 Principais problemas: Dificuldades dos profissionais da AB para fazer a medicação (choque anafilático 1/7,5 milhões); Risco benefício: falta de tratamento X choque; Articular a Atenção Básica; Articular a VE para seguimento dos casos.

16 Obrigada!


Carregar ppt "Secretaria da Saúde Setembro de 2011 PROGRAMA ESTADUAL DE DST/HIV/AIDS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google