A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tecido Conjuntivo Ósseo. Tecido Conjuntivo / Funções Dar sustentação estrutural Servir de meio troca Ajudar a defesa e proteção do corpo Formar um local.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tecido Conjuntivo Ósseo. Tecido Conjuntivo / Funções Dar sustentação estrutural Servir de meio troca Ajudar a defesa e proteção do corpo Formar um local."— Transcrição da apresentação:

1 Tecido Conjuntivo Ósseo

2 Tecido Conjuntivo / Funções Dar sustentação estrutural Servir de meio troca Ajudar a defesa e proteção do corpo Formar um local de armazenamento de gordura.

3 Tipos de tecido conjuntivo propiamente dito 1- Frouxo (areolar) 2- Denso (modelado / não modelado) 3- Reticular 4- Adiposo

4 Frouxo: fibras dispostas froxamente e células dispersas incluídas numa substância fundamental gelatinosa. Denso: mais fibras e menos células. - não modelado: quando os feixes de fibras estão dispostos ao acaso. - modelado : Quando os feixes estão organizados. Podem ser divididos em colágeno e elástico. Reticular: O colágeno tipo III é o principal componente fibroso. Formam uma rede semelhante a malhas entremeadas com fibroblastos e macrófagos. Adiposo: Pode ser uni ou bilocular. Depósito de gordura.

5 Componentes do tecido conjuntivoFibroblastosMastó citosCélulasMacrofagosLeuco citosAdipocitosTecido ConjuntivoFibras ReticularesFibras ElásticasFibras ColágenasMaterial IntercelularSubstância Fundamental( Matriz Extracelular) Componentes do tecido conjuntivo Fibroblastos Mastócitos Macrófagos Leucócitos Adipocitos Células Tecido Conjuntivo propriamente dito Material Intercelular Fibras Reticulares Fibras Elásticas Fibras Colágenas Substância Fundamental ( Matriz Extracelular)

6 Tecidos conjuntivos especializados Osso Cartilagem Sangue

7 Tecido ósseo Principal constituinte do esqueleto. Suporte e proteção de órgãos intrernos vitais: Caixa torácica Caixa craniana Canal raquidiano Produção de células sanguíneas. Armazenamento de triglicerídeos (medula óssea amarela). Auxiliar nos movimentos. Homeostase mineral (cálcio e fósforo)- Armazena e libera minerais Sustentação. *O tecido ósseo não apresenta vasos linfáticos, apenas o tecido perióstico tem drenagem linfática.

8 Tecido ósseo Reservatório de sais minerais (cálcio, fosfato e outros íons) Tecido dinâmico remodelação permanente. Matriz rígida. É classico admitir 206 ossos. Muito vascularizado e com alto metabolísmo. Funções básicas: - suporte - sustentação - locomoção

9 Estrutura macroscópica Diáfise (grego, diaphisis = crescimento intercalar) Epífise (grego, ephifisis = crescimento sobre) Metáfise (lâmina epifisial) (grego, meta = mudança) Cartilagem epifisial- revestimento das epífises Periósteo (grego, peri = en torno de) Cavidade medular (latim, medula = parte central da estrutura) Medula óssea Medula óssea vermelha Onde se formam as células sangüíneas Medula óssea amarela Constituída de tecido adiposo Endósteo (grego, endo = dentro)

10 Estrutura microscópica Osteoblastos(grego, blasto = germe ou botão) Osteoclastos (grego, clastos = romper, quebrar) Osteócitos (grego, citos = células) Ósteons ou sistema de Havers - unidade do osso compacto Canais Haversianos -centrais e longitudinais ao osso Canais de Volkmann - canais perfurantes Lacunas (latim, lacuna = pequeno lago, falha) Lamelas concêntrica – anéis da matriz dura - no ósteon

11 Observações microscópicas Conforme o arranjo das fibras Osso primário, imaturo ou trabecular Desenvolvimento fetal Colágeno sem orientação Numerosos osteócitos Formam camadas concêntricas Sistema de Havers * fibras colágenas organizadas em lamelas de 3 a 7 µm de espessura orientadas paralelamente ou concentricamente umas as outras. Osso secundário, maduro ou lamelar Colágeno com orientação Lamelas concêntricas e paralelas Osteócitos, interior das lacunas, matriz calcificada Canais de Havers e de Volkmann O

12 Canais de Volkmann Canais transversais Não apresentam lamelas ósseas concêntricas. Unem os canais de Havers. Sistema lamelar circunferencial externo e interno Formam a região mais externa do osso e a parte mais interna, no canal medular.

