A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

[Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 1 - Planejamento do processo de automação Etapa 2 - Diagnóstico da situação atual Etapa 3 - Identificação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "[Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 1 - Planejamento do processo de automação Etapa 2 - Diagnóstico da situação atual Etapa 3 - Identificação."— Transcrição da apresentação:

1 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 1 - Planejamento do processo de automação Etapa 2 - Diagnóstico da situação atual Etapa 3 - Identificação de fornecedores Etapa 4 - Análise dos pré-requisitos Etapa 5 - Elaboração do Projeto de Automação Etapa 6 - Avaliação/Seleção de SABs Etapa 7 - Negociação contratual Etapa 8 - Implantação do sistema © Marcondes A metodologia proposta baseia-se em DEFINIR UM PARÂMETRO DE COMPARAÇÃO entre os diferentes produtos, os SABs a serem avaliados, o que é feito através do levantamento dos REQUISITOS FUNCIONAIS do SAB pretendido pela Biblioteca; e implementar um processo CONCORRENCIAL entre os fornecedores. A seguir estão as Etapas do processo de avaliação/seleção de SABs

2 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 1 - Planejamento do processo de automação esforço extra a ser desenvolvido pela biblioteca, além das atividades rotineiras Estrutura organizacional para conduzir o projeto de automação: formalização do Comitê de Automação pessoas recursos disponíveis © Marcondes

3 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 2 - Diagnóstico da situação atual Seu produto é o Documento de Diagnóstico, que deve conter: dados quantitativos da biblioteca: acervo discriminado por tipos de materiais, usuários, serviços, projeção destes dados, novas demandas; base tecnológica atual: analisar a base tecnológica atual da biblioteca e também da instituição a qual ela pertence, uma vez que podem haver padrões de tecnologia da informação já adotados e padronizados pela instituição que terão que ser seguidos e que CONDICIONAM o SAB a ser adquirido sistema atual (se houver), padrões utilizados, formato atual, quantidade de dados em meio legível por computador; infra- estrutura de ¨hardware¨/¨software¨ e comunicações – plataforma - equipamentos, sistemas operacionais, versões, redes, etc, participação da biblioteca em redes e sistemas e os padrões de tecnologia da informação utilizados por estes; problemas identificados © Marcondes

4 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 3 - Identificação de fornecedores Coleta de dados inicial sobre produtos e fornecedores, através de: contatos diretos, solicitação de ¨folders¨, visita a ¨sites¨ de fornecedores, artigos de periódicos ou trabalhos em congressos, visitas a bibliotecas que tem determinado sistema implantado. Procurar-se-á identificar para cada sistema analisado as seguintes informações: porte da biblioteca atendida pelo sistema, atende uma/várias bibliotecas, principais funcionalidades, padrões utilizados, infra-estrutura de ¨hardware¨/¨software¨ e comunicações – plataforma - requerida, necessidade de SGBDs de terceiros fornecedores, faixa de preços. Os dados de cada fornecedor devem ser registrados em fichas. Links para as páginas dos fornecedores podem ser encontrados AQUI. AQUI © Marcondes

5 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 3 - Identificação de fornecedores (cont...) Sugere-se agora, como forma de ilustrar e exercitar os conhecimentos adquiridos e de praticar COMO LEVANTAR E IDENTIFICAR as características técnicas dos SABs comercializados no mercado brasileiro, uma vista aos sites de alguns fornecedores, procurando identificar em cada site os seguintes dados: nome do produto, da empresa, endereço, telefone, e contato comercial atende uma/várias bibliotecas plataforma(s) de hardware / software necessária(s) o SAB é compatível com MARC é compatível com Z39.50 o SAB necessita de SGBDs de terceiros Fornecedores sugeridos: Aleph 500/Ex Libris : Argonauta/Datacoop : PHL/Infoarte : Sysbibli/Contempory : © Marcondes

