A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema Endócrino Anatomia II. Metabolismo São os processos (reações químicas) que acontecem dentro das células dos organismos vivos, para que eles transformem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema Endócrino Anatomia II. Metabolismo São os processos (reações químicas) que acontecem dentro das células dos organismos vivos, para que eles transformem."— Transcrição da apresentação:

1 Sistema Endócrino Anatomia II

2 Metabolismo São os processos (reações químicas) que acontecem dentro das células dos organismos vivos, para que eles transformem energia, conservem sua identidade e se reproduzam. Nestes processos metabólicos, as substâncias são transformadas em: - energia útil; - calor; - sintese de novos compostos vitais para a célula.

3 Metabolismo É o equilíbrio entre o anabolismo e o catabolismo. Anabolismo : é o conjunto de transformações químicas que tem como consequência a sintese e incorporação de novas moléculas no organismo visando a construção e reparação das estruturas celulares. (gravidez, lactação, aumento da massa muscular, crecimento) Catabolismo : é o processo pelo qual as moléculas dos nutrientes são degradadas liberando energia para o organismo. Os produtos da degradação são chamados metabólitos e são eliminados posteriormente. (doenças, velhice, estresse, desnutrição, tabagismo)

4 Sistema Endócrino As glândulas endócrinas e seus hormônios, juntamente com o sistema nervoso, coordenam a atividade sincronizada entre os vários sistemas do corpo humano (digestivo, circulatório, respiratório…). O sistema endócrino nada mais é do que um conjunto de órgãos e estruturas, capazes de produzir hormônios. - Hormônios: Substâncias químicas produzidas pelas glândulas endócrinas, ou até mesmo por células isoladas, que quando lançadas no sangue, agirão a distância, inibindo ou estimulando a função de certos órgãos-alvos. Estes hormônios atuam sobre estruturas especializadas e especificas na membrana, chamadas de receptores químicos de membrana.

5 Sitema de glândulas endócrinas Glândulas endócrinas } líquido intersticial (sangue) (hormônios) Glândulas exócrinas } ductos (secreções) Endócrinas: hipófise tireóide paratireóide supra-renal pineal órgãos e tecidos (próxima lâmina)

6 Órgãos e tecidos Hipotálamo Rins Ovários / testículos Pâncreas (ilhotas pancreáticas) (pâncreas endócrino) Fígado Intestino delgado Pele Estômago Coração Tecido Adiposo Placenta Timo

7 Ação Hormonal As células alvo e os receptores específicos. - base em ciclos alostéricos. De a receptores. Química dos hormônios: solúveis em: - água (dependentes de um 2 o mensageiro) - gorduras (lipídeos) – solúveis na membrana celular. - esteróides (derivados do colesterol) - tireóideus (T3 e T4- formados pela fixação de átomos de iodo ao aminoácido tirosina) - óxido nítrico (gás - funciona como hormônio e neurotransmissor) *Alguns hormônios agem em segundos enquanto outros podem requerer vários dias para começar a agir.

8 Classificação dos hormônios Proteínas e polipeptídeos: insulina, glucagon, hormônio folículo estimulante (FSH). Derivados de aminoácidos: tiroxina e adrenalina. Derivados de esteróides e ácidos graxos: progesterona, estradiol, testosterona.

9 Hipotálamo e Hipófise Hipotálamo: região do encéfalo que é o elo entre o SNC e as glândulas endócrinas. Secreta pelo menos nove hormônios. Hipófise: - tem o tamanho de um grão de uva. - tem dois lobos: -anterior - adeno- hipófise -posterior – menor - neuro-hipófise

10 Hipófise É uma glândula de forma ovóide com diâmetro aproximado de 1cm e localiza-se numa pequena cavidade do osso esfenóide (cela turca) na parte central da base do crânio. Esta ligada ao hipotálamo através de um pedúnculo fino denominado tratoipofisário, imediatamente atrás do quiasma óptico. A hipófise dos mamíferos é constituída de duas porções ou lóbos - o lobo anterior ou adeno-hipófise e o lobo posterior ou neuro-hipófise. A primeira porção origina- se a partir do epitélio do céu da boca. A porção posterior tem origem no sistema nervoso e não produz hormônios - apenas armazena e lança na circulação os hormônios produzidos pelo Hipotálamo.