13 Métodos de estudo Como sua composição é 50% orgânica e 50% mineralizada, pode-se estudar através de técnicas de desgaste e descalcificação. Para estudar a inorgânica desgaste. Para estudar a orgânica descalcificação com : ác. nítrico ác. fórmico ác. EDTA

14 DESMINERALIZADO

15 DESGASTADO

16 Tipos de tecido ósseo Quanto a morfologia - (básica): Longos - Osso compacto na diáfise - Osso espojoso nas epífises Curtos - Osso compacto na periferia - Esponjoso no centro Chatos - Duas camadas compactas. No meio osso esponjoso formando o diploe. morfologia - (secundária) Alongados, Pneumáticos e Irregulares Quanto a presença de cavidades: Compacto (cortical) - Sem cavidades visíveis Esponjoso (medular) - Com muitas cavidades intercomunicantes

17 Ossos Longos São aqueles em que o comprimento predomina sobre a largura e espessura. Os ossos longos apresentam uma escavação central que é o canal medular, onde se encontra a medula óssea. Os ossos longos são constituídos por um corpo (diáfise) e 2 extremidades (epífises). Exemplo: Fêmur. Ossos Curtos As 3 dimensões se eqüivalem, são ossos mais ou menos cúbicos. Exemplo: Ossos do Tarso Ossos Laminares (chatos) São osso finos, em que o comprimento e a largura predominam sobre a espessura. Exemplo: Parietal.

18 Ossos Alongados São ossos longos, porém achatados e não apresentam canal central. Exemplo: Costelas. Ossos Pneumáticos São osso ocos, com cavidades cheias de ar e revestidas por mucosa (seios), apresentando pequeno peso em relação ao seu volume. Exemplo: Esfenóide. Ossos Irregulares São aqueles que apresentam uma caracterização muito específica. Exemplo: Vértebras.

19 Sistemas lamelares : consistem em: * lamelas circunferenciais extenas e internas, ósteon (sistema de Havers) e lamelas intersticiais ou concêntricas. Endósteo : é uma membrana fina (unicelular) que reveste a cavidade medular.Pode conter medula amarela ou vermelha. Periósteo : formado por duas camadas: a) externa: fibras colágenas e fibroblastos. b) interna: células osteoprogenitoras e osteoblastos. Apresentação

20 Revestimento ósseo Periósteo Camada externa: colágeno tipoI Camada interna: celular e vascular. Áreas onde se rompe há necrose. *fibras de Scharpey. Endósteo Interno Reveste (forra) cavidades do osso esponjoso, canal medular, canais de Havers e de Volkmann

21 Células do osso Osteoprogenitoras Derivadas do mesênquima Osteoblastos Síntese de componentes orgânicos (osteóide = matriz não calcificada) Osteócitos Células maduras situadas dentro das lacunas Manutenção da matriz Osteoclastos Células gigantes multinucleadas Reabsorção da matriz óssea lacunas de howship

22 Osteoblastos ( do grego, blasto = germe ou botão) Localizados na periferia do osso num arranjo epitelióide. São responsáveis pela produção de matriz orgânica (proteoglicanas, glicoproteínas e colágeno tipo I) Sua forma é variável. Em atividade secretora podem se apresentar cúbicos ou cilíndricos, quando em repouso, pavimentosos.

23 Osteócitos (do grego, citos = células) São encontrados presos na matriz óssea com prolongamentos que permitem ligações celulares (canalículos). Diferentes do condrócito, não se dividem, existindo um apenas em cada lacuna. São achatados em forma de amendoa (semente de abóbora). Perderam a capacidade de formar osso.

24 Osteoclastos ( do grego, clastos = romper, quebrar) São células gigantes, ramificadas, multinucleadas (+- 50 núcleos) localizados na periferia do osso e originados de monócitos do sangue. Possuem inúmeros lisossomas. São estimulados pelo paratormônio.

