A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A retórica clássica classificou pelo menos três raciocínios discursivos específicos que permeavam a produção da persuasão, na condução das idéias e opiniões.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A retórica clássica classificou pelo menos três raciocínios discursivos específicos que permeavam a produção da persuasão, na condução das idéias e opiniões."— Transcrição da apresentação:

1

2 A retórica clássica classificou pelo menos três raciocínios discursivos específicos que permeavam a produção da persuasão, na condução das idéias e opiniões (Citelli, 2004): Apodítico Dialético Retórico

3 Raciocínio Apodítico Carrega o tom de uma verdade inquestionável. A argumentação é fechada, não deixando sequer margem para contestar-se a verdade do emissor. Normalmente, usa-se o verbo no infinitivo.

4 Ex: Zupavitin, a sopa que emagrece 1 quilo por dia. Raciocínio implícito: se você quer emagrecer, deve tomar Zupavitin.

5 Raciocínio Dialético Busca quebrar a inflexibilidade do raciocínio apodítico, apontando para uma conclusão possível, mas sendo, na realidade, uma forma de direcionar o raciocínio para uma conclusão ser mais possível do que outra. A argumentação é meio fechada e meio aberta. O enunciado já contém a verdade final desejada pelo emissor.

6 Ex: Você poderia comprar várias marcas de sabão em pó. Mas há uma que lava mais branco. Raciocínio implícito: se você desejar ter roupas mais limpas e bonitas, deve comprar o meu produto.

7 Raciocínio Retórico Assemelha-se ao raciocínio dialético, mas, diferentemente deste, busca uma adesão menos racional, e mais emocional. Sua argumentação também é meio fechada e meio aberta.

8 Ex: No Dia das Mães, não se esqueça de passar na H.Stern. Afinal, quem mais do que a sua mãe para merecer um presente desses?. Raciocínio implícito: sendo a sua mãe um ser único, que você ama, sendo ela uma jóia rara, nada melhor do que presenteá-la com outra raridade: um produto H.Stern.

9 Falácia é o termo com que os escolásticos indicaram o silogismo sofístico de Aristóteles. Segundo Pedro Hispano, é a idoneidade fazendo crer que é aquilo que não é, mediante alguma visão fantástica, ou seja, aparência sem essência.

10

11 Inversão do acidente Tomar uma exceção como regra. Ex.: Se deixarmos os doentes terminais usarem heroína, devemos deixar todos usá-la.

12 Acidente Quando se considera essencial o que é apenas acidental. Ex.: A maior parte dos políticos é corrupta. Então a política é corrupta.

13 Ambiguidade Ocorre quando as premissas usadas no argumento são ambíguas devido à má elaboração sintática. Ex.: Venceu o Brasil a Argentina. Ele levou o pai ao médico em seu carro. Quem venceu? Que carro?

14 Apelo à autoridade anônima Fazer afirmações recorrendo a autoridades sem citar a fonte. Ex.: Os peritos dizem que a melhor maneira de prevenir uma guerra nuclear é estar preparado para ela. Que peritos?

15 Concatenação Elaborar uma sucessão de premissas e conclusões que conduzem ao absurdo. Ex.: Se aprovarmos leis contra as armas automáticas, não demorará muito até aprovarmos leis contra todas as armas e então começaremos a restringir todos os nossos direitos. Acabaremos por viver num estado totalitário. Portanto não devemos banir as armas automáticas.

16 Distorção de fatos Mascarar os verdadeiros fatos. Ex.: O segredo da minha força são os cabelos. É omissão de informação.

17 Falsa dicotomia (bifurcação) Também conhecida como falácia do branco e preto ou do falso dilema. Ocorre quando alguém apresenta uma situação com apenas duas alternativas, quando de fato outras alternativas existem ou podem existir. Ex.: Se você não está a favor de mim, então está contra mim.

18 Dedutivo – verdade universal = caso particular Indutivo – caso particular = verdade universal

19 É uma conexão de ideias, um raciocínio constituído de três proposições declarativas que se conectam de tal modo que a partir das duas primeiras, chamadas premissas, é possível deduzir uma conclusão.

20 Para que um silogismo seja válido, sua estrutura deve respeitar regras. Tais regras, em número de oito, permitem verificar a correção ou incorreção do silogismo. As quatro primeiras regras são relativas aos termos e as quatro últimas são relativas às premissas. São elas: Todo silogismo contém somente 3 termos: maior, médio e menor; Os termos da conclusão não podem ter extensão maior que os termos das premissas; O termo médio não pode entrar na conclusão; O termo médio deve ser universal ao menos uma vez; De duas premissas negativas, nada se conclui; De duas premissas afirmativas não pode haver conclusão negativa; A conclusão segue sempre a premissa mais fraca; De duas premissas particulares, nada se conclui.

21 Silogismos derivados são estruturas argumentativas que não seguem a forma rigorosa do silogismo típico mas que, mesmo assim são formas válidas.

22 Trata-se de um argumento em que uma ou mais proposições estão subentendidas. Por exemplo: Todo metal é corpo, logo o chumbo é corpo. Neste caso, fica subentendida a premissa "todo chumbo é metal". Passando para A forma silogística: Todo metal é corpo. Todo chumbo é metal. Todo chumbo é corpo. Mais um exemplo : Todo quadrúpede tem 4 patas. Logo, um cavalo é um quadrúpede. No dia-a-dia, usamos muitas formas como essa, pois as premissas faltantes são óbvias ou implícitas e repeti-las pode cansar os ouvintes. Contudo, é comum haver confusão justamente por causa de premissas faltantes.

23 O epiquerema é um argumento onde uma ou ambas as premissas apresentam a prova ou razão de ser do sujeito. Geralmente é acompanhada do termo porque ou algum equivalente. Por exemplo: O demente é irresponsável, porque não é livre. Ora, Pedro é demente, porque o exame médico revelou ser portador de paralisia geral progressiva. Logo, Pedro é irresponsável. No epiquerema sempre existe, pelo menos, uma proposição composta, sendo que uma das proposições simples é razão ou explicação da outra.

24 Silogismo 1 Deus ajuda quem cedo madruga Quem cedo madruga, dorme à tarde... Quem dorme à tarde, não dorme à noite... Quem não dorme à noite, sai na balada! Conclusão: Deus ajuda quem sai na balada!!!!!! Silogismo 2 Deus é amor. O amor é cego. Steve Wonder é cego. Logo, Steve Wonder é Deus. Silogismo 3 Disseram-me que eu sou ninguém. Ninguém é perfeito. Logo, eu sou perfeito. Mas só Deus é perfeito. Portanto, eu sou Deus. Se Steve Wonder é Deus, eu sou Steve Wonder!! Meu Deus, eu estou cego!!!


Carregar ppt "A retórica clássica classificou pelo menos três raciocínios discursivos específicos que permeavam a produção da persuasão, na condução das idéias e opiniões."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google