11 Hormônios da Adeno-hipófise Hormônio do crescimento humano e fatores de crescimento semelhantes à insulina. Hormônio estimulante da tireóide. Hormônio folículo-estimulante. Hormônio luteinizante. Prolactina. Hormônio adrenocorticotrófico. Hormônio melanócito-estimulante. Hormônios da Neuro-hipófise (apenas armazena e libera. Vem do hipotálamo) Ocitocina. Hormônio antidiurético (vasopressina)

12 Hormônios da hipófise TRH - hormônio liberador de tireotrofina (do hipotálamo) TSH- hormônio tireotrófico; ACTH- adrenocorticotrófico ; LH- luteinizante (ovulação/testosterona); FSH- folículo-estimulante (ovulação/espermatozóides); GH- Somatotrofina. Crescimento; MSH- melanotrófico. Produção de melanina; Prolactina- desenvolvimento das mamas e leite; Ocitocina- contrações do útero e músculos da mama; ADH- antidiurético. Reabsorção de água.

13 Tireóide Estrutura: em forma de borboleta localizado abaixo da laringe. Composta pelos lobos direito e esquerdo, um em cada lado da traquéia. Formação microscópica: sacos esféricos denominados folículos tireóideos: na sua parede produzem: tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3). Na parte central armazenam os hormônios. Um menor número de células entre os folículos chamadas parafoliculares produzem calcitonina.

14 Tireóide É uma glândula endócrina que pesa aproximadamente 30 gramas. A tiróide localiza-se sobre os primeiros anéis da Traquéia. Constituídos por tecido glandular endócrino e ligados por um istmo. tiroxina (T4) e a triidotironina (T3) A tiroxina (T4) e a triidotironina (T3) são liberadas na corrente sanguínea sob a estimulação de tirotrofina (TSH), hormônio produzido pela adenoipófise. Em suma, a tirotrofina acelera a síntese dos hormônios da tireóide e sua liberação no sangue. calcitonina A maior parte da tireóide é formada por sacos esféricos (folículos tireóideos) que produzem os hormônios supra citados. Perifericamente a estes sacos um menor número de células (parafoliculares) produzem o hormônio calcitonina.

15 TIREÓIDE Tem papel fundamental no metabolismo, com seus hormônios respondendo por múltiplas funções orgânicas. A secreção insuficiente de hormônios resulta em hipotireoidismo, caracterizados principalmente por um retardo no metabolismo e uma diminuição no consumo de calorias (hipometabolismo) A secreção excessiva, conhecida por hipertireoidismo, provoca o oposto: o hipermetabolismo, com o aumento do consumo de calorias. Em ambas condições pode haver aumento do volume da glândula, chamado de bócio, que pode ser difuso ou focal (este último, pode ser sinal de tumor benigno ou maligno).

16 TIREÓIDE Hipotireoidismo : a causa mais comum é a carência de iodo na dieta. Pode se clínico ou subclínico. O subclínico caracteriza-se por apresentar níveis elevados de TSH (hormômio tireotrófico) da hipófise, e níveis normais de T4. É mais frequênte nos idosos do sexo feminino. Hipotireoidismo primário: defeito da tireóide (baixa de T3 e T4), Hipotireoidismo secundário: consequênte de problemas na hipófise. Hipotireoidismo terciário: problemas no hipotálamo (TRH)

17 TSH

18 Sintomas do Hipotireoidismo Ganho de peso. Fraqueza muscular, rigidez ou cãibras. Fadiga, falta de energia Inchaço ao redor dos olhos. Bradicardia. Constipação intestinal (diminuição do peristaltismo) Redução do rendimento intelectual Alternações na personalidade e/ou depressão. Pele áspera, seca e descamativa. Unhas e cabelos ásperos, secos e com falhas. Anemia. Dores articulares. Alterações genitais (distúrbios menstruais e impotência sexual). Maior sensibilidade ao frio. Maiores índices de colesterol.