25 Composição do osso Matriz óssea Componente orgânico (50%) Colágeno tipo I + proteoglicanas e glicoproteínas de adesão. Componente inorgânico (50%) - mineral Cálcio, fósforo, bicarbonato, magnésio, sódio, potássio, citrato. Hidroxiapatita Ca 10 (PO 4 ) 6 (OH) 2. * A associação destes compostos (colágeno+ hidroxiapatita) determinam a dureza do osso.

26 Estrutura do osso Observação macroscópica Osso compacto Osso denso da superfície externa. Osso esponjoso Porção porosa da cavidade medular Medula óssea (espaços intertrabeculares) Trabéculas (fibras colágenas mineralizadas)

27 trabéculas medula

28 Ossificação intramembranosa: Se desenvolve a partir de uma membrana de tecido conjuntivo. Células mesenquimais (osteoprogenitoras) se diferenciam em osteoblastos que iniciam a produção de matriz orgânica óssea, formando trabéculas de tecido ósseo. O tecido ósseo recém formado é chamado de primário ou entrelaçado. As superfícies trabeculares são povoadas de osteoblastos, podendo ser verificados osteoclastos presentes. Estes podem ser encontrados em depressões rasas chamadas lacunas de howship. (Ossos chatos do crânio). Osteogênese : células derivadas do mesênquima. Histogênese do osso

29 Histogênese do osso Ossificação intramembranosa (ossos chatos) Agrupamentos de células mesenquimais Células osteoprogenitoras Osteoblastos Ilhotas ósseas isoladas Remodelação Placas externasOsso trabecular Células Hematopoiéticas Medula óssea Vasos sangüíneos

30 Esquema de ossificação intramembranosa

31 Ossificação endocondral: a partir de um modelo cartilaginoso. Ossos curtos e longos. Basea-se num modelo cartilaginoso hialino utilizado como um molde sobre o qual o osso é formado. Um colar ósseo subperióstico é formado (através da ossificação intramembranosa) ao redor da região mediana da diáfise do modelo cartilaginoso. Este colar ósseo aumenta em espessura e comprimento. Osteogênese : células derivadas do mesênquima. Histogênese do osso

32 Histogênese do osso Ossificação endocondral Células mesenquimais Molde de cartilagem hialina Crescimento da cartilagem Depósito de cálcio na matriz Substituição da cartilagem mineralizada Osso trabecular Centro de ossificação primária Penetração de vasos sangüíneos Osteoblastos Depósito osteóide na diáfise

33 Ossificação endocondral: Ocorre sobre um modelo de tecido cartilaginoso (característica de ossos longos). A cartilagem somente persiste na cartilagem articular e no disco epifisiário. Cartilagem articular: É do tipo hialina encontrada na epífise dos ossos longos. Não apresenta pericôndrio, tendo condrócitos e matriz cartilaginosa. Disco epifisiário: constituído por um disco cartilaginoso não penetrado pelo osso em expansão e é responsável pelo crecimento longitudinal do osso. Se localiza entre a epífise e a diáfise desaparecendo entre os 18 e 20 anos.

34 osteócitos Disco epifisiário

35

36

37 Articulações Movimento Diartroses Permitem grandes movimentos Sinartroses Sinostoses: pouco ou nenhum movimento Tecido de união é o osso, crânio Sincondroses: pouco movimento Tecido de união é a cartilagem hialina, articulação da primeira costela e externo Sindesmoses: pouco movimento Tecido de união é tecido conjuntivo denso, sínfise pubiana

38 Diartrose

39 Reabsorção óssea osteoclasto

40 Reparação da fratura 1- Redução da fratura. 2- Imobilização: O coágulo vai para dentro da ferida/células osteoprogenitoras, macrófagos e vasos se apresentam. Forma-se um colar conjuntivo, após o osso primário + cartilagem formam o calo ósseo que posteriormente é reabsorvido.

41


Carregar ppt "Tecido Conjuntivo Ósseo. Tecido Conjuntivo / Funções Dar sustentação estrutural Servir de meio troca Ajudar a defesa e proteção do corpo Formar um local."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google