6 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 4 - Análise dos pré-requisitos, onde devem ser avaliados cuidadosamente os seguintes itens: infra-estrutura de redes e computacional infra-estrutura de redes e computacional requerida pelos SABs que se têm em vista Identificação/especificação da infra-estrutura de redes e computacional necessária para o funcionamento dos SABs que se têm em vista, em termos de ¨hardware¨/¨software¨ básico, redes, comunicações, etc. Verificar até que ponto a instituição já conta com a infra-estrutura de redes e computacional requerida pelos SABs que se têm em vista Necessidade ou não de conversão retrospectiva (ver slide 86), sua complexidade e estratégia para sua realização; é claro que as decisões finais acerca da conversão retrospectiva só podem tomadas quando o SAB for decidido.ver slide 86 Necessidade/disponibilidade de suporte de informática ou parametrização/suporte/manutenção/treinamento Condições políticas © Marcondes

7 [Necessidade de suporte técnico de informática] Anteriormente, nos SABs primitivos, as POLÍTICAS de um biblioteca, por exemplo, quantos livros um usuário poderia tomar emprestados, estavam definidas diretamente no código dos programas dos primeiros SABs. O ambiente operacional de computação também era bem mais simples, na maioria das vezes UM ÚNICO computador, sem terminais ou interligações Hoje, ao contrário, o ambiente computacional onde funciona um SAB é complexo, redes, com vários componentes, que tem que trabalhar de forma integrada, interdependente e compatível, como já foi visto. Os SABs, como produtos genéricos, também tem que ser flexíveis e se adaptarem a políticas de diferentes bibliotecas. Por isto, estas políticas não estão mais rigidamente inscritas na codificação dos programas que formam o SAB, mas sim gravadas num arquivo, o ARQUIVO DE PARÂMETROS, presente em praticamente todos os SABS e para o qual existem programas que permitem ALTERAR FACILMENTE ESTES PARÂMETROS, como se alteram registros de uma base de dados de um cadastro de usuários, por exemplo © Marcondes

8 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 5 - Elaboração do Projeto de Automação Tem como objetivo dimensionar o esforço requerido para a implantação do SAB na biblioteca, seus custos e prazo de execução. Será submetido à direção da instituição a qual pertence a biblioteca ou a uma agência de fomento, a fim de obter os recursos necessários. Pode ter a seguinte estrutura 1.diagnóstico da situação atual, já desenvolvido anteriormente (incluir o Documento de Diagnóstico); 2. objetivos da biblioteca com a automação; 3.infra-estrutura de ¨hardware¨/¨software¨ e comunicações requerida especificada e dimensionada; 4. levantamento e definição dos requisitos funcionais básicos do sistema pretendido, custos estimados do projeto; 5. cronograma de implantação do projeto. 6.orçamento e cronograma de desembolso © Marcondes

9 [Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 6 - Avaliação/Seleção de SABs Tem como objetivo levantar os REQUISITOS FUNCIONAIS do SAB desejado para a Biblioteca, que servirá de parâmetro de comparação com os produtos disponíveis no mercado e de comparar e avaliar os REQUISITOS FUNCIONAIS com os produtos disponíveis no mercado elaboração dos REQUISITOS FUNCIONAIS inclusão dos Requisitos Funcionais no documento REQUISIÇÃO POR PROPOSTAS distribuição do documentos REQUISIÇÂO POR PROPOSTAS entre os fornecedores candidatos, identificados anteriormente (veja a relação de sites dos fornecedores atuantes no mercado brasileiro)veja a relação de sites dos fornecedores atuantes no mercado brasileiro avaliação/pontuação dos SABs com base nas REQUISIÇÕES POR PROPOSTAS preenchidas pelos fornecedores © Marcondes

