A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTORIA ORAL E MEMÓRIA JOSÉ MIGUEL ARIAS NETO DH/CDPH - UEL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTORIA ORAL E MEMÓRIA JOSÉ MIGUEL ARIAS NETO DH/CDPH - UEL."— Transcrição da apresentação:

1 HISTORIA ORAL E MEMÓRIA JOSÉ MIGUEL ARIAS NETO DH/CDPH - UEL

2 AULA 1 – BALANÇO DA METODOLOGIA E DA PRODUÇÃO DE HISTÓRIA ORAL História oral Disciplina – nova escrita da História, campo interdisciplinar Técnica de pesquisa – registro da informação, transcrição de fontes, constituição arquivo

3 Metodologia Construção de fontes/ documentos provocados Questões metodológicas sobre a constituição do conhecimento Tradição oral, memórias, identidades

4 História Oral Método Interdisciplinar – História, sociologia, antropologia, lingüística, psicologia, jornalismo.

5 50/60 - Os anos metódicos 1. Estudo das elites – Oral History Office ( Columbia University/ CPDOC) – Elites políticas 2. A Outra História – EUA, México, Europa, América Latina – excluídos, movimentos sociais – voz dos vencidos/dos sem história

6 Em comum: Crença realista – documento fala por si Preenchimento de lacunas – documentos escritos Ênfase nas técnicas (produção, transcrição e organização dos arquivos) Fontes complementares/ciência auxiliar –HISTÓRIA MILITANTE / PROJETOS SALVACIONISTAS

7 Discurso fundador: Heródoto como reação à descrença acadêmica à este tipo de historia oral Reações acadêmicas: –Conservadoras: descrédito da memória e do oral, ênfase nos documentos escritos –Não conservadoras: descrença no aspecto salvacionista e messiânico da História Oral

8 A longa construção do método Anos 70/80 – Estudos e aprofundamentos metodológicos e surgimento dos projetos universitários Memórias de grupos, classes populares, memória judaica – Shoa ( holocausto) Eventos internacionais, periódicos especializados – criação de uma comunidade internacional História Oral

9 ANOS 90 – Mundo de sons e oralidades Queda do Muro/Democracias no Leste Democracias na América Latina Gravadores- Vídeos Memória como produtora de representações e e reveladora de mentalidades

10 História Oral no Brasil CPDOC/FGV UEL UFSC -Atualmente amplamente reconhecida -Associação Brasileira de História Oral - ABHO -Revista História Oral da ABHO -NEHO – Núcleo de Estudos em História Oral

11 História do Tempo Presente II Guerra Mundial Grupos Sociais: mulheres, operários,analfabetos Fenômenos migratórios

12 Arquivos sonoros História oral Fontes orais

13 DESAFIOS Tecnologias Depoimento usado fora do contexto de produção Articulação dos diversos projetos: pesquisa, complementação de documentação, pedagogos, jornalistas – acontecimento, busca de identidades Descobrimento dos analfabetos Memórias traumáticas: holocausto, guerras, regimes totalitários, campos de extermínio

14 Memória Fixação do acontecimento ( Platão) Evocação do passado – memória – sonho ( Bergson) Memória reconstrução: dialética do passado e do presente / dupla seletividade Memória – coletiva/ linguagem expressa convenções sociais do grupo (Halbwachs)

15 Memória - História Relações dialéticas: Monumentalização / desconstrução dos Mitos ou visões hegemônicas da historiografia e da memória ( Le Gof)

16 Historia Oral como método Problemática de pesquisa Tipos de entrevistas: historias de vida, semi- estruturadas Transcrição ou transcriação Arquivo Análise Conhecimento histórico

17 Bibliografia Geral ANTONACCI, Maria Antonieta & PERELMUTTER, Daisy. Ética e história oral. Projeto História São Paulo, n 15, BERTAUX, D. Lapproche biographique: sa validité méthodologique, ses potentialités. Cahiers Internationaux de Sociologie. LXIX. Paris: PUF, 1980, p BOSI, E.. Memória e sociedade. Lembranças de velhos. 3ª ed., São Paulo, Cia. das Letras, DELGADO, Lucília de Almeida Neves. História oral: memória, tempo, identidades. Belo Horizonte: Autentica, FERREIRA, M.M. (org.). História Oral e Multidisciplinaridade. Rio de Janeiro: Diadorim/FINEP, ____________________. Entre-vistas: abordagens e usos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da FGV, ____________________ & AMADO, Janaina. Usos & abusos da História Oral. 2 ed. Rio de Janeiro: Editora da FGV, GAGNON, N. & HAMELIN, J. Lhistoire orale. Québec: Edisem, HALBWACHS, M. La mémoire collective. Paris: PUF, JANOTTI, M.L.M. & ROSA, Z.P. História oral: uma utopia? Revista Brasileira de História. São Paulo, v 13, n 25/26, p. 7-16, set/92-ago/93. LEFORT, C. As formas da História. São Paulo: Brasiliense, MEIHY, J.C.S.B. Definindo História Oral e Memória. Cadernos CERU. São Paulo, n 5, série 2, p , _____________. Manual de história oral. 5ª ed., São Paulo, Loyola, NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo, n 10, p.7-28, dezembro/93. QUEIROZ, Maria Isaura P. Variações sobre a técnica de gravador no registro da informação viva. São Paulo: T.A.Queiroz, RICOEUR, P. Remarques dun philosophe. In: INSTITUT DHISTOIRE DU TEMPS PRÉSENT. Écrire lhistoire du temps présent. Paris: CNRS, 1992, p THOMPSON, Paul. História Oral: a voz do passado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.


Carregar ppt "HISTORIA ORAL E MEMÓRIA JOSÉ MIGUEL ARIAS NETO DH/CDPH - UEL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google