19 TIREÓIDE Hipertireoidismo: é quando há produção excessiva de hormônios tireoidianos. A maior parte dos casos é causado pela doença de Graves (condição auto-imune onde desenvolvem-se anticorpos estimuladores da tireóide). Pode ocorrer o tipo iatrogênico causado pelo uso de medicações em doses erradas.

20 Sintomas do Hipertireoidismo Nervosimo, tremores, agitação motora e irritabilidade. Sudorese, intolerância ao calor. Transtornos do ritmo cardíaco. Insônia. Aumento do apetite. Pele quente, com textura fina e úmida. Raciocínio rápido, mas propenso a confusões mentais e precipitações. Aumento do colesterol.

21 Paratireóide São pequenas massas arredondadas de tec. glandular parcialmente encaixadas na face posterior da glândula tireóide. Cada uma tem em média 6 mm de diâmetro. Geralmente estão dentro da cápsula da tireóide, porém podem ser encontradas na caixa torácica, próximas aos pulmões. Geralmente estão fixadas uma superior e uma inferior. em cada lobo da tireóide. Sua secreção é o (PTH) hormônio paratireóideu (principal regulador dos níveis de cálcio, magnésio e fosfato no sangue).

22 Paratireóide O PTH Aumenta o número e a atividade dos osteoclastos que destróem a matriz óssea e liberam cálcio e fosfato para o sangue aumentando a calcemia (concentração normal de cálcio no sangue). Tem efeito oposto a calcitonina da tireóide que promove a absorção do cálcio pelos ossos, reduzindo a calcemia e aumentando a calcificação óssea. Produz tres alterações nos rins: - retarda a velocidade de perda do cálcio e magnésio. - aumenta a perda de fosfato na urina. - estimula a formação do hormônio calcitrol (forma ativa da vitamina D). Age no trato gastrintestinal aumentando a velocidade de absorção de cálcio, fosfato e magnésio dos alimentos para o sangue. * Feedback da caixa dágua.

23 Ilhotas pancreáticas O pâncreas é uma glândula endócrino/exócrina. Sua porção endócrina é exercida pelas ilhotas de Langerhans. Suas secreções endócrinas partem das: Células alfa que secretam glucagon e as células beta que secretam insulina. O Glucagon eleva os níveis de glicose no sangue agindo nas células do fígado, e a Insulina diminui os níveis de glicose no sangue. O pâncreas endócrino ainda contém: Somatostatina- (cél gama) controlam a ms. lisa do trato. Polipeptideo pancreático-(cél. PP) inibem a secreção exócrina do pâncreas. Gastrina:(cél. G) estimulam a produção de ác. clorídrico nas cél. parietais do estômago.

24 Pineal É uma pequena glândula endócrina fixada no teto do terceiro ventrículo do encéfalo, na linha mediana. Esta glândula secreta melatonina, durante a noite, contribuindo para o relógio biológico do organismo. Durante o sono, na escuridão, é liberada mais melatonina. Seus níveis diminuem com a idade. Durante o dia produz serotonina.

25 Hormônios de outras células endócrinas Timo: Timosina – Promove a maturação de células T(um tipo de glóbulo branco que destrói os microorganísmos e as substâncias estranhas- linfócitos T) e pode restaurar o processo de envelhecimento. Trato gastrintestinal: Gastrina – Promove a secreção de suco gástrico e aumenta os movimentos gástricos. Peptídio Insulinotrópico dependente de glicose – estimula as células pancreáticas a liberar insulina. Secretina – Estimula a secreção de suco pancreático e bile. Colecistoquinina – Estimula a secreção de suco pancreático, regula a liberação de bile e causa a sensação de plenitude pós-prandial. Rim: Eritropoietina – aumenta a taxa de produção de glóbulos vermelhos. Coração: Peptídio Natriurético Atrial – diminui a pressão sangüínea. Tecido adiposo: Leptina – suprime o apetite e pode aumentar a atividade do FSH e do LH. Placenta: Gonadotrofina coriônica - estimula o ovário a continuar a produção de estrógenos e progesterona durante a gravidez.


Carregar ppt "Sistema Endócrino Anatomia II. Metabolismo São os processos (reações químicas) que acontecem dentro das células dos organismos vivos, para que eles transformem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google