10 [ Etapas- Modelo do documento REQUISIÇÃO POR PROPOSTAS ] Tem como objetivo unificar as propostas dos diferentes fornecedores, criando critérios comuns que permitirão a comparação objetiva entre os diferentes produtos. Deve constar das seguintes partes: Identificação da Biblioteca e da instituição a que pertence Objetivos da Requisição de Propostas Orientação aos fornecedores: questões como Formato da Proposta, numeração das seções, número de vias Cronograma do processo de avaliação/seleção, datas e tempo para as apresentações das propostas e demonstrações práticas, locais de entrega de propostas Contatos com o comitê de automação Critérios essenciais de elegibilidade dos fornecedores, por exemplo, disporem de escritório na localidade onde se situa a biblioteca © Marcondes

11 [ Etapas- Modelo do documento REQUISIÇÃO POR PROPOSTAS ] Diagnóstico da situação da Biblioteca - já produzido anteriormente e incorporado aqui Objetivos com a automação - já estabelecidos anteriormente infra-estrutura de redes e computaciona já existente na instituição. Requisitos de ¨hardware¨/¨software¨/comunicações - diretrizes da biblioteca ou da instituição a qual ela pertence, padrões de tecnologia da informação já adotados pela instituição ou que se pretende adotar e que condicionam a escolha do SAB; infra-estrutura de redes e computaciona já existente na instituição. Padrões bibliográficos a serem atendidos, por exemplo, compatibilidade com MARC, com Z39.50 Perfil Técnico/Funcional do Sistema: a lista estruturada do REQUISITOS FUNCIONAIS do SAB pretendido pela biblioteca !!! Vários exemplos de REQUISIÇÕES POR PROPOSTAS e planos para automação de bibliotecas (em inglês) podem se encontrados em Integrated Library System Reports !!! Vale a pena consultar.Integrated Library System Reports © Marcondes

12 [ A questão do software livre ] O software livre é uma realidade em diversas áreas, inclusive a de automação de bibliotecas Existem várias opções de software livre para automação de bibliotecas, como o brasileiro GNuteca, ou os programas da família ISIS, distribuídos gratuitamente pela UNESCO, como o WinISIS ou o ISIS-MARC GNutecaWinISISISIS-MARC O profissional de informação que esta à frente de um processo decisório de implantação de um SAB deve estar consciente dos riscos envolvidos na adoção de software livre. O principal risco é que o software livre tem geralmente um suporte PRECÁRIO. Ele só se torna uma opção viável quando a instituição conta suporte de informática ou especialistas com conhecimento na implantação e manutençao destes software. Neste caso é possível se montar um sistema completo de automação de bibliotecas baseado em software livre, a um custo bastante baixo.. De qualquer maneira, software livres como o WinISIS podem ser um início de automação barato para uma biblioteca. Pode-se optar também por utilizar software básico livre, como o sistema operacional LINUX, nos servidores da biblioteca e utilizar uma opção de versão para LINUX de um SAB comprado, compatível com este sistema operacional, como existem várias. © Marcondes

13 [ Etapas- Para que serve o documento REQUISIÇÃO POR PROPOSTAS ] © Marcondes Requisitos funcionais próximo + longe +++ longe SAB A SAB B SAB C

14 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Lista estruturada de Requisitos Funcionais, configurando o Perfil Técnico/Funcional do SAB pretendido para a biblioteca. A lista de Requisitos Funcionais DESCREVE TECNICAMENTE o SAB desejado pela Biblioteca organizada hierarquicamente a partir das FUNÇÕES DE UMA BIBLIOTECA cada Requisito Técnico-funcional deve descrever UMA característica técnica objetiva, verificável, de um SAB, como Menus e telas em português ou Leitura de etiquetas de códigos de barra na avaliação de um SAB, a cada Requisito Técnico-funcional deve ser atribuído um peso, representando a importância do Requisito para a Biblioteca na avaliação de um específico SAB, deve ser atribuída uma PONTUAÇÃO para aquele SAB naquele requisito, que permitirá, ao fim da avaliação, atribuir uma NOTA a cada SAB sendo avaliado © Marcondes

15 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Um Requisito Funcional descreve uma função de um SAB em termos de O QUE esta função faz, não COMO ela é feita. O QUE é a preocupação do usuário do SAB COMO é problema do fabricante Ex: Catalogação segundo os campos e regras do formato MARC (O QUE) - usa um SGBD modelo cliente-servidor, com o formulário para registro dos campos MARC programados em linguagem C (COMO – não interessa) Lista estruturada de Requisitos Funcionais funciona como se fosse uma CAIXA-PRETA; não se sabe como funciona internamente, mas se sabe o que ela faz! © Marcondes

16 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] FUNÇÕES DE UMA BIBLIOTECA Função Desenvolvimento de Coleções Função Registro/Catalogação Função Disseminação de Informações Função Gerência de periódicos Função Gerenciamento/administração/estatísticas Função Expansibilidade/customização do sistema © Marcondes A seguir é sugerida uma lista de REQUISITOS FUNCIONAIS, que pode ser tomada como base pela biblioteca no todo, em parte ou acrescentando seus próprios requisitos funcionais especiais

17 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Desenvolvimento de Coleções Subfunção Seleção ecanismo para registro de sugestões pelos usuários on-line, constituindo uma base de dados processável e integrada a outros módulos como Seleção e Aquisição Emissão de relatórios estatísticos da base de dados de sugestões Subfunção Aquisição de material bibliográfico Manutenção de cadastro de fornecedores Importação de listas de fornecedores em formato legível por computador Elaboração de pedidos de compra; emissão de faturas a partir dos pedidos de compra Emissão de carta de aviso aos usuários sobre itens sugeridos e adquiridos Geração de estatísticas das aquisições © Marcondes

18 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Registro/Catalogação Subfunção Registro Transferência direta dos dados do material adquirido como uma pré- catalogação Registro do material adquirido Subfunção Catalogação Catalogação segundo os campos e regras do formato MARC Copiar e colar registros MARC capturados da Web Validação dos registros e campos em obrigatórios, opcionais ou condicionalmente obrigatórios Regras de transcrição de campos - caracteres maiúsculos, minúsculos - abreviaturas Verificação do conteúdo de campos digitados contra listas de valores permitidos, de autoridades ou Tesauros © Marcondes

19 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Registro/Catalogação - cont Cópia/edição de registros Fixação de valores de campos default, temporários e permanentes Suporte a campos de tipo hiperlink, para possibilitar referenciar recursos Internet Controle/detecção de registros duplicados Geração de estatísticas do trabalho de catalogação Subfunção Tombamento do material adquirido Preparação/etiquetagem © Marcondes

20 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Disseminação de Informações Suporte e múltiplas localizações, para atender por exemplos sistemas de bibliotecas universitárias com várias bibliotecas espalhadas pelo campus Subfunção Circulação Manutenção de cadastro de usuários: inclusão, exclusão, alteração, listagem Identificação de usuários e obras através de código de barras Classificação de usuários segundo tipos, permitindo direitos diferenciados em relação à circulação – prazos de empréstimos, número de exemplares que pode tomar emprestado, tipos de materiais que podem ser tomados emprestados, etc. Classificação de obras segundo tipos, permitindo possibilidades diferenciadas em relação à circulação – não emprestadas, prazos de empréstimos diferenciados, empréstimo permanente, tipos de usuários que podem tomar emprestados, etc. Registro das transações de empréstimos Consultas a situação de um usuário e de uma obra © Marcondes

21 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Disseminação de Informações - cont Empréstimos tipo sala de leitura Possibilidade de aplicação de penas aos usuários como multas e suspensões Estatísticas dos empréstimos Emissão de cartas de cobrança Possibilidade de enviar a partir do programa de circulação mensagens de correio eletrônico aos usuários Subfunção Comutação bibliográfica/empréstimo entre bibliotecas Estatísticas de solicitações e atendimento de empréstimos entre bibliotecas Subfunção de geração de produtos impressos Emissão de fichas catalográficas segundo padrão AACR2 Emissão de etiquetas de lombada, de bolso com código de barras Emissão de listagens para apoio ao inventário © Marcondes

22 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Disseminação de Informações - cont Subfunção Disseminação de catálogo em linha /Catálogos de Acesso Público Via Internet, geração de respostas à consultas em formato HTML Possibilidade de consultar/percorrer Tesauros, Listas de cabeçalhos, Remissivas e Autoridades para escolher entradas para consultas Possibilidade de escolher entre diversos formatos para exibição/impressão dos resultados das consultas Possibilidade de ordenamento dos resultados das consultas Impressão/gravação dos resultados das consultas em disquetes Programa de consulta compatível com cliente do protocolo Z39.50 ¨Log¨ através do qual possam se geradas estatísticas diversas das consultas © Marcondes

23 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Disseminação de Informações Subfunção DSI - Disseminação seletiva de informações Com base num perfil de interesse de usuários individuais ou de grupos Saídas da DSI em papel, arquivo legível por computador/disquete ou enviadas por Geração de estatísticas da DSI © Marcondes

24 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Gerência de periódicos Sumários correntes gerados automaticamente pelo SAB e consultáveis em linha ou enviados aos usuários por Registro do recebimento de fascículo atualizando automaticamente o cadastro da coleção (Kardex), com suporte a diferentes tipos de periodicidade dos periódicos. Interface com o CCN – Catálogo Coletivo Nacional de publicações seriadas - para exportação e importação de dados Controle de múltiplas assinaturas Controle de assinaturas por vencer, por consulta e por relatório © Marcondes

25 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Gerenciamento/administração/estatísticas Suporte a múltiplas bibliotecas, com separação de acervo, usuários e recursos financeiros Subfunção Exportação/Importação de dados em meio legível por computador Segundo formatos bibliográficos de intercâmbio - CALCO, MARC Segundo formato CCN, para alimentar este sistema com o acervo de periódicos da biblioteca Importação de dados integrada com o módulo de aquisição, ou seja, os dados importados são considerados como registros que estão sendo adquiridos, como se tivessem sido digitados mportação/exportação de dados em XML Possibilidade de reformatação/conversão de dados para exportação/importação de dados para diferentes sistemas especializados (AGRIS, LILACS, SITE, etc) © Marcondes

26 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Gerenciamento/administração/estatísticas ¨Downloading¨/importação de bases de dados em linha ou em CD-ROM Subfunção Gerência de autorizações de acesso ao SAB Acesso a diferentes funções do sistema em função de autorização (código do usuário, password) Níveis: administrador do sistema, suporte do sistema, usuário técnico (catalogador, bibliotecário de referência) e usuário final Registro/log de todas as transações realizadas pelos usuários Subfunção geração de relatórios para o MEC: por Área de Conhecimento, Curso, Disciplina Subfunção criação/geração de relatórios ad hoc © Marcondes

27 [ Etapas- Documento REQUISITOS FUNCIONAIS ] Função Expansibilidade/customização do sistema Bibliotecas de rotinas São rotinas computacionais fornecidos pelo fabricante do sistema que permitem que sejam desenvolvidos programas pela instituição que adquiriu o sistema que expandam suas funcionalidades originais. Possibilitariam o desenvolvimento de novas aplicações usando linguagens de programação como Pascal, C, Visual Basic, etc que usariam estas rotinas e acessariam as bases de dados do sistema. (como por ex. ISIS-PASCAL, CISIS, bibliotecas de Dynamic Link Libraries – DLLs, criando assim a possibilidade de expandir o sistema original. © Marcondes

28 [ Etapas- Formulário para comparação de SABs ] © Marcondes O Formulário de Avaliação de SABS serve para consolidar os dados obtidos nas diferentes PROPOSTA encaminhadas pelos fornecedores que devolveram e responderam a REQUISIÇÕES POR PROPOSTAS. Ele indica como deve constar a especificação de cada REQUISITO FUNCIONAL na REQUISIÇÕES POR PROPOSTAS enviadas a cada um dos diversos fornecedores. O documento REQUISIÇÕES POR PROPOSTAS deve constar de tantas linhas quantos são so Requisitos Funcionais considerados importantes para a biblioteca É claro que, no documento REQUISIÇÕES POR PROPOSTAS sõ devem constar as colunas 2.1 e as colunas 4.1 até 4.5. Veja o modelo do documento no link seguinte:..\..\..\ENSINO A DISTANCIA\FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DE SISTEMAS.doc

29 [ Etapas- Formulário para comparação de SABs ] A Biblioteca estuda e define os Requisitos Funcionais que definem o Perfil Técnico/Funcional do SAB pretendido pela Biblioteca; cada Requisito Funcional é classificado em Obrigatório ou Desejável e a Biblioteca define também como vai pontuar os Requisitos Funcionais. Por exemplo: REQUSITO: Telas, Menus e Mensagens em português Caso o fornecedor responda: Atendo -> 10 pontos Atendo parcialmente -> 6 pontos Vou desenvolver o sistema para atender daqui a 6 meses -> 4 pontos Não atendo -> 0 pontos A lista dos Requisitos Funcionais devem constar na REQUISIÇÃO POR PROPOSTAS, enviada a cada fornecedor, é claro que SEM a pontuação que a biblioteca vai atribuir. As REQUISIÇÔES POR PROPOSTAS preenchidas e assinadas pelos fornecedores serão pontuadas pela Biblioteca, indicando o melhor SAB, aquele com maior pontuação © Marcondes

30 [ Etapas- CONVERSÃO RETROSPECTIVA ] Já parou para pensar QUANTO CUSTA e QUANTO TEMPO leva para um profissional de informação tratar e digitar num sistema de automação de bibliotecas todo o catálogo de uma biblioteca? ? ? Se você fizer um pequeno exercício, levando em conta o salário médio de um bibliotecário e que a literatura internacional diz que um bibliotecário consegue tratar e digitar num sistema automatizado, usando um padrão como o MARC, cerca de 12 registros por dia, irá verificar que esta tarefa é MUITO CARA e GASTA MUITO TEMPO! Um dos maiores ativos de uma Biblioteca são os dados de seu catálogo já digitados em meio legível por computador. Por causa disto, uma das questões mais importantes de um processo de bibliotecas, se já existe um sistema de automação e esta-se substituindo por um novo, é definir como aproveitar, da melhor maneira possível, registros em formato legível por computador já existentes no sistema antigo e como converte-los para o novo sistema. Este processo chama-se CONVERSÃO RETROSPECTIVA © Marcondes

31 [ Etapas- CONVERSÃO RETROSPECTIVA ] Objetivo: aproveitar, no todo ou pelo menos em parte, o esforço já realizado em registrar dados bibliográficos do acervo em meio legível por computador Alternativas : digitar novamente os dados do sistema antigo no novo sistema (a pior!!!). digitalizar os dados do sistema antigo a partir, por exemplo, de fichas catalográficas, isto é, criando arquivos de imagens das fichas e indexando as imagens por exemplo, por Autor, por Assunto, por Título para permitir sua recuperação e visualização das imagens das fichas catalográficas. consultar uma grande base de dados bibliográfica como a da OCLC ou o do BIBLIODATA/CALCO, identificar os registros que pertencem ao acervo da biblioteca e copiá-los segundo um formato padronizado como o MARC ou o CALCO. participar numa rede de catalogação cooperativa como a Rede BIBLIODATA/CALCO e aproveitar os dados do acervo da biblioteca já tratados e disponíveis no banco de catalogação da rede; ou converter os dados antigos para os novo sistema. desenvolvendo um programa de conversão dos dados do formato antigo para o novo. O esforço de conversão é tanto maior quanto mais diferentes ou ¨distantes¨ forem o formato original em relação ao formato processável pelo novo sistema © Marcondes

32 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual O processo de avaliação, seleção e aquisição de um SAB deve ser conduzido pela biblioteca fundamentalmente como um processo CONCORRENCIAL entre os possíveis fornecedores. Este é um processo bem mais complexo que adquiri um pacote de aplicativos como um editor de textos. Um SAB é composto de módulos (servidor, diferentes clientes), tem que ser configurado e parametrizado para se adaptar às características de cada biblioteca. Além disso, demanda treinamento e suporte permanente. Pode-se dizer que um SAB, instalado numa determinada biblioteca, nunca é idêntico ao SAB, do mesmo fornecedor, instalado em outra biblioteca. Estas características dão margem a um grande espaço para negociação com o fornecedor. Após selecionado um sistema, ainda restam muitos detalhes a serem resolvidos na proposta do fornecedor. A etapa de negociação dos detalhes da proposta do fornecedor, antes da mesma ser assinada, é uma ocasião que oferece grandes possibilidades da biblioteca contratante obter vantagens adicionais. Nos slides seguintes destacamos alguns aspectos importantes que devem ser verificados no contrato a ser assinado com o fornecedor. © Marcondes

33 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual Aspectos contratuais Instalação Garantia de atualização (upgrade) Custo de atualização (upgrade) Condições de garantia e assistência técnica - prazo de garantia (o prazo médio padrão é de 12 meses);. © Marcondes

34 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual Aspectos contratuais (cont...) Condições de garantia e assistência técnica (cont...) - cobertura e limites (as exceções devem estar bem explicitadas); - fornecimento sem ônus adicional de releases e versões novas do software ou de alguns dos seus módulos durante o prazo de garantia, pode-se incluir cláusulas garantindo instalação e configuração dessas atualizações; - tempo máximo de atendimento (o padrão é 24 horas); - os tipos de atendimento: pessoal (on-site); por fax/telefone; por ; via Internet © Marcondes

35 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual Pacote de treinamento Representantes locais/regionais Necessidade de licenças de software de terceiros: muitos SABs utilizam SGBDs - sistemas gerenciadores de bases de dados - de terceiros fornecedores; deve-se verificar se o custo da aquisição destes sistemas já esta incluído no custo do SAB ou deverá ser adquirido do fornecedor específico. © Marcondes

36 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual Aspectos referencias Histórico e tradição das empresas produtoras e distribuidoras Produtor Representante/Distribuidor Parque instalado Lista de clientes Visitas técnicas à organizações que têm aplicações de porte semelhante © Marcondes

37 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual Aspectos de suporte Documentação Treinamento Contrato de Manutenção Apoio Técnico Telefone Vermelho – toll free 0800 © Marcondes

38 [ Etapas- NEGOCIAÇÃO CONTRATUAL ] Etapa 7 - Negociação contratual Aspectos gerais Grupos de Usuários Periódicos ou Newsletter Artigos de Periódicos Lista de Discussão Congressos e Seminários © Marcondes

39 [ Etapas- IMPLATAÇÃO DO SAB NA BIBLIOTECA ] Etapa 8 - Implantação do sistema Treinamento da equipe Definição dos parâmetros do sistema Testes de aceitação Carga inicial das bases de dados Registro de dados Realização da conversão retrospectiva © Marcondes SISTEMA FUNCIONANDO PLENAMENTE!!!


Carregar ppt "[Etapas de um processo de automação de bibliotecas] Etapa 1 - Planejamento do processo de automação Etapa 2 - Diagnóstico da situação atual Etapa 3 - Identificação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google